Arquivo da categoria: Games

GWENT tem seu primeiro Campeonato Oficial com premiação de US$ 100 mil

A CD PROJEKT RED está investindo todas suas fichas no GWENT, o card game inspirado em The Witcher. Prova disso é o recente anúncio do primeiro Campeonato Oficial do game com uma premiação total de US$ 100 mil. O torneio colocará os melhores jogadores da comunidade contra 4 jogadores profissionais: Trump (Jeffrey Shih), Lifecoach (Adrian Koy), Noxious (Kacem Khilaji) and ppd (Peter Dager).

“É um verdadeiro privilégio poder acompanhar o quão ativos são os jogadores de GWENT no cenário competitivo. Campeonatos criados pela comunidade como o Passiflora Championship, The Seven Cats Brawl ou o The Gwentlemen’s Open são uma fonte de inspiração para todo o time da CD PROJEKT RED, e nós definitivamente queremos que este cenário cresça ainda mais”, comenta Paweł Burza, Gerente de Comunidades da CD PROJEKT RED.

catsDe acordo com a organização, os interessados em participar da etapa qualificatória deve se inscrever entre os dias 16 e 22 de março. Apenas os jogadores participantes do Beta de GWENT podem participar do campeonato, mas ainda possível obter um acesso através do site. Entretanto o torneio é apenas para os jogadores de PC, de modo que as plataformas Xbox One e Playstation 4 ficarão de fora.

Há planos de transmitir os oito melhores jogadores através o Twitch e a CD PROJEKT RED não descarta outros torneios no futuro. As qualificatórias acontecem em dois dias (8 de abril e 9 de abril), sendo elas dividias em dois grupos Temeria e Redania. Se você já é membro da comunidade The Witcher, vale a pena participar do primeiro grande evento de e-sport do game.

“GWENT: The Witcher Card Game foi criado, pois a comunidade de The Witcher clamava por este jogo em uma versão standalone. Agora vemos mais e mais jogadores com o intuito de jogar GWENT competitivamente, então esta é a chance de colocarmos estes jogadores para enfrentar gamers profissionais de peso, além de uma premiação para apimentar ainda mais a competição”, diz Marcin Iwiński, Co-fundador da CD PROJEKT RED. “Não posso esperar para ver quem sairá vitorioso!”, adiciona Iwiński.

Para participar do GWENT Challenger, basta acessar o website oficial da competição. Vale lembrar que jogadores do mundo todo poderão participar deste campeonato!

Abaixo tem o trailer de GWENT: The Witcher Card Game

Rainbow Six Siege – Ubisoft confirma primeira temporada do Brasil no torneio mundial da Pro League 2017

A Ubisoft decidiu dar uma moral especial para o Brasil durante o torneio mundial Pro League 2017 de Rainbow Six Siege. De acordo com a Publisher, as competições começam em 20 de março na América do Norte, 23 de março na Europa e 26 de março na América Latina – esta última região com duelos que ocorrerão no Brasil. O calendário do 2º ano de competições será dividido em três temporadas; oito equipes brasileiras estão na disputa do título de campeão mundial.

Como se não bastasse, a primeira temporada da Pro League 2017 no Brasil, inclusive, terá apenas equipes nacionais como representantes da América Latina: Santos Dexterity, Keyd Stars, paiN Gaming, Black Dragons, V3 Masters, BRK e-Sports, NOX Gaming e SemXorah Gaming. Com tantos brasileiros de peso, não dá para deixar de imaginar que nosso país tem muitas chances na disputa mundial, certo?

unnamedA Pro League será disputada na plataforma PC e terá três temporadas (seasons), cada uma composta por uma fase regional e um evento presencial com os melhores times da Europa, América do Norte e América Latina. Ao final, os vencedores se enfrentarão pelo título de campeão mundial e disputarão uma premiação de US$100 mil. As decisões da primeira temporada acontecerão em Katowice, na Polônia, em 20 e 21 de maio.

“Temos muito orgulho e satisfação de anunciar que o Brasil será uma das três regiões da Pro League de Rainbow Six Siege. O cenário de eSports no país é promissor, temos pro players talentosos e uma torcida diferenciada, que vibra o tempo todo e transforma a atmosfera em algo único em todo o planeta”, disse Bertrand Chaverot, diretor da Ubisoft para América Latina. “A Ubisoft acompanha o engajamento dos brasileiros em todas as plataformas, e trazer a Pro League para o país é uma maneira de presenteá-los, além de reafirmar o compromisso com a comunidade local”, completou.

O público poderá acompanhar a transmissão ao vivo do Pro League 2017, sempre aos domingos a partir das 14h, com narração em português, nos canais da Ubisoft eSports no Twitch e no YouTube.

O trailer oficial do segundo ano da Pro League já está disponível:

Ministério da Saúde entra no universo dos games em nova Campanha de Vacinação

Ciente da força dos videogames entre os jovens, o Ministério da Saúde entrou de cabeça no universo dos jogos eletrônicos para a nova campanha de vacinação contra a Meningite C e o HPV. A intenção é atingir o maior número possível de jovens entre 9 e 14 anos. Com o conceito “É nessa fase que você fica mais forte”, a campanha estreia com o filme em uma linguagem que mistura o mundo real com o mundo dos games, em 8 Bits e 3D, para contar a história da aventura de dois jovens que fogem dos vírus para encontrar uma unidade de saúde e se vacinarem.

MS_Cartaz_460x640mm.inddA locução é do embaixador da campanha, o famoso Youtuber dos games, Zangado. Adolescentes poderão assumir o controle da aventura ao baixar o jogo para mobile, Detona Vírus, onde enfrentarão vilões dentro do corpo humano, recebendo a cada nova fase, conteúdos importantes sobre a saúde e a importância de tomarem as vacinas. A expectativa é que muitos jovens se conscientizem e tomem a vacina durante a campanha.

Algumas pessoas e organizações se mostraram contra a nova campanha do Ministério da Saúde, utilizando argumentos de que é um desperdício de dinheiro e que o foco deveria ser a prevenção. Entretanto, o governo e o Ministério entendem que é importantíssimo alertar os jovens sobre a importância de tomar a dose da vacina. Não é a primeira vez que governos utilizam as novas mídias para se comunicar com os mais jovens (vide a campanha de prevenção ao HIV) e é extremamente importante que as autoridades se voltem para as novas mídias.

Como o principal ponto de contato entre os jovens e o Ministério da Saúde serão as plataformas digitais, haverá uma Websérie com 4 episódios na linguagem Minecraft no canal do Youtuber Fê Batista e uma ativação com os principais atletas de E-sport do país, competindo entre si no Detona Vírus. Você pode encontrar mais informações sobre a campanha no site do Ministério da Saúde.

Abaixo você confere o vídeo da campanha do Ministério da Saúde:

Sistema Matific para o ensino da matemática será usado no Programa Escolas Plugadas da Fundação Lemann

O sistema de jogos educativos da startup Matific, empresa israelense especializada em gamificação para o estudo da matemática desde a educação infantil até o sexto ano, foi selecionado pela Fundação Lemann para integrar o programa Escolas Plugadas em 2017, com o objetivo de conectar educadores da rede pública de ensino a empreendedores do setor de tecnologias educacionais.

sc552x414-1A proposta do programa Escolas Plugadas é facilitar a identificação, a implementação e o desenvolvimento de novas tecnologias educacionais de alta qualidade para as escolas públicas brasileiras. A ideia é que os professores avaliem e utilizem as tecnologias em suas aulas já durante o primeiro semestre letivo de 2017. Nesta edição, outras cinco startups de educação também participarão e o programa, no total, impactará mais de 30 escolas públicas.

A plataforma israelense Matific é utilizada atualmente por mais de 100 mil alunos da rede pública e privada de ensino. No Brasil, uma parceria entre a Diretoria de Ensino Centro Oeste (em São Paulo), a ONG Parceiros da Educação e a Matific viabilizou a implantação do sistema de gamificação para o ensino da matemática em 105 escolas estaduais paulistas. A plataforma é utilizada atualmente por cerca de 100 mil alunos, com mais de 320 mil jogos realizados, além de estar presente na grade curricular dos principais colégios particulares da capital paulista.

Sistema Matific apresenta melhoras no ensino da matemática

Uma das escolas que apresentam melhorias significativas no ensino da matemática é a EE Padre Pasquale Filippelli, localizada em Diadema, que utiliza a plataforma há 2 anos e conquistou um resultado 25% acima da meta do Estado no IDEB 2015. De acordo Dennis Szyller, Gerente Nacional da Matific, a tecnologia educacional pode contribuir para a obtenção de melhores resultados e em menos tempo.

unnamed-9“A plataforma emite em tempo real relatórios de desempenho de cada aluno, dando ao professor uma poderosa ferramenta de avaliação. Assim, o educador pode adaptar os próximos jogos às dificuldades de aprendizagem de cada um”, comenta Szyller.

A psicopedagoga da Matific, Ana Paula Carmagnani destaca que, nos jogos educativos da empresa, as crianças aprendem os conceitos matemáticos por meio de situações do dia a dia, manipulando objetos familiares, como contagem de animais, classificação de potes de biscoito, cortando e colando figuras geométricas e assim por diante.

“Essas interações guiadas são projetadas cuidadosamente para facilitar a exploração prática e a autodescoberta de conceitos e percepções matemáticos, dentro de um ambiente de aprendizagem favorável e divertido”, comenta Ana Paula.

Se você ficou interessado no Matific, não deixe de baixar o aplicativo para Android e iOS. Mais informações no site do programa.

Conheça Ponami, o game inspirado na cultura indígena da Jogos Aurora

E é com inspiração na cultura indígena que o pessoal do estúdio Jogos Aurora criou o game Ponami, um RPG que conta a história de uma jovem arqueira que deve proteger seu povo das investidas violentas das criaturas místicas chamadas Talástreas. O game será lançado no próximo dia 20 de março para Android e a expectativa é que sua trama envolvente e o uso do folclore e costumes indígenas desperte o interesse do público.

De acordo com os desenvolvedores, Ponami é inspirado nos jogos de plataforma da década de 90 e nas mecânicas dos RPGs clássicos. A Jogos Aurora fez uma pesquisa ampla sobre culturas e costumes indígenas. O resultado foi uma aventura épica baseada nos mitos da cultura indígena das Cordilheiras. Ponami é uma guerreira que cresceu no povoado da Cordilheira de Sajor, uma civilização próspera.

unnamedDiferente da maioria dos jogos para celular, em Ponami o jogador irá encontrar um roteiro original e complexo, além de um conceito artístico criado para impressionar e cativar o público.

“Nós estudamos muito a cultura inca, seus mitos e expressões artísticas para produzir o jogo e deixa-lo o mais fiel possível”, explica Marina Torrecilha, artista do jogo. “Tudo o que o jogador encontrará em Ponami está alí por uma razão e tem papel importante na construção da narrativa ou na imersão”, completou.

Sobre o desenvolvimento de Ponami

O objetivo por trás do desenvolvimento de Ponami era criar um jogo com uma história completa, bem elaborada, com personagens cativantes e uma trilha sonora imersiva. De acordo com Pedro Schabib, programador e level design de Ponami, a América Latina é a região mais rica em mitologia e folclores e por isso foram a grande inspiração para o game.

16712055_1143024415823923_9126595889685626899_n

O jogo será lançado no dia 20 de março e estará disponível gratuitamente na PlayStore. Ainda serão lançados mais cinco mundos em formato de DLC gratuita que expandirão o universo de Ponami para outras culturas e civilizações. Você pode obter mais informações sobre Ponami, na página da Jogos Aurora no Facebook.

Conheça as incríveis tatuagens em pixel art de Yuri Germuts

Fazer uma tatuagem é algo que vai (literalmente) te marcar para o resto da vida. Imagine então tatuar aquele game que é tão especial para você. Pois é justamente esse o nicho de mercado atendido pelo tatuador Yuri Germuts, 30 anos, que se especializou em desenhar e tatuar temas de videogames. O macete é que seus traços são inspirados na pixel art, de modo que suas obras são únicas e um prato cheio para jogadores mais saudosistas.

16830628_383081675389528_3913515349707891040_nO Prelludium Tattoo Art, que é gerenciado por Germuts, já funciona há mais de um ano em Piracicaba, SP, e já lhe rendeu um portfólio invejável, graças aos seus traços tão característicos e o cuidado com os detalhes. Já imaginou tatuar o Link de Minish Cap ou quem sabe o simpático Kirby estilizados em pixel art? Na página do Facebook do estúdio é possível ver alguns trabalhos realizados por Germuts, que não se restrigem apenas aos videogames.

O GameReporter fez uma entrevista com o artista Yuri Germuts e você confere na íntegra logo abaixo:

 

Fale sobre você (um resuminho simples):

unnamed-2Meu nome é Yuri Germuts, tenho 30 anos, sou tatuador profissional e músico nas horas vagas.

 

Quais são as suas influências, o que te levou a começar a trabalhar com tatuagem?

Desde que me conheço por gente, já me lembro com o lápis e um papel em mãos. Minhas influências na arte do desenho (a principio) começaram pelo meu pai, que sempre desenhava comigo em minha infância. Na adolescência procurei aprimorar os meus dons, fazendo cursos mais voltados a técnicas de desenho e pintura e atualmente, há pouco tempo venho aplicando tudo o que adquiri nesses anos, em técnicas de tatuagem. Sendo assim, sempre me aprimorando com workshops e cursos isolados.

 

unnamed-6De onde veio a ideia em focar jogos em pixel art para fazer as tatuagens?

Sempre fui fanático por games eletrônicos e arte (desenhos, pinturas, etc). Sentia uma carência enorme por parte dos tatuadores que eu procurava e solicitava o estilo pixel art e nerd tattoo. Nenhum era o que se pode chamar de “especialista” no assunto, ou às vezes não se animavam muito com essa ideia inusitada de tatuagens. Neste ponto, surgiu a ideia de unir duas coisas que amo demais, a arte e os jogos de videogame. Deu no que deu!

unnamed-8

É mais difícil fazer tatuagens em pixel art ou diria que é mais fácil?

Bom, exige um bom tanto de concentração por parte do artista. São detalhes minimalistas que fazem toda a diferença no aspecto final do trabalho. Diria que não seria mais difícil, pois todo o tipo de trabalho carrega o seu fardo de complexidade, e sim, mais desafiador.

 

unnamed-5Quantas tatuagens você possui? E qual (ou quais) é a sua favorita?

Puxa! Bastante hein (risos e pausa pra contabilizar as tatuagens). Ao todo hoje, possuo 19 tatuagens. Escolher uma favorita é meio complicado. Creio que todas têm um peso e carinho especiais em minha vida. Fico com todas! (risos)

 

Qual foi a tatuagem mais complexa que você já fez em uma pessoa?

Olha! A que me deu mais “nó na vista”, foi uma que fiz recentemente, também em pixel art, que é o “Zero” do Mega Man. Essa deu bastante trabalho, devido aos seus detalhes mínimos.

 

unnamed-3Você já sofreu preconceito pelas tatuagens que possui ou por ser tatuador?

Não diretamente! Mas sinto às vezes algumas olhadas diferenciadas, sabe? – Isso não me afeta nem um pouco. Cada, em minha opinião, deve ser do jeito que é. Não importa o que as pessoas pensem.

 

Houve alguma tatuagem que te deixou surpreso em fazer?

Até hoje, nenhuma. Nada que me desconcertasse ou me deixasse surpreso. Sempre encaro como arte e procuro ser o mais profissional e sério, quando estou realizando os meus trabalhos.

 

Já recusou fazer alguma tatuagem? Por quê?

Não realizo de forma alguma tatuagens diretamente em partes íntimas (órgãos sexuais). Acredito que não seja o propósito do meu trabalho. E outra: o corpo humano é imenso e cheio de áreas a serem exploradas artisticamente.

 

unnamedQual a tatuagem mais pedida pelos seus clientes (algum personagem em especial)?

Quadrinhos e HQ’s têm uma demanda muito alta. Em se tratando de videogame, disparadamente Super Mario.

 

Qual o seu jogo favorito?

Puxa! Dificil também (risos). Talvez ficaria com Zelda – The Ocarina of Time (Nintendo 64) e Super Mario World (SNES), se fosse pra escolher.

 

O que é preciso para ser um tatuador? Como se pode aprender essa arte?

sdfÉ uma pergunta muito comum, vinda daqueles que querem ingressar nesse ramo. Mas diria resumidamente que é preciso, acima de tudo, muito amor pelo que se propõe a fazer e uma boa pitada de talento em desenho. Hoje em dia a acessibilidade aos materiais e equipamentos de tatuagem é muito fácil.

Em qualquer site relacionado a isso a pessoa pode encontrar um kit de iniciante para tatuadores. O que eu aconselho é direcionar-se a workshops e cursos (incansavelmente), sempre se manter atualizado, aprender como “funciona” a pele (com cursos de biossegurança e fisiologia dérmica) , empenho e foco acima de tudo. Basicamente isso.

 

Serviço – Prelludium Tattoo Art 

Onde: Rua Alferes José Caetano, 497 – Centro – Piracicaba/SP

Horário de atendimento: Seg. a Sex. 12:30hr às 20:00hr e aos Sábados das 11:00hr. às 17:30hr

Contato: (19) 98284-0728 (whatsapp) //(19) 2534-2575

Miner Ultra Adventures – desenvolvedor teria xingado jogador que fez críticas negativas

Desenvolver um game do zero não é tarefa fácil, principalmente se você desenvolveu tudo sozinho. Receber críticas faz parte do trabalho e acontece muito, mas não é e jamais foi agradável. O caso do game indie brasileiro Miner Ultra Adventures chamou as atenções da internet na última semana e o motivo foi que supostamente o desenvolvedor teria perdido as estribeiras e xingado duramente um jogador que deu nota baixa para seu game na Steam.

ss_61d2256f9da3f6848e57bcec32f0d60f0281cf43-600x338Miner Ultra Adventures é um game de plataforma 3D inspirado em clássicos da geração 32-64 bits como Super Mario 64, Gex, Crash Bandicoot, Conker’s Bad Fur Day. Um dos pontos chaves do game é que ele não possui conteúdo adulto ou violência, além de um mundo vasto e colorido para ser explorado. Por mais que o desenvolvedor se esforce, sempre fica algum ponto negativo e foram esses deslizes que o usuário Filthy Prank apontou ao fazer sua crítica.

ss_af290f82309243229bcb7f52955697fae1d9bb85-600x338Surpreendentemente, o perfil do criador do game (Dennys Ferreira, da Manic Mind Game Lab) passou a insultar o jogador, utilizando até mesmo palavras de baixo calão (imagens abaixo). A situação saiu do controle quando outros jogadores ficaram sabendo do acontecido e começaram a dar mais notas negativas, como forma de “dar uma lição” no suposto desenvolvedor esquentadinho. O resultado foi que a nota do game baixou muito, beirando a nota 4. Nesse ínterim, algumas notas positivas começaram a surgir, sugerindo que o desenvolvedor teria distribuído Keys para melhorar sua nota.

17155542_413908558957855_4129101620480508899_n

miner_steam

 

A versão do desenvolvedor

Após muitas discussões e teorias do que teria acontecido, o site Drops de Jogos entrou em contato com o desenvolvedor de Miner Ultra Adventures a fim de ouvir os motivos que o levaram a tal destempero. De acordo com Dennys, tudo não passou de uma vingança de uma ex-namorada que teria entrado em sua conta da loja virtual e iniciado o atrito com os usuários apenas para lhe criar problemas.

“Vários haters estão me julgando, ao invés de dar força para os devs”, explicou Dennys Ferreira, em entrevista ao Drops de Jogos. “Manter relacionamento com a pessoa errada dá nisso”, enfatizou, em referência à atitude da ex-companheira. “Eu nunca ia entrar em treta com comprador de jogo. Se o cara não gostou e fez um review negativo, tudo bem, eu só quero fazer jogo”, declarou.

ss_abff536a23e84353f6587c5f8523c5573727af6e-600x338A situação teria chego a tal ponto que as pessoas compram o game, fazem o review negativo e em seguida pedem o reembolso, fato que apenas prejudica a reputação do estúdio desenvolvedor. Dennys teria até pensado em tirar o game do ar para acabar com este ciclo. Sobre as notas positivas que surgiram, o desenvolvedor admite ter enviado Keys para a Rússia a fim de melhorar a avaliação geral. Mas é claro que o estrago já estava feito: a fama do game se deu não por suas qualidades ou defeitos. Miner Ultra Adventures é conhecido como “aquele game feito pelo desenvolvedor que xinga seus jogadores”.

ss_49aec8aa60bb27135af162f49e484edcb5f1979fEsta não é a primeira vez que a Steam é palco de uma polêmica: meses atrás a produtora Digital Homicide processou youtubers e jogadores que deram notas negativas aos seus jogos. Resultado? A empresa foi expulsa da Steam. Sobre o caso de Miner Ultra Adventures, infelizmente não conseguimos contato com a suposta ex-namorada vingativa. O que podemos tirar dessa história toda é que, se você é desenvolvedor de games deve estar preparado para críticas, pois elas virão.

Abaixo tem um vídeo de Miner Ultra Adventures:

 

Ballistic Overkill – FPS competitivo brasileiro consegue sucesso após muitas mudanças ao longo de sete anos

Hoje o tema é um game nacional bastante conhecido pela comunidade gamer e que é sinônimo de sucesso e dedicação de seus desenvolvedores. Trata-se de Ballistic Overkill, um shooter da Aquiris com bastante intensidade e funcionalidades. O game está completando sete anos (nasceu como Ballistic) e ao longo destes anos todos jamais deixou de receber suporte dos desenvolvedores e da comunidade mostrando que a dedicação pode transformar um simples FPS online em um título premium para quem procura um shooter premium para PCs.

ss_5772178d78ffe1ced3a1846b44f5cb34d78d06af-600x338Ballistic Overkill é um jogo de ritmo bastante acelerado e muita ação, o gameplay tem influencias de clássicos como Quake III Arena, Unreal Tournament, e outros jogos mais recentes como CoD4 Modern Warfare ou Battlefield 3. Desde que foi lançado, Ballistic Overkil recebeu muitas funcionalidades e novidades que apenas serviram para engrandecer o projeto, como novos mapas, armas, modos de jogo, servidores dedicados, interface, músicas, sistema de conquistas, comandos de voz e melhorias nas opções de sensibilidade do jogo.

Se você jogava a antiga versão Ballistic em 2012, certamente viu que as mudanças foram tão progressivas e grandes que o game de hoje nem pode ser comparado com o do inicio. A recepção do Ballistic Overkill por parte da comunidade de FPS tem sido muito boa, conquistando a atenção de gamers hardcores do FPS e casuais, mas também de pessoas que nunca jogaram um FPS PvP e adoraram o fato de ser um jogo fácil de se começar a jogar.

ss_d6381e805de37345fd105529b36efb7708a463c7-600x338De acordo com a Aquiris Studio, Ballistic Overkill vendeu mais de 45 mil cópias desde a abertura do Acesso Antecipado em 2015, e a adesão tem aumentado a cada nova atualização. Outra forma de aumentar a quantidade de jogadores para Ballistic Overkill foi apoiar Youtubers e divulgação através de imprensa. Um dos destaques de Overkill é seu ritmo acelerado e a necessidade de se trabalhar em equipe, ao melhor estilo Team Fortress 2. O game contém sete classes de personagens com habilidades únicas e mais de 30 armas.

Apesar de ter começado com F2P, a Aquiris decidiu tornar o modelo de negócio em Premium, o que certamente não foi uma tarefa fácil, mas os desenvolvedores conseguiram reverter a situação. Para isso, eles mostraram que o game estava ficando melhor a cada nova atualização e deixando o diálogo aberto com a comunidade.

ss_bd343a2f41f27c6b1be4d138eb129aab4daf78cb-600x338

“O maior desafio definitivamente foi gerir as expectativas dos jogadores durante esse processo de transição. Veja só, ir de premium a F2P é até comum, no entanto, o oposto não é. Jogadores não estão acostumados com isso. Não só isso, mas tivemos o problema com o próprio port. Alguns jogadores não entendiam o fato de que grande parte do jogo precisava ser refeita praticamente do zero. Para eles era tão simples quanto colocar o jogo do jeito que era no Facebook, mas no Steam. No final, apenas os jogadores hardcore de Ballistic permaneceram. Só agora estamos presenciando um surto de novos jogadores”, disse Arthur Bobany, game designer da Aquiris.

Mais funcionalidades de Ballistic Overkill

ss_aa1d019c0eb41598345c397c6674ff9cbaf8c77f-600x338Você consegue pontos de XP no final de cada partida, eventualmente evoluindo o nível do seu personagem e desbloqueando mais armas e habilidades. O jogo está em Acesso Antecipado desde outubro de 2015 e recebendo atualizações constantes. Os Modos de Jogo disponíveis no momento são: Disputa de Times, Free For All (cada um por si), Captura de Pontos e Rei do Pedaço.

De acordo com a desenvolvedora, Ballistic Overkill tem mais de mais de 35 servidores espalhados pelo mundo todo, de modo que os jogadores têm a liberdade de navegar pelo lobby e encontrar o servidor com a qualidade de conexão mais adequada. Jogadores também podem criar seus próprios servidores e convidar amigos para jogar juntos. O game está disponível na Steam.

Abaixo tem o trailer de Ballistic Overkill:

 

Ongame cria campanha #SomosTodosGamers para levantar bandeira contra o preconceito nos games

Em 2015 a equipe de Marketing da Ongame, famosa Publisher dos jogos online Aika, Metin 2 e Point Blank, criou a campanha “#JogueComoUmaMulher” foi bastante positiva e bem aceita pela comunidade gamer. Pois bem, a equipe queria retomar a campanha para o último Dia da Mulher, porém os planos mudaram e a nova campanha é “#SomosTodosGamers”. O intuito é banir o preconceito dos jogos online, seja ele qual for!

Não importa se você é homem, mulher ou qual a sua opção sexual, somos todos gamers!” – afirma Thais, Coordenadora de Marketing da Ongame Entretenimento. A ideia para a campanha é celebrar outras datas emblemáticas que coincidem em Março, pois além de termos o Dia Internacional da Mulher (8), temos também o Dia Contra a Discriminação Racial (21) e o Dia Nacional do Orgulho Gay(25).

unnamedNão é de hoje que jogadores relatam abusos em partidas online. Quem nunca ouviu alguma história de mulheres sendo perseguidas por jogadores mais abusados ou casos de preconceito sexual. A campanha da Ongame quer ir justamente contra isso, pois não importa qual seja o seu gosto ou suas escolhas. Os jogos existem para nos distrair, para vivermos em um mundo onde todos têm os mesmos gostos.

Objetivo da Ongame é unir a comunidade de jogadores

De acordo com a Ongame, o jogo online pode ser interativo, divertido e até mesmo competitivo, mas foi feito para unir as pessoas, para poderem ser algo diferente da realidade, algo que desejam como: magos, elfos, guerreiros, atiradores, caçadores, monstros, etc. Resumindo, não somos melhores do que ninguém, cada pessoa tem suas escolhas e gostos diferentes. Jogadores de Aika, Metin 2 e Point Blank já aderiram a campanha e a expectativa é que ela chegue aos Trending Topics em breve.

Novo game da PlayTable ensina lógica de programação para crianças a partir dos quatro anos

Já ouviu falar da iniciativa PlayTable? Pois bem, basicamente trata-se de uma mesa digital com jogos educativos cuja finalidade é ensinar lógica de programação para crianças da pré-escola sem esquecer de brincar. A Playmove, desenvolvedora da mesa digital PlayTable, acaba de lançar o game “Croac, uma melodia verde!”, que usa a musicalização infantil para introduzir os alunos no universo da programação. O projeto contou com a colaboração do game designer Eliandro Fontes, e do programador Leonardo da Luz, que incluem a rede de parceiros da startup.

A ideia é bem lúdica: o jogo conta a história do Rei Sapo, que abandonou sua flauta mágica e deixou a tristeza chegar à floresta. Cabe ao macaco Monki achar o instrumento, utilizando uma partitura musical que é capaz de devolver a alegria ao Rei Sapo.  Para isso as crianças precisam seguir o conceito de programação, que é apresentado em um módulo especial do game, através de um tutorial simples e animado.

unnamedO especialista em ludopedagoia da Playmove, Cristiano Sieves, explica que o jogo é composto de 30 desafios com graus de dificuldade que vão evoluindo conforme cada fase.

“Para cumpri-los as crianças vão utilizar a lógica de programação, que melhora a capacidade da resolução de problemas, para vencer cada etapa. Outro benefício desse conceito é o desenvolvimento da criatividade, que acaba auxiliando o aluno em outras disciplinas”, avalia Cristiano.

De acordo com os responsáveis pelo projeto, atualmente mais de 200 mil alunos brasileiros já contam com a PlayTable na rotina escolar. São cerca de 800 instituições de ensino – públicas e privadas – que utilizam o dispositivo. Deste modo, espera-se quem em alguns anos vejamos toda uma geração acostumada com a lógica de programação, mesmo que em níveis mais básicos.

Novos games para a PlayTable

img_playtableOutras quatro opções de games também foram lançadas pela startup. O “Coelhos Construtores” é indicado para crianças a partir dos quatro anos e trabalha cores e formas. Já o “Box-in” é para alunos a partir dos seis anos e auxilia na aprendizagem do inglês. O “Guardiões da Natureza – Mamíferos”, para a faixa etária de oito anos, entra na área das ciências e o “Edu no Planeta das Galinhas” ensina educação financeira para crianças a partir dos nove anos.

Abaixo você confere um trailer de Croac, um dos games da PlayTable: