Arquivo da categoria: Games

Finalistas do BIG Festival #03: Figment

A Dinamarca não é um país muito conhecido pela produção de jogos digitais, mas é justamente de lá quem vem um dos destaques do BIG Festival: Figment. O título é da desenvolvedora Bedtime Digital Games, que aposta num conceito lúdico e em visuais caprichados para agradar o jogador. Não por acaso, o título concorre nas categorias Melhor Jogo, Melhor Narrativa e Melhor Arte do BIG 2017.

Figment é um jogo de ação e aventura com quebra-cabeças ambientado em um universo de sonhos com grande ênfase musical. Todo o jogo se passa na cabeça de um homem de 40 anos cuja mente é atormentada pela ansiedade e o estresse. Assim, o ambiente se parece com um mundo de fantasia extraordinário, onde tudo se transforma diante dos olhos. É neste mundo de sonhos que habitam Dusty e Piper, as protagonistas do jogo.

A missão dessas garotas é explorar a mente deste homem, cuja identidade é um mistério durante todo o game. Dusty e Piper devem resolver puzzles e corrigir os problemas do misterioso homem, além de combater pesadelos e restaurar um espírito fragilizado. Sim, toda a aventura é lúdica e o tema é bastante introspectivo.

O estilo visual é o grande chamariz do game, de modo que ele é um dos títulos mais impactantes que o visitante verá no BIG Festival 2017. O resultado de tanta beleza deve-se ao fato de que Figment foi todo desenhado à mão em perspectiva isométrica. Una-se ao conjunto da obra o fato de que o game possui melodias cativantes e bem diversificadas. Os puzzles são simples, porém mantém o jogador entretido.

Figment é um mundo surreal preenchido pelos mais profundos pensamentos, desejos e memórias, habitado pelas muitas vozes que se ouve na cabeça. Esta mente permaneceu calma durante muito tempo, mas graças ao estresse, novos pensamentos emergiram tomando a forma de criaturas assustadoras que espalham o medo por onde passam. A única esperança é que o carrancudo Dusty, a antiga voz da coragem da mente, consiga regressar à sua antiga forma e ajude a mente a combater os seus medos”, diz o release do game.

Figment está disponível para PC, Xbox One e Playstation 4. Ele é altamente indicado para quem curte jogos de quebra-cabeças e narrativas lúdicas e cheias de simbologia. Há quem compare a história e simbologia com o megassucesso Braid, graças à história cativante e universo de jogo fantástico.

Abaixo você confere o trailer de Figment:

Finalistas do BIG Festival #02: Death Squared

Outro game que está fazendo bonito no BIG Festival 2017 é Death Squared, do australiano SMG Studio. Basicamente trata-se de um puzzle em que o jogador deve guiar robôs até um determinado ponto do cenário. Parece moleza, certo? Mas na verdade temos aqui um dos jogos mais desafiadores já lançados, tanto que a cada nível você vai morrer um sem número de vezes até entender a dinâmica de jogo.

Death Squared desafia o jogador a colocar um grupo de robôs em cima de determinados círculos casando a cor dos círculos e dos robôs. A princípio parece fácil, mas os níveis são desenhados para desafiar a atenção e perícia dos jogadores. Ou seja, há obstáculos e armadilhas que devem ser desviados a fim de chegar ao objetivo. O macete é que o pessoal da SMG meio que mascarou um labirinto 3D, ou seja há apenas um único caminho a seguir.

Um dos pontos mais interessantes: você deve decifrar o caminho certeiro, pois “morrer” te coloca no início da determinada fase, o que pode ser bastante frustrante. A jogatina envolve muita experimentação, tentativa/erro. No modo multiplayer é natural que um determinado jogador tome o caminho errado, fazendo com que todos voltem ao princípio. Comunicação é essencial para chegar até o fim de cada fase de maneira brilhante.

Ainda que tenha modo singleplayer, o foco de Death Squared é no multiplayer, onde até quatro jogadores podem se ajudar para guiar os coloridos robôs até seis respectivos checkpoints. Deste modo, o trabalho em equipe é o essencial no jogo. É bem comum que “desentendimentos” aconteçam vez ou outra, pois decifrar o cenário é o grande macete e muitas vezes um jogador acaba prejudicando todo o grupo.

Mas não pense que você vai passar raiva com Death Squared. Na verdade ele vai melhorar muito o trabalho em equipe entre você e seus amigos, a menos que seu parceiro seja uma toupeira que leva o grupo a mortes desnecessárias. O fator diversão é bastante alto e certamente você vai acabar viciando em passar fases seguidamente. Poucas vezes vimos jogos independentes tão bem engajados no fator diversão em detrimento de aspectos técnicos como gráficos e efeitos visuais.

O modo multiplayer é apenas local e conta com 40 fases, cuja dificuldade é sempre crescente. Já no modo para dois jogadores ou singleplayer existem 80 níveis. Infelizmente a SMG não incluiu multiplayer online aqui. De qualquer modo, da para se divertir bastante. Os controles são simples e intuitivos, então qualquer um pode apreender e se divertir. Death Squared está disponível para PS4, Xbox One e PC.

Abaixo está o trailer de Death Squared:

Finalistas do BIG Festival #01: The Deadly Tower of Monsters

Um dos grandes favoritos (senão o maior) para o prêmio “Melhor Jogo” do BIG Festival 2017 é The Deadly Tower of Monsters, do estúdio Chileno ACE Team. De cara é um dos que mais chamam as atenções em toda a exposição. Aqui temos um jogo de ação em terceira pessoa que homenageia filmes clássicos de Sci-Fi, como “King Kong“, “O Dia em que a Terra Parou“, “Perdidos no Espaço“. A ideia dos desenvolvedores foi criar propositalmente um game “tosco”, porém divertido. Para isso, utilizaram diversos recursos, incluindo stop-motion e narração à lá anos 70.

A trama é bem simplista, tal como nos filmes que serviram de fonte de inspiração: o jogador encarna o explorador espacial Dick Starspeed que chega ao estranho planeta Gravoria após um inusitado acidente. Com o foguete danificado e o seu robô perdido, ele sai para explorar o planeta e se depara com seus perigosos habitantes. Neste planeta ele se vê no meio de uma guerra civil entre os habitantes locais, formados por homens-macacos. Dick acaba por encontrar com Scarlet Nova, herdeira do imperador de Gravoria. Após descobrir as tiranias do imperador, a dupla se um em uma missão para derrubar o império.

Apesar do roteiro elaborado, The Deadly Tower of Monsters é uma paródia de um filme de ficção B rodado nos anos 70, ou seja, o jogador vai conferir a narração do diretor do filme (Dan Smith), de maneira bem cômica. Essas narrações estão ao longo de todo o jogo, de modo que é difícil não entrar no clima do jogo. A narração combina muito com as animações em stop-motion e a ação ilógica que permeia Gravoria.

O que mais chama as atenções em The Deadly Tower of Monsters é os visuais caprichados. Mesmo com a visão tosca de mundo, é notório que a ACE teve muito trabalho para criar as animações em stop-motion de maneira convincente. Visualmente, o resultado é algo que lembra muito filmes cult como Simbad, Jason e os Argonautas e A besta de 20.000 braças. No aspecto visual, este game é imbatível e certamente merece atenção especial do público do BIG.

Os inimigos são bem peculiares e estão em sintonia com esta aventura desvairada: até mesmo dinossauros surgem para complicar a vida do jogador. Eles trazem referências de filmes como “King Kong“, “O Dia em que a Terra Parou“, “Perdidos no Espaço“, “Planeta dos Macacos“, “O Planeta Proibido“, “Invasão das Aranhas Gigantes“, entre outros. A diversão é totalmente descompromissada, mas obrigatória.

A jogabilidade é típica de games de plataformas 3D, você pula, corre, bate, atira e rola para fugir das investidas inimigas. A câmera não fica estática! Ela se move procurando o melhor ângulo para captar a ação, sendo que em alguns momentos parece até utilizar isometria ou visão por cima. Outro destaque é a variedade de armas e itens que servem para destruir os inimigos: dezoito armas variando entre tiro e de curta distância. Todas elas podem ser melhoradas.

The Deadly Tower of Monsters é um trinfo dos jogos independentes. Ele não apenas é de qualidade técnica impecável, como também uma prova de que o que vale mesmo é a diversão. Numa era em que linhas de resolução e gráficos ultrarrealistas estão em voga, é legal ver que um game com visual antiquado receba tanta atenção. Se ele tem o que é necessário para vencer o BIG Festival? Sim! Não sabemos se vai levar o prêmio principal, mas só o fato de estar entre os finalistas já mostra que o futuro dos jogos indies pode não ser equiparar-se com os AAA. O game está disponível para PC via Steam e PSN.

Abaixo tem o trailer de The Deadly Tower of Monsters:

PUC-SP é a casa da Virada Tecnológica 2017 em julho

Você já ouviu falar da Virada Tecnológica? Trata-se de um encontro de profissionais, estudantes e aficionados por diferentes ramos da tecnologia como Lógica de Programação, Programação de softwares de Jogos de Matemática, desenvolvimento de Games, Android, aprendizados sobre Blockchaim, Arduíno, processo jurídicos digitais, introdução da Cultura Hacker para Crianças, Inteligência Artificial, ART e IoT e até o tema Espionagem X Contraespionagem estão na programação das palestras.

O evento ocorre em 1° e 2 de julho de 2017 e vai contar com dezenas de palestras e atividades até a madrugada. De acordo com os organizadores, as oficinas acontecem das 9h de sábado até às 17h de domingo. O local do evento será na Faculdade de Ciências Exatas e Tecnologia da PUC-SP. Um bom motivo para ir? A próxima virada só acontecerá em São Paulo em 2019, após levar essa imersão a pessoas de outras cidades brasileiras. Serão mais de 30 horas de imersão em atividades e os adultos que levarem crianças não pagam a entrada.

“Esse grande evento foi criado com o objetivo para fornecer, de forma imersiva, um up data em novas tecnologias para todos os públicos”, conclui Wagner Marcelo Miranda​, o fundador da Virada Tecnológica.

​A Virada Tecnológica é um evento inclusivo, que tem o propósito de aprimorar o repertório do público interessado nas ciências humanas, exatas, biológicas e em tecnologia, de forma intensa, imersiva. Os ingressos vão de gratuito a R$ 30. Para pessoas com crianças a entrada é livre para grupos, bolsistas e pessoas com necessidades especiais há descontos, como incentivo à geração de conhecimento de ciências. Os valores são para compras até o dia 30 de junho de 2017, pelo site

As palestras são variadas e abordarão temas muito interessantes como Business Games, Games e E-Sports, Privacy FTW, Inteligência em Trade Marketing Digital, Educando um mini-hacker, Inteligência Artificial, Criando um Jogo Completo no Scratch. A programação completa você pode conferir no site.

 

Serviço – Virada Tecnológica 2017

Onde: PUC-SP Campus Marquês – São Paulo, SP

Quando: 01 de julho de 2017, 09h – 02 de julho de 2017, 17h

Quanto: R$ (ingresso para uma pessoa)

 

BIG Festival terá presença do produtor musical Shota Nakama, criador da Video Game Orchestra

Além de apresentar os melhores jogos indies do momento, o BIG Festival 2017 também terá espaço para boa música. Um dos convidados do BIG Festival 2017 será o conceituado produtor musical Shota Nakama, criador da respeitada Video Game Orchestra, um dos maiores concertos dedicados aos videogames no mundo. Ele irá apresentar um painel no dia 30 de junho, mediado pelo compositor de games brasileiro Antonio Teoli, às 10h, na Sala Paulo Emílio do Centro Cultural São Paulo.

Nakama irá compartilhar suas experiências, responderá as dúvidas da plateia e contará a respeito de seu trabalho e carreira, dando dicas de como ingressar na indústria. O BIG Festival acontece de 24 de junho a 2 de julho, no CCSP, com entrada gratuita e para participar das palestras e painéis é necessário se inscrever no site oficial do evento.

Com a Video Game Orchestra, Nakama implantou o conceito de apresentação “rockestral” em que os concertos são realizados com uma orquestra e coro ao lado de uma banda de rock, da qual é também o guitarrista. O projeto foi lançado em 2008 com um pequeno concerto em um espaço de 150 lugares em Boston, e cresceu com êxito para se tornar um dos mais populares projetos internacionais de videogames em todo o mundo, lotando grandes espaços como Boston Symphony Hall, Beijing Worker’s Stadium e Taiwan International Convention Center.

Atualmente, Nakama também produz o Capcom Live, turnê oficial de shows da Capcom, lançada em 2016, em que segue o estilo musical que desenvolveu com o VGO. Comanda, ainda, a SoundtRec, empresa que fundou em 2013 e produziu, compôs, organizou, orquestrou, gravou e mixou para várias franquias blockbuster, como Final Fantasy, Kingdom Hearts, Tales of Zestiria, Cytus (jogo de música mais vendido de Taiwan), Lazer Team (filme indie live action com maior sucesso de crowdfunding, da Rooster Teeth), Little Witch Academia (Anime da Netflix feito pela Toho), entre outros.

Serviço – Painel com Shota Nakama no 5º BIG Festival

De 24 de junho a 2 de julho (Segunda, 26, não abre)

BIG Business Forum – de 27 de junho a 1 de julho

De terça a sexta: 10h às 22h / Sábado e domingo: 14h às 22h

Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro 1000 – Paraíso, SP

Entrada: Gratuita

TNT Energy Drink participará da Brasil Game Show pelo segundo ano consecutivo

Pelo segundo ano consecutivo o TNT Energy Drink vai participar da Brasil Game Show (BGS), a maior feira de jogos eletrônicos da America Latina. A empresa promete que vai ter energia de sobra na décima edição do evento, alem de variadas atividades e degustações. A BGS sera realizada entre 11 e 15 de outubro, de volta no Expo Center Norte, em São Paulo.

“A parceria entre BGS e TNT Energy Drink começou em 2016 e foi um sucesso! Os gamers são consumidores de energético em potencial e nossa presença só confirmou que nosso energético pode ser saboreado em diversas ocasiões. Há muita sinergia entre BGS e TNT e por isso estendemos nossa participação para a Brasil Game Cup no Rio de Janeiro. Temos grandes expectativas de repetir o resultado positivo no evento deste ano, em São Paulo”, disse Eliana Cassandre, gerente de Propaganda do TNT Energy Drink.

Além do estande na área de exposições da BGS, o TNT irá patrocinar a Brasil Game Cup e sua marca estará em toda a comunicação visual da competição de e-Sports que será transmitida ao vivo pela TV e pela internet. A estratégia busca aproximar ainda mais a marca Energy Drink com o público gamer e cyberatletas.

Para Marcelo Tavares, fundador e CEO da BGS, é um prestígio para o evento contar com a parceria do TNT por mais um ano. “O TNT é uma marca jovem, vibrante e que tem tudo a ver com o público da feira, que precisará de muita energia para curtir todas as atrações da décima edição da BGS e poderá encontrar o energético também na praça de alimentação”.

Sobre a Brasil Game Show (BGS)

Realizada pela primeira vez em 2009 na capital carioca como Rio Game Show, a BGS está a caminho de sua décima edição. Em 2017, a maior feira de games da América Latina e o segundo maior evento do setor no mundo em área utilizada será realizada de 11 a 15 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo.

INTZ bate Red Canids e volta a vencer no CBLoL 2017

Em sua terceira partida pelo CBLoL 2017 – Campeonato Brasileiro de League of Legends – o INTZ não decepcionou seus torcedores e conseguiu um importante Vitória contra os rivais Red Canids. A Intrepida equipe conta agora com duas vitórias e segue forte na disputa pelo título nacional do segundo split. O embate entre INTZ e Red Canids ocorreu no ultimo sábado (17) e foi marcado pelo alto nível técnico.

O confronto era bastante esperado, pois estes sao os dois últimos campeões do CBLoL – o INTZ conquistou os títulos do primeiro e segundo splits de 2016, enquanto a Red é a atual campeã do circuito. A disputa de sábado foi bem acirrada e deixou claro que as duas equipes são francas favoritas ao titulo. Para se ter ideia, a primeira partida da série durou mais de 45 minutos.

O topo Marcelo “Ayel” Mello analisou os principais pontos da importante vitória do INTZ: “Nosso ponto forte foi o draft. Fizemos tudo muito bem feito, de forma planejada. Conseguimos manter o controle e a vantagem das partidas, com muito foco e equilíbrio”.

Além da importância na tabela, o triunfo enche a equipe de motivação para a sequência do CBLoL. “É muito importante vencer a Red, pois é um time que tem muita rivalidade com a gente. Isso nos dá muita motivação para continuar, ainda mais sabendo que estamos encontrando um ótimo nível de jogo”, disse o topo.

Ayel compara o atual momento do INTZ com o vivido na primeira etapa da competição deste ano. Segundo ele, há semelhanças claras, pois o time também havia começado com tropeços e posteriormente veio a recuperação. A expectativa é que a INTZ mantenha a boa sequência a consiga novas vitórias. No próximo domingo (25), às 15h, os Intrépidos enfrentam a paiN Gaming pela quarta rodada do CBLoL 2017. A partida marca o principal clássico do cenário.

Confira os próximos jogos do INTZ pelo CBLoL 2017:

SEMANA 4
Domingo, 25/6
15h – INTZ e-Sports x paiN Gaming

SEMANA 5

Domingo, 2/7
13h – INTZ e-Sports x T Show

SEMANA 6
Sábado, 15/7
15h – ProGaming x INTZ e-Sports

SEMANA 7
Domingo, 23/7
15h – INTZ e-Sports x Keyd Stars

ELIMINATÓRIAS:

Série de Promoção: 5 e 6 de agosto (MD5)
Semifinais: 19 e 20 de agosto (MD5)
Final: 2 de setembro (MD5)

Conheça o RPG brasileiro que ensina Química: O Olho do Dragão

Imagine um RPG com visuais e jogabilidade da geração 8-16 bits, porém com uma proposta de ensinar conceitos de química aos jogadores? Essa mistura maluca é o que dá origem à Olho do Dragão, o role playing game do estúdio indie Constellações. O título lembra muito clássicos como Final Fantasy e Chrono Trigger e tem tudo para agradar apaixonados por RPGs de turno.

Olho do Dragão ensina Química através de sua narrativa, um game de entretenimento com foco na passagem de conhecimento. O título está em desenvolvimento desde o final de 2016 e de cara chama a atenção seus visuais em pixel art extremamente trabalhados e a trilha sonora à lá chiptune. É sério: parece que o game saiu do túnel do tempo!

O enredo de Olho do Dragão circunda o conflito no reino de Trae entre os dragões e os humanos que dominam a arte da alquimia e cobiçam os olhos dessas criaturas fantásticas devido a sua beleza e poder. A partir daí o jogador pode controla um grupo de heróis em expedições para caçar dragões, ou se preferir controlar os dragões em combates pela própria sobrevivência. A trama é bastante densa e conta com detalhes sobre a formação das cidades e das forças de ataque dos humanos.

Este RPG possui dragões e humanos como protagonistas e mostra um novo conto sobre a sociedade e a origem destas duas espécies. A proposta deste game é permitir que jogadores estudem enquanto jogam e que estudantes joguem enquanto estudam, para isso o conteúdo da disciplina de Química foi incluído no enredo, como por exemplo ao explicar o processo de combustão ao responder à pergunta: “Por quê dragões cospem fogo?

O lançamento para Windows, Android e iOS acontece no segundo semestre de 2017, mais detalhes podem ser conferidos no site do game.

Abaixo tem um teaser de Olho do Dragão:

E3: 43 milhões de pessoas no Facebook falaram sobre games durante o mês antes do evento

Podemos dizer que a E3 2017 foi um verdadeiro sucesso, em todos os aspectos. Afinal, pela primeira vez ela foi aberta ao público geral, as produtoras de jogos surpreenderam com suas novidades e novas tecnologias foram apresentadas. Em relação aos números, também não há de que reclamar: cerca de 68 mil pessoas de pessoas passaram pelos corredores do L.A Convention Center.

Em sua primeira participação na E3, o Facebook monitorou de perto as interações das pessoas relacionadas a conteúdos da feira americana. De acordo com a gigante da internet, cerca de 43 milhões de pessoas no Facebook falaram sobre games durante o mês antes do evento. O número expressivo serve como termômetro para mostrar o interesse crescente da comunidade gamer em relação às novidades e mostra que ao contrário do que se pensa este ainda é um setor bastante aquecido.

MicrosoftEste acompanhamento reforça o papel do Facebook para ajudar a comunidade a descobrir, assistir, jogar e compartilhar os seus games preferidos com as pessoas que mais gostam. O mais interessante é que o Brasil foi um dos países mais ativos em discussões sobre games e a E3, mostrando a força e o interesse dos brasileiros no mercado.

No mês que antecede os três dias do evento, registraram no Facebook sobre os novos jogos, consoles e as principais novidades do mundo dos jogos, incluindo a E3. Durante os últimos 30 dias, 35% das interações (curtidas, publicações ou comentários) partiram de mulheres, contra apenas 10% no ano passado. Isso demonstra o aumento do interesse das jogadoras em nossa plataforma.

SonyOs jogos mais mencionados nos sete dias antes da feira foram Fifa, Star Wars: Battlefront, State of Decay, Assassin’s Creed e Sea of Thieves. Isto significa que estes jogos tem tudo para se tornarem campeões de vendas quando forem lançados. Além disso, 22% das pessoas que interagiram, homens ou mulheres, têm pelo menos 35 anos de idade.

As empresas desenvolvedoras de jogos e as fabricantes de consoles também foram lembradas pelos produtores de conteúdo no último final de semana, depois das coletivas de imprensa: a Sony foi a mais citada na imprensa, seguida pela Microsoft, Electronic Arts, Ubisoft e Activision Blizzard.

“Este ano, mais do que nunca, estamos entusiasmados em ver o Facebook com uma participação maior na E3. Ao longo dos últimos meses, as pessoas de todo o mundo chegaram à plataforma para discutir e compartilhar os jogos que eles amam com as pessoas que lhes interessam”afirma Franco DeCesare, Head of Global Console & Online Gaming do Facebook. O executivo ainda comenta que a comunidade de jogadores continua a crescer e evoluir a cada ano “O Facebook é a voz da comunidade de jogos, com mais de 800 milhões de pessoas jogando pelo menos um jogo conectado ao Facebook todos os meses”, finaliza.

Abaixo você confere os melhores jogos da E3, segundo o UOL Jogos:

 

 

Programa Game Over estreia no canal PlayTV com muito conteúdo de games e e-Sports

A PlayTV investiu mais espaço de sua grade nos videogames: no último domingo, 18 de junho, estreou o programa Game Over às 19h. O programa apresentado por Arthur Ribas já existe há 10 anos e é bastante conhecido do público do youtube e do canal aberto Band.

Agora na PlayTV, os planos são exibir o programa em dois formatos: às quintas sempre às 20h, com duração de 24 minutos, reapresentados às segundas, quartas, sextas e domingos às 11h e, no domingo uma versão mais completa, de 60 minutos,  às 19h.

“Games e tecnologia são o assunto da PlayTV há 10 anos. A parceria com o Game Over, que tem quase a mesma idade que a nossa, serve para fortalecer dois produtores de conteúdo especializado que, sabe-se lá porquê, estavam separados. É quase como um reencontro de irmãos gêmeos depois de uma década”, afirma o gerente de produção e programação da PlayTV, Rodrigo Lariú.

A pauta desta nova atração inclui tudo o que acontece no mundo dos jogos, desde lançamentos, notícias, entrevistas, análises e polêmicas como, por exemplo, falar de games vazados. Além disso, a promessa é de ter bastante conteúdo de e-Sports, com entrevistas com os cyberatletas e os principais times do cenário nacional. Também pode esperar cobertura de eventos como a BGS e feias nacionais como o SANA e o BIG Festival.

Segundo Arthur Ribas, o diferencial do programa é que a equipe de produção leva os videogames a sério e sempre mostra os temas mais interessantes. “Levamos o videogame a sério, não falamos só dos jogos que estão em evidência, mas fazemos questão de mostrar jogos antigos, produções nacionais e deixar o telespectador sabendo tudo o que acontece no mundo dos jogos.” E quem assiste na TV poderá participar do próximo programa escolhendo a trilha sonora da edição seguinte pelo celular.

O público de Game Over ama games desde a época de quem jogava Atari e hoje tem 30 anos ou mais, e consome jogos como uma das principais formas de entretenimento. Dados mostram que 70% do público do programa na internet é de 18 a 35 anos (fonte: Youtube 2017).

 

Serviço – Game Over na PlayTV (60 min)

Episódios inéditos – domingos às 19h

Reapresentações – segundas e quartas 21h30, terças e quintas 11h30

Classificação etária: Livre

 

Game Over Diário (24 min)

Episódios inéditos – quinta 20h

Reapresentações às segundas, quartas, sextas e domingos às 11h00 e terças e sábados às 20h

Classificação etária: Livre