Arquivo da categoria: Destaque

Os destaques da semana do GameReporter

Carreira em jogo: BIG Festival vai ajudar quem quer trabalhar no mercado de games

O BIG Festival 2018 não será apenas um espaço para conhecer jogos indies de alta qualidade e fazer negócios, mas também de se interar mais sobre como funciona o mercado brasileiro e descobrir se é isso mesmo que você, jovem desenvolvedor, quer fazer na vida. Sim, o evento vai contar com um espaço chamado BIG Carreiras, que é voltado para alunos do ensino médio e universitários que cursam jogos digitais.

Basicamente o propósito é oferecer maiores informações sobre mercado de trabalho aos alunos, recém-formados e interessados em cursos de jogos digitais. Para isso, haverão sessões e debates com coordenadores de curso de jogos digitais, representantes da indústria e inúmeros profissionais. Todas as palestras possuem entrada gratuita e acontecem entre 29 e 30 de junho, em São Paulo (Centro Cultural São Paulo). No mesmo período também terão stands de escolas de jogos para auxiliar os visitantes.

Na conversa “O que são as Carreiras em Games”, por exemplo, serão apresentados os primeiros passos e dicas para quem quer seguir na área, com informações a alunos do ensino médio e quem não tem conhecimento da área ainda. Já para quem é recém-formado e busca um trabalho, diretores de estúdios e profissionais de Recursos Humanos na área de games dão dicas do que buscam em um funcionário na palestra “Qual Profissional de Games Queremos Contratar?”.

Do outro lado da mesa, em outra sessão, “Como Consegui Meu Primeiro Trabalho na área de Games”, profissionais já experientes e recém-contratados contam como conseguiram encontrar trabalho na área. Os estagiários na área de games contam sobre suas atividades, relação entre formação e atuação profissional, realizações e dificuldades na sessão “Vida de Estagiário“, com depoimentos de desenvolvedores já inseridos no mercado de trabalho.

Os pais também possuem um espaço no evento: destinada aos pais de jovens que já estão quebrando a cabeça na decisão profissional, a palestra “Meu Filho Quer Estudar Games, e Agora?” será sobre o mercado de trabalho na área de jogos eletrônicos. Lá serão expostas informações importantes para ajudar os filhos com relação à decisão na escolha profissional, eterno dilema de muitos. Mais informações no site oficial do evento.

Programação BIG Carreiras:

Dia 29/6 (sexta-feira)

18:30 – 19:00 – Carreira internacional em games

19:00 – 20:00 – Networking: aprecie com moderação

20:00 – 20:30 – Cursos de games e mercado de trabalho

Dia 30/6 (sábado)

14:00 – 15:00 – O que são as carreiras em games?

15:00 – 16:00 – Meu filho quer estudar games, e agora?

16:00 – 17:00 – Qual profissional de games queremos contratar?

17:00 – 18:00 – Vida de estagiário

18:00 – 19:00 – Como consegui meu primeiro trabalho na área de games

Serviço – BIG Festival 2018

6º BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival)

De 23 de junho a 1 de julho (Segunda, 25, não abre)

De terça a sexta: 10h às 22h / Sábado e domingo: 14h às 22h

Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, SP

Entrada: Gratuita

BIG Rio e Fórum BIG Rio – 29 e 30 de junho

terça a domingo, de 11 às 22 horas

Oi Futuro – Rua 2 de Dezembro, 63 – Flamengo, RJ

Labsonica – Rua 2 de Dezembro, 107 – Flamengo, RJ

Entrada: Gratuita

E3 2018 – Conferência da Sony mostra porquê a empresa é líder mundial no mercado de jogos eletrônicos

A última das conferências da E3 foi realizada pela Sony (a Nintendo fez apenas um Direct). Líder absoluta do mercado de jogos eletrônicos, a Sony poderia dar-se ao luxo de apresentar apenas os mesmos jogos que já haviam sido mostrados anteriormente. Entretanto a empresa japonesa fez mais que isso, revelando jogos arrasadores e que parecem levar o PS4 ao limite.

Títulos como The Last of Us II, Nioh 2 e o apoio irrestrito aos parceiros mostram a força da marca Playstation e justificam a posição atual da Sony. Já os novíssimos Ghost of Tsushima e Spider-Man servem para provar que o PS4 é a casa das novas IPs mais desejadas da atualidade. Se depender dos esforços da Sony, os jogadores podem esperar por uma leva de jogos imperdíveis.

The Last of Us II

Um dos títulos mais bem avaliados de todos os tempos é The Last of Us. O game da Naught Dog foi tão bem recepcionado que a Sony até remasterizou o título para o PS4. Porém a comunidade almejava por algo novo, que fizesse jus ao poderia tecnológico do PS4 e assim a ideia de uma sequência tornou-se cada vez mais crível.

A apresentação da Sony na E3 começou justamente com Gustavo Santaolalla tocando o tema do primeiro game em um banjo. Ainda que a introdução gerasse estranheza, serviu para animar o público para o que viria. Em seguida rolou uma gameplay de The Last of Us pt II, em que vimos as habilidades furtivas de Ellie em um ambiente sombrio e repleto de inimigos.

Um dos detalhes mais comentados de todo o vídeo relacionado à TLoU II é o beijo gay que Ellie dá em outra garota. Muitas pessoas estão parabenizando a Naught Dog pela ousadia, enquanto outros acusam a produtora de apelativa. Sobre a jogabilidade em si, podemos ver que o stealth é a grande sacada do jogo e que a dificuldade será ainda maior que no primeiro game. A impressão deixada foi extremamente positiva.

Ghost of Tsushima

Este game era uma grande incógnita desde que a Sony começou a falar dele e após a apresentação em Los Angeles a impressão foi a que estamos prestes a ver uma obra de arte em forma de videogame ganhar forma. Trata-se de um jogo de ação em mundo aberto em que samurais se enfrentam em ambientes belíssimos.

A parte que mais chama atenção é o esmero com que os cenários foram feitos. Os efeitos de luz/sombra, os detalhes nas folhas e nas pedras ao redor são absurdos. Os personagens não ficam muito atrás, demonstrando uma riqueza de detalhes e expressões faciais realistas. Não é exagero dizer que este é um dos games mais bonitos que já vimos.

Sobre a jogabilidade em si, podemos dizer que há algo de influência de The Witcher 3 e Dark Souls. Sim, os combates demandam certa estratégia. A desenvolvedora deste trabalho é a Sucker Punch, os mesmos responsáveis por Infamous, então você pode esperar um jogo divertido e cheio de reviravoltas.

Control é o retorno da Remedy

Quem também aproveitou o espaço da Sony na E3 foi a Remedy e a 505 Games, desenvolvedora de Alan Wake, Max Payne e o mais recente Quantum Break. Este último, aliás, parece ter influenciado bastante nas mecânicas de jogo. Aqui você pode esperar muita troca de tiro e manipulação de objetos e poderes paranormais.

De acordo com o roteiro já divulgado, o jogador entra no papel de Jesse Faden, a jovem diretora da agência Control. Infelizmente as coisas começam a ir mal quando o prédio é dominado por forças sobrenaturais. Cabe a Jesse descobrir o que está ocorrendo e retomar o controle do prédio. O game tem lançamento para PS4, Xbox One e PC, porém sem data definida de lançamento.

Resident Evil 2 Remaster ganha trailer e data de lançamento

O trailer que a Capcom levou não mostrou muito de como será o jogo, mas o pouco revelado já serve para inferir algumas coisas. A primeira e mais importante: o jogo não será apenas um tapa gráfico, mas um jogo completamente novo, com novos gráficos, mecânicas de jogabilidade, e controle. A câmera, por exemplo, fica posicionada atrás do ombro dos personagens, como em Resident Evil 4.

Outro detalhe importante é que o título parece mais sangrento que o original e até mais assustador. A melhor coisa mesmo é que os jogadores não terão de esperar muito para colocar as mãos no produto: o lançamento é previsto para 25 de Janeiro de 2019. Mais detalhes devem ser revelados em breve.

Piratas do Caribe aparecem em Kingdom Hearts 3

A franquia estrelada pelo Capitão Jack Sparrow estará em Kingdom Hearts 3. Pelo menos foi isso que o novo trailer mostrou. Os dois universos já haviam se encontrado em KH 2, desta vez, porém, o avanço gráfico das plataformas garante avatares mais estilizados de Jhonny Depp, Orlando Bloom e Elizabeth Swan. Sim, o nível de detalhes é impressionante. Além disso, o trailer revelou que haverão batalhas entre navios à lá Assassin’s Creed IV Black Flag.

Death Stranding está no nível de qualidade que se espera de Kojima

Um dos jogos mais esperados nesta E3 era Death Strading. Motivos? Tem Hideo Kojima, Norman Reedus e Guillermo Del Toro na produção. Como se não bastasse, Kojima tem toda a liberdade criativa para fazer as coisas a seu modo, de uma maneira que não seria possível na Konami.

Durante o evento americano, pudemos ver um pouco do gameplay e foi possível inferir algumas coisas: o mundo de jogo é enorme, haverão momentos até assustadores e a trama deve contar com muitos mistérios e tensão (além de viagens no tempo). Podemos apostar que este será um dos melhores jogos do Playstation 4 até o final de sua vida últil.

Nioh 2 está confirmado

A Koei Tecmo está dedicada a mudar sua imagem no mundo dos jogos e se posicionar como uma das produtoras mais sérias do mundo. Para isso, a empresa está apostando alto em suas franquias mais bem sucedidas. Após surpreender a todos com o anúncio de Dead or Alive 6, a empresa apresentou um vídeo da sequência de Nioh, jogo ao estilo Dark Souls ambientado no Japão feudal.

A produção está a cargo da Team Ninja e pelo pouco que foi mostrado deu para sacar que o protagonista do jogo anterior. Isto é um indicativo de que talvez sejam contada uma história de outra lenda japonesa envolvendo samurais. O 1º game foi inspirado em um roteiro inacabado de Akira Kurosawa, um dos cineastas mais importantes do Japão.

Spider-Man pode ser um dos melhores games de heróis de todos os tempos

Este foi o momento incontestável da conferência da Sony, certo? O gameplay apresentado foi digno de elogios de toda a imprensa e do público. Também pudera, o game está lindo, as cenas de ação são extasiantes e a Nova York parece deveras realista. Deu para perceber que muitos inimigos farão participações e que o aracnídeo não terá vida fácil.

Em alguns momentos, Spider-Man lembrou bastante da liberdade que vimos no clássico Spider-Man 2, do PS2. Felizmente não será necessário esperar muito para colocar as mãos nesta joia. A Insomniac garantiu o lançamento para setembro.  O vídeo abaixo encerrou a apresentação da Sony na E3, deixando uma ótima impressão.

Os jogos apresentados estão em um nível muito alto e o grafismo dos exclusivos mostra que a plataforma ainda tem muito que oferecer antes do lançamento do Playstation 5. Ainda que tenha apresentado menos jogos que a concorrência, os títulos mostrados certamente segurarão bem as pontas para a empresa japonesa.

E3 2018 – Uma análise do novo posicionamento da Microsoft e porque essa conferência muda o jogo

Em 2013 a Microsoft levou o Xbox One pela primeira vez à E3. As expectativas eram altas, afinal a apresentação simbolizava o início de uma nova geração de videogames. A conferência com transmissão mundial foi um acontecimento inesquecível. Um completo desastre: a plataforma era mais cara que a concorrência, tecnicamente inferior e não tinha grandes jogos que justificassem a compra. Cinco anos depois, podemos dizer que a empresa de Redmond conseguiu mudar o jogo ao realizar outra conferência inesquecível. Desta vez para melhor.

Passados cinco anos, a Microsoft sabia que sua plataforma e sua credibilidade estava por um fio no mercado de jogos digitais, visto que o Switch teve um ótimo primeiro ano e o PS4 surfa na onda de um sucesso que nem mesmo a Sony esperava. O Xbox One é e sempre foi uma plataforma bacana, mas o início de sua vida útil começou de mal a pior (culpa da própria Microsoft). Desde seu lançamento muita coisa mudou, como um viés mais voltado aos serviços como a Game Passar, a saída de Don Matrik e a sonhada retrocompatibilidade.

Ainda assim, era necessário fazer algo mais que tornasse a plataforma mais desejável pela comunidade. Um dos erros iniciais foi sanado no ano passado com o lançamento do One X, tornando o sistema mais poderoso que a concorrência. Agora faltava aquilo que todos apontavam acusadora mente (e com razão): e os jogos?

Phil Spencer foi categórico e confiante ao apresentar a lineup do Xbox One na E3 2018: “vamos realizar a melhor E3 de todos os tempos”, disse o executivo. Durante as quase duas horas de evento a empresa americana apresentou jogo após jogo em um ritmo frenético, esquecendo as apresentações monótonas de anos anteriores, sem falar de números, nem de dados técnicos ou encheção de linguiça. A ideia este ano era falar tão somente de jogos. E que jogos!

Ao longo de 1h30 a Microsoft apresentou nada menos que 50 jogos, dentre eles 18 exclusivos e 15 lançamentos jamais vistos. Claro, mais da metade foi preenchida por jogos multiplataformas, mas a estratégia é mostrar que a força do sistema é poder jogar as melhores versões dos jogos 3rd parties ao mesmo tempo que aposta no poderio de suas próprias marcas. Vale lembrar que o trio de ferro da Microsoft Games Studios se fez presente na E3 2018.

 

O trio de ferro do Xbox

Halo Infinite foi o primeiro dentre os anúncios. Poucos detalhes foram divulgados, mas uma coisa interessante é que o game utiliza uma nova engine chamada Slipspace. Além disso, um post no Halo Waypoint confirma que Infinite será mais centrado em Master Chief, ao contrário do que houve com Guardians.  O novo estilo artístico denota que a nova engine deve trazer uma arte gráfica potente.

Quem também fez bonito foi Forza Horizon 4. A melhor série de corridas arcade retorna com força total, graças aos seus gráficos impecáveis, sensação de velocidade insana e efeitos de luz/sombra de cair o queixo. A adição da marca MacLaren garante que o game deve ter uma coleção de bólidos maior do que qualquer outro jogo da série. Provavelmente estaremos diante do melhor jogo de corrida de todos os tempos, se depender da expertise que a Playground adquiriu desde que botou a mão na franquia.

Sabemos ainda que Horizon 4 será ambientado na Inglaterra, apresentando ruas estilizadas desde Edimburgo até as vilas de Cotswood em um mundo aberto repleto de desafios emocionantes e desafiadores. Outro ponto importante é que ao longo da campanha será possível ver variações do tempo de acordo com a estação do ano. E sim, isso vai interferir no desempenho dos carros. É fácil apontar Halo Infinite ou Gears of War 5 como os melhores do One na E3, mas nós apostamos que Forza Horizon 4 será o melhor jogo da plataforma na temporada.

E por fim temos Gears of War 5. E vamos fazer uma observação aqui: Nunca antes a Microsoft teve a audácia de apresentar seus três maiores jogos de uma única vez. Só por isso, dá para notar que este ano a empresa jogou todas as suas cartas de uma só vez. Gears não recebeu um só jogo, mas três, ao mesmo tempo. A sensação é que a franquia recebeu o mesmo status de importância que Halo, para a Microsoft.

Gears Pop foi o primeiro da fila, um jogo com estética mais infantil, caricata, divertida. Um game feito para smartphones e que se inspira no design dos Funkos. O jogo chega em 2019 e deve aproximar os jogadores mais jovens da franquia de Marcus Fênix. Ainda é cedo para dizer como isso vai funcionar, mas é de fato uma aposta ousada. O segundo jogo da leva é Gears Tactics, um jogo exclusivo para PCs baseado em estratégia por turnos. A única coisa que se pode apostar é que o jogador irá controlar uma unidade para enfrentar os terríveis Locuts. Se cabe aqui uma crítica é que a Microsoft poderia fazer um crossover com Halo em um jogo ao estilo Halo Wars. Já imaginou que louco?

Por fim, tivemos o belo anúncio de Gears of War 5. Um detalhe percebido é que a empresa apenas chamou o game de Gears 5. Talvez uma tática para afastar a franquia da sigla GoW (God of War)? O lançamento é apenas para 2019 e deve ter como protagonista a Kait, uma mulher de personalidade forte e treinamento aprimorado. Os poucos minutos de gameplay deu para sacar duas coisas: o design de personagens está mais realista e que os inimigos são mais assustadores (quase como em um jogo de terror). Talvez isso seja o trabalho da The Coalition sobressaindo sobre o legado da Epic?

 

Novos estúdios

Por mais de uma década a principal provocação de sonystas e nintendistas em cima dos fãs do Xbox é de que a plataforma americana “não tem jogos”. Sim, a afirmação é absurda, mas se comparar o peso das franquias exclusivas de Sony e Nintendo estava claro que a Microsoft estava atrás na disputa. A situação parecia ainda mais crítica com o fechamento de estúdios estratégicos como a Ensemble Studios e a Lionhead. Para resolver a situação, a empresa de Bill Gates saiu às compras, revelando nada menos que a compra de cinco novos estúdios dedicados a produzir jogos novos e exclusivos para a plataforma. Estes são os principais estúdios da Microsoft agora:

  • 343 Industries;
  • The Coalition;
  • Turn 10;
  • Rare;
  • Minecraft;
  • The Initiative;
  • Undead Labs;
  • Playground Games;
  • Ninja Theory;
  • Compulsion Games (We Happy Few).

A mensagem é clara: a Microsoft está preocupada em fornecer ao Xbox os melhores jogos quanto possível. A adição desses novos estúdios deve dar resultados em três anos aproximadamente. Imagine se metade deles anunciar jogos e IPs novas em uma única E3?

 

E o Japão?

O Japão é a grande pedra no sapato da Microsoft desde a geração 128 bits. Parar de apostar no país seria justificável, visto que as vendas do sistema são baixíssimas. Felizmente para quem curte jogos orientais, a empresa de Redmond não desistiu dos jogos japoneses, mesmo que as vendas não melhorem muito. O melhor exemplo disso é que foi durante a conferência do Xbox que ficamos sabendo de Sekiro: Shadows Dies Twice, da FromSoftware, um game baseado na era Sengoku do Japão. O jogo é a fusão de Nioh e a franquia Dark Souls, porém mais bonita e sanguinolenta. Este é compra certa.

Nier Automata também deu as caras no Xbox, abandonando a exclusividade no PS4, bem como Devil May Cry 5. Claro, nenhum desses três jogos será exclusivo, mas é legal ver que a Microsoft está dando espaço para jogos orientais em uma premiere mundial. Alguns poucos minutos de transmissão na E3 custam muito dinheiro. Como se não fosse o bastante, houve a revelação de Jump Force, sucessor espiritual de Jump Ultimate Stars. O game vai trazer personagens da Shonen Jump em combates à lá Naruto Ultimate Ninja Storm, também da Bandai Namco.

 

Força também para jogos menores

Todos sabem que os jogos AAA são as pérolas de qualquer plataforma. Mas é mister para as plataformas e para os jogadores que jogos menores acabam preenchendo lacunas importantes ao longo dos anos. O Xbox One estará bem servido de jogos menores. Ori and the Will of the Whisps, Tunic, Super Meat Boy Forever e Ashen são apenas alguns dos bons exemplos de que a Microsoft está de olho em quem gosta de jogos mais simples, porém extremamente divertidos.

Claro, muito do que foi mostrado entre os 50 jogos vai sair apenas em 2019 e uma boa parte disso é multiplataforma, mas se analisarmos as apresentações da Sony nos anos anteriores fica claro que a Microsoft se espelhou na empresa japonesa nesta E3. Mais do que vender jogos, a empresa de Redmond decidiu vender sonhos. A Microsoft está deixando a comunidade que é fã do Xbox sonhar.

E3 2018 – Bethesda aposta em Rage 2, Wolfstein e o bombástico Elder Scrolls VI

Uma das conferências mais aguardadas neste ano era a da Bethesda, afinal muitos rumores indicavam um novo capítulo de Elder Scrolls, além das prováveis surpresas que a empresa poderia trazer. A conferência começou um pouco mais desanimada do que o esperado, porém foi numa crescente incrível.

Confira o resumo do que de  melhor aconteceu na apresentação da Bethesda na E3 2018:

Rage 2 ganha novo trailer

A primeira coisa a ser revelada foi Rage 2. O game não era exatamente uma surpresa, visto que o Walmart já havia vazado a informação (como bem lembrou a Bethesda em sua apresentação). O game conta com um mundo aberto caótico, onde os jogadores vivenciam um ambiente de puro medo e ódio. O trailer não revela muito, mas mostra um Walker e paisagens devastadas. Ao que parece haverá muita explosão e um ambiente desolador. A produtora confirmou Rage 2 para 2019.

Doom Eternal será o novo capítulo da saga infernal

Na esteira do sucesso de Doom (2016), surge Eternal. A sequência foi confirmada com um trailer que mostra um ambiente infernal e repleto de monstros. Infelizmente não havia nada em tempo real, nem detalhes adicionais, contudo a produtora disse que os jogadores enfrentarão o dobro dos inimigos do game anterior. Ficou prometido que o primeiro vídeo gameplay sai na QuakeCon em meados de Agosto.

Relembrar é viver

Para quem curte relançamentos, a Bethesda não esqueceu de seu jogo de cartas The Elder Scrolls: Legends. Para quem não conhece, o game teve versões para PC e smartphones há poucos meses. O relançamento é para PC, Xbox One e PS4. De acordo com a Bethesda, os jogadores podem esperar por novas mecânicas de jogo e um game que faz jus a sua franquia mais amada, mesmo sendo um spin-off.

E já que a pauta da vez eram relançamentos, a produtora decidiu lembrar de Prey, o jogo de ação em 1º pessoa. O game chegou a receber um reboot no ano passado. O título recebeu neste domingo (10) uma atualização gratuita chamada Mooncrash. Sabemos que o pacote inclui uma nova campanha , o modo new game plus e um modo de sobrevivência.

Fallout 76 ganha primeiros detalhes

Chegou a hora de mostrar Fallout 76. O game recebeu um novo trailer gameplay que serve para revelar um pouco mais dos ambientes que os jogadores encontrarão. Sabe-se que a aventura se passa em West Virginia, EUA, e que os jogadores devem descobrir segredos escondidos pelo governo. Conforme previamente divulgado, o jogo serve como prequela dos acontecimentos dos jogos anteriores.

Outro detalhe importante: Fallout 76 é voltado para a jogatina online, ou seja, todos os personagens e monstros encontrados são controlados por outros jogadores. De acordo com a produtora, você até pode jogar sozinho, porém muito da diversão é construir uma base com outros jogadores, unir-se a um grupo de amigos para derrotar criaturas maiores e trabalhar junto para acabar com ataques de jogadores rivais. O lançamento está programado para 14 de novembro de 2018.

Wolfstein Youngblood é anunciado

A Bethesda também aposta suas fichas na saga anti-nazismo. De acordo com o anúncio, o game vai mostrar um pouco mais do passado dos irmãos Blazkowicz. Wolfenstein Youngblood levará os jogadores até Paris dos anos 80. Outra informação prévia é que o foco será na cooperação, ainda que possa ser jogado online. Como a empresa não divulgou mais detalhes, a comunidade conjectura que a mecânica possa ser semelhante a Army of Two. O lançamento será em algum momento de 2019, ainda sem plataformas definidas.

Elder Scrolls VI está em produção

Antes de finalizar a conferência havia um sentimento de insatisfação no ar. Todos esperavam algo sobre Elder Scrolls. Atendendo os desejos da galera, a empresa começou a falar sobre The Elder Scrolls: Blades. O título é para mobile e deve seguir o mesmo esquema aventuresco dos jogos grandes. Além disso, o jogo apresenta gráficos impressionantes para mobile e também terá compatibilidade com o VR. Espera-se um lançamento para PCs e consoles no futuro.

Quase no final da conferência a Bethesda anunciou uma nova IP chamada Starfield, mas não deu qualquer detalhe de como ele será, além de que será lançado para as próximas plataformas a serem desenvolvidas.

De repente um silêncio tomou conta do público quando os executivos mencionaram a franquia Elder Scrolls. Sim, o sexto game está em produção e deve ser ainda maior que Skyrim. Infelizmente o game também será lançado apenas para a próxima geração de videogames. Pelo menos o teaser serviu para mostrar que ele está em produção.

E3 2018 – Conheça a sinopse e as primeiras informações de Devil May Cry 5

Talvez nenhum jogo entre todos os títulos anunciados pela Microsoft em sua conferência na E3 tenha sido mais bombástico do que Devil May Cry 5. E não é por menos: o quarto capítulo da saga foi lançado no distante ano 2008 e o reboot DMC em 2013. Toda a comunidade esperava o retorno de Dante e companhia. No breve trailer, a Capcom mostrou que está empenhada em tornar esta a aventura mais desafiadora e difícil que os jogadores enfrentarão em um hack ‘n slash.

De acordo com a sinopse, após o final de Devil May Cry 4, uma antiga e esquecida ameaça volta a ameaçar o mundo. A invasão demoníaca tem início com as sementes de uma “árvore demoníaca” brotando em Red Grave City. Esta invasão infernal chama a atenção do jovem caçador de demônios Nero, um aliado de Dante, que agora se vê sem o seu braço demoníaco, a fonte de muito do seu poder. Além dele, os jogadores irão contar com a ajuda da parceira Nico, outra caçadora de demônios.

 A direção ficou a cargo de Hideaki Itsuno (DMC 4) e, de acordo com os produtores, o novo capítulo conclui a saga dos Filhos de Sparda. A Capcom está utilizando a RE Engine, a mesma utilizada para o desenvolvimento de Resident Evil 7: Biohazard. O objetivo é exibir gráficos espetaculares com personagens fotorrealistas e incríveis efeitos de luz e de ambiente.

Por fim, vale dizer que o jogo apresenta três personagens jogáveis, cada um com uma jogabilidade diferente. Pode esperar por lutas intensas contra chefes e ambientes altamente destrutíveis das ruas de Red Grave City. Devil May Cry 5 será lançado para Xbox One, PlayStation 4 e PC no Outono brasileiro de 2019.

Abaixo você confere um trailer de Devil May Cry 5:

E3 2018 – Microsoft realiza a melhor conferência de sua história. Variedade e games de alta qualidade anima os jogadores

Meses antes da E3 2018 a Microsoft alardeada aos quatro ventos que estava preparando a maior E3 de sua história. De acordo com a empresa de Redmond, os jogadores poderiam esperar por uma tonelada de novos jogos de alta qualidade. Promessa é dívida: a empresa americana cumpriu com louvor sua missão. Foram muitos jogos mostrados em sequência.

A impressão que tivemos é que duas horas foi pouco para a tonelada de jogos apresentados. Se havia desconfiança em relação ao Xbox para este ano e início de 2019, esqueça. O console corre a passos largos a se tornar uma plataforma essencial para apreciadores de games. E some-se a isso o fato de o Xbox One X ser a plataforma mais poderosa do mercado.

Confira abaixo o resumo da conferência da Microsoft na E3 2018:

Halo 6

A Microsoft resolveu começar sua conferência chutando a porta com o anúncio de Halo Infinite. A 343 Industries não deu muitos detalhes da trama, mas pelo curto vídeo, sabe-se que Master Chief está de volta em uma missão para salvar a humanidade. O trailer mostra os Spartans em um planeta com bastante vegetação, parecido com a Terra. O grande detalhe é que o game faz uso de uma nova engine chamada Slipspace. Ainda não há data de lançamento, nem gameplay.

Ori and the Will of the Wisps

Após Phil Spencer subir ao palco para falar do novo direcionamento da Microsoft (agora dedicada aos jogos), foi a vez mostrar a sequência do belo Ori. Ao que o trailer mostrou, haverá uma variação interessante de cenários e parece que as condições climáticas devem influenciar na jogabilidade. O estilo artístico continua sendo o ponto alto de Ori.  Este parece ser compra certa.

Sekiro: Shadows Die Twice

A FromSoftware subiu ao placo para mostrar seu mais novo projeto denominado de Sekiro: Shadows Die Twice, um jogo ao estilo Souls com uma pegada Japão feudal. O nível de dificuldade deve ser bem alto, mantendo o legado da franquia Souls. As comparações com Nioh, da Team Ninja, devem ser recorrentes. Lançamento prometido para 2019 e a publicação fica a cargo da Activision.

Fallout 4 e Fallout 76

A Bethesda aproveitou seus preciosos minutos dentro da conferência da Microsoft para falar de seus dois novos jogos: Fallout 76 e Fallout 4. O primeiro será uma prequela para todos os outros jogos da série. O vídeo não mostrou quase nada, mas serviu para colocar a comunidade de fãs em estado de hype. Já Fallout 4 chegou hoje (10) para os felizardos usuários do Xbox Game Pass.

Captain Spirit

Uma surpresa e tanto guardada durante a conferência da Microsoft foi o trailer de Captain Spirit, um jogo no mesmo universo de Life is Strange. O game acompanha as aventuras de uma criança bastante imaginativa. A boa notícia: o game chega já no dia 26 de junho gratuitamente para PC, Xbox One e PS4.

Crackdown 3

Um dos trailers com mais ação foi Crackdown 3. O trailer mostrou o gameplay do jogo com a versão digitalizada de Terry Crews. Ao que parece haverá muita ação, veículos, armas improváveis e explosões. De acordo com a Microsoft, o game chega em 2019. Esperamos que não ocorram novos adiamentos.

Vários jogos multiplataformas

Os usuários do PS4 já não podem incluir Nier Automata em suas listas de exclusivos. Sim, o game foi anunciado para o Xbox One e chega já no dia 26/06.

Outro peso pesado a entrar no catálogo da plataforma é Metro Exodus. O game não é uma novidade, mas desde seu anúncio, a comunidade aguarda ansiosamente. O vídeo mostrou cenas de gameplay, onde pode-se ver algo de stealth, zumbis e diversos inimigos.

Logo em seguida surgiu o esperado Kingdom Hearts 3, da Square-Enix. Esta é a primeira vez que um jogo da franquia chega à plataforma da Microsoft. A novidade é a adição do mundo de Frozen, Detona Ralph, Enrolados, Monstros S.A e Toy Story. Todos esses mundos são relativamente novos, mostrando que a franquia está buscando se reinventar. O lançamento foi marcado para 29 de janeiro de 2019.

Sea of Thieves recebe nova DLC

Depois de mostrar todos esses títulos multiplataformas, a Microsoft abriu espaço para a Rare revelar as duas novas expansões de Sea of Thieves: Cursed Sails e Forsaken Shores, que chegam em setembro e devem suprir as principais críticas do game, ou seja, mais missões, ambientes, inimigos etc.

Forza Horizon 4

Finalmente tivemos um trailer de Forza Horizon 4 e a data de lançamento para outubro deste ano, com lançamento simultâneo no Game Pass. O game terá ambientação na Europa, ao invés do Japão, conforme rumores sugeriam. Pelo que deu para notar, haverão diversos veículos inéditos, como motos, submarinos e a MacLaren. Este promete ser um dos maiores lançamentos do ano e contará com gráficos belíssimos.

Novos estúdios assimilados pela Microsoft Game Studios

Alguns vazamentos ja adiantavam que a Microsoft saiu às compras a fim de fortalecer sua posição como desenvolvedora de games e fazendo frente aos concorrentes Sony e Microsoft.  Foi anunciado cinco novos estúdios integrados ao Microsoft Studios, sendo eles The Initiative (baseado em Santa Monica); Playground Games (os criadores de Forza Horizon); Undead Labs (State of Decay); a Ninja Theory (Hellbade); e a Compulsion Games (criadores de We Happy Few).

The Division 2 está espetacular

Um dos grandes jogos da Ubisoft nos últimos anos foi The Division. A empresa mantém apoio à franquia com o segundo título da franquia. O jogo foi apresentado em gameplay e com uma ambientação mais colorida. The Division 2 chegará a 15 de Março de 2018 e quem quiser pode participar da fase beta ainda em 2018.

Shadow of the Tomb Raider para coroar a melhor trilogia da década

Depois foi a vez da Crystal Dynamics mostrar a nova entrada de Tomb Raider. O título deve manter a mesma pegada dos dois anteriores, mostrando a Lara em desafios em ambientes urbanos e tropicais.  Os visuais estão incríveis e Lara ainda vai sofrer bastante.

E tome mais jogos emocionantes

Primeiro foi a vez de mostrar a nova IP Session. Este game é exclusivo para o Xbox e é já visto por muitos como sucessor espiritual da franquia Skate. Você poderá fazer manobras em cidades e parques. Depois foi a vez da Microsoft mostrar um vídeo do MMORPG Black Desert. Ele está muito bonito e promete bastante ação e aventuras por um mundo vasto.

Para coroar a noite de gala, a Microsoft mostrou um teaser de Devil May Cry 5. O game era sonho antigo da comunidade e vai mostrar Dante em batalhas avassaladoras contra demônios terríveis e bosses gigantescos. O jogo ainda conta com o retorno dos personagens Nero e Dante.

Chuva de conteúdo para Xbox

Cuphead ganhará um conteúdo exclusivo através de DLC. O game é um dos mais bem sucedidos do Xbox nos últimos anos.

Logo na sequência a Microsoft mostrou o trailer de Tunic, um RPG de ação claramente inspirado na franquia Legend of Zelda. Ele será exclusivo para Xbox e PCs.

Outro game que deu o que falar foi Jump Force. O game vai unir personagens da revista Shonen Jump em lutas devastadoras. O game tem um estilo gráfico mais realista do que as entregas mais tradicionais da Bandai Namco. Pode contar com a participação de lutadores das franquias Dragon Ball, One Piece, Naruto e até Death Note.

Dying Light 2

Dying Light 2 apareceu para alegria dos fãs de jogos de zumbis. O game não recebeu muitos detalhes, mas sabe-se que as escolhas que o jogador faz na campanha terá consequências no mundo do jogo. O game recebeu até mesmo um trailer gameplay, que serviu para provar que os poucos deslizes do primeiro game foram superados.

O retorno de Battletoads

A Microsoft prometeu o retorno de Battletoads para 2019, ainda sem detalhes, nem gameplay, nem detalhes adicionais. O anúncio serviu para tirar lágrimas dos jogadores mais saudosistas.

Just Cause 4 está lindo

Na esteira de Battletoads, a Microsoft já enganchou um trailer de Just Cause 4. O mundo de game parece extremamente caótico e as missões devem envolver diferentes veículos e movimentos improváveis.

Overdose de Gears of War

A Microsoft resolveu apostar pesado na franquia Gears. O primeiro foi Gears Pop, um jogo de celular mais simples e com personagens ao estilo funko. Uma mudança drástica para quem está acostumado com os personagens abrutalhados da franquia.

Mas as coisas não pararam aí, o teaser era uma brincadeira para depois apresentar Gears Tactics, um RTS para PCs. Os esquadrões serão customizáveis, haverão diversas armas e chefões gigantescos. Mais um bait para a cereja no bolo.

O verdadeiro jogo da noite é Gears 5, que coloca o jogador no comando de Kait, uma soldado altamente treinada e destemida. Os poucos minutos do gameplay serviram para mostrar que o trabalho gráfico está primoroso e haverá diversos ambientes. Um detalhe importante: os personagens estão mais realistas, fugindo do design malhado dos personagens anteriores.

Cyberpunk 2077 será o melhor game da CD Projekt RED

Antes de encerrar os anúncios, Phil Spencer subiu ao palco para anunciar que a Microsoft vai investir no serviço de streaming. O objetivo é trazer os jogos para os consoles, PCs e mobile. Em seguida a fala do executivo foi interrompida pelo trailer de Cyberpunk 2077. O game será ambientado em um Estados Unidos futurista, numa cidade chamada Night City. O trailer finalizou os anúncios da Microsoft em grande estilo.

Estes são os games brasileiros em destaque no BIG Festival 2018

Com a aproximação do BIG Festival 2018, chegou a hora de conhecer os jogos finalistas do painel Big Starter. O espaço dá ao desenvolvedor indie de games a oportunidade de apresentar seu projeto ainda não finalizado ou publicado comercialmente a uma platéia composta por desenvolvedores, potenciais investidores, nomes relevantes do game design nacional e internacional, jornalistas e outros formadores de opinião.

A categoria é formada exclusivamente por jogos nacionais e é uma das maiores oportunidades para os desenvolvedores mostrar seu projetos e dar aquele pontapé inicial para conquistar espaço e um financiamento. De acordo com a organização do evento, nesta edição foram inscritos mais de 156 jogos. Destes, foram selecionados 5 jogos finalistas na categoria Jogo Educacional ou de Impacto e outros 5 Jogos na categoria Jogo de Entretenimento.

Abaixo você confere os 10 finalistas do BIG Starter, separados por categorias:

Jogo Educacional ou de Impacto

  • AmbIA – Imesys
  • Projeto Ticolicos – Lost DEVS
  • Legally Addicted – Nonsense Bulls
  • CLEAVER – Equipe CLEAVER
  • Mompas – Studio Nebulosa

Jogo de Entretenimento:

  • One beat Min – PixJuice
  • Little Dude the Game – Initial Tape
  • U.A.I. – Umbu Games
  • Golf 2D – Estúdio Vaca Roxa
  • Jamie’s Dream – Cartonbox Studio

Todos os finalistas apresentarão seus games para um público entusiasta por games e um júri formado por profissionais da indústria, investidores, jornalistas, formadores de opinião entre outros. Os grandes vencedores devem apresentar características que tornem seus produtos únicos, pois os jogos serão analisados em diferentes critérios, tais como aspectos audiovisuais, interativos, mecânica e criatividade. Os dois ganhadores receberão troféu e um prêmio de R$ 20 mil cada.

Outra área de interesse para quem curte jogos nacionais é o Panorama Brasil 2018, um espaço para apresentar 30 jogos que não foram selecionados para a premiação principal do BIG, mas que demonstraram alta qualidade e merecem ser vistos pelo público. Desses 30 jogos, 10 são produzidos por estudantes.

A lista abaixo mostra quais são estes games:

Akane  (Ludic Studios)
AREIA (GILP Studio)
Dog Duty (Zanardi&Liza)
Grand Shooter (Grumpy Panda Studios)
Grashers (Rafael Renan Skoberg)
Hop Dog (Ludic Side)
Kaze and The Wild Masks (Vox Game Studio)
Mana Sparks (BEHEMUTT / Kishimoto Studios)
ManaRocks (Rockgames Ltda.)
Minesweeper Genius (Mgaia Studio)
Patuanú (Andurá Studio)
Pigeons Attack (Nixtor Game Studio)
Ritmosphere (Luiz Carlos Martins Loyola Filho)
Scrash (Cat nigiri)
Solar Fighters (Jhonatas da Silva Farias)
Sunken Brawl (Dope Ape Studios / Umizon)
Sword of Yohh (UNDEVS)
Vector Race (Rafael Forbeck)
Vigilante Ranger (Sinergia Studios)
Wild Glory (LAJE Studios / Manalith Studios

 

Serviço – BIG Festival 2018

Onde: Centro Cultural São Paulo (SP) e Centro Cultural Oi Futuro (RJ)

Quando: 23 de junho a 1 de julho

Quanto: Gratuito

Games For Change indica os Jogos de cartas e tabuleiro que irão mudar o mundo a partir de 2018

Que os jogos são ferramentas transformadoras, disso você já sabe e temos mais um exemplo para mostrar àqueles mais céticos e que acreditam que jogos digitais e de tabuleiros são meras formas de escape da realidade. Recentemente a UNODC (“United Nations Office on Drugs and Crime”, a agência da Organização das Nações Unidas, ONU, sobre drogas e crimes) realizou uma competição, convidando jovens designers de jogos de todo o mundo a apresentarem ideias para vários jogos não eletrônicos.

A competição foi batizada “Educação para a Justiça” (E4J). Qual o objetivo dessa competição, você pergunta!? Mostrar que a jogos são benéficos para a aprendizagem e que os jogos educativos interativos são um meio perfeito para transmitir lições que são mais bem absorvidas. Os jogos de tabuleiro e cartas foram o alvo desta disputa, pois eles implicam um nível pessoal maior de envolvimento e geralmente são flexíveis quanto ao número de jogadores, tornando-os adaptáveis a atividades sociais e escolares.

Passado o período de disputa, chegou a hora de conhecer os jogos que irão transformar vidas e ideias a partir do segundo semestre de 2018. O critério mais importante é abordar pelo menos um dos tópicos cobertos pelo mandato da UNODC tais como tráfico de pessoas; crime organizado; prevenção do extremismo violento; o uso de força pela polícia; cibercrime e segurança on-line; e integridade.

De acordo com a Games For Change América Latina, os projetos selecionados foram contemplados com um subsídio de US$ 10.000 para o desenvolvimento, teste, fabricação e distribuição do jogo, envolvendo estudantes de nível secundário e educadores no processo. Vale destacar que todos os jogos selecionados são de tabuleiro ou de cartas, já que o plano era envolver apenas jogos dessas categorias.

O primeiro deles é Running Out of Time, criado pela “Asociation Socioeducative Llere” da Espanha. Trata-se de um jogo de tabuleiro que ensina sobre corrupção, prevenção ao crime e justiça criminal, terrorismo e tráfico de pessoas. Os jogadores assumem papéis diferentes na sociedade desde funcionários públicos até políticos.

RiotTD, da Universidade de Bournemouth, no Reino Unido, segue o mesmo estilo. Este é um jogo de tabuleiro colaborativo sobre o uso da responsabilidade da força no qual os jogadores aprenderão os princípios básicos das Nações Unidas sobre o uso de força e armas de fogo por policiais, assumindo os papéis de equipes de investigações forenses.

A ONG “Centro de Estudos sobre Mulheres e Crianças” de Bangladesh apostou na triste realidade do tráfico de pessoas e exploração sexual on-line, projetando um jogo interativo envolvendo salas de aula completas e cartas de baralho e fazendo um brainstorming sobre essas formas de crime organizado transnacional.

Na Howard Rheingold University, dos Estados Unidos, um grupo de estudantes desenvolvem o boardgame “Labyrinth“, onde os jogadores tentam alcançar o status de herói, fazendo as escolhas apropriadas e encontrando seu caminho em um labirinto onde há caminhos para o terrorismo e a radicalização.

Já a Integrity Action, do Reino Unido, criou o jogo “Shine“, uma versão moderna dos famosos jogos “anakes and ladders”. Aqui os alunos devem se preocupar com questões envolvendo a integridade e monitoramento dos serviços públicos.

O cybercrime é o grande inimigo do jogo “Rutgers Preparatory School“, criado nos Estados Unidos. Trata-se de um jogo de tabuleiro cooperativo onde os jogadores precisam criar uma estratégia para tornar a internet mais segura.

Students for Integrity” é a ideia da Transparency International Slovenia, onde os jogadores podem mergulhar nos papéis de jornalista, detetive, delator ou político, entre outros, enquanto lidam com várias crises; aquelas que são ignoradas se intensificam, enquanto aquelas que são tratadas estrategicamente são superadas.

A Universidade de São Paulo é a representante do Brasil nesta seleção. A USP está trabalhando no “Purposyum of Justice Challengers“, um tabuleiro e um RPG que ajudará os jovens a desenvolver suas habilidades de narrativa enquanto jogam através de uma jornada para alcançar vários estágios em revelações que levam à Justiça.

E por fim, estudantes da Bolívia, a “Vision Mundial Bolivia” está trabalhando em um jogo onde os jogadores escolhem um objetivo pré-definido, como riqueza, prestígio social, conhecimento ou felicidade, para o qual eles têm que ganhar pontos respondendo a várias situações.

E3 2018: Os rumores que gostaríamos que se tornem reais

Já estamos naquela época do ano que a treta come solta entre os fãs de Sony, Nintendo e Microsoft. A E3 2018 desponta como uma das mais inesquecíveis que teremos nos últimos anos, afinal estamos em um ano chave para a indústria. O que os grandes players estão preparando para chamar mais consumidores para seus jogos e sistemas? Desta vez não espere novos consoles, então essa deve ser a E3 para quem curte jogos.

Rumores indicam que esta pode ser a E3 derradeira do Playstation 4, já que os planos da próxima plataforma da Sony estão em curso. Seja como for, o console esta em uma situação bastante confortável e a Sony deve aproveitar os últimos anos da plataforma para agradecer todo o suporte da comunidade com preciosidades como The Last of Us 2, Spiderman e Days Gone. Apostamos que a Sony vai mostrar isso e muito mais antes que o PS5 seja uma realidade.

Já a Nintendo conseguiu um sucesso estrondoso com o lançamento do Switch. Todo o mundo quer colocar as mãos na plataforma híbrida e agora é a hora da Nintendo mostrar a que a plataforma veio com esta E3. Notícias desanimadoras indicam a falta de suporte de alguns jogos importantes como Call of Duty, Red Dead Redemption ou ainda o provável The Division 2. Ainda assim, a falta de apoio das 3rd parties nunca foi primordial para a Nintendo desde a era N64. Podemos esperar então uma chuva de jogos 1st party arrasadores

Já pelo lado da Microsoft, sabemos que o Xbox One X é uma realidade e está na hora da Microsoft mostrar todo o poder da máquina. Os serviços disponibilizados para a família Xbox são ótimos, mas a comunidade almeja por jogos. Se depender do que a empresa de Redmond tem indicado, é justamente isso que veremos: a empresa praticamente vai fazer um evento separado da E3, com um mega estande. Além disso, últimas notícias já mostram a formação de um novo estúdio em Santa Monica e que sua função será criar estúdios AAA.

Neste texto estamos apontando conjecturas do que podemos (e gostaríamos de) ver na E3 2018.

Franquias da Rare de volta

Ainda que tenha cometido vários deslizes ao longo dos anos, a Rare ainda possui um lugar especial no coração dos jogadores, afinal algumas das melhores franquias de todos os tempos nasceram neste estúdio britânico. Atualmente a produtora está focada em Sea of Thieves. O lançamento do jogo dos piratas não foi tão legal quanto poderia em termos de crítica, mas o número de jogadores é bem expressivo, o que vai manter o estúdio ocupado com upgrades e novos conteúdos para agradar a sólida base de jogadores.

Mas então o que acontece com as outras franquias da empresa? Nossa aposta é que elas devem seguir o mesmo caminho de Killer Instinct, ou seja, parar nas mãos de outros estúdios. Já não é de hoje que ouvimos falar que a Microsoft tem planos de reviver Battletoads ou Perfect Dark. Além disso, existem milhares de jogadores esperando uma sequência de verdade do Conker. Não ficaríamos exatamente surpresos de ver um novo Banjo-Kazzoie ou Viva Piñata vindos de outros estúdios da Microsoft.

 

Um novo Elder Scrolls

Lá se foram sete anos desde que Skyrim apareceu pela primeira vez para o Xbox 360 e Playstation 3. Desde então vimos relançamentos para todos os sistemas da atual geração. Já está mais do que na hora da amada franquia de RPG ressurgir. Nos últimos anos a Bethesda se empenhou bastante com as novas entregas de Doom e Wolfstein, agora é o momento de apostar nos RPGs.

Alguns apostam que Fallout é quem deve dar as caras, mas acreditamos que uma coisa mais bombástica seria a aparição do lendário Elder Scrolls VI. Se os rumores estiverem certos, o tempo de desenvolvimento serviu para a produtora criar outra engine, melhorar o sistema de combates e entregar o maior mapa de um jogo digital jamais visto. Claro, há quem aposte que um novo Elder Scrolls não saia nesta geração, mas será que a Bethesda vai mesmo ignorar uma base de jogadores tão grandes quanto à de PS4, Xbox One e PC?

 

Bloodborne 2 se tornando real

Bloodborne é apontado por muitos como tecnicamente superior ao seu irmão mais velho (Dark Souls), o que elevou o status do game para cult. Não por acaso ele está invariavelmente nas listas de melhores jogos do PS4 desde seu lançamento no equidistante ano de 2015. Seria uma aposta segura que o próximo jogo da From Software será uma sequência de Bloodborne, desta vez, quem sabe, multiplataforma?

 

Halo 6 liderando a estratégia do Xbox

O Xbox One precisa vender e qual melhor game para fazer o console vender do que o jogo mais amado do Microsoft Studios? Halo 5: Guardians recebeu uma recepção mais morna da comunidade de jogadores, mas ainda assim vendeu mais de 5 milhões de unidades ao redor do mundo, se tornando o game mais vendido do One.

É bem seguro afirmar que a 343 Industries está entusiasmada em tornar a sexta entrega mais palatável e ainda mais seguro afirmar que Halo 6 deve aparecer de alguma maneira na E3 2018.

 

Pikmin 4 dando as caras

Em meados de 2015, Shigeru Miyamoto já dava entrevistas abertamente falando sobre Pikmin 4 e como ele estava progredindo, mas que não era prioridade da empresa no momento. Agora que a poeira acerca de Mario e Zelda baixou, a Big N vai precisar manter o interesse do público com lançamentos menores.

Já que Smash Bros, Metroid e Pokémon são muito aguardados e a Nintendo não deve desperdiçar este três lançamentos, apostamos que Pikmin pode ser um dos jogos de transição entre um lançamento e outro. Talvez algo mais concreto apareça em breve.

 

Um novo Pokémon para o Nintendo Switch

Tem gente que venderia um rim para jogar um novo Pokémon para um console de mesa e a Nintendo sabe disso. Após a estratégia para o lançamento de Breathe of the Wild, talvez o próximo peso pesado da empresa seja Pokémon mesmo.

Metroid, Mario Kart e Smash Bros. já devem estar bem evoluídos, portanto a hora é de apostar nos monstrinhos de bolso, já que eles devem demorar um pouco mais e talvez vender mais que esses jogos.

 

Mortal Kombat XI com muitos lutadores

A Netherealm sabe que Mortal Kombat voltou a ser o jogo de luta número 1 do mundo e que seus concorrentes estão chegando forte. Para contratar e assegurar a hegemonia no gênero, nada melhor do que um novo Mortal Kombat, certo? A franquia ganhou bastante maturidade com MK XL e a tendência é um game ainda mais refinado e divertido.

Há já quem aposte que o vilão do jogo será nada menos que Raiden, o deus do trovão. Outro palpite é que a produtora resolva mesmo apostar no crossover novamente com a Liga da Justiça, afinal o último projeto deles foi Injustice 2. Veremos o que a Netherealm preparou para a E3, mas é bem certo que algo vá ser mostrado.

 

Smash Bros chutando bundas e recheado de personagens especiais

Smash Bros é umas das poucas certezas que todos têm sobre a apresentação da Nintendo no evento deste ano, afinal a própria empresa já antecipou que o game é parte do show e o teaser do ano passado não deixa qualquer sombra de dúvidas que o game está a caminho. Então, porque estamos falando deste game num texto sobre rumores?

Bem, é simples: este game já é cotado como um dos mais aguardados do evento inteiro. Quase todos querem saber quem serão os personagens jogáveis, quais os cenários vão aparecer? Seguindo uma linha de rumores do GameSpot, gostaríamos muito de jogar com Captain Toad, Tetra, King K. Rool e o icônico Snake. Esta é a chance da Nintendo finalmente superar Smash Bros. Brawl.

 

Franquia Fable ressurge aos moldes antigos

Ainda que alguns jogadores ainda nutram qualquer esperança de a Microsoft reviver o promissor Scalebound, acreditamos que as chances são praticamente zero e que ao invés disso, a empresa de Redmond vai apostar em um revival mais seguro e com uma base de fãs já grande como é o caso de Fable. Esqueça o fim prematuro da Lionhead, acreditamos que o projeto Fable deva passar para outra produtora. Inclusive um rumor bastante convincente dizia que a Playground Games (Forza Horizon) abraçou o projeto.

Há quem diga que o game possa ser focado no multiplayer e será free-to-play, seguindo a estratégia recente de apostar em jogos para múltiplos jogadores como ocorreu em Sea of Thieves. Outro rumor já aponta que o título será mais focado na história singleplayer mesmo e que o cão terá um papel muito mais ativo no desenrolar dos acontecimentos. Seja como for, os fãs de RPG estarão muito atentos nesta E3.

 

Sony aposta no retorno de Jak & Daxter

Por fim, um rumor que faz bastante sentido. Recentemente a Sony tem apostado bastante em franquias já consagradas do grande público e que detém um histórico quase impecável. God of War foi o mais recente, mas não podemos esquecer que nos últimos anos a empresa entregou os sólidos Ratchet & Clank, Killzone e Shadow of the Colossus.

O que falta no pacote? Se analisarmos por esse prisma, fica claro que falta algo para o ícone Sly Cooper e a dupla Jak & Daxter. Como o Sly está meio esquecido e quem cuidou tanto tempo de Jak foi a Naught Dog, é bem razoável imaginar que a empresa comece a trabalhar num retorno da franquia o mais rápido possível, certo?

 

E você, o que espera para a E3 2018?

PROACOINS – Game similar ao Pokémon Go permite aos jovens de SP trocarem pontuação por curso de inglês

Inspirado pelo sucesso de Pokémon GO, o Teatro Municipal de São Paulo aproveitou a apresentação de Marcelo Tas para lançar o game PROACOINS, um game de realidade aumentada que tem como objetivo cumprir provas na cidade de São Paulo em locais culturais e educacionais. Os jogadores podem visitar até 3500 lugares da cidade a fim de resolver missões específicas e interagir com outros jogadores. O macete é a possibilidade de ganhar até cursos de inglês no Minds English School.

Conforme o jovem vai cumprindo as atividades mais consegue aprimorar o seu avatar. A iniciativa foi feita pelo Instituto PROA que ajuda mais de 600 jovens anualmente e este ano completou 10 anos de existência. Para o planejamento do game e a criação das 10 mil tarefas disponíveis nele, o PROA contou com a parceria da Prefeitura de São Paulo, Secretaria de Cultura, e a desenvolvedora de tecnologia Oracle.

O grande ganho do PROACOINS, além desses jogadores aprenderem mais sobre a própria cidade e evoluírem como cidadãos, é que os estudantes de escolas públicas poderão trocar os seus pontos (moedas virtuais) por vários benefícios educacionais. Entre eles: bolsas em universidades, intercâmbio, ingressos para cinema, e bolsas na Minds English School.

“Apoiamos este game do PROA porque acreditamos que esses jovens podem se desenvolver na carreira e na vida aprendendo um segundo idioma. Só em São Paulo temos 9 escolas da Minds. Ou seja, o estudante que usar o APP e cumprir os pontos necessários, pode trocar por bolsas de estudo da Minds na unidade que for mais próxima”, evidencia Leiza Oliveira, CEO da Minds Idiomas.

O APP, PROACOINS, foi oficializado nesse último sábado, dia 19, como o aplicativo oficial da Virada Cultural. O evento teve recorde de público e através do game, o jogador recebia missões nos palcos, nas atrações que aconteceram nesse último final de semana.
Para saber mais, acesse o site oficial do game.