comKids: Mostra de obras interativas que acontece em agosto está com inscrições abertas.

Se você é desenvolvedor de games, livros interativos ou aplicações em geral em plataformas digitais,  ao perca a chance de se inscrever no Festival comKids, um evento que visa celebrar produções culturais voltadas para crianças e adolescentes em tablets, celulares, smartv, web, PCs etc. O evento ocorre em São Paulo nos dias 16 e 17 de agosto e está com inscrições abertas através do site para quem quiser fazer parte da mostra.

O comKids conta com.diversas atividades ao longo dos dois dias de evento, tais como palestras, painéis e a competição especial, além de mostras audiovisuais gratuitas que serão exibidas ao longo do mês de agosto em espaços culturais da cidade.

“O comkids interativo vem para refletir sobre esse tema e premiar, como sempre, todos os que produzem com criatividade, qualidade e compromisso com as crianças e jovens”, disse Beth Carmona, diretora-geral do comKids.

Produtores de mídias audiovisuais podem inscrever seus projetos e participar do evento. São seis as categorias em competição: apps, games, transmídia, plataformas, livros digitais e realidade aumentada. Os projetos devem ter sido criados em português ou espanhol. O importante é que tais trabalhos devem ter sido desenvolvidos majoritariamente na América Latina, Portugal, Espanha ou em países de língua portuguesa.

De acordo com a organização do evento, as obras devem ter sido finalizadas a partir de 2015. Após avaliação de um pré-juri, os finalistas apresentarão seus projetos durante o festival e o público participante do evento vai eleger os vencedores da competição.

Clique aqui para inscrever a sua obra.

Inscrições para o BIG Festival 2018 estão prorrogadas até o dia 28 de abril

Ainda não teve tempo de cadastrar seu jogo no BIG Festival 2018, o maior evento de jogos independentes da América Latina? Pois não deixe a oportunidade passar! A organização do evento prorrogou o período de inscrições até o dia 28 de abril. Desenvolvedores do mundo todo devem submeter suas criações gratuitamente através do site oficial.

A sexta edição do BIG Festival acontecerá de 23 de junho a 1 de julho, no Centro Cultural São Paulo, na capital paulista, e no Oi Futuro, no Rio de Janeiro. Os jogos finalistas, produzidos para computadores, tablets, smartphones, consoles e dispositivos de realidade virtual (VR), estarão disponíveis em dezenas de estações para o público em uma exposição gratuita, em que todos poderão testá-los e contribuir para a premiação votando em seus favoritos.

Todos os jogos inscritos serão analisados pelo Comitê de Seleção do festival e os selecionados irão competir em categorias como Melhor Jogo, Melhor Som, Melhor Arte, Melhor Narrativa, Realidade Virtual, entre outras. Os vencedores serão anunciados no palco do evento.

Os representantes dos jogos finalistas recebem, ainda, acesso gratuito às rodadas de negócios do maior hub do setor de games e animação da América Latina, e podem ter a oportunidade de fazer uma palestra sobre o seu jogo. Na última edição, 3200 profissionais do setor estiveram presentes com o objetivo de fortalecer a indústria e criar oportunidades.

Neste ano, uma novidade será uma ação do BIG Festival no Rio de Janeiro. O BIG Rio acontece de 23 de junho a 1 de julho, no centro cultural Oi Futuro, na capital carioca. A ação terá foco em jogos de impacto social com exposição gratuita de games em todos os dias, além de discussões nos dias 29 e 30 de junho, e será realizada em parceria com o Oi Futuro, instituto de inovação e criatividade da Oi.

Serviço – 6º BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival)
De 23 de junho a 1 de julho (Segunda, 25, não abre)
Rodadas de Negócios – de 27 a 29 de junho
De terça a sexta: 10h às 22h / Sábado e domingo: 14h às 22h
Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso, SP
Entrada: Gratuita

Game Over – Festival que une gamemusic e jogatina está de volta a São Paulo

Quem curte games e boa música já pode comemorar: o festival Game Over está de volta a São Paulo. O evento ocorre na tradicional casa noturna Manifesto Rock Bar durante o feriado de 01 de maio e vai contar com shows da Banda Smash Bros, seguida pelo tradicional “Game Metal” da banda MegaDriver.

Tradição em cidades americanas, o festival “Game Over” traz artistas de diferentes estilos da game music com free play em jogos clássicos, proporcionando um encontro para os fãs de video games. O evento leva a chancela do grupo americano MAGFest, abreviação de “Music And Gaming Festival”, responsável pelo maior festival de música e games do mundo, realizado anualmente nos EUA.

Enquanto rola a sonzeira os gamers poderão jogar consoles e árcades com jogos clássicos e participar de minicampeonatos, comandado pela galera da Comunidade Mega Drive, Gameteczone, Warpzone e VR Gamer.

“O “Game Over: São Paulo” tem o objetivo de difundir a música de games e unir a comunidade gamer no cenário local”, diz o comunicado da organização do evento. Mais informações no evento no Facebook.

 

Serviço – Game Over São Paulo

Data: Terça, Feriado de 01 de Maio de 2018
Abertura da casa: 18h
Entrada : R$30,00 + 1Kg de Alimento não perecível (levar no dia)
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36, Itaim Bibi – São Paulo/SP

PlayTable – Games interativos para pedagogia hospitalar são destaques da Hospitalar 2018

Já falamos inúmeras vezes o quanto os jogos digitais e suas aplicações são importantes para a àrea médica. Uma das empresas mais focadas nessas interações é a Playmove, criadora da PlayTable, a mesa digital que tem foco no aprendizado e integração de crianças mais jovens. A PlayTable é um dos destaques da feira Hospitalar 2018, evento que mostra as novas pesquisas da área da saúde. Esta é a primeira que a Playmove participa do evento.

A feira Hospitalar 2018 acontece entre os dias 20 a 25 de maio em São Paulo (SP) e deve reunir mais de 90 mil visitantes de mais de 70 países. A ideia da produtora é mostrar como os jogos digitais podem ser ferramentas de aprendizado para crianças a partir de três anos. Entre as opções a serem mostradas no evento estão games que seguem a matriz curricular brasileira e englobam lições relacionadas às disciplinas de português, matemática e ciências, que formam a base do ensino fundamental.

Um dos jogos participantes é o Guardiões da Natureza, que fala sobre a fauna brasileira e é um instrumento de apoio à aprendizagem relacionada ao tema, como a característica dos animais que compõem o bioma. Outros jogos também fazem parte da mostra, como o Papa-Letras e o Alfabééto, que auxiliam na alfabetização e são ideais para utilização também na pedagogia hospitalar. Um exemplo de utilização da mesa é o Hospital Santo Antônio, de Blumenau (SC), que integra os jogos ao ensino regular voltado a crianças com internação prolongada. Outra entidade que utiliza o equipamento para entretenimento e educação é a Rede D’Or. A ideia é tornar o tratamento médico mais tranquilo para os pequeninos.

A PlayTable utiliza uma superfície sensível a vários toques a fim de facilitar o uso por crianças com dificuldades motoras ou uso de cateteres, soros, curativos e outros materiais hospitalares. O portfólio de jogos apoia no desenvolvimento de habilidades motoras e cognitivas. A Playmove espera que a tecnologia seja utilizada de modo a tornar o aprendizado mais rápido e divertido, de modo que crianças em tratamento médico prolongado não tenham o aprendizado interrompido por sua condição.

“Além de trazer um ambiente lúdico, que deixa a criança mais confortável durante o tratamento e a tira do foco do seu problema de saúde, os jogos também ajudam o profissional responsável por aplicar as lições educacionais. Temos games com conceitos matemáticos, de português, ciências, geografia e até mesmo educação financeira”, diz Marlon Souza, CEO da Playmove. Mais informações no site da empresa. O cronograma da Hospitalar 2018 pode ser visto aqui.

CBLoL: INTZ ainda tem três chances para evitar o temido rebaixamento

O INTZ está com uma campanha sofrível nesta temporada: a equipe está ameaçada de rebaixamento e vem amargando derrotas vexatórias ao longo do CBLoL. Porém nem tudo está  perdido: a equipe encerrou a fase inicial do CBLoL 2018 na sexta posição da tabela de classificação, e, por isso, precisa de mais uma vitória, agora na série de promoção, para se manter na elite do torneio. 

Opróximo compromisso será contra a ProGaming eSports, que foi eliminada na primeira rodada da série de escalada. O confronto acontece no sábado (14), às 13h, com transmissão via YouTube e Twitch. A equipe promete jogar com raça para se manter na elite da categoria.

Para se salvar a equipe terá três oportunidades numa série de promoção. Se perder para a ProGaming, enfrentará a Team oNe e, em caso de nova derrota, jogará contra o Flamengo, segundo colocado do Circuito Desafiante, no domingo. Com um triunfo em qualquer um destes compromissos, os Intrépidos garantem sua permanência na primeira divisão do segundo split do campeonato, que também acontecerá neste ano.
Obviamente os intrépidos querem resolver a situação o quanto antes. “Acho que o momento não é de tranquilidade porque nossa situação ainda demanda atenção, mas confiamos que podemos resolver isso no primeiro confronto e afastar todos os riscos”, disse Marcelo “Ayel” Mello, topo da equipe.

O clube seguiu rotina de treinamentos, mesmo com um período maior sem jogos, e se preparou para todos os possíveis adversários: “Desde o nosso último jogo pelo CBLOL, o time manteve uma rotina normal de treinos, para não perder o ritmo. A única coisa diferente foi que agora podemos ter até três adversários diferentes em dois dias, e isso demanda uma preparação estratégica para todos os possíveis confrontos. Mas nosso foco tem sido na ProGaming”, destaca o jogador Bruno “Envy” Farias.

Estes são os próximos jogos da série promocional:

Série de Promoção:
Sábado, 14/4

13h – INTZ e-Sports x ProGaming eSports

15h – Perdedor do jogo das 13h x Team oNe



Série de Acesso:

Domingo, 15/4

13h – Adversário a ser definido x Flamengo eSports

Conduza os negócios de uma firma de investimentos no bem humorado Tap Tap Trillionaire, jogo para Mobile

O game de hoje não é um lançamento, mas é uma dica bem legal se você quer um jogo divertido viciante e desafiador. Tap Tap Trillionaire é um game mobile da Pixio, desenvolvedora dos EUA, cujo objetivo é se tornar um rico playboy. Para tanto você assume a liderança de uma empresa de investimentos e deve usar suas habilidades de negociação para comprar e vender ações no mercado.

O jogo segue o esquema de “tap”, ou seja, quanto mais toques você der na tela, mais dinheiro você consegue. Com a grana conquistada você pode comprar ações de diferentes empresas e depois revendê-las com algum lucro. O problema é que o mercado de ações é imprevisível e muitas vezes você acaba saindo no prejuízo.

Conforme suas riquezas aumentam você pode contratar negociantes que também vão sugerir a compra e venda de certas ações. Mas cuidado! Eles também erram muito, trazendo prejuízos de preciosos milhares de dólares para sua empresa. O macete é que em Trillionaire você pode usar o dinheiro conquistado para investir em treinamento para seus agentes subirem de nível. Quanto maior o nível, maiores as chances de uma negociação bem sucedida e de contratos maiores.

Um dos destaques de Trillionaire é o humor ácido e bem divertido de certas situações. Você vai ver muitas referências da cultura pop, como o negociante Lobo de Door Street, o Pato Tiozinho, o Sr Pergunta, o refrigerante Craka Cola e a rede social Facelook. Espere dar boas risadas com o jogo e altas referências nerds. Os gráficos são  em arte pixelada 8 bits, que dão um ar de personalidade ao game. O jogo recebeu recentemente a tradução em português, de modo que o bom humor permanece bem evidente. Antes de baixar, fica o aviso: oojogo vicia muito! Você pode encontrar o Tap Tap Trillionaire no App StoreGoogle Play.

Abaixo tem um trailer de Tap Tap Trillionaire:

Riot Games anuncia segunda edição do Acampamento Yordle

Uma das maiores preocupações da Riot e da comunidade de jogos eletrônicos em geral é a toxicidade de determinados jogadores. Algumas ações já foram tomadas no passado para melhorar o ambiente de jogo. Uma das mais eficazes dos últimos tempos foi o Acampamento Yordle de League of Legends, que conseguiu trazer um clima pacífico e divertido dentro do game. Não por acaso, a Riot promove a segunda edição do evento entre os dias 12 e 21 de abril dentro dos servidores brasileiros.

Basicamente, a comunidade será dividida em dois grupos. As regras continuam as mesmas da primeira edição: uma barra de vida vai representar a redução do comportamento antiesportivo garantida pelo grupo dentro do jogo. A finalidade é não zerar a barra ao longo de todo dia, entre 8h e 23h. A barra vazia representa o hábito padrão dos jogadores do servidor em um dia comum, portanto qualquer energia restante na barra, às 23h, reflete uma melhora significativa no comportamento e, por consequência, a vitória do grupo. Segundo a Riot, não se trata de uma disputa entre dois times, mas uma gincana colaborativa entre os integrantes de cada turma.

O bom comportamento de todos que participarem garante que o medidor de um grupo não se esvazie, o que leva a um prêmio no final do dia – uma cápsula que pode conter: baú Hextec, chave, essência Azul e/ou moeda do Acampamento. Ambos os times podem ganhar os prêmios. Jogadores que sofrerem punições não recebem o bônus, ainda que seu grupo feche o dia sem zerar a barra de energia.

“Nosso objetivo é desenvolver uma comunidade saudável e por isso o desafio do Acampamento é justamente contribuir para uma mudança positiva significativa no comportamento ao final do dia”, afirma Leandro Faria, gerente de Produto da Riot Games. “O Acampamento é um evento para celebrarmos o espírito esportivo dos jogadores de League of Legends”, completa.

De acordo com a Riot, nesta edição houve um sorteio para decidir a que grupo cada um dos jogadores pertence. Os jogadores brasileiros saberão a que grupo pertencem entrando na aba do Acampamento no cliente do LoL. Lá, eles também vão descobrir como está o progresso do servidor.

O Acampamento Yordle começa às 8h (horário de Brasília) de 12 de abril de 2018 e acontece, todos os dias, a partir desse horário, até o dia 21 de abril. Os jogadores dos grupos que alcançarem a meta serão premiados com as cápsulas até o início da próxima rodada, no dia seguinte. Para estar elegível aos prêmios, o jogador tem que ter participado de pelo menos uma partida no dia do evento, nos modos Summoner’s Rift normal, ranqueada ou gerenciada, e não ter sido punido por comportamento antiesportivo.

Para mais informações, acesse a seção de Perguntas Frequentes, no site de League of Legends.

Dolmen entra em campanha no Kickstarter e participa do evento PAX, nos EUA

Nosso destaque de hoje é um jogo brasileiro chamado Dolmen, criado pela Massive Workshop Studio trata-se de um RPG de ação inspirado em Dark Souls. O game está fazendo bonito em seu circuito de divulgação: após causar impacto na BGS 2017 e da GDC 2018, agora é a vez dos visitantes da  PAX conferirem o título brasileiro. O game terá um estande no evento de Boston nos dias 5 a 8 de abril.

A presença no evento marcará o pontapé inicial da campanha de financiamento coletivo via Kickstarter, que também começou na última quinta-feira. Você pode acessar a campanha aqui. Quem jogou Dolmen ficou impactado com o alto nível do jogo e sua semelhança com o aclamado Dark Souls. É um dos poucos jogos brasileiros comparável aos AAA americanos.

Dolmen levará os jogadores a um mundo alienígena hostil conhecido como Revion Prime, a localização do maior massacre registrado na história galáctica. Os cadáveres daqueles que lá viviam há muito tempo orbitam o planeta – como uma vala comum suspensa no tempo. Como o único sobrevivente de uma tripulação de astronautas humanos, puxado do espaço e raptado em um futuro distante, você acorda abaixo da superfície do planeta sem suprimentos. 

Para sobreviver, você deve se adaptar e dominar o sistema de combate do jogo, procurando recursos e criando novos itens que melhorem seu armamento e seu traje de suporte à vida. Revion Prime é implacável; você aprenderá da maneira mais difícil.

“Estamos muito felizes em participar da PAX East”, anunciou Pedro Bastos, produtor do jogo. “Nossa campanha de financiamento coletivo começará no mesmo dia que a PAX abrirá seus portões e estamos muito ansiosos para mostrar o jogo para todos os visitantes. Estamos nos Estados Unidos desde o começo de Março, quando participamos da Game Developers Conference e está sendo uma experiência incrível”, completou.

A campanha de financiamento coletivo do Dolmen está aberta e busca arrecadar US$ 90 mil, que será utilizado para o desenvolvimento de novas mecânicas, polimentos gráficos e adição do modo multiplayer online.

Abaixo tem um trailer de Dolmen:

Ferreiros e Alquimistas – jogo brasileiro reconta a história da tribo indígena Tayronas da Colômbia e o processo de alquimia para criar o ouro de tolo

O jogo Ferreiros e Alquimistas é um daqueles projetos educativos que transcendem a barreira e o preconceito que muitos jogadores têm com jogos do gênero. O game é uma verdadeira aula de história e química, apesar de ter cara de um adventure moderno. Aqui o jogador entra na pele de uma jovem da tribo Tayrona, que deve utilizar seus conhecimentos em alquimia para forjar o famoso “ouro” de Tumbaga. O game nasceu de um projeto da UFRGS e já conquistou bastante aclamação desde o ano passado.

O game é uma analogia ao que o povo Tayrona fazia na época dos conquistadores espanhóis. Nativos da região da Colômbia, os Tayronas viviam.pacificamente até os espanhóis chegarem e passarem a exigir o ouro da região. A partir de seus conhecimentos da região, os Tayronas faziam expedições para buscar elementos químicos a fim de criar a liga Tumbaga, composta de ouro e cobre, a liga mais usada entre os ourives pré-hispânicos do território colombiano.

Para isso, o jogador deve coletar diferentes itens em determinados locais do relevo colombiano, tais como lagos, montanhas, cavernas e a vegetação nativa. Ao todo são três objetivos a serem cumpridos nesta primeira fase do game: produzir o espelho de Tumbaga, criar um colar de Tumbaga e a criação de uma escultura da mesma liga. Cada uma dessas etapas necessita de um processo específico, como polir ouro, coletar cera de abelha, ou adquirir argila. Cada um desses processos replica as etapas que os verdadeiros Tayronas faziam para entregar o ouro aos espanhóis.

Na época de colonização da América do Sul os espanhóis estavam surpresos com a quantidade de ouro que os Tayronas possuíam, mas o que eles não sabiam era que todo o material era composto por 95% de cobre e apenas 5% de ouro. Acontece que no processo de alquimia, os indígenas realizavam uma infusão feita com uma planta chamada chulco, que fazia com que a superfície em cobre fosse corroída e deixasse à mostra apenas os átomos de ouro na parte exterior. Quando os espanhóis descobriram o engodo começou uma tensão entre os povos. Foi daí que surgiu a expressão ouro de tolo.

Ferreiros e Alquimistas foi desenvolvido por um grupo pertencente ao NAPEAD (Núcleo de Apoio Pedagógico à Educação a Distância da UFRGS), com liderança do professor de química Marcelo Eichler. O grupo, aliás, já pensa nas próximas duas fases do game. De acordo com Marcelo, o segundo capítulo vai se passar no Caribe e contará uma parte da história envolvendo escravatura e o trabalho de Ferreiros nas formas de Siderito (um metal advindo de um meteoro). A terceira parte será mais focada na alquimia e vai levar o jogador até a Europa.

Ferreiros e Alquimistas foi possível graças a um financiamento em 2015 através do CNPQ (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul). Em meados de 2017, o título foi finalista em Curitiba da SBGames (Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento) na categoria jogos educativos. A expectativa é que o game conquiste ainda mais sucesso entre os jogadores brasileiros e se torne um marco entre os jogos educativos. Você pode acessar o game aqui.

Abaixo tem um trailer de Ferreiros e Alquimistas:

Delegação da Abragames na GDC recebe prêmios e faz bastante sucesso

Os desenvolvedores de jogos nacionais tem muito a comemorar, afinal a expedição para a GDC foi um tremendo sucesso. Tanto que a delegação teve de apresentar aos fiscais de aeroportos os prêmios que receberam ao desembarcar no Brasil. Sim, nossos jogos foram altamente elogiados e prestigiados no evento americano. Até mesmo o Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, compareceu, pela primeira vez, no evento em São Francisco, para prestigiar o setor.

Neste ano a delegação brasileira bateu o  recorde de integrantes no evento ao enviar nada menos que 44 empresas e mais de 120 profissionais do Brasil para a GDC. Esta participação em eventos internacionais é uma iniciativa do Projeto Brazilian Game Developers (BGD), parceria da Abragames com a Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos).

Os desenvolvedores brasileiros voltaram da GDC 2018 com muitos prêmios. Entre eles podemos citar que o game Relic Hunters Legend, da Rogue Snail, foi o grande vencedor do GDC Pitch; novamente a Rogue Snail, e a Bad Minions, ganharam Menções Honrosas na GDC Play; o game Plushie Mania, da Gazeus Games, foi exibido no estande do Facebook, e o Viking Days, da VR Monkey, no estande da Intel.

“Em 2017 tivemos o Kickstarter bem-sucedido e um investimento da empresa sul-coreana GTR. Esse ano já começamos ganhando o edital da Ancine no Brasil e com a premiação na GDC no exterior”, comemora Marco Venturelli, CEO e Presidente Criativo da Rogue Snail.

Com o sucesso da delegação brasileira na GDC espera-se que mais companhias invistam na produção nacional. Potencial já sabemos que temos para fazer frente aos jogos de qualquer país.

Abaixo tem um vídeo dos jogos que participaram da delegação Abragames no evento:

Games Independentes, Jogos Nacionais, Produção de Games e muito mais.