Gênios da Ciência – Jogo online torna aprendizado de Ciências mais divertido

Uma das disciplinas mais desafiantes para jovens de todas as idades é a Ciência. Felizmente este estudo está para se tornar mais fácil graças ao projeto Experimento 10+ da Fundação Siemens. Também conhecido como “Gênios da Ciência”, o objetivo do projeto é tornar o aprendizado da Ciência mais prazeroso e divertido. A iniciativa será lançada em maio, em parceria com a Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo (AHK São Paulo).

Criado pela Siemens Stiftung (Fundação Siemens), o projeto Gênios da Ciência já é realizado em três continentes e tem o objetivo de despertar o interesse das crianças pela Ciência. Para isso, disponibiliza caixas com ferramentas e instrumentos em diversas escolas para que os alunos, junto aos seus educadores, possam aprender mais sobre Ciência por meio de investigação e criatividade, aplicando o ciclo do pensamento científico.

genios-da-cienciaVisando oferecer a mesma oportunidade para um número maior de crianças e de forma mais interativa, foi criado o jogo educacional online “Gênios da Ciência”. A iniciativa é voltada para alunos do ensino fundamental com idades entre 10 e 14 anos que já participam de ações realizadas pela Fundação Siemens. Além disso, a participação também está aberta para alunos de outras escolas que tenham interesse no projeto.

Interagindo com os moradores da cidade Gênios da Ciência, os jogadores são instigados a resolver desafios nas áreas de Saúde, Energia e Meio Ambiente, como por exemplo, a falta de luz, o descarte incorreto de materiais recicláveis, entre outros. Para isso, os alunos devem escolher os itens corretos disponíveis em sua maleta para realizar cada experimento. A plataforma utilizada possibilita o uso de elementos de simulação e RPG, o que torna a experiência ainda mais envolvente.

“Essa é uma ação inovadora, alinhada às principais tendências em educação. A missão é desmistificar a ciência, mostrar que ela não é coisa de laboratório e, sim, do dia a dia. Com o Gênios da Ciência – Experimento 10+, será possível simular os impactos de se desligar a energia elétrica de uma fábrica, por exemplo. O estudante terá que testar alternativas para resolver os problemas”, afirma Bianca Bozon Moreira Talassi, secretária executiva da Fundação Siemens.

Mais sobre o Gênios da Ciência

 Print

Além de possibilitar o aprendizado de forma lúdica, o jogo também motiva os jovens a realizar experimentos em casa com ajuda de seus responsáveis ou em sala de aula com os professores. Os resultados podem ser compartilhados na plataforma do jogo incentivando a discussão sobre Ciência tanto no ambiente digital, quanto no dia a dia.

Para que os jovens se engajem ainda mais na proposta do jogo, a Fundação Siemens promoverá um campeonato entre 8 de maio e 11 de agosto. O jovem ganhador será presenteado com um tablet.  Os jovens poderão participar do jogo a partir do dia 08 de maio, inscrevendo-se pelo hotsite, seguindo as instruções fornecidas na área de cadastro.

Análise- Flat Kingdom é o indie mexicano para amantes de plataforma 2D

Flat Kingdom é o tipo de game que chega para suprir os desejos de quem espera por bons jogos de plataforma, mas que não encontravam boas opções no mercado. Desenvolvido pelo estúdio mexicano Fat Panda (e lançado oficialmente em 2016), o título finalmente chegou ao Brasil com legendas em português graças a uma parceria com a Games Starter. Basicamente o jogo se passa em um mundo 2D bem ao estilo papercrafted, com inspirações óbvias na franquia Super Mario Bros, da Nintendo, tanto nos visuais quanto no início da história, mas as semelhanças param por aí.

A trama começa quando um estranho mascarado sequestra a princesa do reino. A partir dai o jogador assume o papel de Flat, um cavaleiro que é incumbido pelo Rei Quadrado a resgatar a Princesa Tri. Apesar de ser um conto sobre resgatar uma princesa em apuros, a trama é mais densa e no desenrolar o jogador descobre a verdadeira motivação do vilão mascarado chamado Hex, que almeja reunir joias mágicas a fim de tornar-se o ser mais poderoso do reino de Flat. A história é recheada de perseguições entre o herói e o vilão mascarado e acontecimentos fantásticos.

flat-kingdom

Há várias cutscenes belíssimas que explicam a jornada de Flat, porém é justamente nesses momentos que vemos as falhas mais evidentes do game: é normal que ocorram travamentos e quedas na qualidade de animação. O problema é que fatos relevantes da história são apresentados nas animações, deixando a impressão de que os desenvolvedores poderiam ter maior atenção neste aspecto.

A história também pode ser acompanhada através de uma coleção de pergaminhos e documentos que são encontrados nos diversos cenários. Esses documentos servem como um diário de bordo, incluindo detalhes da história, pensamentos de Flat e descrição de cada personagem, inimigos e vilões. Lembra um pouco o sistema de Kingdom Hearts, da Square-Enix.

Gráficos são o grande destaque

5_163

Talvez o que mais chame as atenções são os aspectos gráficos, pois o game tem um estilo cartunesco bastante agradável, com cores belíssimas e riqueza de detalhes. Podemos dizer que Flat Kingdom é na verdade um game 2,5D, pois ao passo que os personagens são totalmente em 2D, o mundo do game tem aspectos em três dimensões. Essa direção de arte está totalmente interligada com a história do jogo e torna o estilo artístico ainda mais interessante. Os gráficos são simples, lembrando até games mobile, porém eficazes (pense em algo como FEZ, porém sem a mesma profundidade).

O sistema de combate é inspirado no antigo jogo infantil jokenpô: o jovem Flat é capaz de trocar sua forma física para Circulo, Quadrado e Triangulo. O macete é que cada um dos inimigos que surgem no caminho deve ser derrotado por uma determinada forma. Cabe ao jogador trocar para a forma apropriada a fim de derrotar o inimigo que estiver no caminho, levando em consideração que muitos deles têm pontos fracos, à lá, Shadow of the Colossus.

Sistema de combate diferenciado

6449a19a8d35590662e1376a229fdd2b4671d132Funciona da seguinte forma: basicamente ao se aproximar de um inimigo, você deve assumir a forma geométrica oposta à dele, seja para atacar ou se defender. Círculo vence o quadrado, o quadrado vence o triângulo e o triângulo vence o círculo. Portanto você deve pensar e agir rápido para derrotar os inimigos. Este elemento torna o combate mais estratégico e diferente de qualquer outro platformer que você já viu.

Os controles são fáceis de aprender, o que torna a jogatina agradável. Dificilmente você vai se atrapalhar com os comandos, mesmo nos momentos em que precisará de reflexos rápidos. Esta simplicidade também pode ser vista nos puzzles que Flat deve resolver: eles não vão consumir muito tempo do jogador, mas conseguem manter o interesse nos momentos em que não há combates.

A trilha sonora é de respeito e merece atenção especial do jogador, pois foi composta por nada menos que Manami Matsumae, a mesma que assina as trilhas de Shovel Knight e Might No. 9. Não são muitas as canções, mas elas são bem feitas e embalam bem os momentos da aventura, alternando entre ação, alegria e mistério.

Os pontos negativos

Infelizmente nem tudo são flores em Flat Kingdom. Apesar de bastante divertido, a duração deixa a desejar: você levará cerca de seis horas para concluir a aventura e o fator replay é bastante baixo, visto que são pouquíssimos capítulos e o desafio não é lá muito alto. Parece que a Fat Panda quis tornar o game amistoso para jogadores mais jovens. O problema é que a maioria dos jogadores de plataforma são ávidos por desafios e combates ferrenhos. Apenas alguns chefões oferecem alguma dificuldade real, mas nada que tire o sono do jogador.

2jpg_0Cada um dos mundos conta com três níveis, mas o jogador só conseguirá passar por todos eles ao obter as variadas habilidades especiais como pulo duplo/triplo, destruir paredes etc. Deste modo, é normal que algumas fases fiquem para trás. O problema é que quando você está quase no final do game, você é obrigado a retroceder ao início a fim de passar todos os níveis que ficaram para trás, tornando o gameplay repetitivo.

Veredicto

Flat Kingdom é um game bastante divertido e que supre a necessidade dos fãs de bons jogos de plataforma. A direção de arte é fabulosa e o sistema de combate inspirada em jokenpô é bastante criativa e bem executada. Uma pena que o game seja curto e o fator replay seja baixo.

download

Ainda que tenha alguns pormenores, você vai se divertir bastante graças ao mundo fantástico e as batalhas contra os chefões. A história também é agradável, apesar de não ser original, de modo que o jogador vai ficar atento do inicio ao fim. O jogo cumpre seu papel e diverte fãs de plataforma que esperam produtos originais e com identidade própria. O título está disponível na plataforma Steam nas versões Standard e Deluxe, que acompanha o soundtrack e um digital Artbook.

Nota: 8

Abaixo você confere o vídeo de Flat Kingdom:

Prazo para inscrições de jogos no BIG Festival encerra hoje

Termina hoje (28/04) o prazo de inscrição de games para o BIG Festival 2017, o maior evento de jogos independentes da América Latina. Se você ainda não mandou seu projeto, corre, pois este é o prazo final. Desenvolvedores de jogos independentes do mundo todo podem inscrever seus jogos pelo site oficial do evento. O evento está em sua quinta edição e é bastante famoso por tornar jogos brasileiros em sucesso de público.

A edição 2017 do BIG Festival acontecerá de 24 de junho a 2 de julho, no Centro Cultural São Paulo, na capital paulista. Os jogos finalistas estarão disponíveis para o público em computadores, tablets, smartphones e consoles em uma exposição gratuita em que os visitantes poderão testá-los e votar em seus favoritos, inclusive jogos em Realidade Aumentada e Virtual.

horizon-chase
Horizon Chase, da Aquiris Game Studio, um dos maiores achados do BIG Festival

Como é de praxe, os games inscritos serão analisados pelo Comitê de Seleção do festival, e os selecionados irão competir em diversas categorias, como Melhor Jogo, Melhor Gameplay, Melhor Som, Melhor Arte, Melhor Narrativa, entre outras. Em 2016, o jogo brasileiro Horizon Chase, da desenvolvedora gaúcha Aquiris Game Studio, foi consagrado como o melhor do evento, vencendo na escolha do júri.

“Em 2017 consolidaremos o Brasil como o “hub” de negócios internacionais na América Latina, um feito extraordinário para um setor tão efervescente como o dos Games”, disse Eliana Russi, organizadora da área de negócios do BIG Festival.

A expectativa é que o evento supere o sucesso do ano passado, quando o BIG Festival recebeu a inscrição de 515 jogos de 48 países diferentes, sendo quase metade deles (232) produzidos no Brasil. Foram 18 mil visitantes em 2016, sendo 2.400 profissionais do setor.

 

Serviço – 5º BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival)

De 24 de junho a 2 de julho (Segunda, 26, não abre)

De terça a sexta: 10h às 22h / Sábado e domingo: 14h às 22h

Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro 1000 – Paraíso, SP

Entrada: Gratuita

Sana 2017 traz escultura de 4 metros do Dragão Shenglong

Quem aí curte Dragon Ball? Se você é fã da obra de Akira Toriyama, não deixe de conferir a escultura do dragão Shenglong de 4 metros de altura e 12 metros de largura, que estará no Sana 2017. A escultura do imponente dragão ficará na Arena Temática Dragon Ball, onde também haverá várias surpresas e produtos fantásticos. O Sana 2017 acontece nos dias 14 a 16 de julho, no Centro de Eventos do Ceará.

A escultura está sendo produzida pelo artista cearense Walterlan Veríssimo que também é o responsável pela construção da réplica do Trono de Ferro da série Game of Trones. Entre os seus grandes trabalhos estão também um Charizard, do anime Pokemón, com dois metros de alturas e os tronos dos Cavaleiros do Zodíaco em tamanho real. Vale lembrar que a escultura do Charizard esteve em exibição na edição de janeiro do Sana (foto ao lado).

O Charizard do artista Walterlan Veríssimo. Foto por Reydenne A. Bento
O Charizard do artista Walterlan Veríssimo. Foto por Reydenne A. Bento

Dentro da programação do Sana 2017, os fãs da cultura pop e oriental ainda poderão conferir os shows das bandas ASIAN KUNG-FU GENERATIONS e Massacration. Além disso, o evento segue com sua programação cultural com diversas atrações, entre apresentações musicais, arenas temáticas, concursos de cosplays e K-pop, dubladores, youtubers, campeonatos de videogames, atividades, exposições, além de convidados nacionais e internacionais.

Os ingressos para o Sana 2017 estão disponíveis nos pontos de venda físicos e em vendas online pelo site Bilheteria Virtual. Os ingressos do combo para os três dias (meia estudantil/social) estão por R$75,00, já a entrada individual para a sexta-feira está por R$ 25,00 (meia), para o sábado por R$ 35,00 (meia) e domingo por R$45,00. Os ingressos do Frontstage para o sábado estão com preço único de R$ 100,00 e no para o domingo de R$ 110,00.

 

Serviço – Sana 2017

Quando: 14,15 e 16 de julho de 2017

Onde: Centro de Eventos do Ceará

Horário: sexta-feira 12h às 20h

Horário: sábado e domingo 10h às 20h

MediaTek reúne especialistas para discutir futuro dos games para smartphones

Como será o futuro dos games? Muitos apostam que os celulares serão a plataforma definitiva para games em alguns anos. Faz todo o sentido, afinal os consoles de bolso não são tão populares como no passado e existem analistas que preveem que os consoles de mesa deixarão de existir até 2020. Não fosse o bastante, pesquisas apontam que mais de 80% dos jogadores utilizam celulares como plataforma.

Pensando nisso, a MediaTek realizou na sede da Punto Comunicação Multimeios, em São Paulo, a quinta edição do TechDive, programa de disseminação do conhecimento sobre novas tecnologias destinado à imprensa. Para quem não conhece, a empresa é uma proeminente fabricante global de semicondutores com produção terceirizada. Seus chips equipam mais de 1,5 bilhão de produtos conectados ao ano como smartphones, tablets, TV digital, OTT boxes, wearables e soluções automotivas.

Samir Vani
Samir Vani, da MediaTek falando sobre o futuro dos jogos mobile

O evento teve como tema “Tendências de hardware e software para o mundo dos games para smartphones” e os palestrantes Samir Vani, country manager da MediaTek no Brasil; Hernan Descalzi, Sales & Marketing Manager da MediaTek; e Rodrigo Russano Dias, social media & community manager da Gameloft. A ideia era mostrar tendências para a jogatina no celular e os desafios que a indústria enfrenta na atualidade.

De acordo com Samir Vani, country manager da MediaTek, os smartphones já são a principal plataforma para games e o hardware está melhorando a cada ano a fim de atender uma experiência melhor para o usuário. O executivo ainda lembrou que os fabricantes de processadores precisam equilibrar questões como desempenho, consumo de energia e temperatura para oferecer a melhor combinação aos usuários de smartphones.

Rodrigo Dias, da Gameloft, explica a visão da empresa
Rodrigo Dias, da Gameloft, explica a visão da empresa

Quem também esteve no evento foi a Gameloft, que aproveitou o espaço para discutir os rumos do desenvolvimento mobile e a tecnologia de seus games. Entre outras coisas, a empresa falou que desenvolve métodos para portar seus games para os mais diversos modelos de celulares, levando em consideração a capacidade técnica, de modo que as diferenças técnicas não sejam tão evidentes.

“Os nossos jogos triple A exigem muito dos devices e existe uma série de requerimentos que os celulares precisam atender”, ressalta Rodrigo Russano Dias, social media & community manager da Gameloft, empresa que desenvolve jogos mobile há 17 anos. A equipe de “testers” da Gameloft só libera o jogo para um aparelho se todos os requerimentos forem atendidos. “Se o celular não suporta aquele game, o jogo nem aparece na Loja de Aplicativos daquele usuário”, afirma.

MediaTek e Gameloft também falam sobre a realidade virtual

2882181-oculus-touch-2-1434465834-ej3p-full-width-inline

No evento, os especialistas também abordaram as novas tecnologias que estão surgindo no mercado, como o uso de óculos de realidade virtual. O consenso é que esse tipo de tecnologia é promissor, mas precisa de uma base de usuários maior para que os estúdios de desenvolvimento de games (tanto de celulares, quanto de consoles de mesa) comecem a investir seu tempo e dinheiro com novos projetos.

“Estamos no limiar de uma nova era em relação à demanda por processamento, para atender à evolução de tecnologias como realidade aumentada”, afirma Vani, referindo-se aos requisitos de hardware que as novas tecnologias irão demandar.

Bem-Vindo à Vida Real – Livro fala sobre vício em videogames com leitura divertida e recheada de referências

A Editora Intrínseca aposta mais uma vez no mundo dos games em seu mais novo lançamento no Brasil. Em “Bem-vindo à Vida Real”, o leitor acompanha a divertida história de Jaxon, um completo viciado em videogames que acaba internado por seus pais em uma clínica de reabilitação horas após ter marcado um encontro com uma bela garota. A partir daí, Jaxon tem quatro dias para conseguir receber alta da clínica e ter seu tão esperado encontro.

O livro trata sobre as dificuldades de superar um vício de maneira lúdica, traçando um parâmetro entre substâncias controladas e videogames. Mas não pense que o autor está comparando os videogames com drogas. Na verdade é uma forma leve e divertida de tratar um tema tão delicado. Não por acaso a clínica Vídeo Horizontes, que é onde Jaxon é internado, propõe um tratamento por etapas (como em níveis de videogames) para seus internos.

bemvindoavidareal_gO tratamento de reabilitação da Vídeo Horizonte é “tratamento da vida real”, onde os internos devem alcançar 1 milhão de pontos na rotina da clínica, aprendendo habilidades úteis do dia a dia, praticando esportes e socializando. Cabe a Jaxon tentar burlar o sistema para ser liberado o mais rápido possível. Nesse ínterim o personagem se depara com personagens que convivem com esses mesmos vícios.

Mais do que contar uma história, Bem-vindo à Vida Real fala sobre questões emocionais e psicológicas sobre indivíduos que se afastaram por tantos anos de conexões na vida real. Isto tudo sem deixar de lado uma linguagem divertida e recheada de referências a jogos como Final Fantasy, Zelda e Mario Kart. Para quem curte videogames, uma leitura obrigatória.

O autor de Bem-vindo à Vida Real

Bem-vindo à Vida Real é o primeiro romance de Christian McKay Heidicler, um educador bastante preocupado com o público jovem. Christian trabalhou por muitos anos desenvolvendo quadrinhos didáticos para organizações sem fins lucrativos e lecionando escrita criativa na Broadview University. Atualmente ele escreve artigos científicos no site BirdBrain Science.

O livro (impresso pela Editora Intrínseca) conta com 320 e já está disponível em versões física (R$ 34,90) e digital (R$ 22,90) com tradução de Glenda D’Oliveira.

BIG Festival e Anima Mundi fecham parceria inédita

A organização do BIG Festival acaba de anunciar uma parceria inédita com a Anima Mundi, o maior evento de animação da América Latina). O objetivo é criar o BIG Anima Business Meeting a fim de gerar negócios entre produtores de games e de animação nacionais e internacionais. A parceria irá permitir que inscritos no Anima Forum participem das rodadas e de toda a programação do BIG Business Forum.

De acordo com a organização do BIG, a partir de 2017 compradores internacionais não apenas de games, mas também de animação, estarão convidados para o BIG Anima Business para promover conexões entre produtores e clientes, através de ferramentas de matchmaking e das rodadas de negócios. O anúncio oficial será feito no BIG Festival deste ano, em 29 de junho.

eliana-russi-1“O foco é a geração de negócios. Com esta parceria entre o BIG Festival e o Anima Mundi, vamos fortalecer os setores de games e de animação brasileiros, gerando novos negócios e criando novos ambientes de cooperação entre as empresas brasileiras. Afinal, com empresas locais mais fortes e estruturadas a nossa capacidade de oferta de serviços e propriedades intelectuais ‘world class’ só tende a aumentar”, diz Eliana Russi, gerente executiva do Projeto Brazilian Game Developers.

No BIG Festival 2016 foram fechados US$ 2 milhões em negócios durante o evento, e as rodadas de negócios movimentaram mais US$ 20,7 milhões, um aumento de 95% com relação aos US$ 11 milhões movimentados no BIG 2015. Estes números são ainda mais impressionantes se comparados com os US$ 2,9 milhões movimentados no BIG 2014. A ideia é justamente que os produtores de games e animações ganhem espaço para fazer negócios com investidores.

anima-mundi

O Anima Mundi realiza há mais de dez anos o Anima Fórum, principal ponto de encontro entre profissionais de animação onde se discutem as tendências do setor. O evento é famoso por apresentar curta metragens de alta qualidade e revelar novos profissionais para o cinema americano.

De acordo com o diretor César Coelho, “a produção brasileira triplicou nos últimos 5 anos. Hoje, muitas séries nacionais estão com segundas e terceiras temporadas em produção. É um mercado em expansão, e que, com estúdios de animação e games juntos, abrirá ainda mais oportunidades para novos conteúdos, além da otimização de recursos e mão de obra.”

 

Serviço – 5º BIG Festival (Brazil’s Independent Games Festival)

De 24 de junho a 2 de julho (Segunda, 26, não abre)

De terça a sexta: 10h às 22h / Sábado e domingo: 14h às 22h

Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro 1000 – Paraíso, SP

Entrada: Gratuita

 

Serviço – 11º Anima Forum (25º Festival Anima Mundi)

De 19 a 21 de julho no Rio de Janeiro e de 26 a 28 de julho em São Paulo

Rio de Janeiro: CRAB – Centro SEBRAE de referência do Artesanato Brasileiro

São Paulo: local a definir

Conheça o game indie Tower Escape do Moraes Studio

Tower Escape é um game feito sob medida para quem curte desafio e quer testar seus reflexos. Criado pelo estúdio indie brasileiro Moraes Studio, o jogo é do gênero plataforma 2D e o jogador deve ajudar o pequeno herói a passar por obstáculos como buracos e estacas no chão. O game tem sangue e lembra bastante a dinâmica de Super Meat Boy, inclusive com o tom de humor e controles fáceis, mas desafiador.

Tower Escape é totalmente gratuito e já está disponível para usuários do Android. Todo o cenário de Tower Escape é dinâmico e aleatório, em Tower Escape você tem que subir o mais longe possível, evitando armadilhas, passando por obstáculos insanos e coletando moedas para desbloquear novos personagens. O game é bastante desafiador, de modo que o jogador vai passar por maus bocados se quiser ir longe.

moraes-studioTower Escape traz a emoção de competir com outros jogadores através de um ranking global, quanto mais jogar, melhor será no ranking. Os visuais remetem aos jogos retrô da geração 8 bits, graças aos gráficos pixelados. Até mesmo a trilha sonora soam como os jogos do Nintendinho.

Onde baixar Tower Escape

O estúdio Moraes se esforçou para criar um jogo divertido e altamente viciante, capaz de cativar os retro gamers e jogadores ávidos por alto desafio. Tower Escape é um ótimo jogo para passar o tempo, divirta-se tentando ser o melhor do mundo no ranking do jogo. O download é gratuito.

Point Blank – Black Dragons vence campeonato e irá representar o Brasil em mundial

O Brasil já tem seu representante para o torneio mundial de Point Blank: o time Black Dragons venceu o nacional e se credenciou para o mundial. Após fase eliminatória online com 32 times, a Seletiva Brasileira para o PBWC 2017 teve suas semifinais e a grande final em evento presencial no último sábado (15), no Teatro FECAP em São Paulo.

Na primeira partida de Point Blank do dia o time vencedor foi a Valhalla, que eliminou a favorita ao título Stompa Top Team, por 2 x 1, partida essa que foi definida com muita luta, exibindo lindamente a habilidade de ambos os times. Em seguida, a Black Dragons garantiu a vitória em cima da HooSIER e-Sports.

black-dragonComo já era de se esperar, a partida final foi de tirar o fôlego do público. Uma partida cheia de reviravoltas e muito apoio de todas as torcidas. Porém, mesmo com muita persistência, a Valhalla acabou sendo eliminada, ficando o título para a Black Dragons, que ganhou o prêmio de 13 mil reais e a vaga para o campeonato mundial na Rússia, que acontece dias 20 e21 de Maio. Além de toda a garra da equipe da Valhalla, seu jogador “Rood” foi destaque e ganhou o troféu de MVP (Jogador Mais Valioso).

Além das partidas, a Ongame junto com suas parceiras, conseguiu proporcionar para os presentes no local, brindes, camisetas; sorteio do curso START da SAGA; sorteio de Mouse e teclado da Arsenal X, além de uma loja fica no local; e ajuda da Zowie com monitores para melhor jogabilidade para os jogadores.

Black Dragons e-Sports é composta por:

Michel “foox” Felype
Fernando “fznnn” Cerqueira
Vinicius “Patoxy” Lima
Luiz Gustavo “Doodlez” Paiani
Pedro ”Koyote” Pulig

Agora resta torcer para nossos jogadores brasileiros se saírem bem no mundial!

Assista todo o evento final nacional de Point Blank abaixo:

Game mexicano Flat Kingdom chega ao Brasil através da Steam

Flat Kingdom é o tipo de game que tem tudo para agradar os jogadores ávidos por boas aventuras e combates estratégicos. Criado pelo estúdio mexicano Fat Panda, o game coloca o jogador no papel de Flat, um improvável herói que é convocado pelo Rei Quadrado para resgatar a Princesa Tri e derrotar um perigoso vilão mascarado. Este é o primeiro game da Fat Panda a ser lançado no Brasil e está disponível através da Steam.

A história do game é sobre salvar a princesa, porém o roteiro é contado de maneira divertida e bastante original. O sistema de combate segue essa mesma premissa, abusando da estratégia, porém com um toque que remete a infância. Basicamente a cada novo inimigo inicia-se uma partida de jokenpô e o jogador deve mostrar-se um grande sortudo ou dominar a arte deste jogo.

637x358O jogador terá que mudar as formas de Flat para círculo, triângulo e quadrado para derrotar os adversários, que também estão em diferentes formas geométricas. Toda forma geométrica é forte contra outra mas perde para as demais. Círculo é forte contra quadrado, triângulo vence círculo e quadrado derrota triângulo.

Flat Kingdom é divido em diversos mundos diferentes e cada um deles apresenta cenários 2D ricos de detalhes e com muitas referências a jogos clássicos. Cada fase possui um puzzle diferente e o jogador deve quebrar a cabeça para entender e resolver seus enigmas. Além disso, em todos os mundos do jogo existem pergaminhos escondidos que contam mais sobre a história do jogo.

109odmg

Outro destaque são os chefões de Flat Kingdom, que costumam ser desafiadores e divertidos. O jogador terá que dominar muito bem as mecânicas de movimentação e combate do jogo para conseguir seguir em frente. Basicamente os desenvolvedores quiseram criar um game com identidade própria que pudesse ser apreciado por jogadores de todas as idades.

flat-kingdom-review-squidA trilha sonora do game foi composta por Manami Matsumae, responsável pela ambientação musical de jogos como Mega Man, Shovel Knight e Mighty No. 9, os efeitos e trilhas sonoras são responsáveis por manter o jogador imerso no mundo papercrafted de Flat Kingdom.

Flat Kingdom chegou ao mercado brasileiro em parceria com a publisher Games Starter, já com legendas em português brasileiro e um desconto especial de 60% na edição Deluxe (que acompanha a trilha sonora oficial do jogo e também o artbook com todos os desenhos de Flat Kingdom), o jogo está disponível para compra na Steam.

Assista abaixo o trailer oficial de Flat Kingdom:

Games Independentes, Jogos Nacionais, Produção de Games e muito mais.