Nem só de estudos negativos vivem os games, alguns especialistas apostam neles para o bem

Ontem publicamos um post que abordava praticamente um mês de anúncios de estudos sobre os males do videogame. Hoje, como prometido, é dia de mostrar estudos que espelham uma faceta mais positiva do entretenimento eletrônico.

O médico Dilip V. Jeste, da Universidade da Califórnia San Diego, nos Estados Unidos, conduziu um estudo com 19 idosos diagnosticados com um tipo leve de depressão e constatou que sessões de 35 minutos de Wii Sports, três vezes por semana, eram capazes de aliviar os efeitos da condição e melhorar o sedentarismo atrelado a ela.

O resultado é que mais um terço dos participantes da pesquisa tiveram uma redução de 50% ou mais nos sintomas da depressão, enquanto muitos viram também melhorias na qualidade de vida e na estimulação cognitiva.

Parece pouco comparado a todos os estudos dos efeitos negativos? Se acalme, guardamos o melhor e mais inusitado para agora. Para Jane McGonical, diretora de pesquisa e desenvolvimento de games do Insitute for the Future, os videogames podem salvar o planeta.

A teoria da especialista é que grandes problemas que assolam o planeta, entre eles conflito global e miséria, podem ser mudados com ensinamentos tirado dos games. “Quando estamos em mundos de games, acredito que muitos de nós se tornam a melhor versão de nós mesmos”, constatou acrescentando que jogos como World of Warcraft motivam a cooperação.

Ou seja, Jane McGonical aposta as fichas dela no fato de que os games estão desempenhando um papel de educação importante, transformando a espécie humana em uma espécie mais colaborativa, e que tudo que temos que fazer é tornar o mundo real um pouco mais parecido com um videogame.

Se a teoria de Jane McGonical estiver certa, o mundo deve ficar cada vez melhor. Só nos Estados Unidos, durante 2009, foram gastos US$ 3,8 bilhões em jogos MMO, foco da especialista no que diz respeito ao trabalho em causas conjuntas.

A NPD diz que jogadores online gastam em média 8 horas por semana jogando, um bom treino se considerarmos que isso renderia mais de 1 hora por dia assimilando ensinamentos de cooperação.

O que você achou destes estudos? Acha que a teoria de Jane McGonical tem fundamentos?

19 opiniões sobre “Nem só de estudos negativos vivem os games, alguns especialistas apostam neles para o bem”

  1. É típico do ser humano ir contra tudo que desconhece, é mais fácil aceitar que aquilo é ruim e não se dar ao trabalho de compreender ou criar a ilusão de que está "por dentro" mesmo sem saber do que se trata. Sorte nossa que existem cientistas que, coerentemente, apresentam análises que apontam o impacto real que estas "coisas estranhas" causam na vida de uma pessoa. Tanto do ponto de vista psicológico como de qualquer outro. Hoje vemos por aí jogos sendo utilizados para a reabilitação física de pessoas que sofreram acidentes ou sofrem de alguma moléstia física congênita, entre outras aplicações beneficientes que fazem destes admiráveis softwares.
    Temos que lembrar apenas que os jogos são o "bode espiatório" da vez e que, estes supostos pesquisadores que levantam hipóteses absurdas sobre jogos sendo a causa de compotamentos sociopatas podem até ter sua parcela de razão, mas são os mesmos, ou pensam igual, aos que culpavam a televisão antes dos jogos, livros antes da televisão e bruxas antes dos livros, ou seja, são pessoas que precisam desesperadamente encontrar o "bode espiatório" para comprovar comportamentos que, analiticamente falando, seriam desencadeados por acontecimentos e traumas que acontecem durante toda a formação do caráter do indivíduo, mas os jogos serão o vilão e a causa maior para estas pessoas até que apareça outra coisa que às assuste mais e que seja mais fácil apontar como culpado do que fazer uma pesquisa de toda a vida do indivíduo e apontar em que momentos o caráter dele foi influenciado por violência familiar, estupros, instabilidade financeira e outros fatores evidentes para chegar à um veredito.

    Amanhã algum repórter bem informado, provavelmente do G1 que não é nada tendencioso, vai trazer a notícia de que o casal Nardoni matou a garotinha porque estavam jogando F.E.A.R. ou SilentHill ;)

    1. Excelente comentário. Muito pertinente…Creio que tudo na vida tem dois lados, e geralmente o lado ruim está associado à quantidade, quero dizer que, no meu entendimento se há algo de ruim nos games é a quantidade de tempo muitas vezes gasto com a atividade, e só… querer endomonizar os jogos por possível males, desconsiderando seus muitos beneficios é algo horrível de se ouvir, e sinceramente, já está ficando até demodê. Com tanta coisa muito pior para se resolver nesse mundo louco que vivemos, se concentrar em criticar de forma negativa o mundo dos games, não faz sentido… na verdade isso cheira a carreirismo, profissionais dispostos a entrar em evidência forçando tremendamente a barra em cima temas desconectos sobretudo com relação a formação social de cada individuo.

      1. Concordo com Jacob. O problema fica restrito ao tempo de jogo, em relação ao restante, acredito também que os games só trazem benefícios.
        Pegando um gancho com o post do Nestath eu acrescentaria ainda o fato de que os games, além de ajudar a matar o ócio de uma pessoa de idade, se a pessoa se aposenta, ajuda a manter o cérebro em atividade e reduzir muitas doenças relacionadas à memória. Acredito que o povo da minha geração 1986, que acompanhou o crescimento do Atari ao Playstation 3, será a futura geração de velhinhos que estarão jogando videogame, trazendo dele apenas vantagens na velhice.

  2. O primeiro estudo não trata diretamente de games, mas dos efeitos mágicos, maravilhosos e inacreditáveis causados pelos joguinhos casuais do Nintendo Wii, o que muitas vezes associa os efeitos benéficos "comprovados" pela pesquisa mais ao exercício físico necessário para jogar o game do que o game em si, e caso alguém esteja em dúvida usei as aspas em comprovados porque os métodos científicos utilizados para suportar a pesquisa são os mesmos que eu critiquei na resposta ao post sobre os efeitos maléficos dos games.
    Para mim redução de depressão se dá ao fato de que games são uma forma de entretenimento, no caso games mais divertidos surtiriam um efeito muito melhor no público alvo, e já que eu decidi cutucar os "métodos científicos" utilizados vou aproveitar para dizer que eu comprovei o que acabei de dizer tanto quanto os autores dessas pesquisas comprovaram suas teorias. Acredito que games são benéficos, e tem também um grande potencial para o mal, mas falta comprovar esses efeitos com testes de verdade, francamente, a maioria dos pesquisadores parece falar qualquer coisa só para gerar polêmica, provar suas teorias não passa de uma formalidade.

  3. Ta certo os jogos tira o povo da depre. pq os games tira a gente desse mundo e nos coloca hen um mundo virtual as vezes eu me foco tanto no jogo q esqueço de comer etc.

    Mas infelizmente tem uns cara metido a besta pnc q acha q jogos só atrapalha e fica metendo o pau qp
    bando de fdp.

    JOGO SIM E JOGO NUMA BOA CARALHO ÉH NOIS NO CALL OF DUTY 2 MODERN WARFARE =}}

  4. Eu faço meu Mestrado estudando Videogames. Engrosso a luta daqueles que tentam levá-lo para a Educação formal, ou seja, a Escola. Mas não falo de joguinhos pedagógicos não, eu me refiro a levar jogo de verdade e trabalhar com eles. O VG tem se mostrado uma mídia com incrível potencial de expressão e configurando-se como uma verdadeira linguagem e que requer um letramento próprio. Assim que eu terminar meu trabalho, espero conseguir publica-lo e "disseminá-lo" por aí
    Abraços

  5. Eu acho que os videogames me ajudou muito no inglês, eu falo inglês avançado e nunca fiz curso algum na minha vida.

  6. Não façam eu rir…… Games só trazem coisas ruim(Digo o wow, que conheci bem) … Nunca irá trazer um mundo melhor…. isso é puro merchandising….. WoW é pura economia… O cara vicia … O cara para de falar com a familia, para de estudar e ainda se "fode" com a sociedade…. Repórtagem péssima.

    1. Se o cara começar a beber compulsivamente, acontece a mesma coisa.
      Se o cara começar a trabalhar compulsivamente, acontece a mesma coisa.

      Acho que o problema não está no jogo, mas sim nas pessoas. Não é válido culpar algo por nossos próprios defeitos.

      Afirmar que uma coisa "só" traz coisas ruins é muito preconceito.

    2. bom eu acho que isso deve ter acontecido com vc né pra estar tão revoltado assim, pq eu jogo wow e tenho minha vida social se vc não tem é pq não quer, videogame pode sim causar algumas coisas como obesidade mas em compensação desenvolve o raciocionio lógico faz com que o cara aprende um pouco de outra lingua(normalmente ingles) o que temos de para é com a hipocrisia de por exemplo arranjar desculpa na violência falando que isto é culpa dos jogos como counter strike uma ultima observação é que tem muita gente em posts que fica falando de erros de português nínguem esta aqui pra isto e sim para discutir outro assunto.

  7. Querem um site de jogos muito irado? Então acessem GuardaJogos.com! É o meu site de jogos e lá tem mais de duzentos jogos online e eu edito todo dia, com um chat onde vocês podem comentar e dar sua opinião! E ainda tem vídeos muito hilários!

  8. Acho ótima esse tipo de notícia, uma vez que desenvolvi um mestrado aonde apontei a validade do jogo eletronico como ferramenta educacional, foi difícil conseguir uma universidade que aprovasse meu projeto, mas acabei defendendo minha tese e fui aprovado como mestre em educação, arte e história da cultura, ao conseguir comprovar que o jogo eletronico tem potencial educativo, claro que no Brasil não tive espaço sendo que o trabalho foi reconhecido na Argentina onde apresentei no congresso ibero americano de educação e meio ambiente e recebi um convite para expor em um congresso canadense mas a falta de verba não permitiu… Mas o importante é que os games estão com um espaço cada vez maior, só queria registrar minha alegria de ver notícias como essa.

  9. Acho os jogos ajudam as pessoas em varias coisas como o caso da amigo la de cima q disse q começou a falar ingles e nao tinha feito curso… No meu caso os jogos me divertem muito(dependendo qual for) e tbm eles me desestressam. Tipo quando minha mae me enche o saco com qualquer coisa eu venho aqui e jogo dai eu fico aliviadãooo. Eu jogo WoW, CS q sao onlines q me desestressam bastente. Achei essa materia MUITO boa pois explica q jogos NAO sao so bosta e q nao ajuda em nada. Queria q minha mae visse isso, mas tbm tem q saber quando parar pois tem gente q fica mais de 12 horas jogando, metade do dia ai é muito, mas eu nao tenho tanta sorte assim eu ja so um VICIADO mas seria mais se minha mae me deixase pelo menos ficar quanto eu quiser, nos meus 14 quase 15 anos de vida nunca pude ficar quando quiser jogando…se isso acontecesse ia ser MUITO PHODAA ai ficar umas 10 horas aqui kkkk.

Deixe seu comentário