MasterMega

Master System e Mega Drive na área

MasterMega

A geração dos jogos 2D é considerada por muitos a melhor era dos consoles. Há controvérsias, mas é uma afirmação verdadeira. Jogos simples e viciantes prendiam (e ainda prendem) por horas o jogador à tela da TV. No auge da nova geração, com consoles como Xbox 360, Playstation 3 e Wii, a Tectoy mantém a linha de consoles com Master System 131 e Mega Drive 81, posicionando no mercado o produto de forma diferenciada, desenvolvendo, em parceria com o estúdio Overplay, que possui muita experiência em desenvolvimento de jogos para consoles como Mega Drive e Master System.

O Mega Drive tem como foco os jogos desafiadores, que motivam o raciocínio e as estratégias de cada jogador. A Overplay desenvolveu 22 jogos para este console, destacando o Academia do saber. Neste game, o objetivo é exercitar as funções motoras e mentais dos jogadores acumulando pontos e assim subindo de patente até se tornar um grande General.

Já o Master System, console que fez sucesso em todos os países onde foi vendido, é comercializado com 131 games dos quais 35 foram desenvolvidos pela Overplay. Master Pinball e Cava Cava são alguns exemplos.

Os nostálgicos já podem matar a saudade de ter o console com novos jogos e ainda se divertir as produções nacionais. O que mais me surpreendeu é que, ainda existe empresas desenvolvendo games para o console. A pergunta que fica é: quem compra este tipo de videogame ainda? Será que vende muito?

Para ver as telas dos jogos: acesse o site da Overplay

10 opiniões sobre “Master System e Mega Drive na área”

  1. Fato. Graças ao 2D que temos, hoje, o mercado de videogames forte do jeito que é. E pode ver, até mesmo hoje tem MUITO jogo em 2D…Odin Sphere, de PS2, é um exemplo.

    Cara…sempre que leio algo do tipo, bate uma nostalgia…Chrono Trigger…aah…vou ter que desenterrar o SNES, hehe.

    Abração.

  2. Master System 3 e Mega Drive ainda vendem muito, por causa do preço baixo e por serem bem acessíveis para crianças pequenas (4-7 anos), tanto pela simplicidade dos jogos quanto pela robustez (não têm partes móveis como os consoles com drive de CD/DVD).

    Muitos jogos foram desenvolvidos no Brasil para esses consoles, e não estou falando apenas de versões modificadas (como os jogos da Mônica), mas sim de originais feitos do zero. O tecnicamente mais famoso é o Street Fighter II de SMS, mas há muitos outros, como o Miniaturas Velozes e Show do Milhão.

    Além do mais, sempre sobra o pequeno mercado de nicho. O Eduardo Mello, brasileiro da http://www.opcodegames.com, produz hoje em dia jogos inéditos para o Colecovision, que deixou de ser produzido nos anos 1980, com uma excelente receptividade (principalmente no exterior).

  3. Sabia dessas versões do MD e do SMS mas desconhecia esses jogos nacionais.

    Esse Academia do Saber seria algo semelhante ao Brain Age? Bem que o governo poderia ajudar um pouco mais as empresas do ramo de games!

Deixe seu comentário