gr-counterstrike

Mais um pra conta dos games?

gr-counterstrike

É batata. Um jovem mata alguém, algum gancho puxa para a culpa dos videogames. A mídia gosta, o público gosta. Desde antigos e violentos casos, como em Columbine (EUA), em que um dos atiradores programava WADs em Doom, até o mais recente, ontem, na Alemanha.

Ontem um jovem de 17 anos fez estrago na cidade de Winneden, Alemanha, matando 15 antes de, segundo a polícia, se matar em um beco sem saída. Começou em sua antiga escola, passou para as ruas do centro da pequena cidade e até uma concessionária de carros. Uma Beretta 9mm roubada do pai e, possivelmente, uma ótima mira que feriu outro tanto.

Mas, a nota da AP que aponta que o pai colecionava armas e possuía 15 armas de fogo (todas, exceto a pistola usada, trancadas em um cofre no clube de tiro) e traços de problemas psicológicos no rapaz, tem um parágrafo interessante e que poderíamos encarar como uma “tentativa à moda da grande imprensa”.

A nota cita uma estudante, que diz que era amiga do assassino e que jogava partidas de pôquer (real e virtual), bem como “Counter-Strike”, um jogo que, nas palavras do jornalista da AP, “envolve matar pessoas para completar missões”. A amiga ainda comentou: “Ele era bom”.

Será mais um exemplo clássico a reviver aquela lenga lenga de “jogos são perigosos”? Quanto tempo você acha que leva para o assunto pegar fogo e a ligação inevitável ser escancarada?

3 opiniões sobre “Mais um pra conta dos games?”

  1. Eu juro que na hora em que vi a notícia na TV fiquei esperando eles dizerem que o cara jogava Doom ou coisa do gênero. As pessoas não entendem que o cara não é violento por causa do jogo, mas sim que ele joga games violentos porque é violento!

    Ora bolas, o cara é um assassino e ia jogar o quê? Hello Kitty in Fantasy World? Mas isso não quer dizer que o inverso se aplique, e todo mundo vire assassino porque joga essas coisas.

  2. beleza… a turma do chá de cogumelo está com a corda toda por causa do Super Mario World… e o Browser é vice-presidente do projeto TAMAR…

  3. interessante, porque a culpão nunca é dos filmes violentos? ou ta futilização que a tv faz a violencia? ou do sujeito lesado que colecionava armas e munição numa casa com crianças?

    eu gosto de jogos violentos, quanto mais gore melhor, e tenho nojo de armas reais, pessoalmente já tive a expêriencia de manusealas e não achei nem confortavel nem agradavel fazelo

Deixe seu comentário