casual_games.jpg

É jogador? Sua vida social vai bem

O Pew Internet & American Life, projeto de análises dos Estados Unidos, publicou um estudo um tanto interessante a respeito de videogames.

Pais que culpam os jogos eletrônicos pelo isolamento de seus filhos estão errados. Ao contrário de virar um ermitão renegado socialmente, o estudo apontou que os games ajudam na vida social dos jovens americanos.

A autora do estudo, Amanda Lenhart, explicou que as pessoas que gastam horas do dia em mundos virtuais e jogos eletrônicos são tão propensas a falar ao telefone, enviar emails e passar tempo se reunindo com amigos quanto aquelas que jogam menos ou não jogam.

Ou não jogam, em termos, porque a pesquisa feita com 1.100 adolescentes de idade entre 12 e 17 anos mostrou que 99% dos garotos e 94% das meninas jogam algum tipo de videogame ou computador, sendo que 75% deles compartilha da atividade, seja online ou com um amigo no outro controle.

Entre os títulos mais populares foram citados Guitar Hero, Halo 3, Madden NFL, Paciência e Dance Dance Revolution, sendo que diversos gamers se dedicam a jogos diferentes.

Através de games socialmente engajados, como o Food Force, da ONU, ou ainda games populares que ilustram facetas políticas, como é o caso de Civilization, os jogadores são mais propensos a se envolver em questões éticas e morais.

E agora? Quem vai dizer que jogar muito faz mal?

[Via Rio Mídia]

4 opiniões sobre “É jogador? Sua vida social vai bem”

  1. Não acho!
    Os games e a internet implicam sim em um isolamento contínuo, principalmente nos fins de semanas.
    Nos jogos vc não conhece novas pessoas, nem consegue uma namorada, é só você e o jogo e seu amigo do outro lado, na mesma situação que a sua.

    O importante é saber dosar.

  2. Hehehe, também sou um fanático por Civ e única coisa que ele me proporcionou (além do óbvio divertimento) foi um grande conhecimento em história e política. ;)

Deixe seu comentário