gr-smackdownvsraw2011

Indústria procura meios de coibir venda de jogos usados

O mercado dos jogos usados é uma pedra no sapato da indústria de games. Distribuidoras e estúdios chegaram a afirmar que este nicho é ainda pior que a pirataria, e muitos buscam uma solução.

Soluções como a proposta pela THQ podem vir a se tornar padrão no futuro próximo. A empresa estuda formas de pegar o jogador que se interesse pelo game como comprador do título em primeira mão, e uma das soluções pode estar embutida no game Smackdown Vs. Raw 2011.

O game de luta livre trará um código nas costas do manual, que poderá ser usado uma vez só. Este código destravará os recursos online do game, que ao que tudo indica ficará atrelado ao console e permitirá baixar um pacote DLC de graça.

Jogadores que comprarem o game em segunda mão precisarão pagar a licença para partidas online, e poderão testar as funcionalidades durante sete dias antes de comprar.

Em entrevista ao CVG, o executivo da THQ, Cory Ledesma, falou a respeito da funcionalidade, e disse que a empresa não se importa se chateará jogadores com a decisão.

Ledesma disse não ter simpatia pela chateação de muitos jogadores que não vão ter o acesso online, e disse esperar que as pessoas entendam que ao comprar um jogo usado a indústria de games está sendo traída.

O que você acha de todo esse debate? Qual a solução para o mercado de games usado?

12 opiniões sobre “Indústria procura meios de coibir venda de jogos usados”

  1. Eu concordo totalmente! Acho também que deviam fazer a mesma coisa com carro usados. Eles deviam deixar de funcionar depois do primeiro dono, aliás nem deviam funcionar pra mulher do cara que comprou ou pra o filho …

  2. Uau! Eu não sei nem como reagir a essa… pra mim é um direito do jogador revender o produto comprado, mas acho que a solução encontrada pela THQ é até aceitável (em comparação a manobras como DRM da Ubisoft), embore incentive a pirataria. Com certeza é mais fácil do que criar um produto do qual o jogador não gostaria de se desfazer em menos de 1 semana, certo?

  3. Seria bom se ao invé disso, botassem preços mais baixos no original NOVO, para que não vendma mais os usados mesmo… E pudessem continuar fazendo os cartuhcos antigos de games antigos, que movimentam E MUITO (muito além dos numeros dos "novos") o mercado de usados!

  4. facil de resolver.. basta focar em servicos online e distribuicao online =P jogo de caixinha eh quase impossivel prevenir isso..

    nao adianta soh baixar o preco do original pq se alguem estiver vendendo um jogo usado em boas condicoes na metade do preco do original nao importa q o original for 10 reais q msm assim vao comprar o usado.. soh tendo algum diferencial no jogo pra realmente valer a pena comprar original

  5. É assim mesmo que acontece com os bens culturais, quando eu compro um livro tenho que arrancar as páginas dele para revende-lo, quando adquiro um cd de música tenho que risca-lo para revende-lo tb prejudicando algumas músicas e ainda quando vou revender meu DVD sou obrigado a excluir o desfecho do filme. A indústria de games só está fazendo o que é justo….

    Por isso tem a legitamação da pirataria, botar a culpa nos jogadores por jogs ruins das produtoras. Agora vc tem que casar com o game. Absurdo!

  6. A única vantagem disso é que a partir de agora temos que comprar somente os jogos que valem a pena ser comprados ao invés de comprar qualquer porcaria que é lançada com gráficos "bonitinhos" ou "fodões", mas que na realidade são chatos de jogar.

  7. Mais uma vez a indústria de games vem inventando regras que contradizem todo o comércio…o que é piada em qualquer outro produto pros games é "direito"

    Só um aviso por fora:

    Eu cliquei no link no rodapé da matéria pra twittar ela e o twwit criado passava em 16 caracteres o limite pq a url não vai encurtada ^^

    Seria legal consertar isso né? :D

  8. Tb acho tosco. Velhos tempos onde se podia guardar seus belos joguetes originais em uma estante.
    Aliás, alguém morreu de fome destes tempos para cá por esta razão?

  9. Não faz sentido algum isso…
    Se eu compro um jogo novo, assim como qualquer produto, tenho o direito de vender para outra pessoa, oras… O lucro da empresa foi dado ali na hora que comprei o original, e depois disso, não interessa se outra pessoa terá acesso ao produto sem o imposto, pq uma pessoa deixará de ter esse acesso para que a outra tenha. Não é uma distribuição nada ilegal, e esse tipo de 'solução' da THQ deveria ser proibida…

  10. A ideia d q nao se pode revender um game é absurda, justamente pq quando se trata de um box é inegavel que é um bem material. Não existe lei que o proiba de revender por mais que haja um ítem de cotnrato no interior do jogo ou um aviso na caixa dizendo q n pode revender.

    Agora, atrelar a venda à uma promoçao de licença de uso on-line intransferivel não vejo problema. Logicamente se o usuario abdicar e passar login e senha pra outro usar a empresa tb n pode reclamar, ela deve continuar fornecendo o serviço.

  11. Eu tenho uma idéia para acabar com isso.

    Se a indústria de jogos se interessa tanto em coibir a venda de jogos usados, basta esta fazer um desconto em troca dos jogos usados.Eu vou com um jogo antigo e ganho uma porcentagem em descontos para comprar um novo, e a própria indústria pode revender o meu jogo antigo.

    Pelo menos é o único modo onde ambas as partes vão sair no lucro.

    PS:Deveriam fazer essa minha idéia o mesmo para consoles antigos.

Deixe seu comentário