Gamion: jogo nacional na área

Gamion

Tive a oportunidade de conhecer o Rodrigo Queiroz da Gamion em 2005 (ou começo de 2006) em um projeto batizado como o Jogo Chato: a fronteira final no Sesc Pompéia, em São Paulo. Na ocasião, o maluco estava em uma cúpula desenvolvendo em Blender o tal jogo. Eu estava fazendo uma matéria para o AOL Games, portal que eu editava na época.

Sempre guardei com cuidado o cartão de visita do Rodrigo, pensando em um dia fazer uma matéria sobre Blender e ferramentas open source para desenvolvimento de games. A matéria ainda não saiu, mas para minha surpresa, o Rodrigo entrou em contato e me apresentou seus últimos trabalhos. E como sou um grande fã e talvez um utópico entusiasta dos games nacionais, resolvi mostrar o trabalho da Gamion neste post no novo GameReporte.org.

A Gamion vem desenvolvendo jogos que integram o já famoso Blender (citado acima) e uma outra ferramenta muito poderosa, o Ogre. Mas o que mais me chamou a atenção foram os jogos desenvolvidos em uma oficina oferecida com o apoio do Senac. Não deixe de ver este link para baixar os jogos.

Os games foram desenvolvidos para jogar em rede com outro jogador, mas existem executáveis para rodar sozinho e observar apenas o visual. Estas animações estarão na pasta onde foram instalados os jogos, com o nome de single. Para entrar no jogo, quando estiver na tela de multiplayer, aperte apenas o F8, escolha o item com a seta direcional e pressione o enter. É de suma importância que o computador tenha uma placa de video padrão Gforce ou ATI, que rodem Direct X 9.

O interessante dessas demos é que estão integrando uma série de ferramentas de uso aberto: RakNet (rede), Ageia (Física), OpenAL (Som), Crazy Eddie’s (Interface Gráfica), Blender (Conteúdo 3D) e Ogre(Engine). Além de terem sidas desenvolvidas totalmente a distância por 3 profissionais. A lista dasferramentas estão ai, agora é só procurar no Google.

Por enquanto, a Gamion e o Senac estão levando a comunidade tendo este case de desenvolvimento como referência para projetos futuros. A meta do Rodrigo agora é tornar tudo isso comercial. Vida londa a Gamion e às ferramentas opern source para desenvolvimento de games.

6 opiniões sobre “Gamion: jogo nacional na área”

  1. Olá,gostaria de entrar em contato com você sobre um programa de radio, mas nao achei seu email. Pode me enviar resposta pelo meu email acima?
    Tks,
    Regina

  2. Eu fiquei curioso, será que isso não teria problema com a empresa chamada gamieon?

    E eu ouvi falar do jogo chato, deve ser algo… chato… Experimentos são sempre interessantes (mesmo que sejam chatos)

  3. Conheço estes meninos da Gamion há muuuito tempo e sei que eles vêm ralando há um tempão…

    O Rodrigo e o Gustavo estão feras em Blender e tenho certeza que este trabalho deles vai ficar demais!

    Vale a pena conecer outras obras dos caras com o Ogre…

Deixe seu comentário