Do GR.Ning: A Estrutura das Ficções Interativas

Quando anunciamos nossa comunidade no Ning dissemos que a idéia era promover, também, a sugestão de pautas interessantes para este blog. Em alguns casos nos surpreendemos, como no belo post de Janos Biro, que você confere agora.

“Ficções interativas são obras literárias onde o leitor pode interagir com a narrativa enquanto ela está acontecendo, o que faz com que o leitor também faça parte do processo de criação da ficção.

Há basicamente duas formas de tornar interativa uma narrativa. A mais tradicional é a narração oral interativa, onde o ouvinte interfere na estória enquanto a ouve, e o narrador é suscetível a alterar a narrativa em resposta à interferência do ouvinte. A outra é a obra eletrônica, chamada de ‘jogo de texto’, que é um programa de computador onde o texto da narrativa será exibido, e ao mesmo tempo o leitor é convidado a digitar ‘comandos’ que interferem na narrativa, representando as ações da personagem principal. Por isso, a ficção interativa é geralmente narrada na segunda pessoa. O texto dirá algo como ‘Você está diante de uma bifurcação. Para que lado você quer ir?’, e o leitor poderá digitar ‘esquerda’ ou ‘direita’. O programa processa o comando e responde com o texto apropriado, de acordo com a programação prévia do autor.

Uma ficção interativa tem diferenças estruturais em relação à ficção tradicional. A mais importante das diferenças estruturais é que as partes da ficção interativa não estão arranjadas em ordem linear, mas sim num padrão de rede, e o que define a conexão das partes são as escolhas do leitor.”

Leia mais no GameReporter.Ning

Uma opinião sobre “Do GR.Ning: A Estrutura das Ficções Interativas”

  1. Já deixei um comentário lá na comunidade, então não vou me repetir aqui. Mas reitero ao autor meus parabéns pelo texto, e ao blogueiro meus parabéns pelo trabalho maravilhoso.

Deixe seu comentário