gr-onlive300

CEO da OnLive fala que serviço pode não ser o ideal para muitos gamers

Quando o OnLive foi lançado, uma das teclas constantemente batidas era que ele poderia acabar aposentando a troca de hardware para os jogos de nova geração e como isso revolucionaria o mercado.

Em uma entrevista à CNet, porém, Steve Perlman, CEO da OnLive, explicou que não é bem assim. O serviço que foi lançado em junho nos Estados Unidos está fazendo sucesso, mas segundo o executivo não é ideal para jogadores hardcore que queiram tirar o máximo de games de última geração.

Perlman explicou que ficaria feliz se jogadores hardcore usassem o OnLive como um serviço “demo”, onde poderiam testar novos jogos antes de baixá-los por completo no Steam, contudo explicou que não é o lugar para quem procura a mais alta qualidade gráfica.

Por enquanto, o serviço é gratuito, e a idéia de usá-lo como uma forma de conhecer antes de comprar um jogo não é ruim. Mas em breve o serviço cobrará mensalidade e o panorama será mudado. Por enquanto, o preço ainda não foi divulgado, mas no pior cenário será algo como US$ 14,95.

Mesmo que o melhor cenário, de cerca de US$ 5 ao mês seja obtido, somos céticos quanto ao futuro do serviço. Se a idéia é mostrar para um jogador hardcore como é um jogo antes que ele compre, seria basicamente cobrar por uma versão de demonstração. Ou não?

O que você, leitor, acha disso?

Deixe seu comentário