Capcom explica limitação em savegame de RE: Mercenaries 3D

Ontem falamos aqui no GameReporter sobre a trava da Capcom, explicando que, apesar de todo o furor, ela representaria poucas mudanças na vida do jogador. Agora, a companhia se pronunciou oficialmente a respeito em seu fórum.

A criadora de Resident Evil: Mercenaries 3D foi enfática em dizer que o jogo poderá ser jogado de novo quantas vezes o gamer quiser, mesmo que o slot de savegame não possa ser regravado. E afirmou que, ao contrário do que foi dito, a intenção não foi coibir a venda de segunda mão, mas sim de dar um aspecto arcade ao título.

“Você destrava personagens, níveis etc e eles continuam destravados como ficariam em uma máquina de fliperama. Não teve nenhuma intenção escondida de evitar a compra de cópias usadas. Não é nenhuma forma secreta de DRM. É simplesmente a forma que desenhamos o sistema de salvar jogos para funcionar com o tipo de jogabilidade de arcade”, diz o anúncio.

Ou seja, se alguém comprar o jogo de segunda mão, terá apenas um desafio – ou motivação – menor em progredir pelos níveis, uma vez que todo conteúdo dado como recompensa já vai ter sido destravado. E só.

[Via Capcom]

Uma opinião sobre “Capcom explica limitação em savegame de RE: Mercenaries 3D”

  1. Pelo que parece o novo game Alice Madness Returns, parece ser assim também, logo no inicio do jogo é possível escolher qualquer roupa para a personagem ou deixar que o mundo escolha as roupas pela ordem dos fatos. só não confirmo pois joguei pouco, após pegar o game dou uma comentada aqui

Deixe seu comentário