DSCF1929

BGS 2013: as primeiras impressões da luta Xbox One vs Playstation 4

xbox one

Sempre quando surge uma nova geração de videogames é normal entre os brasileiros escolher apenas uma delas para investir o suado dinheirinho, afinal nem todos podem se dar ao luxo de gastar rios de dinheiro na compra de dois videogames logo no lançamento.

Assim que os consoles são anunciados os jogadores prestam muita atenção nos primeiros jogos de lançamento, afinal uma boa line up é imprescindível para prender as atenções dos consumidores. Durante a BGS 2013 os visitantes puderam conferir de perto um vislumbre do que a nova geração nos aguarda.

Será que o Xbox One é melhor que o Playstation 4 ou será que o peso da line up da Sony supera as novidades da Microsoft? Qual console será o melhor somente será decidido com o tempo, porém, baseado no que as duas empresas mostraram na feira, já temos nosso veredicto. Mas atenção, somente estamos nos referindo ao que foi mostrado no evento! Vamos analisar as principais novidades de cada empresa durante a maior feira de games da América Latina:

 

Playstation 4

Killzone Shadow Fall: A franquia de FPS faz seu retorno como o carro-chefe do novo videogame da Sony. O modo multiplayer foi a única coisa mostrada na BGS e o que mais agradou foi o visual que estava muito bonito e trabalhado, mas em questão de jogabilidade e método de jogo ficou claro que o game apresenta pouco comprometimento com a inovação, ou seja, ele é genérico demais. Mesmo assim, nem de longe Shadow Fall parece um título fraco. De acordo com o que foi apresentado desde seu anúncio, o game promete um modo historia com uma boa experiência de jogo, o que pode compensar o multiplayer de baixa profundidade.

Ponto forte: Visual next gen dando as caras.

Ponto fraco: Simples demais para a next gen.    

 

Knack: Knack é um jogo que se fosse lançado para PS3 não faria diferença, pois ele é bonito e divertido, mas não tem cara de nova geração. Sua mecânica não é a mais inovadora: possui bastante influencia de outros títulos, inclusive de God of War. Em contrapartida o título possui seus trunfos, o mais evidente é sua dificuldade. Knack é um personagem que pode ficar forte ou frágil, dependendo do que é recolhido no cenário. Quando o personagem aumenta de tamanho, por exemplo, o jogo fica um pouco mais fácil, porém quando ele fica pequeno ele enfraquece, apesar de ganhar em agilidade e furtividade. O problema é que neste modo Knack fica extremamente frágil (um ou dois ataques são suficiente para derrotar o personagem), ou seja, há um delicioso fator desafio pela frente. Mesmo assim, Knack não nos parece o título que nos impulsiona a gastar R$ 4.000,00 num novo videogame.

Ponto forte: Belo fat6r desafio e personagem cativante.

Ponto Fraco: Não tem cara de PS4…    

 

Drive Club: Jogos de corrida são especialmente delicados (qualquer errinho pode significar o fracasso eminente), mas quando Drive Club foi anunciado por uma empresa com experiência no ramo, esperávamos que o título fosse de alta qualidade. Na demonstração da BGS 2013 foi disponibilizada a opção de jogar no modo tradicional com o os analógicos ou com o sensor de movimento do DualShock. A experiência neste modo é algo que somente com tempo e pratica poderemos avaliar se cumpre bem seu papel, pois o que pudemos conferir não é nem de longe convincente. Já a jogabilidade tradicional usufrui da mesma mecânica de Gran Turismo, porém tentando mesclar uma jogabilidade mais arcade como Need for Speed. Outra coisa bastante questionável é o visual do jogo que esta um tanto fora do que se espera da próxima geração, dando a impressão de que o PS3 conseguiria rodar o jogo com um pouco de esforço (na verdade até mesmo Gran Turimo 6 nos deu a impressão de ser mais bonito).

Ponto forte: Jogo de corrida da Sony que não é Gran Turismo.

Ponto fraco: Precisa melhorar no visual.    

 

Conclusão: No quesito jogos exclusivos, o que tinha lá para testar deixou claro que o console é uma ótima pedida, porém está com as munições fracas, sendo que o único jogo imperdível até o momento é Killzone Shadow Fall.    

 

XBox One:

Killer Instinct: A espera acabou! O jogo de luta mais conhecido da era de ouro do SNES finalmente voltou para os consoles. Exclusivo para ONE, o jogo segue o padrão free to play com muitas razões que valem o investimento, uma dessas razões são os combates que estão frenéticos, prometendo ter muitas batalhas e competições que vão dar o que falar além de um belo visual character design e cenários bem trabalhados. Esse é compra garantida. A única ressalva é que (novamente) tivemos a ligeira impressão que os consoles atuais seriam capazes de rodar um game next gen.

Ponto forte: Promete ser a volta triunfal de Killer Instinct

Ponto fraco: Interface do jogo lembra a de Street Fighter IV.

 

Forza 5: Beirando a perfeição, Forza 5 é uma serie em crescente evidência desde seu terceiro jogo que arrebatou de vez o título de melhor simulador de corrida para consoles. A impressão que se tem ao ver os visuais de Forza 5 é que a nova geração realmente está chegando, pois ainda não surgiu um game com gráficos mais foto-realistas que este. Como se não bastasse, se depender do visual e da física, o quinto jogo entra no hall dos melhores jogos de corrida de todos os tempos. A demo rolava na pista de Laguna Seca e estava deslumbrante: efeitos de luz e designer do cenário deram o charme. Porém, a cereja do bolo era a física do carro, seu comportamento era bastante realista mostrando que a equipe responsável trabalhou um pouco a mais neste quesito.

Ponto Forte: Se você pretende ter um Xbox One você precisará de uma cópia de Forza 5 se quiser a experiência de nova geração.

Ponto fraco: Simulador de carro exige dedicação até demais e esse promete tomar 2014 inteirinho.    

 

Ryse: Son of Rome: This is Rome!!! Lembrando um pouco o jogo Shadow of Rome da Capcom, o modo gladiador estava disponível durante a BGS, mostrando combates com inúmeros objetivos, este modo também será o multiplayer e promete ser uma boa maneira de se descontrair. Durante a feira, a Microsoft divulgou o épico até a exaustão, tornando-se impossível não prestar atenção nos gráficos cheios de efeitos de luz e sombra, não por menos o estande da Microsoft estava com uma fila enorme de pessoas querendo jogá-lo. A ambientação do game é ótima e os combates parecem cheios de ação. Os combos são bastante fluidos, ao contrario do que se imaginava, e o visual do jogo agradou bastante levando a posição de segundo lugar dos mais belos do One. Resta saber se o modo historia será tão épico, pois o modo gladiador apesar de divertido é apenas uma distração extra do jogo.

Ponto forte: Visual e violência sem limites.

Ponto fraco: Modo gladiador é um modo secundário do jogo.  

 

Conclusão: Xbox One aparenta ser um console de jogos mais atraentes, resta saber se o futuro será tão grandioso como o aparenta ser.  

 

E o vencedor é: XBox One. Quem testou os dois sistemas saiu com a impressão de que o console da Microsoft é mais atraente, graças aos seus jogos mais trabalhados. A Sony deve tomar cuidado neste inicio de geração, pois além de ter o videogame mais caro (no Brasil), os games demonstrados não impressionam de modo geral.

Além disso, o console da Microsoft traz o sensor Kinect que promete ser uma poderosa arma, além de jogos que já servem de motivos para aquisição do console. Mas espere, nem tudo está perdido para a Sony: se a primeira leva de games não é lá essas coisas, pode ser que a segunda geração de games para a next gen usufrua melhor do poder da máquina que tem alguma vantagem tecnológica sobre o One.

Autor: Victor Cândido

5 opiniões sobre “BGS 2013: as primeiras impressões da luta Xbox One vs Playstation 4”

  1. Também estou curtindo mais Xbox One olhando para títulos e tudo mais. Mas as filas mais longas e o local mais cheio foi a Sony, muito maior do que o Xbox One durante todos os dias. Será que isso mostra que a Sony ainda é mais forte no mercado brasileiro? Ou foi apenas o hype de ver e jogar um PS4?

  2. O XBox One vai além de tentar atrair por franquias boas, saber trabalhar hardware + software é o mais importante, mesmo que o hardware seja em número um pouco pior. Kinect evoluído fará a diferença em vários aspectos, há tempos que não é apenas para jogos bobinho (alguém ouviu sobre algum Kinect Sports novo para o X1?).

    O PS3 era para dar um banho no XBox 360 e não dá, pelo contrário, alguns reviews de vídeo lado-a-lado demonstram efeitos melhores no X, mas quando a Sony realmente explora o potencial o jogo fica do tipo "duvido que no XBox tenha um igual", só que não adianta apenas 1 jogo assim contra 10 vezes mais que vendem pelo console da Microsoft.

  3. Faz sentido sobre a fila, rsrsrs

    Mas sobre o PS3 eu já acho o contrário… o pessoal que tem Xbox só vende oq vende pela pirataria… eu pensei q era mais difícil o PS3 vender pela pirataria, pois até onde eu sabia, as vendas originais de PS3 são bem superiores ao do Xbox. Mas não tenho base pra isso, apenas infos de amigos e alguns canais que vejo.

Deixe seu comentário