Todos os post de Luiz Silva

Luiz Silva, jornalista de games formado pela Universidade Paulista. Já escreveu para as revistas da Tambor Digital (EGW, Gameworld), para o site Player 2 entre outras coisas. "Sou um entusiasta por videogames, apesar de jovem já tive até um Atari, minha série favorita é Silent Hill".

ATUALIZADO | Guia: onde estudar desenvolvimento de jogos digitais no Brasil

O mercado de games no Brasil é no mínimo promissor, não por acaso muitas instituições de ensino formam cursos voltados para a produção e desenvolvimento de jogos digitais. O grande problema é que a maior parte das universidades estão concentradas no eixo Rio-São Paulo, de modo que estudantes de outros estados encontram dificuldades em encontrar cursos em suas regiões.

Pensando nisso, o GameReporter organizou uma lista de instituições que oferecem cursos voltados ao desenvolvimento de jogos digitais no Brasil. O MEC aprova cerca de 50 universidades que oferecem graduação tecnológica.

Instituições que oferecem graduação em Jogos Digitais:

Fora essas instituições, existem outras maneiras de entrar na área dos jogos eletrônicos, como por exemplo, os cursos oferecidos pela SAGA, pela renomada Melies, AXIS e também a Zion Escola de Entretenimento no Rio de Janeiro. A Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) também oferece um curso sequencial de Modelagem Gráfica e Jogos de Computador. Um belo destaque é a Escola Brasileira de Games, instituição voltada exclusivamente à cursos ligados aos jogos eletrônicos. A instituição é nova e encontra-se em São Paulo.

Além destas instituições, o Colégio FECAP oferece também o Ensino Médio Técnico Integrado em Jogos Digitais.

Especializações com menor duração também são oferecidas no Brasil, como o Curso de Atualização em Game Marketing da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e o curso de Desenvolvimento de Jogos do Instituto Dom Bosco, em Piracicaba, São Paulo. A PUC-SP também conta com diversos cursos de Extensão na área de Jogos Digitais.

Se seu sonho é entrar na área de produção e desenvolvimento de jogos digitais, esteja preparado! O caminho é difícil, mas bastante promissor e só tende a crescer em nosso país. Aproveite que a maioria das universidades estão com vestibulares abertos e comece a estudar!

Comente sobre os cursos abaixo. Se esquecemos de algum, por favor, nos envie o link para publicarmos. Basta colocar nos comentários deste post ;)

Conheça Tap Cube, o novo jogo da Overdrive

Hoje vamos falar de mais um jogo indie com bastante potencial de diversão. Criado pelo estúdio brasileiro Overdrive, Tap Cube é um puzzle ideal para quem gosta de jogos casuais e alto nível de desafio. Basicamente você tem 10 segundos para vencer cada um dos desafios de um cubo bizarro. A ideia é observar atentamente a imagem e tente copiá-la o mais rápido que puder, sempre somando um tempo extra para o objetivo seguinte.

Tap Cube ocupa pouco espaço no celular e foi otimizado para rodar liso em muitos dispositivos que tenham Android 4.0 ou superior instalado! O game é bem desafiador e altamente competitivo, você vai querer sempre bater o seu recorde e comparar com seus amigos.

Tap Cube é rápido e viciante, perfeito para aquele momento em que precisamos esperar. Os desafios são bastante variados e estimulam o raciocínio lógico. Já que estimula a agilidade, Tap Cube é indicado para todas as idades e tem potencial para agradar fãs de jogos casuais e jogadores que procuram novidades.

A jogabilidade é bem simples e fácil de aprender. Você só precisa deslizar o dedo a fim de posicionar as peças nos locais adequados e “copiar” a imagem que aparece. Mas não pense que as coisas serão fáceis: alguns níveis são bem complicadinhos e precisam de atenção para serem concluídos.

O game está disponível na Google Play e Itch.IO

A Era dos Games: Exposição interativa sobre videogames desembarca no Brasil

Após passar por 33 cidades de 25 países, a exposição “A Era dos Games” finalmente chega a São Paulo. Idealizada pela Barbican Centre de Londres, a exposição é apresentada pelo Ministério da Cultura e Brasilprev, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A mostra ocupará o Pavilhão da Bienal, no Parque Ibirapuera, entre 16 de agosto e 12 de novembro e vai mostrar a evolução dos jogos eletrônicos desde o Atari até a geração atual.

Depois de São Paulo, a exposição segue para o Museu Histórico Nacional no Rio de Janeiro, onde ficará em cartaz de 6 de dezembro a 05 de março de 2018. Nas duas cidades, o público poderá interagir com mais de 150 jogos de sucesso. É uma oportunidade ótima de conhecer e interagir com verdadeiras pérolas dos jogos eletrônicos.

A exposição consumiu dois anos de trabalho intenso a um custo de um milhão de libras inglesas. São cerca de seis décadas escrutinadas, em 13 seções temáticas distintas. Dentre os mais de 150 jogos selecionados há uma longa lista de destaques, a começar pelo Pong, um jogo de tênis extremamente sintético. Criado em 1972, rodou o mundo e deu início a uma das megaempresas do setor, a Atari, que lidera o segmento ao lado de Nintendo, Sega, Microsoft e Sony. O Brasil também estará presente através de alguns jogos com tecnologia verde e amarela.

“Não há dúvida de que os videogames tiveram um grande impacto na cultura visual contemporânea. A Era dos Games pretende demonstrar a força criativa considerável que sustenta a indústria, destacando as contribuições de indivíduos e empresas-chave que desempenharam um papel na sua evolução. A exposição explora a influência de músicos, cineastas e artistas e mostra claramente que algumas das inovações mais criativas do nosso tempo passaram por este meio fenomenal”, resume NeilMcConnon, diretor do Barbican.

O público poderá conhecer personagens que fizeram história, como Super Mario — o encanador italiano criado pela Nintendo em 1985 e que chegou a ser usado pelo Japão na cerimônia de encerramento das últimas Olimpíadas como símbolo nacional; a crescente importância dos jogos infantis e seu potencial como ferramenta educativa; e ainda os enormes avanços tecnológicos que continuam sendo feitos, como o uso cada vez mais sofisticado da tecnologia 3D, a captação mais sensível dos movimentos pela tela ou por sensores e a constatação de que a realidade virtual é algo cada vez mais próximo.

Um embrião da exposição Era dos Games foi apresentado no Museu da Imagem e do Som de São Paulo em 2011. Batizada originalmente de Game On, mais tarde o evento incorporou o número 2.0 ao título para dar conta das atualizações tecnológicas surgidas ao longo do período em que excursionou pelo mundo. A edição que desembarca agora no país chega em versão ampliada, com games de última geração e inclui jogos produzidos no Brasil.

“Acreditamos muito no potencial dessa exposição. Ao apresentar a história do videogame de forma lúdica e divertida, ela integra diferentes gerações e proporciona um excelente programa para toda a família”, explica Cinthia Spanó, gerente de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Brasilprev.

As visitas à exposição Era dos Games terão horários pré-agendados e serão realizadas em seis sessões diárias, com 90 minutos de duração cada. O público poderá adquirir ingressos antecipadamente online já a partir desta quarta, 5 de julho. Vendas de ingressos na bilheteria somente a partir da data de abertura, 16 de agosto.

 

SERVIÇO – A ERA DOS GAMES – Uma exposição do Barbican Centre de Londres

Quando: De 16 de agosto a 12 de novembro de 2017 – Terça a domingo, das 11 às 20 horas – Sessões diárias às 11h, 12h30, 14h, 15h30, 17h e 18h30

Quanto: Preço R$40,00 / R$20,00 meia entrada*

Onde: Endereço: Pavilhão da Bienal – 3º pavimento – Acesso pela rampa externa

Parque Ibirapuera – Portão 03 – Av. Pedro Alvares Cabral S/N – CEP 04094-000 – São Paulo, Brasil

Surfista brasileiro Gabriel Medina estrela seu próprio jogo mobile

E não é que Gabriel Medina, o 1º Brasileiro Campeão Mundial de Surf, ganhou seu próprio game? O jogo Go! Medina, chega aos celulares e tablets e pode ser baixado gratuitamente nos dispositivos móveis que utilizam os sistemas operacionais Android a partir de agora. Uma versão para iOS será lançada em agosto. Aqui os jogadores devem realizar manobras radicais nos circuitos mais desafiadores do mundo do surf.

Em Go! Medina, o jogador customiza seu personagem / surfista, e vai ter o privilégio de aprender a surfar com o campeão Medina, com dicas de seu técnico e padrasto, conhecido carinhosamente como “Charlão”. A partir daí, terá de seguir a própria carreira no Circuito de Surf. Quanto melhor for seu desempenho, melhores serão suas recompensas – que permitirão que o surfista adquira novos equipamentos, como pranchas, roupas, consumíveis e manobras especiais. Outra forma de evoluir no game é comprando itens. O modelo de negócios é free-to-play com venda de itens.

Destaque especial para a Ilha Medina, onde os jogadores poderão se divertir surfando em disputas de corridas contra o tempo, obstáculos e práticas do free surf. O game contará com um painel interativo incluindo a Rotina do atleta, acesso a promoções e conteúdos exclusivos. Ainda está previsto um e-commerce, onde serão comercializados produtos licenciados.

“É muito legal ver que as pessoas que acompanham a minha carreira poderão ficar mais próximos, através desse game que está fantástico. Nós fizemos um jogo para mostrar as emoções que sinto ao surfar e tenho certeza que a galera que curte o esporte, a galera do surf, vai se amarrar. Tudo foi pensado para ser o mais próximo do que eu vivo, de forma divertida e fácil de se jogar. Os cenários, os personagens são bem reais e construídos com muito carinho pela equipe de desenvolvimento. Está maneiríssimo”, diz Medina.

Mais sobre o Go! Medina

Go! Medina é publicado pela SOMA (+), empresa carioca cujo foco é promover games estrelados por personalidades – atletas, artistas e influenciadores. De acordo com os responsáveis pelo projeto, o game será disponibilizado no mercado global em cinco idiomas. Português e Inglês no seu lançamento, e nos próximos meses em Francês, Espanhol e Chinês. O game chega em um momento em que há muitos brasileiros disputando na elite do surf. Gabriel Medina já um dos ícones do Brasil no esporte, tal como Guga foi para o Tênis e Senna foi para o automobilismo.

A SOMA (+) entende que o Gabriel Medina é o cara certo para o lançamento do seu primeiro produto no mercado de jogos, uma vez que é um jovem de sucesso, e inspira milhares de pessoas ao redor do mundo – é talentoso, carismático e consegue atingir desde o público infantil aos quarentões.

CNB abre inscrições para a 5ª edição da peneira LG Preparando Campeões

Joga League of Legends e sempre sonhou em se tornar um cyberatleta que compete na liga nacional? Eis a sua chance: o CNB e-Sports Club acaba de anunciar a abertura das inscrições para a 5ª edição da Peneira “LG Preparando Campeões”, o maior programa do mundo de formação de novos cyber-atletas, que selecionará 30 jogadores para participarem das categorias de base do clube. O projeto pela primeira vez contará com a chancela do sócio da equipe, Ronaldo Nazário, o ex-jogador de futebol Fenômeno.

A peneira do CNB já se tornou tradição e é uma das grandes oportunidades de os apaixonados por League of Legens realizarem o sonho de se tornarem profissional na modalidade. A expectativa é descobrir novos talentos capazes de elevarem ainda mais o nível da CNB. Vale lembrar que atualmente a equipe é uma das maiores e mais famosas do Brasil, estando sempre entre os principais concorrentes aos grandes títulos nacionais.

Seguindo um modelo de seleção criado pela organização, o CNB é pioneiro quando o assunto é revelar talentos. O trabalho do clube nas categorias de base já revelou nomes como João Luis “Marf” Piola, que atua em um dos times do principal campeonato do Brasil, Yan “Yampi” Petermann, que teve a oportunidade de disputar dois jogos pelo profissional e atualmente veste a camisa de um clube da 2ª divisão, e Alexandre “codpiece” De Carli, que já alçou voos internacionais e é titular de um time no Chile.

CNB

Atualmente, o CNB conta com os atletas Pablo “PBO” Yuri e Willyam “Wos” Bonpam na line up titular, dupla desconhecida, revelada pelo próprio clube e que hoje faz sucesso no cenário nacional, o que mostra que o projeto realmente tem valor para o universo dos esportes eletrônicos. Outro nome que não pode ser esquecido é o de Pedro “Gafone”, que foi selecionado na peneira de 2015 e hoje atua como head coach do CNB.

“Só talento não basta. Esforço e treinamento são fundamentais. A dedicação e o trabalho em equipe é que garantem e ampliam os bons resultados. Ser duas vezes campeão do mundo não é uma conquista individual, mas coletiva. É o resultado do trabalho dentro e fora de campo, entre os nossos talentos, e todos que nos cercam e apoiam”, comentou Ronaldo, reforçando a importância do empenho na carreira dos futuros cyber-atletas.

O processo seletivo

Os 30 jovens selecionados na peneira serão divididos em seis times (duas equipes iniciantes, duas intermediárias e duas avançadas) e terão acesso à EPAC (Escola Preparatória de Atletas do CNB), um sistema didático criado pelo clube para passar os conceitos do jogo de maneira prática, facilitando o aprendizado dos futuros profissionais.

Este grupo de jogadores fará parte do programa de treinamento durante 6 meses, recebendo material completo de treinamento, incluindo headset HyperX, monitor Ultra Wide Pro LG gamer de 29 polegadas, mousepad Brasão CNB, kit de mouse e teclado gamer, R$ 500,00 creditados no cartão personalizado CNB GamersCard e o manto sagrado do CNB.

Além do aval de Ronaldo e das premiações exclusivas, a peneira Preparando Campeões receberá nesta edição o patrocínio da LG, uma das principais empresas eletrônicas do mundo, e que viu na equipe uma forma de investimento nesse mercado que cresce a cada dia. A empresa trabalha com monitores formato UltraWide 21:9 que com 30% a mais de tela, proporciona um campo de visão privilegiado, permitindo uma maior experiência visual para os jogadores.

O requisito mínimo para participação é ter 13 anos completos até final de 2017 e residir no Brasil. Não há idade limite e vale ressaltar a inclusão que o e-sports tem como ponto positivo, já que não há distinção entre sexo, idade, raça ou crença na modalidade. Os candidatos deverão realizar a sua inscrição entre os dias 26 de julho e 28 de agosto. As inscrições custam entre R$25,00 (para uma rota) e R$45,00 (para cinco rotas) e podem ser efetuadas pelo site.

Serviço – 5ª edição da Peneira LG Preparando Campeões

Inscrições: http://peneira.cnbesc.com.br

Taxa: R$ 25,00 a R$ 45,00

Requisito mínimo: 13 anos completos até final de 2017 e residir no Brasil

League of Legends: Estes são os favoritos ao Prêmio CBLoL

A Riot Games, que organiza o Campeonato Brasileiro de League of Legends, o CBLoL, anunciou nesta terça-feira (25) a lista de favoritos ao Prêmio CBLoL, evento que vai reverenciar os melhores jogadores da Segunda Etapa do torneio, que será decidida no dia 2 de setembro, no Mineirinho, em Belo Horizonte, Minas Gerais. Os ganhadores das nove categorias serão conhecidos no dia 13 de novembro, em um evento de gala, que contemplará os grandes destaques individuais dos embates.

O Top 10, listado abaixo, foi definido com base no desempenho (MVP, ou destaque na partida, e KDA, índice de performance) dos jogadores ao longo da Fase Regular, que terminou no último final de semana. Eles são fortes candidatos a vencer uma das nove categorias. Trata-se de um resultado parcial, já que cada categoria possui seus próprios critérios e o campeonato segue para a Fase Semifinal, onde o cenário e o ranking podem sofrer mudanças. Mais informações no LoLeSports BR.

Prêmio CBLoL

O Prêmio CBLoL será composto de nove categorias. Os participantes serão elegíveis dependendo de sua posição na equipe. Os critérios para vencer também mudam de acordo com as estatísticas principais das funções que cada um cumpre dentro da equipe e também levará em conta os votos dos casters, imprensa e jogadores profissionais. Os cálculos serão realizados pela Riot Games, organizador do evento.

CBLoL

São várias as categorias do prêmio CBLoL, entre elas estão: Melhor Jogador, Melhor Topo, Melhor Caçador, Melhor Meio, Melhor Atirador, Melhor Suporte, Melhor Técnico, Jogador Revelação, Craque da Galera. A maioria das categorias são elegíveis a todos os jogadores participantes do CBLoL. Para mais informações, acesse o LoLeSports BR

Estão são os maiores candidatos a receber os prêmios CBLoL de melhor jogador:

 

10 – Alanderson “4LaN” Meireles

Equipe: Team oNe

Posição: Caçador

MVPs: 2 (vs INTZ e T Show)

KDA: 3,7 (35/30/77)

 

9 – Rodrigo “Tay” Panisa

Equipe: paiN Gaming

Posição: Caçador

MVPs: 3 (vs CNB, ProGaming e oNe)

KDA: 3,4 (40/31/66)

 

8 – Lucas “LUSKKA” Rentechen

Equipe: ProGaming e-Sports

Posição: Atirador

MVPs: 3 (vs oNe, Keyd e CNB)

KDA: 4,1 (55/27/56)

 

7 – Felipe “Yang” Zhao

Equipe: Keyd Stars

Posição: Topo

MVPs: 3 (vs CNB, T Show e ProGaming)

KDA: 4,7 (43/25/74)

 

6 – Gabriel “Tockers” Claumann

Equipe: Red Canids

Posição: Meio

MVPs: 3 (vs paiN, oNe e T Show)

KDA: 4,9 (65/29/78)

 

5 – Micael “micaO” Rodrigues

Equipe: INTZ e-Sports

Posição: Atirador

MVPs: 3 (vs CNB, Red e paiN)

KDA: 5,0 (64/28/77)

 

4 – Gabriel “Kami” Bohm

Equipe: paiN Gaming

Posição: Meio

MVPs: 3 (vs T Show, CNB e Keyd)

KDA: 5,0 (34/21/70)

 

3 – Felipe “brTT” Gonçalves

Equipe: Red Canids

Posição: Atirador

MVPs: 3 (vs ProGaming, CNB e Keyd)

KDA: 5,8 (50/20/65)

 

2 – Bruno “Envy” Ventura

Equipe: INTZ e-Sports

Posição: Meio

MVPs: 3 (vs CNB, T Show e Keyd)

KDA: 6,1 (62/24/84)

 

1 – Luan “Jockster” Cardoso

Equipe: INTZ e-Sports

Posição: Suporte

MVPs: 4 (vs Red, ProGaming (2x) e Keyd)

KDA: 3,9 (22/45/153)

Conheça o comovente jogo indie brasileiro White Lie

White Lie é ideal para quem procura por uma aventura diferente de tudo que já se viu. O jogo conta a comovente história de Greg, um coelho de pelúcia buscando por sua dona desaparecida em um mundo surreal e desolado. O projeto é de autoria do estúdio Ambize e uma das suas características mais marcantes é sua direção de arte desenhada a mão e colorida em tons sépia que complementa e intensifica as sensações e a ambientação solitária vivida durante o jogo. Podemos destacar o minucioso trabalho artístico do game.

O coelho Greg deve superar os desafios de seu passado com Emma se quiser descobrir a verdade por trás de tudo o que está acontecendo. De acordo com os desenvolvedores, a ideia de White Lie surgiu quando os envolvidos na produção refletiam o que podiam fazer de diferente para criar um jogo com um história emocional. O resultado foi um game inspirado por contos de fada e desenhos japoneses.

White Lie foi um dos ganhadores do edital de games da Spcine que aconteceu no fim de 2016 e também  da terceira turma da Core Labs Game Accelerator. O foco principal do jogo é contar uma história emocional sobre o relacionamento entre uma menina e seu brinquedo favorito, a lealdade dos dois e como sempre pertencerão um ao outro. É interessante notar a temática do coelho, também presente na literatura, histórias em quadrinhos e cinema.

O game tem uma jogabilidade simples e o foco não é o combate ou mecânicas elaboradas, mas sim a jornada. Espere por diálogos comoventes e cenas de arrepiar. Não por acaso, White Lie foi um dos premiados do edital da SPCine no fim de 2016. O game é exclusivo de PCs e você pode conferir mais detalhes no site oficial.

Abaixo tem o trailer de White Lie:

De olho nos playoffs, equipes do Grupo B disputam a segunda rodada do Brasileirão Rainbow Six 2017

Neste domingo (16), quatro equipes serão protagonistas da segunda rodada do Grupo B do Brasileirão Rainbow Six, de olho nos playoffs. A Team Fontt vai medir forças com a Merciless na primeira partida do dia, às 14h, para definir quem ficará na ponta da tabela, o que garantirá uma vaga nas semifinais do Campeonato Brasileiro de Tom Clancy´s de Rainbow Six Siege. No segundo duelo da tarde, Black Dragons e Operation Kino lutarão pela reabilitação na competição, de olho no sonhado lugar entre os finalistas do torneio.

Nos jogos da primeira rodada do Grupo, a Team Fontt bateu a Black Dragons por 2 a 0 e tem três pontos. Já a novata Mercilles se impôs e ganhou da Operation Kino, também por 2 a 0.

 

Confira abaixo a Tabela de Classificação:

 

 

Team Fontt x Merciless

 

Empatadas na ponta da Chave B com três pontos, a Team Fontt e a Merciless se enfrentarão de olho na ponta e, consequentemente, em uma vaga no playoff. Para isso, a receita das duas equipes é parecida: o entrosamento dos seus atletas.

Thiago “Bor” Borinelli, capitão da Mercilles, sabe que seu time terá de atuar em altíssimo nível para bater a Team Fontt, que na última terça-feira garantiu uma das vagas da divisão LATAM da Rainbow Six Pro League, o mundial da modalidade: “A expectativa é sempre alta. Jogar contra um time recém-classificado para um mundial é um desafio e tanto. Este será mais um obstáculo que buscaremos superar em nossa carreira. A importância é bem grande, pois vencendo agora, ficaremos na frente e assumiremos a ponta determinantemente. Vamos aproveitar ao máximo essa oportunidade. Nosso coletivo evolui a cada dia. Estamos sempre em busca do êxito. Se atingirmos a nossa meta no próximo jogo, existe uma grande chance de pontuarmos. Confiamos na vitória”.

 

Black Dragons x Operation Kino

 

Juntas na lanterna do Grupo B, Black Dragons e Operation Kino precisam se recuperar rapidamente no campeonato. Sem pontos na tabela, os dois times acreditam que uma vitória pode elevar o moral dos seus jogadores e dar força para a sequência do torneio. Para isso, tanto BD quanto a OPK também apostam em ajustes para melhorarem os seus ataques já na rodada deste domingo. Tudo por uma vaga nos playoffs.

Dimas ”Panico” Abreu, capitão da OPK, ressalta a importância de levar a vitória para o time e deseja encontrar nova fórmula para conquistar o triunfo: “A maior importância dessa vitória é provar que esse time ainda pode dar certo. Bem, quando voltamos da derrota do último jogo, fizemos uma reunião e aconteceram várias mudanças internas e externas. Uma delas é que atualmente eu sou o capitão do time e ainda estou tentando descobrir qual jogador se encaixa melhor em cada função. O nosso entrosamento fora do treino é muito bom, mas nossas ideias não batem dentro do jogo, e isso está sendo complicado de somar”.

Depois da derrota na estreia, a Black Dragons vem de outro resultado negativo: a eliminação na Raibow Six Pro League. Mas a equipe já mostrou força neste ano e luta para se recuperar. Uma vitória, além de elevar a moral do time deixa a BD viva para uma eventual “final” contra a  Mercilles na última rodada do Grupo B do Brasileirão daqui a duas semanas.

 

Cronograma de jogos do Brasileirão Rainbow Six

 

Semana #1 Domingo, 2/7

BRK E-Sports 1 x 2 paiN Gaming
NoX Gaming 2 x 0 INTZ eSports

 

Semana #2 Domingo, 9/7

Black Dragons 0x2 Team Fontt
Operation Kino 0x2 Merciless

 

Semana #3 Domingo, 16/7

paiN Gaming 2×1 NoX Gaming
BRK E-Sports 2×0 INTZ eSports

 

Semana #4 Domingo 23/7

14h – Team Fontt x Merciless
16h – Black Dragons x Operation Kino

 

Semana #5 Domingo 30/7

14h – BRK E-Sports x NoX Gaming
16h – paiN Gaming x INTZ eSports

 

Semana #6 Domingo 6/8

14h – Black Dragons x Merciless
16h – Team Fontt x Operation Kino

 

Semifinais

Semana #7 Domingo 13/8

14h – 1º. Grupo A X 2º. Grupo B
16h – 1º. Grupo B x 2º. Grupo A

 

Final

Semana #8 Domingo 20/8

14h – Vencedor Semi 1 x Vencedor Semi 2

 

Brasileirão Rainbow Six (BR6)

 

O Brasileirão Rainbow Six 2017 é disputado na plataforma PC e terá duas temporadas (seasons) em 2017. O torneio, inédito no país, é presencial e conta com as melhores equipes brasileiras no cenário. Uma das maiores potências da modalidade, o país conta com grande engajamento dos fãs. O torneio seguirá o mesmo calendário anual da Rainbow Six Pro League e respeitará as mesmas janelas de transferências de jogadores da competição.

O trailer oficial da competição Rainbow Six 2017 já está disponível:

Projeto Terror Imersivo está em campanha de crowdfunding

Para quem curte histórias de terror, a dica é o projeto “Terror Imersivo”, criado pelo game designer Leandro Siqueira, que nada mais é que uma coletânea de 10 livros-jogos em formato de aplicativo. São dez histórias de terror que tem potencial para entreter adultos e crianças. Aqui os jogadores devem explorar fases e resolver mistérios para sobreviver, porém, ao invés de um jogo tradicional, o foco está no enredo e não nas mecânicas de jogo.

Terror Imersivo está em campanha de crowdfunding no apoia.se. De acordo com o desenvolvedor, escolher o formato de aplicativo permite dar uma liberdade e interação maior ao jogador. Para que o público pudesse entender melhor o projeto foi disponibilizado um demo de uma das histórias que compõe o aplicativo, o “cemitério do desespero“.

Esta demo pode ser baixada para Android ou para PC. Os demos são apenas para entendimento do projeto, o produto final será muito superior, promete Leandro. O valor arrecadado na campanha vai pagar os profissionais envolvidos no projeto como artistas, revisores de texto e programadores.

Segue abaixo os títulos de cada livro-jogo que compõe o Terror Imersivo:

– Cemitério do Desespero.

– 2 minutos para a meia-noite.

– A tumba do rei maldito.

– Vila Fantasma.

– Floresta sangrenta.

– Fim da linha.

– A morte está no quarto ao lado.

– 7 meninas.

– Pânico na estação.

– O Abismo profundo.

 

Abaixo tem o vídeo explicativo do projeto Terror Imersivo:

Crítica: Bem-Vindo à Vida Real

Bem –Vindo à Vida Real é um dos mais recentes lançamentos da Editora Intrínseca e conta a história de Jaxon, um rapaz obeso, com pouca habilidade de interação social e extremamente viciado em videogames. Ele mora com seu pai e sua madrasta, que não vêem com bons olhos os hábitos gamers do filho. O problema é que Jaxon não se considera um viciado, apesar de passar todas as suas horas de férias em frente ao computador.

Certo dia, Jaxon é forçado por seus pais a ir até o centro da cidade lavar o carro. A ideia era justamente tirar o garoto de dentro do quarto por alguns momentos. Apesar de pouco provável, Jaxon conhece uma linda garota chamada Serena no lava-rápido e a interação entre eles parece simbiótica, como se tivessem nascidos um para o outro. Entretanto a garota não tem celular, nem redes sociais. Eles marcam um encontro para a quarta-feira (daqui a quatro dias), de modo que o garoto está extasiado, apesar de só ter o endereço do encontro.

O que ele não sabia era que seus pais tinham outros planos para a semana: ao chegar em casa ele é empurrado para dentro de um carro rumo a uma clínica de reabilitação para jovens viciados em jogos eletrônicos. Assim, Jaxon vai para a Vídeo Horizontes, cuja dinâmica é manter os jovens longe dos videogames praticando atividades domésticas e pequenos desafios esportivos.

Corrida por 1 milhão de pontos

Assim que chega à Video Horizontes, Jaxon tenta descobrir o que deve fazer para o libertarem a tempo de seu encontro com Serena. De acordo com o diretor da instituição, para sair ele só precisa completar 1 milhão de pontos conquistados em diversas atividades esportivas e domésticas. Mas esses pontos só podem ser conquistados através de uma guilda. Deste modo, Jaxon se torna Miles Prower, um integrante da Fury Beards, um grupo de deslocados que acabaram na clínica pelos mais diversos motivos, não apenas o vício em videogames. O grupo é formado por Fezzik, o líder amigável; Meeki, uma asiática bem babaca; Aurora, uma menina distante de cabelos brancos; Sopa, um garoto carente de atenção e que vê Miles como uma espécie de irmão mais velho; e Zxzord, que foi internado pelo seu vício em heroína.

Apesar de bastante confiante em suas habilidades, Miles não sabe trabalhar em equipe e sua convivência com seus colegas de guilda não é lá divertida (muito por causa do próprio comportamento de Miles). E é aí que está a grande sacada de Bem-Vindo à Vida Real: ele é um livro para jovens adultos que se comunica através de linguagem e referências gamers, mas que carrega um peso em cada personagem e no desenvolvimento deles. Mesmo os personagens mais odiosos acabam cativando o leitor em algum momento (Meeki, estou falando de você).

Um personagem gamer

Para quem curte videogames mesmo, é difícil não se identificar com Miles Prower, o cara é praticamente o esterótipo de todo jogador, ou seja, poucas habilidades de interação social, linguagem despojada e conhecimentos enormes sobre a cultura gamer. Não por acaso, a obra é recheada de referências a videogames como Zelda, World of Warcraft e League of Legends. O método gamificado da clínica, aliás, concede um sem número de citações a jogos de sucesso. É como se Miles e os demias estivessem vivendo dentro de um grande videogame.

Talvez o fato mais interessante de Bem-Vindo à Vida Real é que Miles, apesar de vestir o capuz de herói solitário em busca de sua princesa, a verdade é que ele é tão humano quanto qualquer outro interno da Vídeo Horizontes, talvez até pior. Acontece que por ser um aficionado por games, Miles conhece macetes e padrões em jogos e pessoas. Deste modo, ele não se importa em mentir, trapacear ou abusar de seus colegas se ao final ele conseguir os pontos necessários para sair da clínica a tempo de seu encontro. Imaginem alguém capaz de tudo.

Sim, Miles não é nenhum herói. Na verdade ele chega a ser bem desgraçado em alguns momentos. Por outro lado, o jovem tem sua oportunidade de falar porque faz o que faz e como a vida também não tem sido lá muito justa com ele. Não espere ver aqui um protagonista heroico, mas sim humano, bastante humano aliás. Há até momentos em que me senti identificado com as ideias de Miles.

Veredicto de Bem-Vindo à Vida Real

Já que é escrito em 1º pessoa, temos a oportunidade de entender as motivações de Miles, que segue um padrão típico de protagonistas: isolado, perdido e percorrendo a jornada do herói. Pelo menos a ideia é que o jovem evolua de alguma maneira antes de sair da clínica, mas não é bem assim que as coisas se desenrolam. Miles, assim como todo gamer, tem personalidade forte e ainda que ao final ele reconheça alguns de seus erros, fica claro que ele não mudou tanto.

Nintendo

Os personagens secundários são o ponto alto que seguram a trama, a cada novo diálogo, descobrimos coisas fascinantes sobre a psique humana e as motivações de cada um. Uma pena que ao final eles são praticamente largados e não se tem notícia deles.

Bem-Vindo à Vida Real é uma ótima leitura. A história é curta e a linguagem é de fácil compreensão. Realmente foi um livro que me pegou e merece uma continuação. Mais detalhes no site da Intrínseca.

Sobre o autor

Christian McKay Heidicker trabalhou muitos anos na área educacional, lecionou escrita criativa na Broadview University e atualmente escreve artigos científicos para o público jovem no site BirdBrain Science. Ele mora em Utah, nos Estados Unidos.