Todos os post de Luiz Silva

Luiz Silva, jornalista de games formado pela Universidade Paulista. Já escreveu para as revistas da Tambor Digital (EGW, Gameworld), para o site Player 2 entre outras coisas. "Sou um entusiasta por videogames, apesar de jovem já tive até um Atari, minha série favorita é Silent Hill".

Review – Sword Legacy: Omen – visuais matadores e narrativa empolgam

Aventuras com temática medieval fazem sucesso há muito tempo e nenhuma aventura é mais famosa do que o conto do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda. E é justamente essa ambientação a inspiração para a produção de Sword Legacy: Omen, nova produção conjunta dos estúdios indie Firecast e a Fableware Narrative Design. O título busca recontar a saga de Arthur através de uma nova perspectiva e com uma ambientação muito mais brutal. O game chegou à Steam no último dia 13 de agosto para alegria de quem acompanhou o período de desenvolvimento do game.

A introdução mostra que o reino da Breatnha está dividido em cinco reinos distintos e o sentimento de “terra decadente” é palpável. Nesse ínterim o jogador é apresentado ao comandante Uther Pendragon, que se une ao mago Merlim para escapar de um cerco organizado pelo Duque de Essex. Durante a fuga, a dupla acaba se aliando a improváveis companheiros como o lanceiro Duanne e a ladra Gwen, o sacerdote Felix, a arqueira Flint, o ferreiro Gorr e o bárbaro Ferghus. O macete é que esse time acaba desempenhando papel importante para a tomada do trono pelo Rei Arthur.

Um show gráfico inspirador

A primeira coisa a chamar as atenções em Sword Legacy é seu estilo gráfico em cell shading. Os ambientes e os traços são de cair o queixo e dificilmente você não ficará embasbacado com a riqueza de detalhes que os desenvolvedores empregaram na produção. Em alguns momentos, o jogador vai sentir como se o jogo fosse um quadrinho interativo. Isto é proposital: os diálogos e os ângulos de câmera sugerem inspiração em visual novels dos anos 90.

Após o choque inicial dos gráficos, o jogador toma os controles e percebe que o game segue a cartilha dos RPGs mais contemporâneos, sem deixar suas raízes de lado. Os combates são por turnos e cada personagem do grupo possui habilidades próprias, de modo que montar um time competitivo é primordial para derrotar tantos adversários que surgem nas masmorras. As habilidades individuais, aliás, foram desenvolvidas de modo a refletir a personalidade dos personagens. E sim, a personalidade dos personagens é explorada em cenas interativas.

Exploração de cenários e esquema de batalhas

O interessante mesmo é o foco que Sword Legacy dá para a exploração dos cenários. Você controla até quatro personagens durante a exploração e você pode alternar entre eles a qualquer momento. Todavia, você apenas pode selecionar o personagem ou gerenciar seus atributos antes do início das missões, o que quebra um pouco a liberdade do jogador.

Em alguns momentos o jogador vai sentir-se deslocado, imaginando se os combates não deveriam seguir em tempo real, como ocorre em Diablo III, por exemplo, ao invés de ter a movimentação paralisada para batalhas por turnos, que podem. Por mais de uma vez o jogador vai preferir que a ação não fosse paralisada para batalhas por turno. Pois é a exploração é muito divertida. Você vai passar bons momentos procurando itens escondidos, resolvendo puzzles e desarmando armadilhas.

Ainda que o esquema de batalha por turnos pareça fora de contexto, o jogo consegue ser competente neste aspecto, pois as batalhas não costumam demorar muito e evoluir o nível dos personagens não chega a ser tão difícil. Tudo gira em torno dos Action Points (que é administrada antes de iniciar uma missão). Esses pontos definem quantas ações o jogador pode executar e quais podem ser realizadas. Como se aproximar ou atacar um inimigo no mesmo turno, por exemplo. É necessário malícia e estratégia antes de iniciar uma missão, pois Sword Legacy não preza apenas pela força bruta.

Como funcionam os AP?

E aqui vale uma menção: parece que os desenvolvedores buscaram inspiração mais em jogos de tabuleiro do que em RPGs de turno tradicional. Além dos (AP) Pontos de Ação, o jogador ainda deve administrar os pontos de determinação, que são usados basicamente para “comprar” mais pontos de ação. Esses pontos de determinação, são mais escassos e podem definir os rumos de uma batalha, de modo que o jogador deve usar sabedoria antes de desperdiçá-los.

E o jogador vai precisar de paciência extra para sobreviver às batalhas, já que o nível de dificuldade não mantém uma constância. Alguns encontros com inimigos são fáceis demais, enquanto que outros são tão difíceis quanto batalhas com chefões. Faltou um pouco de nivelamento neste aspecto, o que pode ser frustrante para qualquer jogador.

Nem tudo são flores

Sobre a trilha sonora, aqui vale um destaque especial: os temas são orquestrados e empolgam bastante. Não chegam a surpreender o jogador, porém elas garantem que ninguém vai dormir durante a aventura (e nem nas batalhas). Entretanto, os estúdios poderiam ter se esforçado mais no aspecto sonoro, já que os personagens não foram dublados. Na verdade, os personagens apenas emitem sons estranhos.

Vale a compra?

Mesmo com pontos extremamente negativos e outros positivos, Sword Legacy: Omen é um jogo que merece atenção de fãs de RPG e do público em geral que curte exploração e batalhas estratégicas. Por vezes o jogador vai sentir que os desenvolvedores tiveram preguiça em alguns pontos, todavia nos momentos de inspiração o jogo acaba prendendo o jogador.

Basicamente temos uma montanha russa aqui. O detalhamento gráfico e a ousadia em alternar gêneros tão distintos são fatores que devem ser levados positivamente. A trama é bem interessante e a narrativa não deixa a peteca cair. Vale a compra!

O game está disponível na Steam.

Abaixo tem o trailer de Sword Legacy: Omen:

 

O melhor: visuais cartunescos matadores.

O pior:  falta de dublagem.

 

Livro “Gamificação em Debate” apresenta revisão crítica sobre o tema realizada por especialistas

A Gamificação tem o poder de mudar a dinâmica das empresas e o aprendizado nas instituições de ensino. Esta é uma das premissas do livro Gamificação em Debate, da editora Blucher. Organizado pelos professores Lucia SantaellaSérgio NesteriukFabricio Fava e com colaboração de grandes nomes como Delmar Domingues, Alan da Luz e David Lemes, a obra trata de diferentes aspectos da gamificação como os benefícios psicológicos, usabilidade na educação etc.

O livro Gamificação em Debate apresenta uma visão crítica realizada por especialistas em gamificação oriundos dos campos de design, artes, tecnologia, comunicação, semiótica, educação e games. Essa diversidade de áreas serviu para revelar um fenômeno complexo, metamórfico e absolutamente interdisciplinar, mas também mostra a importância que a gamificação assumiu na contemporaneidade, assim como características expressivas do mundo em que vivemos.

A ideia foi mostrar que muitas das discussões e das práticas atuais da gamificação limitam a própria noção de jogo a uma abordagem behaviorista: uma mera estratégia para motivar pessoas e aumentar a produtividade. Com a contribuição de diversos especialistas, foi possível montar um panorama amplo de como surgiu a gamificação e como ela vem transformando as relações corporativas e educacionais.

Além disso, pode-se dizer que Gamificação em Debate expande significativamente essa noção por meio de investigações sobre conceitos, críticas, práticas, ferramentas e métodos atinentes ao jogo, a fim de promover novas discussões e conceitos que explorem, em extensão e profundidade, as singularidades e as potencialidades da gamificação. Há inclusive estudos de casos e analogias do dia-a-dia. Apesar do tema teórico e complexo, o livro possui linguagem fácil e acessível.

O livro é leitura obrigatória para pesquisadores, profissionais, professores e estudantes de diversos campos interessados nas dimensões teóricas e práticas da gamificação. Até mesmo empresários podem usar os conceitos do livro em ações motivacionais a fim de extrair melhores resultados de sua equipe. O título está disponível em versão física pelo site da Blucher, que disponibiliza amostras de páginas para os leitores que querem ter uma prévia do que esperar da obra. O livro completo conta com 212 páginas.

Brasil Game Show revela agenda do Meet & Greet Intel com celebridades da indústria de jogos eletrônicos

Uma das principais atrações para a edição 2018 da Brasil Game Show (BGS) são os convidados especiais que vieram de diversos países para falar sobre suas experiências na área de jogos digitais e os produtos que lançaram em suas carreiras. Profissionais renomados já confirmaram participação, tais como Fumito Ueda, de Shadow of the Colossus; Nolan Bushnell, criador do Atari; Yoshiaki Hirabayashi, produtor de Resident Evil 2; Shota Nakama, criador da Videogame Orchestra.

Ciente de que a área de Meet & Greet deve ser bem concorrida, a organização do evento separou dois espaços para os visitantes ficarem frente a frente com as estrelas do universo dos games. Outra coisa importante é que a BGS também divulgou as datas e horários em que os profissionais poderão ser encontrados nos espaços. De acordo com a organização, vale tirar selfies e pegar autógrafos desses respeitados profissionais. A área de meet & greet tem patrocínio da Intel.

Abaixo segue a programação do palco 1 do Meet & Greet Intel:

 

Shota NakamaQuarta-feira (10/10)

13h – Daniel Pesina, intérprete de diversos personagens icônicos de Mortal Kombat

14h – Katsuhiro Harada, diretor das séries de luta Tekken e de Soul Calibur

15h – Yoshinori Ono, produtor de Street Fighter

16h – Nolan Bushnell, criador do Atari

17h – MIBR, time de eSports

18h – Fumito Ueda, criador de Shadow of the Colossus e The Last Guardian

19h – Yoshiaki Hirabayashi, produtor de Resident Evil 2

20h – Michiteru Okabe, produtor sênior de Devil May Cry 5

 

Quinta-feira (11/10)

13h – Katsuhiro Harada, diretor das séries de luta Tekken e de Soul Calibur

14h – Gabriel Fallen, ProPlayer de CS:GO

15h – Yoshinori Ono, produtor de Street Fighter

16h – Nolan Bushnell, criador do Atari

17h – Fumito Ueda, criador de Shadow of the Colossus e The Last Guardian

18h – Shota Nakama, criador da Video Game Orchestra

19h – Yoshiaki Hirabayashi, produtor de Resident Evil 2

20h – Michiteru Okabe, produtor sênior de Devil May Cry 5

 

BushnellSexta-feira (12/10)

13h – Shota Nakama, criador da Video Game Orchestra

14h – Yoshinori Ono, produtor de Street Fighter

15h – Katsuhiro Harada, diretor das séries de luta Tekken e de Soul Calibur

16h – Nolan Bushnell, criador do Atari

17h – Yoshiaki Hirabayashi, produtor de Resident Evil 2

18h – Gabriel Fallen, ProPlayer de CS:GO

19h – Daniel Pesina, intérprete de diversos personagens icônicos de Mortal Kombat

20h – Michiteru Okabe, produtor sênior de Devil May Cry 5

 

Sábado (13/10)

13h – Daniel Pesina, intérprete de diversos personagens de Mortal Kombat

14h – Michiteru Okabe, produtor sênior de Devil May Cry 5

15h – Shota Nakama, criador da Video Game Orchestra

16h – Howard Scott, desenvolvedor do game “E.T. the Extra-Terrestrial”

17h – Yoshiaki Hirabayashi, produtor de Resident Evil 2

18h – Katsuhiro Harada, diretor das séries de luta Tekken e de Soul Calibur

19h – Yoshinori Ono, produtor de Street Fighter

20h – Influenciadores

 

Domingo (14/10)

13h – Katsuhiro Harada, diretor das séries de luta Tekken e de Soul Calibur

14h – MIBR, time de eSports

15h – Yoshinori Ono, produtor de Street Fighter

16h – Yoshiaki Hirabayashi, produtor de Resident Evil 2

17h – Michiteru Okabe, produtor sênior de Devil May Cry 5

18h – Shota Nakama, criador da Video Game Orchestra

19h – Influenciadores

20h – Influenciadores

* A programação está sujeita a alterações.

 

Serviço – Brasil Game Show 2018

Quando: 10 a 14 de Outubro (1º dia exclusivo para imprensa e negócios)

Onde: Expo Center Norte

Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 – Vila Guilherme, São Paulo – SP

Horário: 13h às 21h

 

Hoplon anuncia data do lançamento oficial de Heavy Metal Machines e lança novo trailer

Após alguns meses de árduo trabalho, a Hoplon finalmente esta pronta para o lançamento de Heavy Metal Machines, o jogo que mistura as corridas de destruição à lá Rock ‘n Roll Racing e o gênero MOBA. O jogo estará disponível em versão completa no próximo dia 19 de setembro através da Steam. Vale lembrar que a versão demo já teve mais de 8oo mil downloads desde seu lançamento em janeiro de 2017.

De acordo com Tatiana Moreira, gerente de marketing da Hoplon, esse período em acesso antecipado permitiu melhorar bastante os aspectos técnicos do game como a jogabilidade e os gráficos. A expectativa é que quem jogou a versão demo sinta uma diferença grande em relação ao jogo final. A Hoplon promete ainda que não abandonara o suporte a Heavy Metal Machines após o lançamento, lançando novas atualizações e tornando o jogo ainda mais competitivo. “A partir de 19 de setembro, os jogadores poderão curtir uma série de aprimoramentos que fizemos em Heavy Metal Machines, tanto do ponto de vista gráfico quanto de mecânicas de jogo”, disse Tatiane Moreira.

HoplonA versão completa de Heavy Metal Machines terá um visual renovado desde o layout da loja, menus e tela de pick, que receberá uma arte exclusiva de um carro em 3D. Já o sistema de progressão de níveis, chamado de “Metal Pass” será totalmente novo e baseado em temporadas. Os jogadores começarão no nível 1 e poderão avançar até o nível 50, de duas formas: free e premium, sendo que o modo premium é pago e dará missões semanais com recompensas mais valiosas aos jogadores.

De acordo com a Hoplon, independentemente do tipo de progressão escolhida, conforme melhoram em Heavy Metal Machines, os jogadores poderão ganhar lores (histórias), personagens, skins, sprays, efeitos (largada, abate, reconstrução e pontuação), bordas do avatar, fama (dinheiro do jogo) e artwork. Na versão premium, ainda haverá recompensas em cash.

“O lançamento de Heavy Metal Machines coroa os anos de dedicação de um time talentoso da Hoplon de mais de 80 pessoas, que seguirá trabalhando duro para oferecer uma experiência cada vez melhor e mais completa à comunidade”, disse Rodrigo Campos, CEO da Hoplon. “Desde o início do projeto, buscamos fazer algo memorável, que trouxesse singularidade e inovação ao cenário de jogos competitivos gratuitos, e estamos orgulhosos do resultado”.

Para acompanhar as novidades da Hoplon e do game, acesse o site.

Abaixo tem o novo trailer de Heavy Metal Machines:

 

Demo de Mega Man 11 já esta disponível para todas as plataformas

Assim que a Capcom anunciou Mega Man 11, a comunidade de fãs entrou em polvorosa, afinal a empresa havia negligenciado o personagem por muito tempo. A demo foi lançada nesta semana e conta com uma batalha bastante dinâmica contra o vilão Block Man. A demo serviu para mostrar que a Capcom pretende manter o estilo que tornou a franquia famosa.

Na demo de Mega Man 11, os jogadores podem escolher diferentes níveis de dificuldade. Outro destaque é que para avançar na aventura os jogadores devem usar diversos recursos, tal como o novo sistema Double Gear e diferentes armas de chefes para derrotar Block Man e absorver seus poderes. De acordo com a Capcom, os cenários do jogo foram desenhados à mão.

Àqueles que baixarem a demo serão recompensados com um conjunto de itens de uso único que poderá ser resgatado no jogo final. A Capcom espera que o lançamento da demo ajude a melhorar o desenvolvimento do jogo e captar a atenção dos fãs robô, que passaram muito tempo esperando um novo jogo.

Mega Man 11 chega a partir de 2 de outubro em formato digital para Nintendo Switch, PlayStation 4, Xbox One e Windows PC, e no Brasil em formato físico para PlayStation 4 e Xbox One. Você pode obter mais informações no site da Capcom.

Abaixo tem o trailer de Mega Man 11:

 

Mad Mimic revela o novo jogo Turma da Mônica e a Guarda dos Coelhos

Durante o evento Game XP, no Rio de Janeiro, o pessoal da Mad Mimic (No Heroes Here) anunciou seu novo jogo Turma da Mônica e a Guarda dos Coelhos, fruto da parceria com a Mauricio de Sousa Produções. O titulo marca o retorno dos personagens da Mônica aos jogos eletrônicos após um hiato de vários anos.

Assim como No Heroes Here, o novo jogo da Mad Mimic é do gênero tower defense, com o destaque de colocar a turma da Mônica em uma missão de proteger castelos de uma horda de sujeira. É possível jogar em modo co-op em ate 4 jogadores simultâneos. Os personagens Monica, Cebolinha, Cascão e Magali devem usar suas habilidades e trabalhar em equipe a fim de evitar que os invasores levem as relíquias do castelo.

Para garantir sucesso na missão, você deve usar de todos os recursos possível, como pólvora, coelhos mágicos e ate canhões de coelho. De acordo com a Mad Mimic, muito do gameplay se baseia em usar as melhores estratégias e dividir tarefas para derrotar os invasores. Você deve produzir pólvora, criar coelhos mágicos e disparar os canhões antes que os inimigos mudem suas estratégias. O segredo é estar sempre um passo à frente dos inimigos.

Toda a produção de Turma da Mônica e a Guarda dos Coelhos está sendo feita no Brasil, com todo o apoio de Mauricio de Sousa e sua equipe criativa. A intenção é criar um jogo que preste homenagem a todo o legado da obra ao mesmo tempo que utiliza a expertise da Mad Mimic para criar um jogo com identidade própria.

A Mad Mimic esta utilizando todo seu aprendizado conquistado em No Heroes Here para esta nova produção. Vale lembrar que o NHH foi vencedor na categoria Melhor Jogo Brasileiro no Big Festival 2018. Não por acaso, Turma da Mônica e a Guarda dos Coelhos lembra bastante o jogo retro mencionado, inclusive contando com estilo pixel art.

Poder trabalhar com o desenvolvimento de um jogo baseado na propriedade intelectual da Turma da Mônica é algo tão fantástico como viver uma das fantásticas histórias vistas nos gibis da turminha”, afirmou Luis Tashiro, Diretor Executivo da Mad Mimic Interactive. “Esse jogo é uma oportunidade incrível para nós da Mad Mimic não apenas por ser tratar do retorno da Turma da Mônica aos games, mas também por ser feito por fãs e para fãs destes tão amados personagens. Aqueles que gostam de juntar os amigos para uma boa diversão multiplayer ficarão muito felizes em poder viver essa grande aventura chamada Mônica e a Guarda dos Coelhos”, complementou Tashiro.

Turma da Monica e a Guarda dos Coelhos será lançado ainda em 2018 para PCs via Steam, Playstation 4 e Nintendo Switch. Mais detalhes devem ser anunciados no site da Mad Mimic.

Abaixo tem o trailer de Turma da Mônica e a Guarda dos Coelhos:

 

NESCAU e NBA trazem quadra digital de basquete para a Game XP no Rio de Janeiro

A Game XP, um dos maiores eventos de games do Brasil, já está a todo o vapor no Rio de Janeiro. Uma das empresas que marcam presença na feira é a Nestlé, sim a distribuidora do NESCAU montou um estande especial para divulgar sua nova ação de marketing com temática inspirada no basquete. Basicamente foi construído o espaço NBA Fan Zone em que os fãs de basquete podem brincar com a realidade aumentada e com a realidade virtual, testar o novíssimo NBA2K 2019 e participar de sorteios e demais ações promocionais.

Vale destacar que a parceria entre a NESCAU e a NBA já uniram forças no passado recente: a Nestlé recentemente sorteou dez viagens para os EUA para assistir um jogo da NBA, com direito a três acompanhantes, além disso, foi distribuído dois mil prêmios no site da Loja NBA e criou sete modelos de copos colecionáveis decorados com temas relacionados à modalidade.

Além de contar com óculos de VR e AR, a NBA Fan Zone, instalado na Inova Arena,  conta com outras atividades como o Desafio NESCAU Protein+ e a possibilidade dos visitantes ver de perto o Troféu Larry O’Brien, taça que é entregue aos campeões da NBA. O evento será na quadra digital, que chega ao Brasil pela primeira vez, com direito a brindes exclusivos.

Haverá ainda uma brincadeira de caça ao tesouro em que os participantes devem caçar os promotores espalahados pelos corredores da feira a fim de conseguir carimbos que garantem acesso às gincanas. De acordo com a Nescau, são três estações espalhadas pelo evento, de modo que cada uma contará com atividades simultâneas. Com os braços carimbados, os desafios ocorrem em ordem crescente, do um ao três. O maior pontuador do dia ganha um voucher de R$ 200,00 para qualquer experiência no evento.

“A parceria entre NESCAU e NBA reforça nossa missão de estimular a prática de atividade física e hábitos de vida saudável entre as crianças. Também está em total sintonia com a linha Protein+, um produto feito para os millenials, aqueles que vivem o dia todo na correria para cumprir todas as atividades que planejaram. O produto, com 13g de proteínas dá mais disposição e é ideal para esse público que está sempre conectado”, garante Rodrigo Lopes, gerente de marketing de bebidas da Nestlé.

Por fim, além de mergulhar no basquete real e virtual, os visitantes da ‘NBA Fan Zone’ vão encontrar totens em tamanho real dos astros da liga, entrar em um vestiário dos times profissionais e visitar a NBA Store, loja oficial da liga. Os fãs do ‘NBA2K’ poderão experimentar também, em primeira mão, a edição 2019 do game, sucesso mundial que completa 20 anos e será lançado oficialmente em 11 de setembro para PlayStation 4, Xbox One, Switch e PC.

 

Serviço – Game XP 2018

Quando: 06 a 09 de setembro de 2018

Onde: Parque Olímpico do Rio de Janeiro – Av. Embaixador Abelardo Bueno, 3401 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ

Informações: https://www.gamexp.com.br/

Conheça Fluffy Horde, o premiado jogo indie que mistura gêneros RTS e Tower Defense

Hoje vamos falar sobre o jogo indie brasileiro Fluffy Horde, criado pelo estúdio Turtle Juice. Basicamente trata-se de um side-scrolling em 2D que mistura elementos de RTS (estratégia em tempo real) com tower defense em que o jogador deve impedir que um terrível Shaman conquiste os três reinos com sua trupe de coelhos!?

A jogabilidade é inspirada em jogos de estratégia em tempo real como Warcraft: Frozen Throne e Age of Empires e outros jogos Tower Defense como Kingdom Rush e Plants vs. Zumbis. O mais interessante é o estilo em pixel art, que agrada bastante fãs de jogos retro, porém com mecânicas inspiradas em jogos mais recentes.

A horda mágica de coelhos é quase infinita, de modo que o jogador precisa bolar estratégias incríveis para impedir a vitória do Shaman. O plot é extremamente improvável, o que dá a Fluffy Horde uma identidade própria e um fator humor bastante pungente. Este é um dos poucos games que misturam gêneros de maneira tão criativa.

Não por acaso, o título foi bastante reconhecido na Gamepolitan, tendo recebido o prêmio de Melhor Tecnologia e finalista em três outras categorias no festival (melhor narrativa, melhor som, melhor arte); e vencedor ainda na SJECC para melhor design de jogos e melhor arte. Fluffy Horde é o primeiro jogo brasileiro financiado pela Humble Bundle.

De acordo com os produtores, Fluffy Horde (em sua versão final) contará com um modo campanha extenso: são 4 Mundos ao todo, o que contabiliza mais de 100 levels para você jogar. Inclusive há batalhas contra chefões bastante desafiadoras. O game ainda conta com um modo multiplayer online para quem quer desafiar os amigos.

O lançamento oficial de Fluffy Horde está agendado para 7 de novembro de 2018 para PC na Steam, Gog e Humble Store (Windows, Mac e Linux). Mais informação no site do game.

Abaixo tem o trailer de Fluffy Horde:

BGS oferece 10 vagas para trabalhar no evento. Oportunidades podem render contratos efetivos

Na semana passada postamos algumas vagas que o pessoal da Brasil Game Show (BGS) postou em seu perfil no LinkedIn e hoje temos mais dez oportunidades que a empresa divulgou para seu banco de talentos 2018. Basicamente, é para compor a equipe da BGS por 10 dias (05 a 15/10), de modo que deve-se auxiliar na organização do evento e participar do maior evento de jogos da América Latina, a ocorrer em outubro, no Expo Center Norte, em SP.

De acordo com Marcelo Tavares, criador da Brasil, o programa de talentos irá oferecer bolsa auxílio de R$1.200,00, transporte aéreo + shuttle + hospedagem + alimentação durante o período de estadia em São Paulo (além de oportunidade de futura contratação). Sim, àqueles que se destacarem podem ser contratados efetivamente e integrar o time da BGS.

Para participar, você deve encaminhar uma sugestão para a BGS, a fim de que eles avaliem sua criatividade e disposição para o trabalho. São projetos que demandam atenção do candidato e que servirão para mostrar um pouco de seu próprio trabalho. São quatro modalidades de sugestões de projeto que você pode encaminhar, sendo elas:

 

  • 1 ) CRIAÇÃO DE LOGO Uma das novas áreas da BGS 2019 será o “Pavilhão Mobile. Crie uma sugestão de logo para essa área com conceito e justificativa.

 

  • 2 ) PROJETO DE ATIVAÇÃO uma produtora de games irá participar do evento com um espaço de 300m2 para o lançamento de um novo jogo. Sugira um plano de ativações para essa empresa durante o evento, com sugestões de interações, esboço do estande, atrações e todos os demais pontos que precisam ser pensados para que o projeto tenha sucesso.

 

  • 3 ) PROJETO DE UMA NOVA ATRAÇÃO confira em www.brasilgameshow.com.br todas as áreas e atrações que o evento possui. Faça a sugestão de uma nova área/atração para a BGS 2019 com conceito e justificativa.

 

  • 4 ) CONTEÚDO faça uma sugestão de programa para o canal da Brasil Game Show no YouTube.

 

Benefícios e Requisitos:

Entre os benefícios oferecidos estão, remuneração para os dias de evento, passagem, hospedagem, transporte e alimentação. Quanto aos requisitos para trabalhar no time da BGS, Marcelo Tavares não especificou nível curricular ou cursos de formação, porém alguns pontos são importantes:

  • Disponibilidade para trabalhar na cidade de São Paulo/SP durante a BGS
  • Disponibilidade para trabalhar durante os dias de montagem e realização da BGS 2018 (05 à 15 de Outubro)
  • Trabalho em Equipe
  • Boa comunicação escrita e verbal
  • Paixão por Games
  • Vontade de fazer parte da equipe permanente

 

Se você se interessa pela oportunidade ou conhece alguém que queira um trabalho temporário (lembrando que o aproveitamento pode render contrato efetivo), basta se candidatar na página LinkedIn da BGS.

Dazz lança mouse pad gamer Nightmare nas versões Speed e Control 

Visando os entusiastas por tecnologia de ponta para games, a Dazz acaba de lançar seu novo mouse pad gamer, chamado Nightmare. O acessório chega ao mercado em duas versões (Speed e Control) que se destacam por possuir um design arrojado. A versão Speed foi desenvolvida para jogos que exigem movimentos rápidos. Já o modelo Control tem ótima performance nos jogos que requerem precisão nos movimentos.

Os mouse pads da linha Nightmare contam com base emborrachada com superfície antiderrapante, têm 3 mm de espessura e garantia de 2 anos. Estão disponíveis nos tamanhos pequeno, médio, grande e extragrande. O objetivo é oferecer produtos que ajudem os jogadores a melhorarem seus reflexos durante a jogatina.

DazzOs preços sugeridos são: Mouse Pad Nightmare pequeno R$ 19,90; Mouse Pad Nightmare médio R$ 24,90; Mouse Pad Nightmare  grande R$ 34,90; e Mouse Pad Nightmare extragrande R$ 49,90.

Muito mais produtos para gamers

Vale lembrar que além dos mouse pads para gamers, a Dazz possui uma linha de mouses voltadas ao público gamer também, como o Thundertank 6200 DPI e o Ballistic Gear 5000 DPI. Os produtos da Dazz são reconhecidos pelo design arrojado e pela qualidade de seus produtos. Você pode conferir o catálogo aqui.

 

Fichas técnicas:

Mouse Pad Nightmare Speed

• Mouse Pad Gamer tipo Speed, para jogos que exigem movimentos rápidos
• Base emborrachada com superfície antiderrapante
• Espessura de 3mm

Mouse Pad Nightmare Control

• Mouse Pad Gamer tipo Control, para jogos que exigem para jogos que exigem precisão nos movimentos
• Base emborrachada com superfície antiderrapante
• Espessura de 3mm

 

Mais informações no site da Dazz.