Todos os post de Luiz Silva

Luiz Silva, jornalista de games formado pela Universidade Paulista. Já escreveu para as revistas da Tambor Digital (EGW, Gameworld), para o site Player 2 entre outras coisas. "Sou um entusiasta por videogames, apesar de jovem já tive até um Atari, minha série favorita é Silent Hill".

O Natal não acaba antes de jogar Cata Presente da Gaz Games

Cata Presente

O Natal já passou, porém as árvores de natal só serão desfeitas em meados de Janeiro, ou seja, o clima de Natal ainda não vai embora tão cedo. E foi pensando no clima de Natal que o pessoal da Gaz Games criou o jogo Cata Presente para tablets e celulares que utilizam o sistema Android.

No game, o usuário deve focalizar uma imagem impressa posicionada aos pés de sua árvore de natal para conferir uma bacana imersão em 3D com aparições do Papai Noel, gnomos, presentes, neve, música natalina e muito mais. A ideia é deixar o clima mais propício para essa época do ano.

O aplicativo ainda compreende um modo chamado GAME, em que o jogador controla o bom velhinho posicionando-o através da tela de toque para pegar presentes que caem do céu. O fator desafio é evitar as bombas e cristais de gelo que estão misturados em meio aos presentes. As bombas fazem o Papai Noel perder tempo e os cristais de gelo convertem o personagem em um boneco de neve, dificultando a movimentação.

O Game já está disponível no Android Market. Mais informações e links para download no site da empresa, abaixo está o vídeo do jogo:

Games da EA Mobile estão com desconto na App Store por tempo limitado

EA Mobile

A EA Mobile preparou uma mega promoção para comemorar o fim do ano. A empresa dedicada ao desenvolvimento de jogos para dispositivos mobile selecionou cerca de 50 jogos de sua linha para iOS e os disponibilizou na App Store pela bagatela de US$ 0,99. A promoção tem um tempo limitadíssimo: vai até o dia 4 de janeiro de 2013.

De acordo com a gigante dos games, a promoção é parte da EA Holiday Play List, uma campanha que visa alavancar a venda de suas principais franquias no período de fim de ano. Alguns games estão tão baratos, que chegam a custar até 90% menos que o normal. É uma ótima oportunidade para carregar o celular de games a um preço baixo.

O mais interessante (e convidativo), é que algumas das maiores marcas da EA entraram na promoção mobile, como por exemplo, Need for Speed, Sim City, The Sims, Mass Effect, entre outros. Ou seja, a empresa não ficou com miséria a ponto de só deixar jogos mais antigos na promoção.

Abaixo você confere toda a lista de games em promoção da EA Mobile e seus respectivos preços. Para baixá-los, basta fazer a busca na App Store.

Lista de jogos em promoção da EA Mobile:

 

Título

Plataforma

Preço (US$)

Preço Promocional (US$)

Desconto (%)

Battleship HD iPad $4.99 $0.99 80%
Bop It! iPad $2.99 $0.99 67%
Coconut Dodge iPad $1.99 $0.99 50%
Command & Conquer Red Alert iPad $4.99 $0.99 80%
Dead Space iPad $9.99 $0.99 90%
Draw Jump HD iPad $2.99 $0.99 67%
Flight Control iPad $4.99 $0.99 80%
Madden 12 iPad $6.99 $0.99 86%
Max and the Magic Marker iPad $2.99 $0.99 67%
Mirror’s Edge iPad $9.99 $0.99 90%
Monopoly iPad $6.99 $0.99 86%
Monopoly Here & Now iPad $9.99 $0.99 90%
Monopoly Millionaire iPad $4.99 $0.99 80%
NBA Jam iPad $4.99 $0.99 80%
Need For Speed Hot   Pursuit iPad $9.99 $0.99 90%
NFSS2 Unleashed iPad $4.99 $0.99 80%
Pictureka iPad $4.99 $0.99 80%
Plants vs. Zombies HD iPad $6.99 $0.99 86%
Real Racing iPad $4.99 $0.99 80%
Real Racing 2 iPad $6.99 $0.99 86%
Reckless Racing iPad $4.99 $0.99 80%
RISK iPad $6.99 $0.99 86%
SimCity Deluxe iPad $6.99 $0.99 86%
Sims Medieval iPad $4.99 $0.99 80%
Snood iPad $4.99 $0.99 80%
Tetris iPad $2.99 $0.99 67%
The Game of Life iPad $4.99 $0.99 80%
Tiger Woods iPad $4.99 $0.99 80%
Trivial Pursuit Master Edition iPad $4.99 $0.99 80%
Yahtzee iPad $4.99 $0.99 80%
Dead Space iPhone $6.99 $0.99 86%
Dragon’s Lair II: Time   Warp iPhone $2.99 $0.99 67%
Madden 12 iPhone $4.99 $0.99 80%
Monopoly Millionaire iPhone $2.99 $0.99 67%
Need For Speed Hot   Pursuit iPhone $4.99 $0.99 80%
NFSS2 Unleashed iPhone $1.99 $0.99 50%
Need for Speed Undercover iPhone $2.99 $0.99 67%
Plants vs. Zombies iPhone $2.99 $0.99 67%
Real Racing iPhone $2.99 $0.99 67%
Real Racing 2 iPhone $4.99 $0.99 80%
RISK iPhone $2.99 $0.99 67%
Scrabble iPhone $1.99 $0.99 50%
Sims 3 iPhone $6.99 $0.99 86%
Sims 3 Ambitions iPhone $4.99 $0.99 80%
Sims 3 World Adventures iPhone $2.99 $0.99 67%
Sims Medieval iPhone $2.99 $0.99 67%
Burnout Crash Universal $4.99 $0.99 80%
FIFA 13 Universal $6.99 $0.99 86%
Need for Speed Most   Wanted Universal $6.99 $0.99 86%
Mass Effect Infiltrator Universal $4.99 $0.99 80%
Word Smack Universal $2.99 $0.99 67%
WSOY Universal $2.99 $0.99 67%

 

The Settlers Online chega ao Brasil em versão em português

The Settlers Online

Demorou um pouquinho, mas finalmente os jogadores brasileiros podem aproveitar o game The Settlers Online em português. A Ubisoft acabou de anunciar o lançamento da versão em português deste MMO free-to-play que roda diretamente nos navegadores.

Para quem não conhece, The Settlers Online é um game que mistura simulador de construção e estratégia em tempo real. O título foi desenvolvido pelos estúdios Ubisoft Blue Byte da Alemanha, e foi lançado em meados de setembro de 2012, trazendo diversos conceitos e elementos já explorados pelos games da franquia.

No mundo online os jogadores podem se estabelecer em novas cidades e se unir a outros jogadores conectados para formar um reino próspero e poderoso. Além disso, é possível fazer negócios e trocar bônus entre os outros gamers conectados.

The Settlers Online: 35 milhões de jogadores

“The Settlers Online já é um sucesso enorme em países como a Alemanha, onde há mais de 1,7 milhão de jogadores. No Brasil existem mais de 35 milhões de jogadores online e queremos levar o TSO para esses gamers que curtem e procuram um jogo de estratégia que seja bonito, realmente desafiador e tenha excelente conteúdo totalmente em português”, disse Bertrand Chaverot, diretor da Ubisoft Brasil.

Para acessar a versão beta fechada, já em português, os jogadores precisam ir até a página nacional do game. De acordo com a Ubisoft, foram preparados conteúdos especialmente adaptados ao jogador brasileiro. Em outras palavras, se você gosta de estratégia e MMO, confira Settlers Online, pois ele promete bastante diversão.

Abaixo você confere o trailer de lançamento do game:

Interativa Events lança livro interativo João e o Pé de Feijão

Livro Interativo João e o Pé de Feijão

Hoje o GameReporter traz um livro interativo dos mais interessantes a passar por aqui, afinal ele é baseado em uma das fábulas mais conhecidas do mundo. Em João e o Pé de Feijão,  o gamer / leitor encontra uma releitura em 3D do conto escrito por Benjamin Tabart, incluindo momentos chaves que precisam de uma decisão do jogador.

O livro interativo é obra da Interativa Events de São Paulo, que acredita existir uma falta de livros assim destinados ao público infantil que estejam disponíveis em português. A ideia básica do estúdio foi enriquecer o conto adicionando elementos construtivos e morais que pudessem ser entendidos pelos mais jovens, para isso a narrativa utiliza-se de elementos e situações de nossa era.

Livro interativo com gráficos 3D

Os gráficos da obra são em 3D e contém muitas cores a fim de prender a atenção das crianças, além disso, a interface foi desenvolvida para facilitar a vida dos pequenos. De acordo com o pessoal da Interativa, as crianças podem curtir o livro a partir dos 4 anos. O estúdio preocupou-se também em disponibilizar legendas em português e em inglês para facilitar a leitura e o aprendizado. Mas também há uma opção que permite acompanhar a história sendo narrada em qualquer dos dois idiomas.

De acordo com o time de desenvolvimento “a maior dificuldade do projeto foi o desenvolvimento da arte, que foi estudada para o jogo e então aplicar dentro de dispositivos que não tem um hardware muito potente”. O livro foi construído a partir da Unity Engine por apenas 7 pessoas e contém cerca de 40 momentos interativos. O aplicativo já está disponível para iPad a partir da App Store pelo preço de USD 2.99.

E ainda tem um presente vindo direto do time da Interativa para os leitores do GameReporter: dois Promo Codes! Os primeiros que pegarem baixam o aplicativo de graça, então sejam ligeiros! É só pegar:

4TKKRLLME74F

4NJM4N64PKXP

Abaixo, você confere o vídeo do livro interativo em ação:

Banda MegaDriver lança nova música inspirada em O Hobbit

banda megadriver

O Hobbit: Uma Jornada Inesperada marca não somente o retorno das aventuras do povo da Terra Média aos cinemas de todo o mundo, como também marca uma grande invasão de produtos inspirados na obra de J.R.R Tolkien, sejam eles em que formato forem.

O filme estreou neste final de semana, e para nossa alegria, supera em muito nossas expectativas. Tinha tanta gente ansiosa para ver a história de Bilbo que a alguns não se contentarem em apenas esperar pelo lançamento do filme. Este foi o caso dos músicos da Banda MegaDriver, que lançaram uma música para comemorar este super lançamento.

A música da Banda MegaDriver

Batizada de “Song Of The Lonely Mountain” (Canção da Montanha Solitária, em tradução livre), a música foi inspirada nos versos originais do livro e baseadas nas melodias de Howard Shore. A letra é, de acordo com a banda, uma variação do tema de encerramento criado pelo músico Neil Finn para o filme. A ideia da banda foi unir a música com seu estilo mais voltado para o Power metal melódico, a fim de homenagear todos os fãs de Tolkien.

Abaixo você confere o produto final:

Brasileiro está na final do Square-Enix Latin America Game Contest

Square-Enix Latin America Game Contest

Quem se lembra do Square-Enix Latin America Game Contest? Pois é a disputa chegou na fase decisiva em que o público deve escolher seus jogos favoritos. Como muitos sabem, o concurso engloba toda a América Latina, e não apenas o Brasil. Entretanto engana-se quem achou que o Brasil não teria nenhum representante nesta fase.

Um webgame brasileiro está entre os dez finalistas e foi desenvolvido pelo time do Renan Reis, que já apareceu nas páginas do GameReporter com seu game bem humorado Gritar Hero. O jogo que lhe valeu entrar na etapa decisiva do concurso da Square é o Galaxy Runner.

O título coloca o jogador no controle de um cometa Deus da Destruição que chega até o planeta para causar a devastação em toda a sua superfície. O destaque é que o cometa do jogo foi previsto por uma profecia Maia a se realizar em meados de 2012 (!). O controle é em primeira pessoa e o desafio é desviar de obstáculos utilizando o mouse para coletar estrelas em túneis interdimensionais. A missão é chegar na Terra para arrasá-la completamente.

O game é simples porém divertido, e já está disponível para testes, basta acessar a página do jogo. Você pode jogar e posteriormente avaliar o título para ajudar nossos compatriotas a impressionar o pessoal da Square. Apostamos que com toda essa onda de fim de mundo, esse game tem tudo para fazer bastante sucesso por aí!

Assassin’s Creed III atinge a marca de 7 milhões de cópias vendidas

Assassin’s Creed III

A Ubisoft tem muitas razões para continuar investindo na franquia Assassin’s Creed no futuro, pois, como se não bastasse a alta qualidade da franquia, o último game lançado, Assassin’s Creed III, acabou de bater a marca de 7 milhões de cópias vendidas em todo o mundo desde seu lançamento em novembro de 2012.

De acordo com a empresa francesa, outros números impressionantes também foram alcançados com o terceiro game: os jogadores singleplayer já acumularam em conjunto mais de 82 séculos de jogatina, mais de 230 milhões de navios já naufragaram no game e mais de 5 bilhões de sessões já foram iniciadas no modo multiplayer online.

De acordo com Tony Key, vice-presidente de vendas e marketing da Ubisoft, o sucesso do game já o coloca como um dos campeões de venda do fim de ano e a receptividade do público era esperada, pois, segundo o executivo, a companhia sabia que tinha um produto especial nas mãos.

Aqui no Brasil, o sucesso de Assassin’s Creed III também pôde ser sentido: o game acumulou mais de 200 mil cópias vendidas em apenas 1 mês, tornando-se o maior lançamento já feito pela Ubisoft no país. E se depender da empresa, as coisas não devem parar por aí: o plano da Ubisoft é alavancar ainda mais as vendas por aqui através de lançamentos de DLCs especialmente para o público local.

“(…) disponibilizamos o DLC com a dublagem em português do Brasil e, com isso, temos certeza que vamos atingir um publico ainda maior”, disse Bertrand Chaverot, diretor geral da Ubisoft no Brasil.

Alguém duvida que em 2014 a Ubisoft deve lançar mais algum produto com a marca Assassin’s Creed?

Balanço geral: como foi o Brazilian International Game Festival

Festival BIG / Brazilian International Game Festival

Fim de jogo! Após 11 dias de muita jogatina, experimentos, palestras, demonstrações e negócios, teve fim o BIG Brazilian International Game Festival (leia mais aqui), evento de games dedicado aos jogos independentes realizado no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo. O GameReporter esteve lá acompanhando esse evento tão peculiar e traz agora o que de melhor ocorreu.

A primeira (e principal) atração do BIG era a exposição de jogos independentes. O pessoal da organização reservou um amplo espaço no Museu a fim de disponibilizar os 19 jogos presentes na exposição para o público visitante. Dava para testar os jogos para conhecer seus visuais e mecânicas antes de votar em quais eram os melhores. O melhor é que alguns dos games presentes na exposição eram verdadeiras peças de arte dignas de estarem em um museu, vejam vocês.

Um dos destaques da exposição era um game para iPad chamado Fingle, da Game Oven Studios. O game era bem simples: a tela apresentava alguns quadrados que deveriam ser arrastados até serem sincronizados com outros quadrados “fantasmas”. Parece bem simples não?  A dificuldade chegava nas fases em que os quadrados começavam a se mexer ou estavam em posições afastadas, obrigando o jogador a dar nós em seus dedos para sincronizar os quadrados. Simples, funcional e divertido, dá até para jogador em duas pessoas.

Outro destaque digno de nota é o jogo Papo & Yo do estúdio Minority do Canadá. O game já havia sido lançado em agosto para a PSN, mas ainda não havia sido apresentado ao público brasileiro. O game é um grande puzzle que coloca o jogador na pele de um garoto chamado Quico em uma favela brasileira. O game é cheio de analogias e o grande destaque é o modo como os desenvolvedores utilizaram a imaginação de Quico para resolver os puzzles. Anote aí, pois deveremos falar desse jogo novamente no futuro.

Outro jogo que se fez notar foi Unmechanical , que se tornou bem famoso entre os fãs de jogos indie. No título, você controla um robozinho que deve explorar cavernas e resolver puzzles. Apesar da ideia simples, o game agrada bastante pela ambientação e os quebra cabeças envolventes. O game, aliás, ganhou o prêmio máximo do evento (a lista de vencedores você confere logo abaixo).  Além destes jogos, haviam outros destaques como Awesomenauts, Capsized, Tiny & Big, entre outros .

Os 19 games que estavam no evento concorriam ainda nas categorias da premiação que rolou no antepenúltimo dia do evento a prêmios variados, dependendo de cada categoria. O prêmio máximo era de R$ 30 mil. Ainda sobre a exposição, vale dizer que uma das primeiras que você veria ao chegar na exposição era um telão exibindo o vídeo de apresentação de Angry Birds Star Wars, apesar do game não estar lá, claramente mostrando um caso de sucesso entre os desenvolvedores indies. Afinal, nunca se sabe se algum dos games ali também podem se tornar tão grandes quanto o game da Rovio…

Além da exposição, outra atração interessante do BIG foi a Dev Island, um desafio que colocou quatro times para encarar o desafio de produzir um game do zero em apenas 24 horas. Havia algumas diretrizes que os times deveriam seguir para criar o game. O tema era ”comer, beber e jogar”, ou seja, dá para imaginar que dali saiu projetos muito divertidos.  O times participantes foram o Fire Horse, o Behold Studios, o Catavento e o Miniboss. Cada um deles teve de vencer o sono e as dificuldades de se desenvolver um game com um prazo apertado, mas garantindo que estaria jogável ao final do evento.

Outra atração muito bem conduzida do BIG foi a Demo Night, uma noite em que desenvolvedores independentes podiam apresentar seus projetos no palco e serem julgados por investidores e empresários do ramo, alguns deles vindos de empresas grandes como a Konami e a Microsoft. A ideia era que se não saíssem do BIG com um negócio fechado, ao menos saíssem de lá com um feedback de como deveriam conduzir seus games a fim de melhorá-los até serem publicáveis.

Os desenvolvedores apresentavam seus games e em seguida os representantes das empresas os julgavam, mais ou menos como ocorre em TCCs na Universidade. As apresentações serviram para mostrar que nossos desenvolvedores realmente sabem fazer jogos, pois alguns estavam com qualidade excedendo as expectativas como Schrödy, Toren e XH2O. Ao todo, dez games se apresentaram na Demo Night, cada um tentando ganhar seu espaço e mostrando que tem potencial para ser lançado por uma grande Publisher.

Outras atrações do evento foram os workshops e palestras com os profissionais e convidados do evento, que falavam ao público um pouco sobre suas empresas, e variados temas envolvendo os jogos eletrônicos e suas relações, como por exemplo, “games e educação” e “games e a televisão”, “games e negócios”, e por aí foi. Foi um dos momentos em que dava para tirar algumas dicas para se tornar um desenvolvedor de um game de sucesso.

Para fechar o BIG ainda teve um coquetel entre os desenvolvedores, jornalistas, empresários e convidados para aquele bate-papo esperto, pegar contatos e fechar negócios. Após isso, houve a exibição do documentário Indie Game: The Movie, que já falamos aqui no GameReporter em outras ocasiões. Parece que o objetivo era mostrar aos desenvolvedores que há casos iguais aos deles em que se dedica tempo e dinheiro em uma ideia desacreditada, mas que no fim acabam dando certo.

E como não falar da premiação dos melhores games do BIG? Na sexta-feira, 30 de novembro, rolou a entrega dos troféus para os destaques do evento. A premiação teve como mestre de cerimônias o Luciano Amaral da Play TV, e apesar do atraso no início o público presente não arredou o pé do auditório do Museu a fim de não perder uma noite célebre. De acordo com a organização do evento, ano que vem tem mais! E pelo jeito como foi essa primeira edição, em 2013 as coisas deverão ser ainda maiores!

Confira abaixo a lista dos vencedores em suas respectivas categorias do Brazilian International Game Festival

Melhor Jogo da Demonight: XH2O

Melhor Jogo da Dev Island: Pro Gamer: The Game, da equipe Catavento

Melhor Jogo Online: Jelly Escape

Melhor Jogo pelo Voto Popular: Papo & Yo

Melhor Sound Design: Unmechanical

Melhor Arte: Wonderputt

Melhor Narrativa: Papo & Yo

Melhor Gameplay: Tiny & Big

Revelação Brasil: Out There Somewhere

Melhor Jogo: Unmechanical

Games for Change ocorre entre os dias 13 a 15 de dezembro de 2012

games for change

Mais um evento voltado aos jogos eletrônicos desembarca em São Paulo neste finalzinho de ano. Chegou a vez do II Games for Change que ocorre entre os dias 13 a 15 de dezembro de 2012 no Memorial da América Latina, em São Paulo. Ao contrário de grandes feiras de games, o festival  Games for Change tem um objetivo mais social, buscando mostrar pesquisas e inovações na área dos jogos que busquem algum tipo de transformação social entre seus usuários.

Além de apresentar jogos, o Festival conta ainda com oficinas em game design, palestras, debates e até uma feira de trocas, doações e descarte de games e brinquedos eletrônicos. No Games for Change dá para ficar mais interado em como os jogos podem contribuir para educação, ambientalismo, economia, tecnologia, sustentabilidade, empreendedorismo e cultura.

O Games for Change nasceu em 2004 e ganhou notoriedade por ser a maior organização sem fins lucrativos sobre jogos eletrônicos com intenção e potencial de impacto social por onde passa. Hoje em dia, o Festival tornou-se uma rede de alcance global. O Games for Change chegou na América Latina em 2011 graças a um acordo entre o grupo de pesquisa, cultura e extensão Cidade do Conhecimento da Universidade de São Paulo e em parceria com Fundação Volkswagen, AMD Foundation e o consórcio europeu PRO-IDEAL.

“São jogos desenvolvidos com o intuito de sensibilizar as pessoas, fazer com que elas reflitam mais e melhor sobre problemas”, disse Gilson Schwartz, coordenador da Cidade do Conhecimento da USP, que também é diretor para América Latina da Games for Change na ocasião da 1° edição do circuito Latino Americano 2011. A pegada para a edição 2012 será a mesma.

Entre os temas abordados ao longo do evento estarão a Educação Aplicada em Games; Game Design; Novas Narrativas; A economia da convergência entre internet e games; Games na Saúde e muito mais. As atrações contarão com as presenças de vários professores universitários que falarão sobre a suas experiências e o poder dos games como elemento transformador.

No site oficial há uma longa lista contendo todas as atrações do Festival. Os interessados em participar das palestras e oficinas devem fazer inscrição no site do evento. Alunos e professores da rede pública ganham bolsas integrais para participar, demais candidatos precisam indicar qual a necessidade no formulário.

Universe Project: o projeto de game mais ambicioso da história

universe project

Sabe aquelas ideias loucas e futuristas de viver na Matrix? Aquela ideia que já deve ter passado por todo gamer de criar um avatar e fazer o que quiser com ele num mundo virtual? Ter um game que pudesse ser jogado como um game de luta, ou um RPG, ou um gerenciador de construções ao mesmo tempo? Está na hora de conhecer o Universe Project.

Se você joga videogames certamente já pensou que seria o máximo ter um jogo que o deixasse fazer o que quisesse, certo? Candidatos ao posto de “vida alternativa” não faltaram ao longo dos anos, vide The Sims e Second Life que, diga-se de passagem, fizeram muito barulho por aí.

Mas o fato é que um game que permitisse liberdade irrestrita ao jogador parecia muito longe de ser criado, até agora. Um grupo de desenvolvedores decidiu colocar em prática a ideia de criar um universo virtual. Para eles, um game assim só surgiria em mil anos, porém pode ser feito hoje se tiver pessoas dedicadas e recursos necessários.

Conheça o Universe Project

Apelidado de Universe Project, o game promete se tornar uma verdadeira realidade virtual alternativa para todos os jogadores e poderá ser jogado em qualquer plataforma, seja ela PC, consoles, tablets ou smartphones.  Além disso, cada personagem do game será controlado por uma pessoa real, ou seja, nada de NPCs (personagem não jogável).

O game será um gigantesco MMO com um mundo do tamanho do planeta Terra. Os jogadores podem construir suas próprias cidades, plantar coisas, roubar outros jogadores, criar exércitos, enfim, viver uma vida alternativa dentro do jogo, sem que haja leis ou impedimentos para fazer o que sempre quis.

O problema é que um game desse tamanho ainda não existe, e sequer está no forno. A obra demanda recursos financeiros que esses desenvolvedores ainda não têm. Por isso eles planejam lançar uma campanha de crowdfunding para arrecadar a grana necessária para iniciar o processo de desenvolvimento. A meta planejada ainda não foi informada. Os investidores interessados devem mandar seus e-mails no site  da (pré) campanha . De acordo com o site, os futuros doadores na campanha serão contemplados com desconto na hora de comprar o produto final.

Se o projeto vingar e for bem executado, tem tudo para se tornar uma boa razão para abandonar sua vida social. Porém, até que a verba seja garantida, vamos esperar para ver no que vai dar. Abaixo você confere o vídeo da campanha que explica melhor como o game funciona e o plano traçado pelos desenvolvedores: