Todos os posts de Luiz Silva

Luiz Silva, jornalista de games formado pela Universidade Paulista. Já escreveu para as revistas da Tambor Digital (EGW, Gameworld), para o site Player 2 entre outras coisas. "Sou um entusiasta por videogames, apesar de jovem já tive até um Atari, minha série favorita é Silent Hill".

Action VR – Loja especializada em jogos de realidade virtual é inaugurada no Minas Shopping

Mais uma empresa decidiu investir pesado na realidade virtual e decidiu abrir uma loja para quem quer passar algum tempo conhecendo novos mundos. A Action VR acaba de chegar ao Minas Shopping, localizado em Belo Horizonte, a capital mineira. Inaugurado neste mês, o estabelecimento oferece jogos de realidade virtual e diversos produtos colecionáveis dos universos geek e nerd. O objetivo é atrair fãs de jogos eletrônicos que buscam novas opções de lazer nos shoppings.

O Action VR conta com quatro estações de entretenimento virtual, variando entre jogos de corrida, ritmo musical e experiências lúdicas. Ao todo o empreendimento conta com 12 jogos para todas as idades, prometendo alto realismo e adrenalina para proporcionar experiências únicas. Os valores são R$ 20 por 15 minutos; R$ 30 por 30 minutos; ou R$ 50 por 1 hora.

Além disso, na loja, os clientes também encontram produtos variados, como canecas, copos, pop funkos, almofadas com kit pipoca, quadros decorativos e chaveiros. Toda a linha tem estampas com personagens de Harry Potter, Disney, Game Of Thrones, heróis da Marvel e da DC, além de séries, animes e filmes como La Casa de Papel, Naruto e Star Wars. Os preços são a partir de R$ 29,90.

“A cidade de Belo Horizonte é carente em relação a esse tipo de produto. Esperamos atender o público do Minas Shopping e atrair os frequentadores apaixonados por games de realidade virtual e por todo esse universo. Durante a inauguração fizemos uma ação de cosplay com o Homem Aranha, que está em cartaz no cinema, e atraímos muita gente para a nossa loja”, conta.

Fatec SCS Game Jam – inscrições já estão abertas para desafio de produção de jogos

Após sediar a Global Game Jam por nove anos consecutivos, a Fatec de São Caetano do Sul irá sediar mais uma game jam que promete revelar grandes talentos e grandes jogos em breve. Entre os dias 26, 27 e 28 de julho a instituição será a casa da Fatec SCS Game Jam. As inscrições já estão abertas e entre os diferenciais confirmados estão a mentoria de Flávia Gasi, Gabriela Valentin Thobias, Lia Fuziy e Vinícius Yokomizo Pires.

Todos eles estarão no evento em momentos diversos para compartilhar conhecimentos e experiências com os participantes. O tema ainda não foi revelado, seguindo o padrão das game jams, em que os participantes são desafiados a criar jogos em poucas horas. De acordo com os organizadores, a jam será exclusivamente presencial e os participantes terão direitos totais sobre os jogos produzidos.

O objetivo é fortalecer o desenvolvimento de jogos nacionais e fortalecer a amizade entre os produtores locais. A Fatec SCS Game Jam tem inscrição gratuita e quem participar terá bastante liberdade, inclusive podendo levar seu próprio hardware e software para o evento. Com isso, o participante terá a oportunidade de desempenhar seu trabalho com liberdade e comodidade. As únicas imposições são quanto a comportamentos agressivos e consumo de álcool, conforme já é de praxe.

Se você quiser saber mais e se inscrever na Fatec SCS Game Jam, basta acessar o site.

 

Confira abaixo a programação, que será atualizada até o início da game jam:

 

26/07/2019 (sexta-feira)

  • 18h – Abertura da Fatec SCS Game Jam com a revelação do tema.
  • 19h15 – Aquecimento das equipes e início dos trabalhos.

27/07/2019 (sábado)

  • 14h – Prazo para registro das equipes no site da game jam.

28/07/2019 (domingo)

  • 17h – Término do período de desenvolvimento.
  • 17h30 – Sessão de apresentação dos jogos.
  • 19h – Encerramento da Fatec SCS Game Jam 2019.

 

Serviço – Fatec SCS Game Jam 2019

Quando: 26/07/2019 – 28/07/2019 – 18:00 – 19:00

Onde: Fatec São Caetano do Sul Antonio Russo – São Caetano do Sul – São Paulo – Brasil

Quanto: gratuito

National Free Fire Association (NFA) anuncia lançamento da Liga Feminina NFA

As garotas gamers acabam de ganhar mais força: a National Free Fire Association (NFA), uma associação brasileira de Free Fire, iniciou o lançamento da Liga Feminina NFA. De acordo com a associação, o objetivo da nova liga é levar maior competitividade e oferecer um ambiente confortável para as jogadoras, a competição acontecerá entre as doze equipes associadas da liga entre os dias 13 e 31 de Julho com transmissão ao vivo pelas redes sociais da NFA.

A Liga Feminina NFA teve lançamento no último sábado (13) às 19h e irá continuar hoje (14). Todos os jogos acontecerão no horário nobre da NFA, sendo aos sábados e domingos, das 19h às 22h. Com séries melhor-de-cinco, as doze equipes associadas da NFA irão disputar a premiação de R$ 1.000,00. Para quem não conhece, a NFA é inspirada no modelo de franquia da NBA e NFL

“O objetivo da NFA com a Liga Feminina é estimular cada vez mais que as mulheres entrem no cenário competitivo.”, comentou Bernardo Assad, CEO da NFA. “A primeira temporada premiação de R$ 1.000,00 e já estudando as possibilidades para aumentar a premiação para as próximas temporadas que estão por vir. Queremos que a Liga Feminina seja um produto recorrente da NFA”, completou.

Você pode acompanhar as novidades da NFA através do canal oficial.

Harry Potter Wizards Unite: “podiam ter esperado mais”

Recentemente a Niantic (Pokémon Go) lançou o jogo Harry Potter: Wizards Unite, que utiliza a mesma tecnologia de realidade aumentada do game dos monstros de bolso e alcançou enorme sucesso entre os fãs do mundo bruxo. Entretanto, nem todos estão convencidos do potencial do game mobile. De acordo com Fernando Rodrigues de Oliveira, diretor de arte digital, o Fernando 3D, um dos principais nomes no universo do design gráfico digital no Brasil, acredita que o título ficou devendo em alguns aspectos.

Após testar o game por um mês, o profissional fez uma análise do desempenho do game e pontuou alguns aspectos que poderiam ser melhorados (ou melhor pensados) para tornar o game ainda mais bem sucedido. Abaixo você confere algumas críticas sobre Harry Potter: Wizards Unite:  e fez uma análise do jogo ao longo deste 1 mês, testando o novo produto em diversos quesitos:

Adesão ao jogo

A primeira CRÍTICA É EM Relação a pouca adesão do game por parte dos jogadores. O desenvolvedor faz uma comparação com o desempenho dos primeiros dias de Harry Potter e Pokémon, visto que as duas franquias são fenômenos de público e audiência.

“Pode dizer-se que este novo jogo da Niantic é um sucesso, embora em relação a adesão inicial esteja ainda longe dos números alcançados pelo Pokémon GO na sua estreia. O jogo alcançou nos Estados Unidos 400 mil downloads nas primeiras 24 horas, já o Pokémon GO atingiu no mesmo período 7,5 milhões de downloads. A razão disso pode ter uma explicação simples: a comunidade do Pokémon é muito maior. Embora Harry Potter seja uma saga de sucesso mundial, Pokémon enquanto franquia é não apenas mais extenso como sempre teve maior foco em jogos.

Marketing

O especialista também aponta falhas no marketing: “Na minha visão, o jogo “Harry Potter: Wizards Unite” faltou um marketing mais preciso. Enquanto Pokemon GO atacou por tudo quanto é lado no marketing, o “Harry Potter: Wizards Unite” teve poucas menções, tendo como público alvo mais os fãs dessa saga e menos o público em geral.

Visual e gráficos

A tecnologia de renderização com a realidade aumentada ainda não é 100% natural. Ao contrário do Pokémon GO, estamos lidando com fisionomias humanas e não de “animais imaginários” como são os Pokemons, em que já se espera que pareçam não naturais. Mas mesmo assim, os animais ‘imaginários’ de Pokémon não fazem você mergulhar no jogo e comprar totalmente a ideia da realidade aumentada, não te dá a sensação de estar dentro do jogo de fato.

Os gráficos de Harry Potter: Wizards Unite estão bem acabados, seja para as artes dos personagens que aparecem no diálogo e que já são conhecidos do público, ou para os modelos 3D que surgem durante as missões. No entanto, isso também é dependente de ter um aparelho que suporte as especificações máximas do jogo.

Jogabilidade

“O jogo tem personalidade própria e é bem fiel ao conteúdo original dos livros e filmes já lançados do bruxo, mas a jogabilidade deu o que falar, pois deixou a desejar. Uma certa complicação na interação com as batalhas e também decepcionou muita gente. O jogo é bem lento para abrir, e até certos ponto isso é influenciado pela velocidade da conexão à internet até em país com a internet de primeiro mundo. Imagina aqui no Brasil…

A Niantic procurou ir além do Pokemon GO e fazer muito mais. Em Harry Potter Wizards Unite você não interage apenas no mapa, enquanto captura criaturas e luta contra bruxos das trevas, também há muitas outras atividades a se fazer no menu. O jogo já vem com suporte a lista de amigos, perfil completo para personalizar, inclusive com foto e filtro que pode ser aplicado em sua imagem. Há missões, coleções de adesivos, entre outros elementos interativos que te permitem ir além de apenas andar pelo mapa usando o GPS do jogo e a interatividade da realidade aumentada, mas repito, deixou a desejar porque nem sempre essas interações do usuário com o jogo são fluidas”.

As magias são feitas com toques na tela e gestos com o próprio celular, que fazem com que seus poderes de bruxos sejam ativados. Nem todas as funções estão disponíveis no lançamento.

Avaliação final de Harry Potter Wizards Unite 

Fernando 3D acredita que o jogo ainda tem muitos pontos a melhorar para ser excelente e que o lançamento apressado pode ter prejudicado a jogabilidade:

“Poderiam esperar mais um pouco para o lançamento e melhorar alguns pontos cruciais para um jogo. Do jeito que está, ele não tem tanto apelo ao usuário a ponto de o tornar viciante, e nem muito menos se sentir integrado com a realidade aumentada”.

“A Niantic poderia ter revisto a questão da jogabilidade e do ‘peso’ do jogo, que carrega lento muitas vezes. Quiseram trazer pra “realidade” o mundo do Harry Potter, mas o mundo de Harry Potter e a sua história teve que ser explicado em 8 filmes. Agora imagina explicar todo aquele mundo em apenas um jogo só e tudo de uma vez? Complicado. Logo é um jogo mais voltado para fãs do bruxo e que estão familiarizados com o universo de Harry Potter do que o público em geral, o que explica uma adesão inicial muito menor”, conclui.

Tapps Games abre vaga para game designer

Eis a chance de trabalhar em um dos maiores estúdios de jogos da América Latina: a Tapps Mobile Games está com vaga aberta para Game Designer Pleno em São Paulo para auxiliar na produção de jogos já existentes e em jogos novos. De acordo com a empresa, o novo profissional será responsável por projetar, balancear, documentar sistemas e mecânicas de level design para diversos jogos mobile.

A Tapps Mobile Games já conta com 5 anos de história e é totalmente dedicada a jogos mobile, já tendo lançado mais de 400 títulos e a marca de 600 milhões de downloads em cerca de 180 países. Os novos profissionais poderão contar com um ambiente de trabalho bem sofisticado e colegas de trabalho experientes.

De acordo com o anúncio da vaga, a Tapps procura profissionais capacitados a projetar e documentar sistemas de progressão, economia, monetização e mecânicas de jogos mobile de alto impacto para os jogadores e para a Tapps; Projetar e criar levels para jogos mobile casuais; Mapear oportunidades de sistemas de Live Ops para alavancar engajamento de curto e longo prazo; Criar e integrar conteúdo nos jogos; Analisar dados e métricas de desempenho dos jogos, trazendo propostas de oportunidades a serem atacadas; Testar funcionalidades do jogo e reportar bugs; etc.

Para participar do processo seletivo é necessário possuir formação superior, boas noções de economia e monetização em jogos freemium mobile e estar familiarizado com os conceitos psicológicos de motivação e didática.

Tapps Games

Importante:

  • Paixão por trabalhar em equipe e de liderar o esforço de criar um senso de ownership de toda o time em relação ao game design do jogo;
  • Entender a importância da boa documentação de decisões de projeto e de funcionalidades técnicas;
  • Postura de ownership em relação aos jogos e está sempre em busca de oportunidades para melhorar sua experiências e jogabilidades;
  • Forte capacidade de criar experiências engajantes através de sistemas, regras, desafios e recompensas;
  • Ótimas habilidades de comunicação e escrita em inglês;
  • Boas pinceladas de conhecimento de produto e metodologia design thinking;
  • Facilidade em mediar conflitos em um ambiente altamente criativo;
  • Conhecimento técnico em Unity é um grande plus!

Benefícios

  • VR, VT, plano de saúde e muito amor;
  • Participação nos lucros e resultados;
  • Horário flexível;
  • Escritório próximo ao metrô;
  • Liberdade para propor novas atividades, processos e metodologias;
  • Ambiente (e dress-code) descontraído;
  • Os melhores happy-hours da sua vida.

paiN Gaming e ReD DevilS lutam contra o rebaixamento direto na última semana do Brasileirão Rainbow Six 2019

O Brasileirão Rainbow Six 2019 está chegando ao final da primeira fase e o final é dramático para duas equipes de elite da elite do eSports nacional, a paiN Gaming e a ReD DevilS, pois as duas equipes irão lutar (não diretamente) neste domingo (7) pela permanência na primeira divisão. Às 18h, a paiN Gaming enfrentará a Immortals e precisa de apenas um empate para evitar a queda para a Série B. Na sequência, em caso de tropeço da paiN, a ReD DevilS entra em ação diante do INTZ tendo que vencer por 2 a 0 para se salvar.

Immortals e INTZ ocupam a quinta e a sexta posição, respectivamente, ambos com 14 pontos. A paiN é a sétima colocada com sete, três a mais que a ReD DevilS, que ainda não venceu nenhuma partida em todo o campeonato. Os Diabos Vermelhos, no entanto, ainda podem igualar a pontuação da rival e ultrapassá-la no saldo de mapas, primeiro critério de desempate do torneio nacional.

O início da 14ª rodada semana do BR6 revelou ao público a quarta e última equipe que participará da fase final do campeonato na Game XP, no Rio de Janeiro. A Black Dragons conquistou a classificação após buscar o empate diante da FaZe Clan, no último domingo (30). Pela escalada, a equipe enfrentará a terceira colocada, Ninjas in Pyjamas. Team Liquid – garantida na decisão – e FaZe Clan terminaram nas duas primeiras colocações e agora aguardam seus adversários.

Os jogos deste domingo terão transmissão ao vivo pelo sportv.com e nos canais oficiais do Rainbow Six Esports Brasil naTwitch e no YouTube.

DreamHack Valencia 2019

 E por falar em eSports, neste fim de semana acontece em Valencia, na Espanha, mais uma edição da DreamHack. Disputada entre os dias 5 e 7 de julho, Team oNe e FaZe Clan foram as equipes convidadas para representar a região latino-americana.

O torneio tem a premiação total de 75 mil dólares e dará ao campeão uma vaga para o Six Major Raleigh 2019, que será disputado na Carolina do Norte, Estados Unidos. No ano passado, a Ninjas in Pyjamas representou o Brasil na DreamHack da cidade espanhola. Após ser a líder do seu grupo, a NiP foi eliminada nas quartas-de-final pela Ence eSports, da Finlândia. A esperança de título ficou ainda maior neste ano, com duas equipes da região.

Big Festival: Secretário Sérgio Sá Leitão fala sobre políticas para a indústria de games e anuncia editais para o setor

O BIG Festival 2019 está a todo vapor em São Paulo e já pode ser considerada a melhor edição de todas. A tendência é que o setor receba um incentivo através de políticas públicas, pois o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo Sérgio Sá Leitão participou ontem (28) do painel “Políticas Públicas para a Indústria Brasileira de Games” no Big Festival, mais importante festival de jogos independentes da América Latina, e anunciou novos editais para projetos de museus, espaços culturais, leitura e escrita e cultura popular que devem trazer mais interesse no meio audiovisual.

Ao todo, Sérgio Sá Leitão anunciou seis editais de audiovisual do ProAC Expresso, que somam R$ 8,8 milhões em investimento para o setor. Esses editais estarão com inscrições abertas a partir da próxima segunda-feira (01/07) editais para projetos de audiovisual, museus, espaços culturais, cultura popular, tradicional e diversidade e leitura e escrita, pelo site do ProAC Expresso.

Existem dois editais específicos para produtores de jogos. Para o desenvolvimento e produção de games, por exemplo, é previsto até R$ 200 mil por projeto, sendo que a secretaria contará com um orçamento de R$ 1,2 milhão para projetos de games. Já para projetos voltados para desenvolvimento e produção de conteúdo em AR e VR pode-se obter até R$ 200 mil por projeto, sendo que para a produção de games há um total de R$ 1,2 milhão.

 

Os vencedores do BIG Festival 2019

Ainda sobre o BIG Festival, vale destacar que a cerimônia de premiação foi realizada ontem (sexta-feira, 28 de junho). O júri selecionou Adore (da Cadabra Games) como o Melhor Jogo Brasileiro e Moss (da Polyarc Games, dos Estados Unidos) como Melhor Jogo VR. O público também votou e escolheu o Spaceline Crew (Coffeenauts, Brasil) na categoria Melhor Jogo pelo Voto Popular.

Confira abaixo os vencedores de todas as categorias:

 

Melhor Jogo

  • GRIS (Nomada Studio), da Espanha

 

Melhor Jogo Brasileiro

  • Adore(Cadabra Games), do Brasil

 

Melhor Jogo da América Latina 

 

Melhor Arte 

  • GRIS (Nomada Studios), da Espanha

 

Melhor Narrativa 

 

Melhor Gameplay 

 

Melhor Som 

 

Inovação 

 

BIG Impact: Educacional 

 

BIG Impact: Questões Sociais 

 

BIG Impact: Melhor Jogo de Diversidade 

 

Melhor Jogo de Estudante 

 

Melhor Jogo Mobile 

 

Melhor Multiplayer 

 

Melhor Jogo Infantil 

Melhor Jogo XR/ VR

  • Moss (POLYARC GAMES), dos Estados Unidos

 

BIG Brands  

 

Humble BIG New Talent Award

  • Space Routine (Menic Games), da Argentina

Nordic Game Discovery Contest

 

Melhor Jogo pelo Voto Popular 

Pesquisa Game Brasil revela que 41,3% dos brasileiros discordam que jogos digitais levam ao comportamento agressivo

Certamente você já ouviu a velha baboseira de que videogames em excesso podem levar a comportamento agressivo nas crianças. Ainda que não tenha qualquer embasamento científico, não é raro pessoas de certo prestígio repetir a velha falácia desde os anos 80. Entretanto, a Pesquisa Game Brasil – que está em sua 6º edição – mostrou que 41% dos brasileiros discordam que jogos digitais levam ao comportamento agressivo.

A Pesquisa Game Brasil disseca o cenário atual do mercado de games com diversas abordagens dos hábitos de consumo nas principais plataformas de jogos. E serve para dar mais credibilidade e visibilidade para a nossa amada indústria. A pesquisa é realizada pelo Sioux Group, Blend News Research e  ESPM, através do Gamelab e do Go Gamers.

A nova edição repetiu a mesma metodologia dos anos anteriores, mostrando dados não apenas do Brasiol, mas também da América Latina. De acordo com os organizadores, a pesquisa fo realizada em fevereiero deste ano e consistiu em entrevistas realizadas com 5110 pessoas em 26 estados e no Distrito Federal e no México, Argentina, Chile e Colômbia. Alguns dados servirão para mostrar como os jogos eletrônicos são visto na atualidade e qual o comportamento dos pais mais preocupados terão frente a essa mídia tão pungente. Por exemplo, 48% dos pais concordam que “deve-se evitar que as crianças joguem antes de dormir”.

Um ponto que voltou à discussão recente foi a violência nos jogos digitais como influência negativa para as crianças e adolescentes. A Pesquisa Games Brasil notou que os pais são divididos em relação ao tema, mas que a maioria não acredita que os jogos digitais levam ao comportamento agressivo. 41,3% dos pais discordam (totalmente ou parcialmente) que os jogos digitais sejam capazes de promover esse comportamento, enquanto os pais jogadores hardcore tendem a se opor mais à essa afirmação, com 48,5% de discordância.

“Isso mostra que os pais ainda estão inseguros com relação ao tema” aponta Matheus. “Muitas pesquisas científicas entendem que os jogos digitais influenciam seus jogadores, mas que a responsabilidade sobre um fenômeno comportamental não pode recair sobre uma única fonte de influência, existindo diversas outras questões contextuais do sujeito que devem ser avaliadas para chegar a alguma conclusão consistente”.

Outro assunto que deixam pais divididos, sejam eles jogadores hardcore ou não, é a influência que os jogos digitais possuem na aprendizagem de seus filhos. Mesmo entre os pais gamers, a opinião é dividida: 37,6% discordam (parcialmente ou totalmente) que os jogos possam atrapalhar, enquanto 41,6% concordam (total ou parcialmente).

“Nossa hipótese é que os pais observam o comportamento dos seus filhos, que podem direcionar mais esforço aos jogos do que às tarefas da escola. Os jogos digitais provavelmente acabam servindo de escape para crianças e adolescentes, mascarando outros problemas sobre a falta de interesse sobre o conteúdo escolar” complementa o professor.

Conheça a NFA, Liga que auxilia jogadores brasileiros de Free Fire

Já pensou em unir seus amigos para criar um time profissional de Free Fire? Pois esse sonho não é tão distante quanto se pensa, pois a National Free Fire Association (NFA) chegou ao Brasil para auxiliar os times amadores brasileiros de Free Fire a se profissionalizarem. Para isso, a NFA se inspira nos moldes na NBA e da NFL.

A Liga NFA é formada por 12 equipes, sendo a maior organizadora de torneios de Free Fire no Brasil. Entre as equipes que integram a liga estão a INTZ eSports, VIVO Keyd, B4STARDOS, Game Over, Suicide Squad e 4K Easy. Além disso, diversos streamers também são associados da Liga e podem aproveitar das parcerias e incentivos da Liga para seu crescimento, como Hunter Godbr e Weedzão, que possuem mais de 1 milhão de inscritos.

As qualificatórias para disputar os torneios da Liga NFA são feitas para os jogadores e não para os times. Nesse formato os times são sempre os mesmos e novos jogadores poderão se inscrever para disputar, provar seu valor e serem contratados pelas equipes da Liga.

De acordo com a NFA, a competição – chamada Liga Secundária – acontece no fim da Liga NFA, que conta com uma premiação de R$ 10.000,00. Nessa liga só podem jogar times amadores, e de lá, ao menos 12 jogadores serão contratados para as equipes que fazem parte da liga principal.

Cada equipe da Liga NFA tem a obrigação de contratar pelo menos um jogador da Liga Secundária por ano, mas, se for o caso, pode expandir e contratar quantos atletas quiserem. A estes jogadores é oferecido toda a estrutura da equipe com contrato formal, salário e outros benefícios. Daí a oportunidadede se profissionalizar como cyberatleta.

“Acredito que era uma carência na comunidade do Free Fire ter um campeonato mais profissional e, ao mesmo tempo, que fosse criado e moldado pelo público”, contou Bernardo Assad, CEO da Liga NFA. “Isso nos deixa muito próximo de quem assiste, porque a NFA além de ter sido desenvolvida pensando neles, é sempre moldada para ficar cada vez melhor para o nosso público”, completou.

As 12 equipes participam dos campeonatos organizados pela NFA, que ocorrem em média uma vez por mês, sendo o carro chefe a Liga NFA, que ocorre de 3 em 3 meses. Além da liga principal, durante o ano acontecem outros eventos, como a NFA Ultimate, um campeonato mais curto, que acontece durante apenas um mês e que busca levar mais entretenimento para os jogadores e a comunidade do Free Fire. Você pode acompanhar a NFA através do Instagram.

7ª Edição do BIG Festival conta com participação do Colégio FECAP

Só mais alguns dias para começar a 7º edição do BIG Festival 2019, o maior evento de jogos independentes da América Latina. O evento ocorre entre os dias 27 a 30 de junho. A feira expõe os jogos mais inovadores do mundo lançados no último ano e busca dar visibilidade aos produtores independentes e seus jogos inovadores.

Uma das instituições a apoiar o evento é o Colégio FECAP, que oferece aos alunos a possibilidade de formação no Ensino Técnico em Programação de Jogos Digitais. Para fornecer mais informações e tirar dúvidas sobre o curso, a Instituição vai participar de todos os dias dessa edição do BIG Festival. Vale destacar que o colégio FECAP é a única instituição de ensino que participará da Feira com o objetivo de divulgar um curso técnico na área de programação de games.

O BIG Festival é o principal ponto de encontro para quem quer entender a fundo esse universo. Há palestras, workshops e keynotes. O evento recebe a nomeação de maior fórum de negócios de games da América Latina. Incluído na lista de expositores estão Google, Microsoft e Amazon. A programação tem início às 10h e se estende até às 22h. A participação nas palestras e na exposição dos jogos é gratuita. É preciso comprar ingresso apenas para acompanhar a rodada de negócios.

Serviço – 7ª Edição do BIG Festival

27 a 30/6 | 10h às 22h

Club Homs | Av. Paulista, 735 – São Paulo (SP)