Todos os post de rurounikz

Eduardo @rurounikz Emmerich é estudante de Engenharia Elétrica na PUC-SP, trabalha em consultoria de TI e é apaixonado por videogames desde sempre. Adora jogos que sejam tão imersivos e originais que o façam esquecer de ir ao banheiro. Ele escreve em inglês sobre cultura gamer em seu blog pessoal.

Coursera oferece curso de gamificação gratuito

Já pensou em fazer um curso de gamificação de graça? É isso mesmo. O curso é oferecido no Coursera. Caso você não conheça, a Coursera é uma companhia de empreendedorismo social que oferece cursos via plataforma web, gratuitos em parcerias com universidade renomadas do mundo inteiro, como: Princeton, Stanford, Universidade da Pennsylvania, Instituto de Tecnologia da Califórnia, Universidade de Edinburgh só para citar algumas.

Dentre as categorias dos cursos oferecidos estão: Matemática, Negócios e Gestão, Ciências da Computação, Engenharia, Ciências Sociais, Medicina, Tecnologia da Informação entre outras várias opções.

E  a dica de hoje é que um dos cursos oferecidos pela Coursera é o curso de Gamificação (Gamification em inglês). De forma simplificada, esse termo muito em alta recentemente é a utilização de técnicas de game design na resolução de problemas e situações que não necessariamente estejam no mundo dos games.

O curso já tem 5 anos de existência e conta com duração prevista de seis semanas, e caso você conclua o curso com uma boa nota, terá até um certificado emitido em seu nome pela Coursera.

Então corre que ainda dá tempo de se inscrever e participar. Tá esperando o quê ? =) Leia mais sobre gamificação.

Link do curso: https://www.coursera.org/course/gamification

Caso queira saber mais sobre Gamificação, a game designer Jane McGonigal publicou, em julho desse ano, um vídeo no TED muito interessante sobre como um jogo pode te dar mais 10 anos de vida. Altamente recomendado.

Já estão abertas as inscrições para o SP Jam 2013

SP Jam 2013 - header

Se você está em busca de experiência prática no desenvolvimento de jogos, essa é uma ótima notícia. Quase todos os desenvolvedores independentes recomendam a quem está começando sua carreira que participe de uma maratona de desenvolvimento. É uma excelente oportunidade de fazer networking com futuros colegas de trabalho além de vivenciar o ciclo completo de um jogo: desde sua ideia inicial até a correção dos bugs.

Pelo terceiro ano consecutivo, o pessoal da Vortex Game Studio está organizando a SP Jam. E foram abertas as inscrições para essa maratona de desenvolvimento onde as equipes participantes terão 48 horas para desenvolver seu jogo, seja ele analógico ou digital.

Importante lembrar que essa maratona, chamada de Game Jam, é uma parte da SP Jam e a outra parte é a Exposição. Essa etapa acontecerá no segundo semestre de 2013, e exibirá obras de artistas convidados além de expor os produtos finais das equipes que completaram seu jogo obedecendo o regulamento dessa maratona.

A Game Jam acontecerá entre os dias 30 de Agosto a 01 de Setembro de 2013 no Campus Marquês de Paranaguá da PUC-SP, campus que oferece a graduação de Jogos Digitais. A Exposição acontecerá no segundo semestre, ainda sem data definida.

Visite o site do evento para estudar o regulamento, conferir dicas da organização além de ler o FAQ que contém informações bem interessantes pra quem pretende participar.

Prazo das inscrições: até 15 de Julho de 2013

Data da Game Jam: 30 de Agosto a 01 de Setembro de 2013

Local: PUC-SP – Campus Marquês de Paranaguá

UPDATE: Atualizado o preço da inscrição com o Kit de Sobrevivência.

Preço de inscrição: R$35,00 só a inscrição ou R$ 85,00 com Kit de Sobrevivência (contendo Ecobag, travesseiro, toalha de mão e caneca)

E aí, você vai participar da SP Jam 2013?

Dragon Quest Caboclo: um vídeo que mistura games com Legião Urbana

Dragon Quest Caboclo

O irmãos Matheus e Marcos Castro que ficaram conhecidos pela sua ótima série Um Joystick, Um Violão onde interpretam músicas brasileiras mas com letras adaptadas à cultura gamer, lançaram um novo vídeo. E esse vídeo oferece muito mais do que a já conhecida (e sempre excelente e inteligente) mudança na composição.

Dragon Quest Caboclo é uma animação homenageando a série Dragon Quest com a melodia da música Faroeste Caboclo do Legião Urbana. A letra desse vídeo conta a épica história do herói que luta contra um demônio para salvar a mundo.

Curtiu? Veja o vídeo de Dragon Quest Caboclo e comente:

E3 2013: resumo da conferência da Sony

PlayStation logo

A última conferência de imprensa a ser exibida na segunda-feira foi a da Sony. Além de anunciar jogos pro PS Vita, PS3, PS4, essa conferência teve a revelação de como será o PlayStation4, a Sony Entertainment e Sony Pictures anunciando que desenvolverão conteúdo exclusivo para o PS4, apresentação de vários jogos independentes e declaração sobre as políticas de uso da PlayStation Plus e de jogos usados.

PlayStation Vita:

A apresentação começou com uma sessão falando sobre o portátil da Sony, que é peça fundamental de seu ecossistema. Desde sua entrada no mercado, o Vita conta com 125 títulos lançados totalizando 650 jogos disponíveis.

Dentre os próximos lançamentos para o portátil, foram anunciados alguns títulos que são remakes de jogos antigos do PS2, como God of War 1 e 2 versão HD e Final Fantasy X e X-2.

Além dessas versões melhoradas, a Sony revelou também lançamentos para o PS Vita. Dentre eles, três jogos exclusivos para esta plataforma: Tearaway, desenvolvido pela Media Molecule (os criadores de Little Big Planet), Killzone: Mercenary e Destiny of Spirits, um RPG gratuito, baseado em turnos onde você cria seus espíritos para lutar com seus oponentes.

Outros títulos anunciados para o PS Vita são jogos que serão lançados também para o PS3 e/ou PS4, como: CounterSpy que também será lançado para o PS3 e Doki Doki Universe, um jogo gratuito que sairá também para o PS3 e PS4. Ambos os jogos possuem um visual bem interessante, cada um à sua maneira.

Outro ponto importante da sessão do PS Vita foi o anúncio que o DLC 400 Days da primeira temporada do jogo The Walking Dead da Telltale chegará para o Vita no meio do ano, inclusive com o lançamento de um bundle do portátil com a primeira temporada inteira além do DLC. 400 Days será um DLC que ligará a primeira com a segunda temporada do grande sucesso da Telltale e ajudará a matar a vontade / saudade de algumas pessoas.

Destes títulos, o que me chamou mais a atenção foi o jogo Tearaway, pela sua direção de arte extremamente rica além de suas mecânicas que parecem utilizar os sensores do Vita de uma forma bem interessante, pelo que é mostrado no trailer abaixo:

PlayStation 3:

Depois de sessão de seu portátil, foi hora da Sony dedicar um tempo pra falar de sua plataforma atual de games, o PS3. Começando por mostrar mais um trailer de The Last of Us, que será lançado oficialmente amanhã, dia 14/06, inclusive no Brasil.

Após esse jogo foi exibido o trailer de Puppeteer, que além de ter um visual bem bonito parece ser um bom jogo de plataforma, com uma temática um pouco mais adulta que Little Big Planet, dado que seu personagem usa uma tesoura como arma pra se defender dos inimigos.

O próximo jogo anunciado foi Rain que além de mostrar no seu trailer uma mecânica de interação bem interessante com a chuva estando diretamente relacionada com a história do jogo, possui uma música que é emocionante. Esse foi um dos títulos da conferência da Sony que eu mais gostei.

Depois deste jogo “alternativo”, foi revelado um novo trailer do jogo BEYOND: Two Souls. Esse título foi revelado na E3 do ano passado e não se sabia muita coisa sobre ele até então exceto que a protagonista é a Ellen Page e que a tecnologia de reconhecimento facial de BEYOND é bastante realista.

O novo trailer explora muito da história e jogabilidade do jogo, revela o passado militar de Jodie Holmes (personagem de Ellen Page) e que ela é enviada para uma missão secreta em um país na África. O que foi mostrado nesse trailer não lembra em nada o trailer do ano passado. Mas isso não é necessariamente ruim. Contanto que o foco do jogo seja na história e não na mecânica de combate. Como BEYOND: Two Souls está em desenvolvimento pela Quantic Dream, o mesmo estúdio responsável por Heavy Rain, acredito que isso não será problema.

BEYOND: Two Souls será lançado no dia 08 de Outubro de 2013.

Outro jogo um pouco polêmico é o próximo título do Batman, Arkham Origins, que ao contrário dos outros jogos da série não foi desenvolvido pela Rocksteady. Esse jogo se passará antes dos acontecimentos de Arkham Asylum e Arkham City e terá um Batman mais novo, um pouco inexperiente, como você pode ver no trailer abaixo.

Batman: Arkham Origins será lançado no dia 25 de Outubro de 2013.

A sessão do PlayStation 3 acabou com o trailer do principal simulador de corrida da plataforma, Gran Turismo 6. O sexto jogo da série traz novas pistas, dentre elas: uma planta de energia solar localizada em Sevilha, na Espanha; um circuito na Califórnia e um trajeto montanhoso pela Suíça.

Além destas pistas, Gran Turismo 6 também conta com novos carros, como você pode ver neste post (em inglês), detalhando cada uma das novas adições dos carros e trajetos desta franquia.

Antes de falar sobre o PlayStation 4, a Sony anunciou que o PS3 terá um bundle que virá com o console (versão de 500 GB de HD), o jogo GTA V e um headset com design personalizado do jogo. Esse pacote custará US$ 299.

Grand Theft Auto V é um dos títulos mais aguardados desse ano e será lançado no dia 17 de Setembro de 2013.

PlayStation 4:

A parte final da conferência da Sony foi dedicada ao seu console da próxima geração, o PS4. No início desta sessão, o design do console foi revelado.

PlayStation4

Após a revelação do Hardware, houve uma rápida apresentação pelo CEO da Sony Entertainment e Sony Pictures falando que o PlayStation 4 terá um conteúdo exclusivo desenvolvido para esta plataforma. E que a funcionalidade de Music Unlimited e Video Unlimited, onde os gamers poderão comprar filmes, séries e música online, estará disponível no primeiro dia de funcionamento do console. Essa declaração foi bem similar ao que a Microsoft apresentou no dia 21 de maio, como você já leu aqui no Game Reporter.

O primeiro jogo revelado para o PS4 nesta conferência se chama The Order: 1886, uma nova Propriedade Intelectual da ReadyAtDawn, e é ambientado em uma Londres vitoriana Steampunk. No trailer abaixo, vemos quatro membros da Ordem chegando em Whitechapel, famoso bairro londrino graças a Jack o Estripador, onde lutam contra monstros que parecem lobisomens.

Foi anunciado também o próximo jogo da franquia Kilzone, Shadow Fall.

A Sony anunciou também um novo jogo de corrida, exclusivo para o PS4, que se chama Driveclub, e está em desenvolvimento pela Evolution Studios empresa mais conhecida pelos jogos da série MotorStorm.

Killzone: Shadow Fall, Drive Club e Knack (jogo com uma mecânica interessante você confere o trailer abaixo) são três jogos que estarão disponíveis para venda no dia do lançamento do PlayStation 4.

Outro título exclusivo para o PlayStation são os jogos da série InFAMOUS. E nessa conferência, foi anunciado o próximo jogo desta franquia, InFAMOUS: Second Son. Confira o trailer do jogo abaixo que mostra um pouco de sua jogabilidade.

InFAMOUS: Second Son tem previsão de lançamento para o primeiro trimestre de 2014.

A Quantic Dream (empresa responsável pelo BEYOND: Two Souls para o PS3, lembra?) revelou um tech-demo da capacidade gráfica do PlayStation 4 através do vídeo intitulado de The Dark Sorcerer: A Next Gen Comedy,  traduzido livremente para Feiticeiro Sombrio: Uma Comédia da Próxima Geração. Em um vídeo para o YouTube oficial do PlayStation, David Cage, o diretor da Quantic Dream, disse que esse vídeo não faz parte de um jogo (até que se decida o contrário) e serviu para os desenvolvedores testarem a capacidade do PS4, além de dizer que esse tipo de procedimento é normal na empresa.

Chegou a hora dos desenvolvedores independentes tomaram o palco do PS4. E eles não fizeram feio. O primeiro jogo independente revelado foi Transistor, um RPG de ação com uma temática de Ficção Científica do estúdio Super Giant Games, os criadores de Bastion. Destaque para a música chamada de “We All Become”, da trilha original do game.

Transistor será lançado em 2014 para o PlayStation 4 e para PC (via Steam).

Um aspecto extremamente importante do PS4 é que ele permitirá os próprios desenvolvedores a publicarem seus jogos e essa liberdade é algo que os desenvolvedores consideram muito importante, como a própria Super Giant disse em seu blog.

Desta forma, outros títulos independentes para o PS4 literalmente, tomaram o palco da Sony são: Don’t Starve (desenvolvido pela Klei Entertainment os criadores de Mark of the Ninja), Mercenary Kings, OctoDad, Secret Ponchos, Ray’s Dad, Outlast, Galak-Z, Abe’s Odyssee: New and Tasty, entre tantos outros como Contrast.

Após a sessão independente, o diretor da Square Enix veio ao palco e revelou dois trailers. O primeiro deles é sobre a série Final Fantasy. Final Fantasy Versus XIII que estava em desenvolvimento há um bom tempo agora se chama Final Fantasy XV e será lançado para o PlayStation 4 e para o Xbox One.

O outro trailer é de uma série querida por muitos e que também estava “abandonada” há um tempo, ainda mais com as diversas fusões pelas quais a Disney passou. Sim! Estou falando de Kingdom Hearts III que está em desenvolvimento e será lançado para o Xbox One e PlayStation 4.

Agora vamos a uma das maiores surpresas (pelo menos pra mim) da conferência da Sony: Mad Max. Desenvolvido pela Avalanche Studios (da série Just Cause), esse jogo será baseado no universo dos consagrados filmes estrelados por Mel Gibson, que se passa num futuro desértico e pós-apocalíptico. Mad Max será lançado para em 2014. Até o momento não foi especificado para quais plataformas.

Pra fechar a conferência da Sony, Jack Tretton, CEO da Sony Computer Entertainment of America ou simplesmente SCEA, veio ao palco pra falar sobre as políticas de uso do PlayStation 4. As declarações que deixaram a platéia bastante animada foram:

  • O PlayStation 4 suporta jogos usados e oferece liberdade para seus clientes revenderem seus jogos, emprestarem para os amigos, etc;
  • O PlayStation 4  não necessitará de conexão à internet a cada 24 horas para que você possa jogar;
  • Os consumidores que já possuem uma conta da PlayStation Plus poderão migrar essa conta para o PlayStation 4, podendo desfrutar dos benefícios do serviço para o PS3, PS4 e PS Vita pagando só uma mensalidade.

Um detalhe importante é que para se jogar multiplayer no PS4 será necessário ter uma conta da PlayStation Plus.

A última informação relevante da conferência é o preço e data de lançamento do console. O PlayStation 4 será lançado na época de Natal (até agora não há uma data definida) e custará US$ 399,00. Até o momento não há um preço definido para o lançamento oficial do console no Brasil.

**Além de tudo que foi dito neste post, a conferência da Sony também teve uma demo de Assassin’s Creed IV: Black Flag que deu pau duas vezes no palco, um vídeo com mais gameplay de Watch Dogs, trailer pro The Elder Scrolls Online (que terá o beta liberado primeiro para o PS4), trailer de Destiny e outras coisas não tão relevantes assim, como isso.**

E aí, o que vocês acharam da conferência da Sony na E3 2013?

E3 2013: resumo da conferência da Electronic Arts

E3 2013 / EA

A conferência da EA (Electronic Arts) foi a segunda conferência exibida ontem (10/06), às 17 horas (horário de Brasília) e contou com o anúncio de 11 novos títulos para a próxima geração de consoles.

John Vechey, um dos co-fundadores da PopCap deu início à conferência da EA anunciando um novo jogo da série Plants Vs Zombies. Esse jogo, que se chama Garden Warfare, rodará a engine Frostbite 3 e é uma mistura de shooter em terceira pessoa com um Tower Defense. O gameplay apresentado lembra Orcs Must Die, mas Garden Warfare oferece uma experiência multi-player, onde os jogadores devem usar as diferentes classes de “flores” e seus ataques característicos para deter as ondas de zumbis e os chefes que aparecem ao final de cada level.

Plants Vs Zombies: Garden Warfare será lançado, inicialmente, para o Xbox One e depois para o Xbox 360, PC e demais plataformas e não foi confirmada uma data de lançamento.

Ao final de sua presença no palco, Vechey anunciou, de forma bastante eufórica, Peggle 2.

Após a PopCap, foi hora da Respawn Entertainment (empresa fundada pelos co-fundadores da Infinity Ward) mostrar seu primeiro jogo: Titanfall. Esse jogo de tiro oferece uma experiência multiplayer interessante, onde o jogador poderá escolher entre duas mecânicas de combate diferentes: jogar como um ágil piloto ou pilotar um Titã, um robô gigante que se move de forma bem fluída e realista. Você pode conferir um pouco da experiência do jogo, no demo abaixo, mostrado inicialmente na palestra da Microsoft, que você pode ler o resumo aqui.

A EA anunciou o novo jogo da série Need for Speed que se chamará Need for Speed Rivals, que além de oferecer um mundo aberto para os jogadores se esbaldarem nos diferentes modos de corrida, traz também uma mecânica chamada de All Drive. Essa mecânica pode, ao acaso, dar início a uma sessão multi-player, como foi o caso da demo mostrada na conferência. Onde um jogador corria em um racha e o outro jogava como um carro de polícia cujo objetivo era parar os corredores ilegais.

Outro ponto interessante a se notar nessa demo é que um terceiro jogador interagiu com o jogo, através de um Tablet, e controlou um helicóptero para auxiliar a polícia.

Adicionalmente, foi anunciado que no ano que vem, irá aos cinemas um filme de Need for Speed estrelado pelo ator Aaron Paul (famoso pelo seu papel na série Breaking Bad).

A Bioware marcou presença na conferência da EA ao anunciar o jogo Dragon Age III: Inquisiton. O terceiro jogo da série Dragon Age terá um mundo aberto e, ao que tudo indica, ele será uma continuação direta de Dragon Age 2. Aaryn Flynn, Gerente Geral da Bioware, disse que o jogo será lançado no Outono de 2014.

Não sei quanto a vocês, mas eu gostaria bastante que a Bioware também lançasse esse jogo para a geração atual (Xbox 360 e PS3) e que fosse possível carregarmos o save de nossos jogos, assim como ela fez na trilogia Mass Effect. Mas eu sei que é pedir muito…

Jogos de esportes são uma importante parte do portifólio da EA e a divisão EA Sports mostrou quatro títulos que serão lançados para o XBox One e para o PlayStation 4. São eles: NBA Live 14, Madden 25, Fifa 14 e UFC. Todos estes jogos utilizam a engine IGNITE, que traz um realismo ainda maior na simulação dos esportes destas franquias.

Após a EA Sports, foi o momento da DICE entrar no palco e anunciar seus jogos. Ela começou com Battlefield 4 e com uma demo em tempo real com 64 jogadores online no palco. Além disso, a DICE apresentou o modo Commander (Comandante), onde um jogador interagiu pela partida através de um Tablet e enviou ataques de suporte de mísseis para auxiliar um dos times.

A conferência da EA contou com dois anúncios, que embora não detalhassem muito dos jogos deixou os gamers bem interessados. Dentre eles, um teaser de pouco mais de 3o segundos de um novo jogo da franquia de grande sucesso de George Lucas (e agora da Disney), Star Wars Battlefront.

E ao final da apresentação da DICE, ela revelou o trailer para um novo Mirror’s Edge, cuja história será focada na origem da protagonista Faith e será lançado para o PlayStation 4, Xbox One e PC.

Tanto Mirror’s Edge quanto Star Wars Battlefront não possuem previsão de lançamento.

E aí, o que você achou da conferência da EA na E3 2013?

Vem aí o Festival Games Brasil

Festival Games Brasil

Jogos desenvolvidos por brasileiros estarão no MIS (Museu da Imagem e Som) durante a Virada Cultural (que acontece em São Paulo nos dias 18 e 19 de maio de 2013) no I Festival Games Brasil. Videogames, jogos de tabuleiro e de cartas estarão a disposição do público entre às 10h e 16h. Todo o acervo poderá ser jogado pelos visitantes e monitores estarão presentes caso alguma dúvida apareça durante a partida.

Após a Virada Cultura, o acervo continuará no MIS até o dia 02 de junho de 2013. O evento é uma iniciativa do capítulo de São Paulo da IGDA (International Game Developers Association), uma organização mundial de desenvolvedores de jogos.

Sobre os jogos que estarão presentes no evento:

  • Dugeon Land: Já imaginou um parque de diversões controlado por um mago? E por um mago que quer te ver morto? Em Dungeon Land, o jogador e mais dois amigos têm que sobreviver a um parque de diversões controlado por um mago louco e com senso de humor peculiar;
  • Toren: Construído em torno de um poema épico que aborda o sentido da vida, Toren é uma mistura de aventura com puzzle que gira ao redor de uma misteriosa menina presa em uma torre;
  • Knights of Pen and Paper: Simulador de RPG de mesa em que o jogador é o mestre dos jogadores! Conforme avança, o jogador deve escolher os monstros que enfrenta, quantos irá enfrentar e como;
  • Mr. Bree +: Esse jogo conta a história de um porco pai de família que foi capturado por javalis selvagens e enviado para trabalhar como um prisioneiro. Quando consegue fugir, Mr. Bree esquece sobre sua família, o caminho de casa, e suas habilidades. Agora cabe ao jogador recuperar seus movimentos, encontrar sua casa, e descobrir o que aconteceu com sua família. Durante sua jornada, Mr. Bree encontrará algumas revelações perturbantes;
  • Oniken: Criado com o intuito de ser uma homenagem à década de 1980, seus filmes e jogos, Oniken conta a história de um mundo pos-apocalíptico em que robôs dominaram a humanidade e apenas um ninja musculoso poderá enfrentá-los;
  • Xilo: Inspirado nas tradicionais xilografías, Xilo conta a história de Biliu que precisa recuperar pedaços das Xilogravuras Sagradas;
  • Out There Somewhere: O astronauta Yuri é forçado a aterrissar em um planeta estranho por falta de combustível enquanto persegue seu inimigo Grigori. Para sair dessa, ele precisa explorar o planeta enquanto resolve puzzles para encontrar conbustível e derrotar Grigori.

Para ter mais informações sobre o evento, visite o Tumblr ou o Facebook do Festival.

Local: MIS (Museu da Imagem e do Som)

Horários da exposição:

Após a Virada Cultura, a exposição estará disponível até o dia 02 de Junho de 2013 nos seguintes horários:

Sábados, domingos e feriados – 11hs às 20hs.

Terça à sexta – 12hs às 21hs.

Endereço: Av. Europa, 158 – Jardim Europa – São Paulo

Contatos: Florência Silberstein – florencia.silberstein@gmail.com – (11) 9 9410 1061 e Thais Weiller – hello@joymasher.com

Mr. Bree + no Steam Greenlight

Mr. Bree +

A produtora brasileira Taw Studio ficou conhecida pelos seus jogos Mr. Bree Returning Home e Jelly Escape. Agora ela está prestes a lançar uma versão melhorada do Mr. Bree para PC e Mac. E sabe qual é a melhor parte? Você pode ajudar a fazer isso acontecer!

Mr. Bree é um jogo de plataforma onde você ajuda um porco que perdeu sua memória a voltar para casa. E essa versão Plus terá mais fases, lutas com chefes, diferentes modos de jogo entre outras atualizações.

Para ajudar Mr. Bree + a ser lançado, basta votar nele no Steam Greenlight. O Greenlight é o sistema da Valve onde a própria comunidade decide através de votação os próximos jogos que ficarão disponíveis no Steam.

Assista o trailer oficial de lançamento do Mr. Bree + abaixo e siga as instruções aqui para ajudar esse ótimo jogo brasileiro a fazer parte do Steam.

O pessoal da Taw Studio participou de duas palestras na última edição da Campus Party. Na primeira delas, chamada “Onde nascem os jogos?” eles compartilham seu processo criativo e de produção de um jogo. Na segunda, em um formato de mesa redonda, chamada de Top 5 Indie Team a Taw Studio dividiu o palco com o pessoal da Joy Masher e da Vortex Game Studios em um debate sobre desenvolvimento independente.

Game Reporter no Festival Baixo Centro

game_é_cultura

Você já leu aqui no GameReporter que no dia 6 de abril de 2013 aconteceu um debate acerca de games serem considerados cultura. E o GameReporter marcou presença nessa discussão que aconteceu durante o Festival Baixo Centro.

O Festival Baixo Centro é um Festival de Rua Colaborativo que aconteceu pela segunda vez esse ano. Em 2012, o Festival teve 130 iniciativas. A edição de 2013 contou com mais de 500. Este evento foi financiado através do crowdfunding e sua campanha no Catarse levantou mais de R$ 70.000 para as diversas atividades que tomaram conta da região central da cidade de São Paulo durante duas semanas. Todas as atividades propostas no Festival foram feitas pelos próprios idealizadores. E os responsáveis por realizar esse debate sobre games vieram do Curso Técnico de Programação de Jogos Digitais da ETEC Vila Madalena.

A conversa ocorreu na Biblioteca Municipal Monteiro Lobato, teve duração de quase duas horas e tinha previsão de início para as 14hs. Porém, por conta do não funcionamento das linhas da CPTM, o debate só começou por volta das 15hs. O debate contou com 12 participantes, de formações e profissões diversas mas que de sua própria maneira gostam (e muito) de video games e acreditam que eles representam muito mais do que um simples passatempo.

Começamos nossa conversa assistindo alguns vídeos para melhor contextualizar o motivo de estarmos reunidos. Vimos a declaração da atual Ministra da Cultura, Sra. Marta Suplicy, onde ela afirma que não considera jogos como itens culturais. Assistimos também trechos de gravações de desenvolvedores independentes brasileiros (um deles sendo a Thais Weiller, uma das responsáveis pelo famoso Oniken). Nestes curtos takes, os desenvolvedores expuseram suas opiniões sobre essa questão e compartilharam um pouco de sua experiência profissional para desbravar o selvagem mercado que é o cenário de desenvolvimento independente brasileiro.

Após os vídeos, começamos o debate propriamente dito. Primeiro circundamos o tema buscando uma definição em comum sobre o que é cultura. Este exercício foi bem interessante pois embora todos alí presentes acreditassem que games são cultura, tivemos que nos despreender um pouco dessa opinião já formada para refletir sobre algumas questões fundamentais para esta discussão.

Chegando a um consenso, seguimos para a próxima etapa no debate onde cada um expôs sua opinião ou algum aspecto sobre o tema que gostaria de compartilhar e o grupo reagia e comentava essa posição, sempre focado em agregar conteúdo à discussão. Pessoalmente, achei essa a melhor parte do debate pois foi muito recompensador ter uma conversa sobre um tema tão pessoal e familiar com outras pessoas que também se sentem da mesma forma como eu e são tão apaixonadas por video games, jogos, entretenimento digital e cultura como um todo.

Não só isso, como todos que estavam lá se mostraram dispostos a conversar, a aprender com o ponto de vista alheio e se tornar parte da solução trocando experiências e pontos de vista sobre o tema, sem aquele famigerado “mimimi” que infelizmente nos acostumamos a ler nos comentários pela internet.

Ao final do debate, cada um dos presentes escreveu em tiras de papel o que achou de mais marcante ou recompensador da conversa que levou quase duas horas para acabar. Você pode ver todas as anotações no meu Facebook.

Para finalizar, os organizadores desta conversa nos mostraram parte de um vídeo intitulado “Game também é cultura?” contendo o discurso de encerramento da Sra. Lúcia Santella, professora de Pós-Graduação na PUC-SP no Seminário Internacional Rumos Jornalismo Cultural que aconteceu em dezembro do ano passado.

Motivado pela conversa que tivemos neste debate fiz o vídeo abaixo sobre o tema resumindo os acontecimentos mais relevantes sobre esse tema até agora: a declaração da Ministra da Cultura, algumas das respostas mais importantes que tivemos até o momento além de dar minha opinião sobre a pergunta título deste post.

Caso você prefira áudio a vídeo, segue abaixo a gravação que fiz do evento:

Conheça e ajude a fundar o AL Project: uma HQ interativa

Al Project

De 28 de janeiro à 02 de fevereiro de 2013 aconteceu em São Paulo no Espaço Anhembi a sexta edição da Campus Party e estive novamente acampado por lá.

Ao me sentar para assistir a primeira palestra no palco de games conectei meu computador e acessei um link que um amigo me enviou via GTalk. Ao fazer isso, uma pessoa educadamente me chama para perguntar como fiquei sabendo deste site que tinha acabado de abrir.

E foi assim que conheci Demétrio Dias Soares e sua HQ interativa, o AL Project e aproveitei a oportunidade de estarmos na Campus Party para fazer uma entrevista com ele.

1 – Qual seu nome, idade, formação?

Meu nome é Demetrio Dias Soares, tenho 26 anos e sou formado em Sistemas de Informação.


2  O AL Project é seu primeiro projeto relacionado com games?

Na verdade não. Meu primeiro projeto de game propriamente dito foi meu trabalho de conclusão de curso na faculdade em 2007, desenvolvi um RPG baseado em turnos para a plataforma JME (Java mobile), depois disso criei vários projetos pessoais, alguns sozinho e outros com amigos, e em meados de 2011 publiquei a minha primeira hq/game num formato parecido com o AL Project, a já extinta série Geek Boy.


3  O que te motivou a tirar essa ideia do papel?

A paixão por games é com certeza o maior combustível para publicar algo como o AL Project. No cenário atual um projeto indie como ele ainda tem poucas chances de realmente se destacar no mercado, e gerar lucro de alguma forma. Portanto a principal razão é de realmente fazer algo que eu gostaria de ver publicado. Antes de iniciar qualquer tipo de desenvolvimento, eu já era apaixonado pela idéia, e essa paixão que conta na hora de perseverar diante dos desafios do desenvolvimento independente.


4 – Quais tecnologias (eg. softwares e linguagem de programação) foram usados para fazer o game?

O game foi todo produzido utilizando a plataforma de desenvolvimento Adobe Flash, sem o uso de frameworks específicos e a linguagem utilizada foi o ActionSript 2.


5 – Quais foram suas influências e referências pra fazer a arte e a história deste game?

As influências são muitas, tanto de games como de quadrinhos, filmes e séries, mas as principais que me inspiraram bastante foram Metal Gear Solid, Resident Evil e o recente game da série The Walking Dead.

6 – Você já sabe quantos capítulos terão a história completa?

Para a primeira “temporada” que fecha o primeiro ciclo da história, serão 6 capítulos. O enredo foi concebido para ter três ciclos como esse que fecham a saga por completo. A história já está definida, mas o roteiro dos dois ciclos seguintes ainda não foi escrito. Portanto não dá para afirmar quantos episódios terão cada ciclo (ou “temporada”).

7 – Atualmente, seu trabalho “principal” é desenvolvedor de games?

Mais ou menos. Eu atuo como desenvolvedor de aplicações web empresariais acerca de 5 anos, mas para viabilizar a produção do AL, fiz uma reserva financeira no último ano, e no final de 2012 saí do emprego para me dedicar ao projeto. Finalizado esse primeiro capítulo, estou agora na segunda parte do meu plano que consiste em conseguir apoio coletivo utilizando o sistema de crowdfunding do site catarse, onde o projeto está atualmente cadastrado www.catarse.me/al e dessa forma planejo financiar a produção da primeira temporada completa.


8 – A trilha sonora do AL Project foi feita pelo Thiago Adamo (também conhecido por PXL DJ). Como foi o processo criativo desta trilha?

Eu mostrei o projeto sem som para o Thiago, pedindo dicas de sites onde eu poderia conseguir baixar temas gratuitos para utilizar. E assim que ele conheceu, gostou da idéia do projeto e se ofereceu para criar a trilha sonora (imagine minha alegria nesse momento). Trabalhar com ele foi incrível, ele conseguiu – num curto espaço de tempo – capturar a idéia passada pelas imagens e produzir uma trilha sonora com uma identidade única, e perfeita para criar a atmosfera do game. A experiência dele tem sido crucial para a boa aceitação do projeto.


9 – Como está sendo o recebimento do 1o capítulo do seu game?

Estou tendo feedbacks muito positivos até o momento, apesar da plataforma flash sofrer um certo preconceito por algumas pessoas, a experiência de jogo, o enredo, e a idéia de misturar HQ com games tem sido bem aceitas. Atualmente é difícil chamar atenção para projetos como esse, mas dentro das nossas metas o resultado está sendo positivo.

10 – Você foi na Campus Party desse ano, correto? O que você achou do evento? Como ele te ajudou, tanto em conhecimentos técnicos como na divulgação do seu trabalho e em networking?

Foi minha primeira Campus Party, e agora posso dizer sem dúvida que não falto mais em nenhuma. É um evento obrigatório para todo mundo que trabalha, empreende ou somente curte tecnologia e internet em geral. Me senti dentro de outro universo, extremamente rico em possibilidades. Fiz contatos valiosos, aprendi muito e peguei dicas importantes de estudos e e conselhos sobre rumos a traçar a partir de agora, além de ter feito boas novas amizades. Essa entrevista mesmo é fruto dos bons contatos que fiz no evento. A Campus Party foi realmente incrível.

Conhecendo o AL Project from Demetrio Dias on Vimeo.

Confira uma animação de Street Fighter III feita por brasileiros

Street Fighter III

Pra quem é artista, seja modelador 3D ou animador, o trabalho do talentosíssimo Victor Hugo já é conhecido. Ele é autor da arte do Magneto bebê “descobrindo” seus poderes, Tony Stark montando sua armadura bem como outras artes bem conhecidas pela internet. Agora chegou a vez do Street Fighter III.

Outro lado muito bacana dele é que ele é um grande fã de Street Fighter, como você pode perceber ao ver seu portifólio em seu site.

E na Campus Party 2013, Victor Hugo revelou o resultado de seu mais recente trabalho, este realizado juntamente de um amigo: o trailer pra um curta baseado em uma famosa luta de Street Fighter III: Ryu Vs Hugo.

Hugo é um personagem que apareceu em Street Fighter III mas sua verdadeira origem é em Final Fight, onde se chamava Andore (japonês para André) e uma de suas características mais marcantes é que ele foi o único a levar o famoso golpe Shin Shoryuken de Ryu e não ser nocauteado.

O nome da animação: Fuurinkazan é a combinação de quatro palavras em japonês: vento, floresta, fogo e montanha e é citada no livro Arte da Guerra de Sun Tzu: “Se mova tão rápido quanto o vento. Seja silencioso quanto uma floresta. Ataque tão ferozmente quanto o fogo e seja invencível como a montanha”

Confira abaixo o trailer dessa animação e deixe nos comentários o que você achou. Para mais informações, visite o Facebook do Victor Hugo: http://www.facebook.com/vitorugoo