gr-iphone

Apple proíbe programação de jogos para iPhone com ferramentas de terceiros

Nosso leitor Leonardo Zimbres escreveu este excelente post a respeito da polêmica relação entre a Apple e a Adobe quanto à programação para o iPhone. Vale a pena ler e se perguntar: para onde será que a plataforma vai?

A Apple Store anunciou recentemente grandes novidades para o Iphone OS4. Entre elas, a possibilidade de usar aplicativos em multi-tarefa. Mas uma nova cláusula, no contrato beta para os desenvolvedores de iPhone, tem causado uma certa polêmica.

Conhecida como 3.3.1, ela enfatiza que os aplicativos só podem ser escritos em objetive-C, C, C++ ou JavaScript “executada pelo iPhone como Webkit engine”. Isso afeta muitos jogos presentes na Apple Store que não estão de acordo com isso, entre eles os programados com Unity 3d ou Lua engine, como Dinner Dash, Angry Birds (ambos contém scripts em Lua)e Skee Ball (Unity Engine).

Coincidência ou não, a Adobe, que não obteve carta branca para fazer o Flash Player para iPhone, tentou dar a volta por cima e iniciou um novo complemento para o Flash CS5: o “iPhone Packager”. Há praticamente dois meses e meio a Adobe procurou desenvolvedores flash para testar a versão beta do Flash conhecida como Viper Release. Através dela, alguns programadores conseguiram até mesmo publicar seus aplicativos, feitos em flash, na Apple Store. Mas antes mesmo da Adobe anunciar publicamente a linha CS5, a Apple lançou o novo modelo de contrato 3.3.1.

Tal posicionamento da Apple dividiu opiniões. Alguns se perguntaram se a posição era mesmo séria e se ela se aplicava somente ao Flash ou ao que seria. Tem os que são contra as experiências multi-plataforma com o Flash faz. Defendem que um produto multi-plataforma nunca será bom como algo escrito especificamente para a plataforma em questão. Aliás é o que o próprio Steve Jobs disse, quando questionado sobre esta cláusula: “camadas intermediárias entre plataforma e desenvolvedor, em última instância, produzem aplicativos sub-padrão e impedem o progresso da plataforma”.

Outros apontam que a Apple não é feito de pérolas escritas em Objective-C. No número de aproximadamente 180.000 aplicativos, muitos não são “flor-que-se-cheire”. Lee Brimelow, evangelista Flash da Adobe, publicou um post entitulado “Apple dá um tapa na cara dos desenvolvedores”. Diz que a maçã deu um passo assustador sem defesa racional a não ser desejar controle tirânico sobre desenvolvedores, quererendo usá-los como peões em uma cruzada contra a Adobe. Seguindo em seu post, onde frisou não estar falando em nome da empresa onde trabalha, concluiu “go screw yourself, Apple”.

Os participantes do Release Viper estão divididos em tentar publicar seus produtos, enquanto outros estão se focando agora em trabalhar para outras plataformas, como o Android, do Google. Um passarinho contou a alguém que me contou que a Adobe está preparando um processo contra a Apple nas próximas semanas.

5 opiniões sobre “Apple proíbe programação de jogos para iPhone com ferramentas de terceiros”

  1. O motivo não é atacar a Adobe, nem a Unity ou qualquer outra ferramenta. Mas sim impedir que os aplicativos feitos para Apple Store sejam disponibilizados também em outros smarthphones. Se a maioria dos desenvolvedores usarem Flash (ou qualquer outra ferramenta multiplataforma) para criar para iPhone, certamente disponibilizarão versões do jogo para portáteis concorente, já que o port é automático. E, convenhamos, o grande diferencial do Iphone para os outros é a Apple Store, sem ela o aparelho perde seu valor agregado suas vendas decairiam.

    Mas Apple devia que a relação entre desenvolvedores e plataforma é como um namoro. Fazer marcação cerrada e ter crises de ciúmes não torna o parceiro mais fiel, e sim mais disposto a chuta o balde.

  2. Aí está o problema de se desenvolver para o Iphone: O "Risco Apple" !

    Quando se desenvolve para esta plataforma, deve se tormar cuidado com as surpresas deste tipo.

    Em um dia você está desenvolvendo feliz e contente, achando que seu negócio está bem encaminhado,
    e que você está investindo em uma marca de futuro. No outro dia, se parceiro te puxa o tapete.

    Da mesma forma que eles podem resolver sem te avisar , que a sua ferramenta não pode mais ser usada,
    eles também podem tirar seu jogo da loja ou diminuir sua participação na venda do seu proprio jogo.

    Este tipo de ambiente de insegurança que eles estão criando para o desenvolvedor, não ajuda em nada
    o crescimento da plataforma. É um passo atrás com certeza. E quem sai mais prejudicado é o consumidor
    da apple: Produtos caros e incompatíveis.

  3. O certo seria que a Apple refizesse todos seus regulamentos em relação a produção e venda de jogos na Apple Store

    Se continuar do jeito que está a Apple perderá pra concorrencia

Deixe seu comentário