Top 10: Os melhores jogos lançados pela Telltale Games

Neste final de semana a internet foi pega de surpresa com a notícia de que a Telltale está entrando em processo de falência. A empresa foi criada em 2004 e ao longo de sua existência lançou dezenas de jogos icônicos, tais como The Walking Dead e The Wolf Among Us. Um dos pontos mais interessantes da história da Telltale é que a produtora praticamente criou uma marca registrada, lançando jogos baseados em quick time events, histórias episódicas e decisões que afetam a aventura no futuro.

Tecnicamente a empresa não está fechada, porém o número de funcionários remanescentes é insuficiente para manter os lançamentos programados. Resolvemos nos despedir da Telltale relembrando alguns dos melhores jogos que a produtora já lançou. Se você não chegou a conhecer todos, vale a pena dar uma olhada nessas pérolas.

Abaixo você confere os principais jogos que a Telltale já desenvolveu:

 

The Walking Dead: A Telltale Games Series

 

Walking Dead

O jogo que tornou a Telltale mundialmente conhecida foi The Walking Dead, pegando carona no sucesso da série televisiva. Ao invés de se inspirar no seriado, o game buscou referências mesmo nas HQs e serviu para introduzir a muitas pessoas o modo de contar histórias da Telltale, baseado tão somente em tomada de decisões.

Outro aspecto importante do jogo é que a resolução de puzzles fica relegado ao ostracismo, dando ênfase no desenvolvimento de personagens. The Walking Dead da Telltale é dividido em cinco episódios, cada um com momentos emocionantes. A densidade das ações foi conquistada graças ao suporte que os produtores da série deram à Telltale a fim de conseguir a fidelidade narrativa.

 

Batman: The Telltale Series

Sempre que se fala em jogos do Batman as pessoas pensam na trilogia da Rockstead, entretanto a Telltale também já trabalhou com o morcegão em 2017. Nesta obra a Telltale teve toda a liberdade criativa para fazer o game que quisessem, ou seja, não há inspiração em outras adaptações, filmes ou mídia. Tudo que a Telltale teve de fazer era manter a mitologia do personagem intacta.

No game o jogador assume o papel de Batman e de seu alter ego, Bruce Wayne, em uma aventura poucos anos após assumir o trabalho de vigilante. Tanto a narrativa, quanto o gameplay carregam o DNA da produtora, ou seja, o jogador tem vários momentos de decisões difíceis que impactam diretamente os rumos da história. Ah, o jogo ainda tem momentos em que o jogador deve usar as habilidades detetivescas do Batman.

 

Tales from the Borderlands

Tales from the Borderlands

Aqui a Telltale se inspirou na franquia Borderlands da Gearbox para criar uma aventura mais voltada para o humor, se afastando do peso emocional que outros de seus jogos tinham. Tales from the Borderlands foi lançado em 2014 e mão se tornou muito conhecido, apesar de ser um com melhores notas no Metacritic dentro do catálogo de jogos da Telltale.

Basicamente o jogador toma controle das personagens Rhys e Fiona logo após serem raptadas por um indivíduo que elas contém o que sabem do projeto Gortys, da empresa Atlas. A partir daí os jogadores tem uma aventura de cinco episódios para recontar uma mesma história sob o ponto de vista dos dois personagens. O jogo é o mais engraçado da Telltale e merecia mais atenção da comunidade. Infelizmente as vendas foram decepcionantes.

 

Tales of Monkey Island

 

Em 2009 a Telltale conseguiu a licença para trabalhar neste spin off de Escape from Monkey Island sob o pretexto de comemorar os dez anos do último lançamento. Diferente de outros jogos da Telltale, este aqui chegou apenas para Wii e PCs. O jogador assume o papel do pirata Guybrush, que acidentalmente acaba liberando uma maldição voodoo pelo Golfo de Melange. Cabe ao bucaneiro e sua esposa procurar uma cura para a doença que está se espalhando rapidamente.

O game foi um dos pontos de virada para a Telltale, revelando ao mundo todo o seu talento e storytelling diferenciado. O título seria aclamado pelo seu humor e gráficos cartunescos. O sucesso comercial acompanhou as críticas, de modo que o jogo seria até o momento o de maior sucesso até o lançamento de Back to the Future: The Game. Ainda que pareça datado, Tales of Monkey Island ainda vale a jogatina.

 

The Wolf Among Us

The Wolf Among Us

The Wolf Among Us é até hoje um dos jogos mais estranhos já feitos. Basicamente ele é ambientado em um mundo de HQs, inspirado nos quadrinhos Fables, de Bill Willingham. A história do jogo se passa 20 anos antes dos eventos dos quadrinhos. O jogador assume o controle do detetive Bigby Wolf, que deve investigar o assassinato de uma mulher. A investigação leva o jogador a diversos ambientes e falar com diferentes personagens, até descobrir uma trama ainda maior.

A primeira coisa que chama as atenções é seu estilo gráfico em cell shading, que o torna um quadrinho jogável. A história é repleta de mistério e a ambientação fantástica são a cereja do bolo. Devido ao fato de que a Telltale está em processo de falência, é improvável que a sequência veja a luz do dia.

 

Sam & Max: Save the World

Sam & Max: Save the World

Ainda que a Telltale tenha lançado outros jogos da franquia Sam & Max, vale mencionar mesmo àquele que foi o primeiro pela mão da Telltale e o quinto de toda a sua história. Lançado em 2006, Save the World conta com seis episódios e segue os protagonistas em uma série de casos envolvendo hipnotismo. Cada episódio é um caso e ao final descobre-se que estão interligados.

O game tem bastante humor e uma jogabillidade baseada em quick time events e em puzzles simplistas. Tem muita gente que torce o nariz para este jogo, porém foi justamente Save the World um dos primeiros a ser bem sucedido no formato episódico. O sucesso foi tanto que a Telltale conseguiu o aporte para lançar mais dois capítulos (Beyond Time and Space e The Devil’s Playhouse)

 

Minecraft: Story Mode

Minecraft: Story Mode

Com o sucesso de Minecraft, da Mojang, a Telltale decidiu apostar em um jogo com narrativa mais linear. Basicamente o jogador coleta itens, soluciona quebra-cabeças, e fala com NPCs através de árvores de diálogo para aprender sobre a história e determinar o que fazer a seguir. Assim como ocorre em outros jogos da Telltale, as decisões que o jogador faz impactam eventos no episódio atual e nos seguintes. Porém, sem o peso emocional de outros jogos.

Ainda que a mecânica principal seja inspirada nos jogos prévios da Telltale, a empresa não deixou de incluir elementos de construção, centrais ao Minecraft. A intenção foi mostrar que o jogo não apenas quer aproveitar da marca Minecraft, mas também dar a seus fãs um produto que respeita suas raízes. Se você curte mesmo a franquia de construção, vale a pena a jogada.

 

Game of Thrones

Game of Thrones Telltale

Tanto os livros de George R.R. Martin, quanto a série da HBO tem algo em comum: a exploração de decisões de personagens e suas consequências é algo recorrente. Nada mais justo do que um game explorar esse mesmo conceito de liberdade de escolha recair sob os ombros do jogador em um game. O macete é que a Telltale teve liberdade criativa para trabalhar na marca GoT, de modo que o jogador acompanha a saga da Casa Forrester enquanto tentam sobreviver após os acontecimentos da Guerra dos Cinco Reis.

O jogo ainda conta com a contribuição dos atores da série, que emprestaram suas vozes para enriquecer o projeto. O resultado não agradou todo mundo, mas serviu para garantir uma segunda temporada (que acabou cancelada). As principais críticas positivas foram para a fidelidade e o respeito que os produtores do game tiveram com a fonte original.

 

Poker Night 2

Poker Night 2

Este jogo muda muito o que os jogadores conhecem da Telltale, pois diferente de uma aventura gráfica, este aqui é mais um jogo de poker em que o jogador deve encarar diferentes jogadores em partidas de poker para ganhar o máximo de grana possível. O destaque mesmo é para o humor que o jogo carrega, incluindo a adição de personagens como Sam (Sam & Max), Brock Samson (The Venture Bros), Ash (The Evil Dead), Claptrap (Borderlands) e GLaDOS (Portal).

Diferente de outros jogos de poker, aqui o macete não é apenas saber as regras, mas também tirar vantagem dos adversários. Você pode, inclusive, embebedar os demais personagens durante as partidas a fim de facilitar as partidas. O jogo é indicado para fãs de poker.

 

Back to the Future: The Game

Back to the Future: The Game

Em 2010 a Telltale conseguiu um acordo de licenciamento com a  Universal para o lançamento de Back to the Future: The Game, um jogo episódico inspirado na franquia de filmes. O jogo conta com dublagem de Michale J. Fox e Christopher Lloyd e reconta muitos acontecimentos vistos nas telonas.

A história do game traz uma aventura original dividida em cinco episódios que se passa sete meses após os eventos dos filmes. Acompanhamos Marty saindo em busca do desaparecido Dr. Brown.  O roteiro foi escrito pelo coescritor e produtor da trilogia, Bob Gale, e utiliza o sistema de escolhas de outros títulos da Telltale, ou seja, algumas decisões alteram o rumo da aventura.

PUBG Mobile Star Challenge – equipes de todo o mundo competem por US$ 600 mil

Esta é especial para os fãs de PlayerUnknown’s Battlegrounds Mobile (PUBG MOBILE): já começou as classificatórias do PUBG MOBILE STAR CHALLENGE (PMSC), um torneio global de PUBG MOBILE organizado pela Tencent Games e PUBG Corporation. O torneio coloca representantes da Europa, Ásia, Japão/Coreia, China, América do Norte e América do Sul em uma disputa global por prêmios que chegam ao total de US$ 600 mil. As finais acontecerão em Dubai ainda em 2018.

A expectativa é que o campeonato de PUBG Mobile bata recorde de audiência em streamings, já que os líderes de equipe milhares de seguidores e o torneio terá patrocínio da Samsung Galaxy Note9. O período de registro terminou em 10 de setembro, com mais de 15 mil equipes prontas para a qualificação do PMSC. Os detalhes podem ser encontrados aqui.

Na próxima etapa, as principais 20 equipes de cada uma das seis regiões passarão para a fase qualificatória do PMSC e, então, para as finais globais. O prêmio de US$ 600 mil será dividido entre os vencedores da final regional e global da seguinte forma:

Campeão da Final Global: US$ 200 mil

2º lugar: US$ 100 mil

3º lugar: US$ 50 mil

 

Campeão da Final Regional: US$ 20 mil

2º lugar: US$ 15 mil

3º lugar: US$ 10 mil

 

Além dos prêmios em dinheiro, os vencedores se tornarão criadores de conteúdo oficiais de PUBG Mobile, ganhando acesso a recursos promocionais ao fazer streams do jogo. Trata-se de uma oportunidade de se tornar um influenciador de sucesso.

A primeira parte dessa próxima etapa do torneio global será o PUBG MOBILE STAR CHALLENGE – EUROPE FINAL, que acontece na Ucrânia, em Kiev, entre 29 e 30 de setembro, às 10h30, horário de Brasília. Você pode acompanhar tudo através da página oficial do Facebook do PUBG MOBILE.

PUBG Mobile está disponível para download gratuitamente na App Store e Google Play.

 

PUBG estará na BGS com mega arena

Brasil Game Show

Ah, e já que o assunto é PUBGS, vale dizer que os grandes fãs de PlayerUnknown’s Battlegrounds (PUBG) terão um ótimo motivo para participar da 11º edição da Brasil Game Show (BGS): a organização do evento irá montar uma mega arena aberta ao público de 500 m² e com mais de 100 estações de jogos exclusivas de PUBG, entre PC e mobile. A atração será comandada pela PUBG Corp, estúdio responsável pelo título e que estreia na Brasil Game Show como patrocinadora ouro. A intenção é criar a maior arena virtual de um jogo.

“Será incrível ver uma arena com mais de 100 estações rodando o jogo, que traz justamente um cenário em que diversos competidores precisam batalhar até que reste apenas uma equipe, a grande vencedora. Certamente será um dos espaços mais concorridos da feira”, disse Marcelo Tavares, CEO e fundador da Brasil Game Show.

Mais informações no site da BGS.