Game Street Crosser estará disponível para jogatina no Metrô República

Como todos sabem, estamos no Maio Amarelo e por isso ocorrem várias ações com o intuito de prevenir acidentes de trânsito e zelar pela segurança dos pedestres. Uma das ações de conscientização envolve até mesmo um game eletrônico chamado Street Crosser. Este jogo está disponível para jogatina gratuita na estação de metrô República. A obra faz uso de uma mecânica de jogo semelhante ao Frogger, clássico do Atari.

De acordo com os desenvolvedores, Street Crosser estimula os jogadores a atravessarem uma avenida movimentada sem serem atingidos. Além de cruzarem a rua em segurança, eles também devem ajudar outros personagens do jogo a fazerem o mesmo. O game é uma crítica ao (péssimo) hábito de atravessar a rua fora da faixa de pedestres, como também à ausência de áreas seguras para cruzamento em determinados pontos da cidade. Através de botões coloridos acoplados a uma mesa de acrílico ou de tablets, dois jogadores controlam um pedestre cada. A partida tem duração de 30 a 90 segundos.

img_6083Street Crosser é obra dos artistas Noobware e Nutone e já esteve na Avenida Paulista em 2014 durante a 2º Mostra Play! – exposição de arte digital que transformou o edifício FIESP/SESI num enorme videogame interativo (foto ao lado). Além de estar disponível no Metrô República, o jogo também dará as caras na Galeria de Arte Digital SESI-SP. O game fica exposto até o dia 28 de maio e pode ser jogado por duas pessoas simultaneamente. Tudo gratuito.

image1

Serviço – Street Crosser – Maio Amarelo

Onde: Estação República do Metrô – área cultural

Dias: 17 a 21 e 24 a 28 de maio (de quarta a domingo)

Horário: das 13h às 19h

Obra interativa: Street Crosser – 2 jogadores via mesa

 

Manifesto Rock Bar sediará o festival Game Over São Paulo em junho

O pessoal que curte rock em São Paulo já deve ter conhecido o Manifesto Rock Bar. Agora é a vez de quem curte videogames conhecer esta tradicional casa noturna, pois no dia 15 de junho ocorrerá o Game Over: São Paulo, um festival de música que reunirá alguns dos maiores expoentes da game music brasileira.

Esta é a primeira vez os gamers da capital paulista terão um festival que reunirá músicas de games e muita jogatina. O evento é uma “importação” do Festival Game Over, que já acontece em diversas cidades americanas. Além das apresentações musicais, o evento vai contar com freeplay em consoles clássicos, proporcionando um encontro para os fãs de video games de todas as idades.

gameover

A festa começa com o show da banda Game Boys, seguida pelo tradicional “Game Metal” da banda MegaDriver e segue noite a dentro com a “Electronic Game Music” do PXJ DJ | AKA Thiago Adamo. Enquanto o som rola, os gamers poderão testar o mais novo Mega Drive, recém lançado pela Tec Toy. E não podemos deixar de citar a participação dos stormtroopers que farão a “segurança” do local. Sim, teremos a divertida participação da 501st Legion, a legião de Troopers mais insana do Império.

501stO evento é uma iniciativa do grupo americano MAGFest, abreviação de “Music And Gaming Festival“, responsável pelo maior festival de música e games do mundo, realizado anualmente nos EUA. De acordo com os organizadores, o “Game Over: São Paulo” chega com o objetivo de trazer esta tradição pela primeira vez ao Brasil, com toda a energia que a comunidade gamer merece.

 

Serviço: Game Over São Paulo

Data: Quinta, 15 de Junho de 2017

Ingressos: R$ 20,00 antecipado; R$ 30,00 no dia (ambos casos levar 1kg de alimento no dia)

Local: Manifesto Bar

Endereço: Rua Iguatemi, 36, Itaim Bibi – São Paulo/SP

Abertura da casa: 18h

Fone: (11) 3168-9595

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/293611134414657/

Manifesto Bar – http://www.manifestobar.com.br

 

Livro com temática gamer é lançado pela Etherique Editora – A Saga dos Bugadores: A Alquimia dos Sentidos e os Meninos Unicórnios

Mais uma dica sapiente de leitura: a Etherique Editora acaba de lançar A Saga dos Bugadores: A Alquimia dos Sentidos e os Meninos Unicórnios, uma obra que tem bastante ligação com o mundo dos games e um enredo bem divertido. Aqui acompanhamos três histórias que ocorrem em tempos diferentes, mas que se cruzam num só lugar. Trata-se de um livro infanto-juvenil com bastante aventura e fantasia que trata temas como game, bullying, sentidos, elementos, alquimia, artes, amizade etc

Tudo acontece em três lugares diferentes quando três crianças recebem “presentes”. Eva, uma gamer do planeta Terra, apelidada Three Fingers devido à sua mão esquerda, recebe um sinal. À Brisa, nativa da mesma Ilha, do planeta Atmosphere, e aprendiz dos Poços Cantantes, é dado um enigma. E, por fim, Benjamin, o filho dos ventos, nativo do planeta Atmosphere, recebe uma direção. A Ilha Etérea de Martina, do planeta Atmosphere, enfrenta problemas, está prestes a submergir, distanciando-se cada vez mais do continente e da ajuda externa. Entretanto, os habitantes da Ilha não estarão sozinhos. Quando menos se espera, vem ajuda externa.

anna-guiAos dozes anos, dez meninos de diferentes planetas se encontram no campo imaginário do planeta Atmosphere, no mágico e virtual universo Unigame, na Ilha Etérea de Martina. Um grupo de avatares Perceptivos Bugadores de Games têm de invadir os games humanos mais violentos e promover o caos no seu funcionamento. O objetivo é o de chamar a atenção dos jogadores humanos, primeiro, para a existência do Duogame, o imaginário virtual do planeta Terra, dominado pelos games humanos mais violentos, cujos poderes são magnéticos e obscuros. Segundo, para a conexão e iminente colisão dos dois universos virtuais: o Duogame, do planeta Terra e o Unigame, do planeta Atmosphere. Mas os Avatares Perceptivos Bugadores de Games somente vão conseguir ser eficientes nessa luta ao alcançarem seu grau máximo, o de Meninos Unicórnios.

18558672_298853973894488_917670565675590812_oSe você procurar no dicionário, não encontrará a palavra Bugadores. Trata-se de uma palavra inventada pela autora Anna Gui para dar sentido a um mundo fantástico de ideias e aventuras Bugado remete ao sentido de jogos eletrônicos, ou seja, defeito, erro em algum game ou algo indesejável. Uma falha na lógica de um programa. No livro, bugadores causam falhas em games muito cruéis para provocar reflexão, chamar atenção, e recrutar aprendizes de Perceptivos, a fim de criar novos tipos de games.

Anna Gui é a autora e ilustradora do livro A Saga dos Bugadores: A Alquimia dos Sentidos e os Meninos Unicórnios, da Etherique Editora. Ela é Phd e Pós-Doutora em Artes (PUC-SP; UNESP; IUPUI-IN). Ilustradora, Art Designer de Concept Art, Artista Plástica, desde 2006, com prêmio de Ilustração da AI-AP Latin American Illustration (2016). Em 2015, ilustrou o livro Cena Cosplay, da Editora Sulinas.

 

Serviço – A Saga dos Bugadores: A Alquimia dos Sentidos e os Meninos Unicórnios

Editora: Etherique

Autora: Anna Gui

Número de páginas: 206

Preço: $25,00

Pré-venda do livro impresso no site da Etherique e o ebook na Amazon

Lançamento: 05/06/2017 no site da editora.

Idioma: Português