Conheça o jogo indie Zap Zone! Tem bastante tiroteio e estratégia!

O game do dia é um shooter inspirado por Pac-Man e ambientado em uma nave espacial. O time do estúdio indie Mighty Mob Games lançou há pouco o Zap Zone, um jogo que te coloca numa corrida alucinante para tentar livrar sua base espacial dos inconvenientes e perigosos Zugs, monstrinhos alienígenas coloridos que ameaçam infestar o lugar. O game é em perspectiva isométrica e é recheada de ação e tiroteios intensos.

O protagonista de Zap Zone é o vigilante espacial Zoey, que se vê em meio a uma rebelião de Zugs, monstrinhos alienígenas coloridos que estão pondo a base espacial de pernas para o ar enquanto tentam escapar. Apenas você pode restaurar a ordem e trancá-los de uma vez por todas em suas celas. Mas tenha cuidado! Apesar da aparência, os Zugs não são tão inofensivos e eles estão em maior número.

ss_3588f628a79166387631f7983d692cb10cbf4c31-600x338Você vai explorar os cenários da base espacial exatamente como em outros dungeon crawls, ou seja, você deve coletar itens e munições para vencer os inimigos. O perigo espreita em cada esquina e é importante descobrir como usar o ambiente a seu favor. Tecnologias como a dos Warp Gates serão de grande ajuda na hora da fuga, permitindo que você se teleporte de um lado para o outro instantaneamente.

unnamed-3Ao todo existem três zonas diferentes e centenas de inimigos para vencer. Há ainda chefões de fases que dão bastante trabalho. Felizmente o jogador pode contar com três tipos de munições e outros armamentos como minas terrestres, barris explosivos e outras armadilhas. Zap Zone conta com um sistema de conquistas na Steam, com cerca de 25 conquistas desbloqueáveis.

Outro destaque são os visuais incríveis, que abusam das cores e a arte visual colorida. Os personagens são carismáticos e bastante divertidos. Mas não se engane, apesar dos visuais, a guerra é bem intensa. O título está disponível na Steam e por enquanto é exclusivo para PCs. Se você gosta de shooters com elementos estratégicos, vale a pena conferir Zap Zone.

Confira o intenso trailer de Zap Zone:

Como as novas mudanças da Steam devem afetar os desenvolvedores indies

Como vocês sabem, a Valve anunciou algumas mudanças importantes na Steam, a maior loja de games digitais do mundo. De acordo com a Publisher, o sistema Steam Greenlight será encerrado em prol de um modelo de negócios mais simples chamado Steam Direct. A medida foi recebida com preocupação por grande parte dos desenvolvedores e até por jogadores. Basicamente a Valve vai cobrar uma taxa para cada game publicado na Steam, ao passo que a votação no Greenlight deixa de existir. O comunicado foi feito na última sexta-feira (10), no blog da Steam.

Enyo, um dos destaques da semana no Greenlight
Enyo, um dos destaques da semana no Greenlight

Veículos americanos informam que a taxa pode variar entre US$ 100 e US$ 5000. Anteriormente os desenvolvedores pagavam US$ 100 anuais e podiam publicar quantos games quisesse. Em outras palavras, vai ficar mais caro para quem é indie publicar um game. A intenção é evitar o acúmulo de jogos ruins na plataforma, visto que um desenvolvedor apenas vai se arriscar publicar um game na plataforma se tiver certeza de que o valor de taxa será recuperado.

O problema é que muitos desenvolvedores indies em início de carreira simplesmente não poderão dispor de recursos para cada game publicado na Steam. Por um lado a Steam vai ficar livre de muitos games dispensáveis; Por outro lado, muitos desenvolvedores (inclusive brasileiros) perderão a chance de ter seus produtos numa das maiores vitrines do mundo. Muitos títulos, aliás, ganharam aclamação de público e crítica após a publicação na Steam.

Don't Starve Together, um dos games mais vendidos da Steam em 2016
Don’t Starve Together, um dos games mais vendidos da Steam em 2016

O Greenlight permitia que os usuários mais dedicados conhecessem milhares de títulos, vissem vídeos prévios e votassem naqueles que compraria se fossem lançados na plataforma. O novo sistema tem uma postura de curadoria, pois há uma série de burocracias e pagamentos que devem ser cumpridos para que o jogo tenha chance de figurar na loja virtual.

“Novos desenvolvedores terão que preencher uma papelada digital, passar por uma verificação pessoal e da sua companhia e apresentar uma documentação parecida com a utilizada no processo de abrir uma conta no banco”, explica a postagem. Há quem acredite que os lucros da Valve não serão afetados com a mudança de posicionamento. Há quem até imagine que essas taxas extras irão aumentar os lucros da companhia, visto que muitos da títulos que farão parte da nova Steam devem ser mais vendidos que a maioria que atulha a plataforma.

steam-banner

O Steam Greenlight foi lançado na plataforma em 2012 e mais de 4 mil títulos já passaram pela avaliação da comunidade. Estimativas sugerem que cerca de 38% dos games disponíveis na Steam foram publicados apenas em 2016, ou seja, uma alta considerável na publicação de jogos. Não é de se duvidar que a maior parte deles esteja repleto de bugs, sejam ruins ou até mesmo injogáveis. A intenção é tornar os jogos publicados mais selecionados, mais ou menos como as baladas e casas de show costumam fazer quando vendem ingressos mais caros. A estratégia é afastar clones em prol de games mais desenvolvidos e com um orçamento mais alto.

Os pontos negativos da nova Steam Direct

indie-game-characters-790x428Infelizmente, alguns games realmente promissores não chegam nem perto dos US$ 5 mil que a Steam pode cobrar pela taxa de publicação. Pelo lado do público, isto é uma boa notícia, visto que achar um game realmente bom é uma tarefa árdua. Além disso, os games a serem publicados a partir daí devem ter retorno quase imediato, uma vez que a oferta de jogos será mais restrita. Entretanto vale ressaltar que muitas dessas possibilidades não passam de conjecturas, visto que a Valve não divulgou todos os detalhes da Steam Direct.

É bom ver que a Valve está se mexendo para manter a qualidade dos títulos da plataforma, porém as medidas são bem extremas. Para os desenvolvedores indies as mudanças são péssimas se o orçamento for apertado. Felizmente existem outras vitrines de jogos digitais que devem receber mais atenção dos desenvolvedores, ou seja, se você não conseguir publicar seu game na Steam, não precisa entrar em pânico! Para a comunidade, resta aguardar o que a nova Steam aguarda.