League of Legends – Inscrições para as Qualificatórias do Circuito Desafiante já estão abertas

Quer se tornar uma lenda dos e-Sports? Pois então esta é a sua chance! A Riot Games e a BBL anunciam que as inscrições já estão abertas para as Qualificatórias do Circuito Desafiante, a série B da liga profissional brasileira de League of Legends. Para se inscrever, os interessados devem acessar o LoL ESPORTS BR.

A competição será dividida em duas fases: Classificatórias e Eliminatórias. Na primeira fase, serão quatro etapas classificatórias e as equipes vão poder escolher uma delas para participar. As partidas serão em MD1, sendo apenas a final em MD3.

Confira abaixo mais detalhes do Circuito Desafiante do League of Legends:

●      Classificatória #1

o      Datas e horários:

▪       23 de fevereiro, às 14h

▪       24 de fevereiro, às 18h

o      As inscrições para essa etapa se encerram no dia 23 de fevereiro, às 11h

●      Classificatória #2

o      Datas e horários:

▪       9 de março, às 14h

▪       10 de março, às 18h

o      As inscrições para essa etapa se encerram no dia 9 de março, às 11h

●      Classificatória #3

o      Datas e horários:

▪       16 de março, às 14h

▪       17 de março, às 18h

o      As inscrições para essa etapa se encerram no dia 16 de março, às 11h

●      Classificatória #4

o      Datas e horários:

▪       23 de março, às 14h

▪       24 de março, às 18h

o      As inscrições para essa etapa se encerram no dia 23 de março, às 11h

 

As equipes vencedoras de cada etapa acima vão disputar as Eliminatórias, em MD3, com os quatro times que melhor se classificaram no ranking geral de pontos da primeira Fase. Os dois times que vencerem as eliminatórias disputarão a Série de Promoção contra as equipes que ficarem em 5º e 6º lugares nesta Primeira Etapa do Circuito Desafiante 2019.

●      Fase Eliminatória –  30 e 31 de março, às 18h

●      Série de Promoção – 22 e 23 de abril

Jogadores de qualquer elo (bronze, prata, ouro, diamante) podem se inscrever, mas devem ter ao menos 17 anos completos até o dia 31 de julho de 2019. Cada time tem que ter pelo menos três jogadores brasileiros. Pro players que jogam atualmente na Primeira Etapa do Campeonato Brasileiro de League of Legends (CBLoL) ou do Circuito Desafiante não podem participar.

Todas as partidas serão transmitidas nos canais da BBL no Twitch e no YouTube, logo após as rodadas do CBLoL, aproximadamente às 18h. Para mais informações sobre as Qualificatórias do Circuito Desafiante, acesse o regulamento.

INTZ contratra time feminino de CS:GO visando conquistas internacionais

A INTZ e-Sports continua se reinventando! A equipe de cyberatletas mais famosa do Brasil acaba de anunciar a formação de um time feminino de CS: GO. O objetivo é formar uma equipe competitiva o suficiente para disputar os principais campeonato nacionais e internacionais de 2019. Vale lembrar que a ação segue a tendência de outras equipes, tal como o Santos, que criou seu time feminino em meados de 2018.

A equipe feminina da INTZ é formada por Jessica “fly” Pellegrini, Claudia “Santininha” Santini, Juliana “ujliana” Scaglioni, Gabriela “gabee” Velasco e Aline “lininhA” Avancini, sob a direção do coach Felipe “Guse” Guse. Dentre várias conquistas da lineup, vale citar: Kawotice Brazil Female qualify (2º lugar), WESG SA Female qualify (2º lugar), Eletronic Sports World Cup 2016.

“Essa importância no investimento do cenário feminino é algo para trazer mais gás e força de vontade pra quem está lutando diariamente, além de aumentar a visibilidade e mostrar que o cenário feminino tem que ser valorizado”, disse Jessica “fly”.

“O cenário feminino está começando a se expandir agora, e pensar que uma organização tão grande como a INTZ se permitiu a dar esta chance para um time só de mulheres mostra um avanço enorme.” complementa Juliana “ujliana”.

O clube intrépido acredita na capacidade e força que as mulheres possuem, investindo cada vez mais em projetos para o público feminino e expandindo os horizontes das atletas, quebrando barreiras e preconceitos. Inclusive, a contratação e o anúncio do time faz parte da campanha #JogoÉCoisaDeMenina que o clube lançou recentemente, homenageando as mulheres no cenário do gamer.

No vídeo abaixo você conhece as intrépidas da INTZ:

War Solution – game mistura puzzle e tower defense para melhorar suas habilidades em matemática

O ano de 2019 terá tudo para ser especial para a equipe da Yaw Studios, uma desenvolvedora indie focada em criar jogos que agreguem conhecimentos ao jogador, pois é justamente neste ano que a empresa lançará o ambicioso War Solution, um título que mistura puzzle e tower defense de maneira única. O game esteve presente na BGS 2018 e deixou uma impressão bastante positiva entre os visitantes do estande.

Basicamente você deve derrubar as torres adversárias com a utilização de uma catapulta antes que o adversário derrube a sua estrutura. Para isso, você deve acertar um desafio matemático que surge na tela. Quem responder primeiro tem a chance de disparar contra a torre adversária primeiro. O macete é que além de divertir, o game ainda auxilia no raciocínio rápido e atrair pessoas para a boa e velha matemática.

War Solution consegue êxito em divertir e ensinar muito por causa de seus visuais encantadores, o clima de competição e jogabilidade simples. Você vai resolver problemas de adição e subtração, escolhendo entre quatro opções de respostas disponíveis. Quanto mais rápido você responder, melhor, pois há a chance de ganhar itens capazes de aumentar o poder de fogo de sua catapulta. Mas se você demorar para responder, o dano causado no inimigo será pífio.

Se você se mostrar um gênio não descoberto da matemática, novas torres são desbloqueadas. De acordo com a Yaw Studios, o game conta com 5 modos de jogo, incluindo um modo de combate, que permite que você desafie seus amigos online. Até o momento, apenas dois modo estavam prontos: a campanha e o multiplayer local para dois jogadores – e foi justamente este a fazer bastante barulho na BGS, através de desafios propostos pela equipe da Yaw Studios aos visitantes do estande.

Em entrevista ao site Jogazera, Aislan, fundador da Yaw Studios disse que o game foi pensado após avaliar o nível educacional dos alunos. “Não querendo educar, mas utilizando a competição e a diversão como veículo, fazendo com que a matemática seja inserida naturalmente, sem a pessoa perceber”, disse Aislan.

War Solution ainda não tem data definida de lançamento, mas sabe-se que chegará ainda em 2019 para plataformas mobile e PCs. Há planos de trazê-lo aos consoles no futuro também. A impressão que o game deixou nos visitantes da BGS foi bastante positiva e provavelmente ele deve fazer novas participações em outros eventos de jogos nacionais. Você pode conferir mais sobre o game no site oficial.

Abaixo você confere um trailer de War Solution:

PUC-SP abre curso de extensão em Gamificação Open Mind

Pessoas antenadas no mundo dos negócios e gestão de pessoas já se deram conta que a gamificação é uma tendência para o futuro. A coisa é tão séria que até as grandes instituições de ensino começam a investir na capacitação de pessoas para utilizar a técnica de maneira efetiva. A PUC-SP acaba de abrir o curso de extensão Gamification Open Mind no campus Vila Mariana. O objetivo é contribuir para a formação de profissionais que desejam atuar com estratégias baseadas em gamificação.

De acordo com a PUC-SP, as aulas abordarão os aspectos teóricos e práticos de gamificação, bem como estratégias contemporâneas para concepção, desenvolvimento e avaliação de projetos que envolvam o processo de gamificação em diferentes contextos. O coordenador do curso é o Prof. David de Oliveira Lemes, nosso editor-chefe.

O curso conta com referências sólidas, tais como pesquisas, documentos e casos recentes da área de Gamificação, além de estudos propostos no Programa de Estudos Pós-Graduados em Tecnologia da Inteligência e Design Digital (TIDD/PUC-SP), de natureza interdisciplinar e composto por pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento.

As aulas serão ministradas pelo Prof. Guilherme H. Quintana, Meste em Tecnologias da Inteligência e Design Digital. O docente é expert em gamificação e já produziu ao longo da carreira mais de 12 jogos e projetos de gamificação nas empresas Gestum (2011 à 2015) e eguru (2015 – atualmente), construindo soluções lúdicas para temas variados. Espera-se, ao final do período da extensão, que o aluno matriculado apresente para sala e professor um projeto de gamificação completo, aplicando o que viu em aula. Desta forma, será possível evoluir o conceito através dos feedbacks compartilhados e levar este trabalho para sua área de atuação.

O curso de extensão de gamificação é especialmente indicado para professores, pesquisadores, universitários e profissionais interessados em concepção, desenvolvimento, gestão e avaliação de projetos de gamificação. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas na página da PUC-SP. Ao todo o curso terá 30 horas e serão ministradas no horário das 19h às 22h. De acordo com a instituição de ensino, as aulas iniciam no dia 03/04/2019 e devem terminar no dia 25/06/2019.

Venturion – Game da Tapps VR mistura realidade virtual e interações reais

Você certamente já ouviu falar da Tapps Games, certo? Afinal ela é uma das maiores e mais prolíficas desenvolvedoras de jogos mobile do Brasil. Pois bem, há alguns meses a empresa começou a investir pesado em jogos para realidade virtual através da subsidiária Tapps VR. Hoje vamos falar de Venturion, o mais ambicioso jogo de realidade virtual já produzido em terras brazilis.

Basicamente Venturion pode ser descrito como a fusão entre jogos de realidade virtual e realidade aumentada, uma vez que ele utiliza objetos e efeitos reais, ao passo que o jogador apenas enxerga o que é apresentado no mundo de jogo. Aqui o jogador interage com objetos, sente calor, textura, vento etc. A ideia é transportar o jogador para dentro do jogo de uma maneira jamais vista em jogos do gênero. Venturion foi lançado em outubro de 2018, época em que foi disponibilizado no Museu Catavento e no VR Gamer, em São Paulo, além de ter aparecido na Arkave VR, em Campinas.

Venturion

“Combinando as infinitas possibilidades da realidade virtual de ponta com objetos reais e efeitos especiais táteis, Venturion cria experiências emocionantes, intensas e completamente imersivas. Um mundo de aventuras únicas e memoráveis que todo mundo pode viver, seja solo ou com amigos”, diz o informativo no site da Tapps VR.

A Tapps VR tentou combinar as possibilidades da realidade virtual de ponta com objetos reais e efeitos especiais táteis. Com isso, Venturion cria experiências diferentes, mais voltadas à imersão. Imagine ver uma fogueira ingame e a sua frente tem fogo de verdade. É mais ou menos assim que o game é.

Atualmente o Venturion pode ser testado nas casas VR Gamer, em São Paulo, e na Arkave VR, em Campinas. A expectativa é que o título apareça em grandes eventos do circuito nacional de jogos brasileiros ainda este ano, já que ele é uma das novidades do nosso mercado e tem potencial para despertar a curiosidade dos gamers e aficionados por tecnologia.

ESL e Facebook Gaming expandem parceria durante 2019 para cobrir todos os eventos globais da ESL Esports

Curte e-Sports? Então fique de olho nisso! A ESL, maior companhia de esports independentes, e o Facebook Gaming anunciam a expansão da parceria que cobre todos os eventos globais de competição de esports da ESL, de maneira não exclusiva, para a plataforma do Facebook. A intenção é que a ESL irá transmitir tanto os circuitos emblemáticos, Intel Extreme Masters (IEM) e ESL One, como a estreia da Pro League de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO).

A distribuição começou com a classificação regional de CS:GO para o IEM Katowice Minor, em 16 de janeiro desse ano e se desenrolará até dezembro de 2019. As competições serão transmitidas globalmente pelo Facebook, em inglês, com qualidade 1080p/60fps e divulgadas ao vivo pela ESL Pro League tanto em inglês como em português.

“A ESL une a comunidade global de fãs de esports e tem o objetivo de entregar experiências incríveis para audiências ao redor do mundo, tanto online como por eventos de grande escala”, comenta Ralf Reichert, Co-CEO da ESL. “Iremos oferecer diferentes plataformas, nas quais os fãs poderão viver nossos circuitos online emblemáticos – incluindo um retorno ao Facebook Gaming para continuar a trazer conteúdo para sua crescente audiência.”

ESLDesde o começo das lives da ESL no Facebook, as duas companhias colaboram para fazer atualizações importantes para a experiência dos espectadores, os fãs de esports. Dentre as alterações, estão a melhora na qualidade de vídeo e na estabilidade, assim como na facilidade de descobrir os eventos da ESL.

“Expandir o conteúdo da ESL para incluir todas as competições globais de esports é um meio de satisfazer o apetite, que cresce a cada dia, de assistir vídeos com conteúdo de gaming no Facebook”, diz Leo Olebe, Diretor Global de parcerias de Games do Facebook. “Dar aos fãs da ESL uma maneira de assistir aos esports em diferentes plataformas é algo que nós sabemos ser importante para a comunidade, e essa é uma grande razão para que todo o conteúdo de 2019 seja transmitido em qualquer lugar que a ESL queira. Nós continuaremos a ouvir e agir sobre o feedback dos gamers e trabalharemos juntos para construir um mundo da comunidade gaming.”

Os fãs poderão assistir e seguir todo o conteúdo da ESL no fb.gg, destino de vídeos de gaming no Facebook, e em páginas individuais para as competições IEM, ESL One e Pro Legue.

Conheça Tiki-Taki, o primeiro jogo do estúdio Cheeky Chimp

O destaque do dia é uma ode aos desenhos da década de 80-90. Trata-se Tiki-Taki, um game do gênero sidescroller repleto de puzzles desafiantes desenvolvido pelo estúdio Cheeky Chimp, que coloca o jogador no comando dos amigos Joe e Bubble, que devem unir forças para salvar seus amigos das investidas de Juju, um vilão que quer destruir a colorida ilha dos heróis.

O game presta homenagem aos cartoons da década de 90, tais como Animaniacs, por exemplo, pois é repleto de cores e bom humor característicos do estilo. O jogador tem a impressão de estar em um desenho jogável. O grande macete é que há vários puzzles que desafiam a criatividade do jogador e sua percepção.

O título está em campanha no Kickstarter e tem previsão de lançamento para 2019 para plataformas mobile e PC. O jogo utiliza de muitos poucos elementos de UI, permitindo o jogador usar a tela inteira para controles de movimento. Depois de introduzir a mecânica de “andar”, nós introduzimos a mecânica de “correr”, utilizando o mesmo conceito de utilizar a tela inteira como botão.

As mecânicas básicas é de andar, correr e parar, de modo que o estúdio prezou por uma jogabilidade simples e que qualquer um pode desfrutar. Cada novo encontro ingame é atrelado com uma “cutscene” para ilustrar, em pura emoção de um desenho animado, o que evitar e como passar do obstáculo. Toda essa informação é transmitida sem o uso de texto ou sequer narração explícita.

Tiki-Taki é desenvolvido por três desenvolvedores espalhados pelo mundo. Um deles, inclusive, é o brasileiro Vitor Laskowsky. De acordo com os produtores, o game surgiu de um projeto de faculdade e foi tão bem recebido em ambiente acadêmico que o trio William, da Bélgica; David, da Colômbia; e Vitor, de São Paulo resolveram termina-lo e lança-lo comercialmente.

Abaixo tem o trailer de Tiki-Taki:

Izotonic Studios vence Game Jam Sky, confira nossa entrevista com os produtores

No último final de semana entre 02 e 03 de fevereiro os desenvolvedores indies do Brasil tiveram um desafio bastante inusitado: criar um game com apenas 1,5 mb. Este era o desafio proposto pela Game Jam Sky, evento promovido pela empresa de TV a cabo, que visava unir o mundo dos games com alguns dos programas que ela transmite (filmes, séries etc). Quem venceu o desafio foi o time da Izotonic Studios, que criou um game casual bem promissor.

A vitória grantiu o prêmio de R$ 5 mil, além da possibilidade de ter o game publicado pela Sky em um futuro próximo. Resolvemos conversar com o Vinicius Yokomizo, sócio-fundador da Izotonic, que nos falou sobre esta game jam e um pouco sobre a história do estúdio.

 

  1. Nos fale sobre e a história da Izotonic Game Studios. Quando surgiu e que games já foram desenvolvidos?

Izotonic: Gostaria de agradecer o convite do “Dolemes” e Luiz! Fundamos o estúdio em meados de 2012, logo após a nossa formação em desenvolvimento de games. Esse ano completaremos 7 anos no mercado de desenvolvimento de games, começamos produzindo alguns jogos simples para vermos as limitações e principais características de cada um da equipe, isso nos possibilitou saber em quanto tempo conseguíamos produzir, começamos a participar também de algumas game jams como SPJam, fomos conquistando alguns clientes ao longo desse tempo, produzimos alguns títulos próprios, como: CMYK, Ikarus, etc. Alguns advergames para Petrobrás, Puma, Zap Imoveis, Zurick Seguros e projetos para área da saúde, como o Mentalplus, onde temos pesquisas e parcerias internacionais.

  1. Como chegou o convite para participar da Game Jam Sky?

Izotonic: Ficamos sabendo da Game Jam através de um grupo de desenvolvedores do whatsapp, logo após isso paramos tudo o que estávamos fazendo para nos inscrevermos na game jam, queríamos mostrar que estávamos todos engajados e totalmente interessados em participar, tanto que enviamos o formulário todos na mesma hora.  Houve uma seleção, levaram em conta diversos pontos, como experiencia, entre outras características.

 

Ikarus, um dos principais games do portfólio da Izotonic Studios.
  1. Qual foi o tema da Game Jam Sky? E assim que foi definido o tema, como foi o processo para definir que game criar em tão pouco tempo?
    Izotonic:
    Na verdade não houve um tema em especifico, mas alguns desafios, o game poderia ter qualquer tema dos parceiros relacionados aos canais deles, filme, serie, desenhos, etc. outro ponto foi que deveria ser um game bem casual, pois o limite para a versão final deveriam ter apenas 1,5 mb. Tínhamos 3 ideias iniciais, escolhemos uma em consenso da equipe.

 

  1. Vocês já participaram de algum evento semelhante? Qual foi o resultado?

Izotonic: A maior parte da equipe já havia participado de game jams, dois dos integrantes participaram a primeira vez Estevam que trabalha com desenvolvimento de modelos 3D e a Mariana artista conceitual, dois dos integrantes Leonardo e Lucas ambos programadores já participaram de game jams como a Game Jam Plus onde foram vencedores regionais em São Paulo, eu e meu sócio já participamos de outras como SPJam, fomos vencedores na edição de 2013, recebemos uma premiação da Nokia. Microsoft Game jam, Facebook Game Jam, Kolks Game Jam, e essa que considero uma das principais nas quais participamos.

  1. Nos fale como é o game que vocês criaram durante o evento. Qual o objetivo, personagens etc.
    Izotonic:
    Desenvolvemos uma Game totalmente focados no engajamento, então partimos do principio trazer uma linguagem simples, Não posso falar muito sobre, devido a alguns requisitos da Game Jam Sky, creio que em breve poderemos falar melhor e com mais detalhes sobre o game, fico muito empolgado e ansioso para falar sobre o game, mas infelizmente por hora não posso.
O jogo Mental Plus é um dos destaques do estúdio.
  1. Qual a diferença entre criar um game por contrato, independente ou durante uma game jam?

 

Izotonic: Desenvolver em si, todos temos o mesmo sentimento, prazer em produzir o que mais adoramos, games! O que muda por exemplo em um game por contrato é que as vezes o roteiro ou a ideia já vem do cliente, nós executamos a ideia, às vezes o prazo pode variar também alguns duram mais tempo outros menos. Creio que o maior desafio na indústria é desenvolver o próprio “indiegame” por completo, agora com o incentivo dos editais essa realidade se torna cada vez mais próxima, desenvolver o próprio game é bem mais emocionante pois você pode focar numa mensagem que você gostaria de passar, ou seguir um estilo de arte, focado em qual público você planeja atingir, etc.

Já numa game Jam as coisas mudam um pouco, as coisas precisam ser um pouco mais precisas, e organização é um ponto bem importante nesse processo, dividir as tarefas para o que cada um é melhor, ou ajudar alguém com dificuldade em alguma tarefa, fora o contato com outros desenvolvedores, e a troca de experiencias que é ótima!

 

  1. Quantas pessoas participaram do projeto?

Izotonic: Gostaria de agradecer muito minha equipe, estavam todos bem engajados, e proativos! Ao todo foram 7 pessoas, Eu (Vinicius) responsável pela direção de arte durante a Game Jam, Rafael C. Garcia meu sócio, responsável pela programação principal do game, Estevam Jannuzzi ficou responsável pela produção de conteúdos para o game junto com a Mariana Honorio. Leonardo Bapstista e Lucas Rocha foram responsáveis por outras partes da programação e também na produção de conteúdo para o game, conseguimos produzir mais de 150 conteúdos para o game, otimizamos tudo para ficar abaixo dos 1,5mb, foi uma superação de todas as equipes da Game Jam, todos estão de parabéns!

 

  1. Alguma chance de o game produzido na Game Jam Sky evoluir para um projeto completo e ser lançado no futuro para as grandes plataformas ?
    Izotonic
    : Sim, estamos conversando com a Sky para ver como iremos prosseguir com o desenvolvimento do Game. Vamos planejar como lançar e também as datas!
  2. Qual a parte mais legal de participar da Game Jam Sky? A Izotonic já participou
    de outros eventos do tipo?

    Izotonic:
    O evento foi muito bem produzido, a Sky está de parabéns, todo o cuidado que eles tiveram com cada desenvolvedor foi perfeita! Achei o desafio a melhor parte
    da game jam, não havíamos feito nada desse tipo em 7 anos. Chegamos no limite da otimização e produzir um conteúdo variado, usando muitas coisas nativas. Já participamos de outras Game Jams, algumas com alguns integrantes da equipe  e outros amigos, mas com a formação completa do estúdio, foi a primeira vez!
  3. Qual a dica que vocês podem dar para desenvolvedores que gostariam de participar de game jams?
    Izotonic:
    Nas Game jams você sempre acaba aprendendo algo novo, ou superando algum desafio, abrindo uma porta em alguma empresa, indicações, e contato com outros Desenvolvedores.

Sobre o estúdio: 

A Izotonic Games é um estúdio brasileiro que nasceu em 2012 com o propósito de desenvolver jogos digitais e soluções interativas de qualidade. Em seu portfólio constam trabalhos realizados para grandes marcas de agência e empresa: jogos casuais, advergames e design 3D oferecidos para plataformas atuais.

O Facebook Gaming disponibiliza no Brasil a versão beta do seu aplicativo de jogos independentes

Há algumas semanas falamos sobre o Facebook Gaming, a nova empreitada da rede social no mercado dos jogos eletrônicos. Pois bem, parece que Mark Zuckerberg está com as atenções voltadas para o Brasil! Prova disso é que nosso país se tornou o segundo no mundo a receber acesso beta ao aplicativo, após o teste nas Filipinas. Essa fase beta será usada para obter feedback da comunidade gamer.

O aplicativo tem como base a experiência da aba de games do Facebook com o mesmo nome anunciada em junho de 2018. Basicamente ele servirá para que os aficionados por jogos descubram jogos com base em seus interesses. Para isso, o aplicativo inclui o mesmo conteúdo personalizado de gaming que você segue no Facebook, além da possibilidade de descobrir novos conteúdos no próprio aplicativo.

De acordo com a gigante da tecnologia, os usuários do Facebook poderão se conectar com outros gamers para assistir streaming ou fazer transmissões através do celular diretamente para a sua página. Já inclusive há alguns gamers conhecidos utilizando a plataforma, tal como o Netenho, o Kamikat, Samira PlayHard, Davy Jones, Patriota e Diana Zambrozuski, que transmitem jogos como Fortnite, Free Fire, GTA e League of Legends.

Como se não bastasse, é possível jogar alguns games pela plataforma, tais como o Everwing, Words with Friends, Basketball FRVR entre outros 6 mil disponíveis. Os jogos no aplicativo utilizam a plataforma Instant Games do Facebook, que permite que as pessoas descubram e joguem instantaneamente, sem precisar fazer novos downloads.

“Estamos animados em expandir o teste beta do nosso aplicativo de jogos para receber o feedback das pessoas no Brasil”, disse Vivek Sharma, diretor de gerenciamento de produtos do Facebook Gaming. “O Brasil é um país de forte crescimento para o Facebook Gaming e queremos que alguns dos membros mais engajados da nossa comunidade façam parte desse processo de desenvolvimento. O feedback que recebermos durante a fase beta vai influenciar diretamente os recursos que criamos e será usado como base em nossos planos de lançamento para outros países.”

Athena’s e-Sports lança programa de sócio torcedor batizado de Exército de Athena

E não é que os e-Sports estão caminhando a passos largos para o que o futebol brasileiro tem se tornado? Prova disso é que a Athena’s e-Sports acaba de lançar seu programa de sócio torcedor batizado de Exército de Athena. O objetivo é acelerar o crescimento da operação do time através de um programa que possui seis níveis diferentes de apoio.

Batizados seguindo a tradição da hierarquia militar ateniense, os níveis de apoio têm nomes gregos e cada grau possui uma insígnia exclusiva, desenvolvida especialmente para o programa Exército de Athena. Tal como ocorre em programas de sócio torcedores em times de futebol, os valores variam conforme o desejo do torcedor. Eles variam de R$ 5,00 a R$ 250,00 e são repletos de recompensas especiais.

De Athinaíos, cidadão ou cidadã em grego aPolémarkhos, maior patente do exército ateniense e que significa Senhor(a) da Guerra, torcedores e fãs da organização poderão escolher o nível que mais se encaixa baseado no investimento e nas recompensas oferecidas. Com o crescimento da comunidade e devido a identificação com a bandeira levantada pela Athena’s e-Sports, vários fãs e torcedores entraram em contato com a organização pelas redes sociais perguntando como poderiam apoiar o desenvolvimento da equipe e, atenta aos feedbacks, a Athena’s e-Sports desenvolveu o programa Exército de Athena.

De acordo com as Athena’s, todo o dinheiro arrecadado com o financiamento coletivo será investido na organização. Estão contemplados investimentos em bootcamps, participação em campeonatos, contratação de novos profissionais, expansão para novas line-ups e novos conteúdos como streams e vídeos.

Fundada em novembro de 2018, a Athena’s e-Sports é uma organização profissional e feminina de esportes eletrônicos que atua na modalidade League of Legends. Por meio de uma seletiva que contou com quase 600 inscritas e teve uma final presencial na cidade de São Paulo em dezembro do ano passado, a organização anunciou recentemente a sua line-up principal que irá defender a camisa em 2019.

Para saber mais sobre o novo programa de sócio torcedor e sobre as Athena’s, basta acessar o site dessas guerreiras.

Games Independentes, Jogos Nacionais, Produção de Games e muito mais.