Desenho animado brasileiro Carrapatos e Catapultas ganhará versão em game

O desenho animado brasileiro Carrapatos e Catapultas têm feito relativo sucesso entre as crianças que assistem a TV Brasil, TV Cultura e a Cartoon Network. Não é segredo que há um game sendo desenvolvido pelo estúdio Cuca Games que é inspirado na animação. Pois bem, o estúdio  Cuca Games lançou oficialmente a página oficial do jogo no Facebook a fim de manter os fãs atualizados a cerca da obra.

De acordo com o estúdio, o game deve ser lançado oficialmente em fevereiro próximo. O que se sabe do jogo até o momento é que o jogador toma o controle de Bum e deve salvar o planeta Vaca que está em perigo iminente graças a uma invasão. Mais nada foi dito sobre como funciona o gameplay ou o enredo.

Ainda não foram anunciadas as plataformas em que o game será lançado. Porém espera-se que tenha versão para Android. Carrapatos e Catapultas será o segundo game do estúdio, que anteriormente lançou um jogo chamado Snail para Android. Este game não chegou a ficar muito conhecido, mas contava com um estilo artístico bastante arrojado.

A Cuca Games ainda não disponibilizou um vídeo gameplay, porém as novidades acerca do título devem surgir em breve. Conforme as notícias surgirem, a desenvolvedora manterá os fãs avisados através da página no Facebook.

Carrapatos e Catapultas

Ludic Side lança Candy World Quest para mobile e web

A Ludic Side Game Studio, de Belo Horizonte, MG, acaba de lançar seu mais novo game social, prometendo uma experiência diferente do habitual. Candy World Quest é um game de puzzle que lembra algo de Angry Birds. A tarefa do jogador é mirar em alvos específicos com uma rosquinha. A graça é treinar a pontaria enquanto destrava novos níveis e doces.

O jogo é dos mesmos criadores de Hotel Panic e Freeze the Way, ou seja, pode esperar bastante desafio. Felizmente existem alguns power ups especiais que facilitam a vida do jogador nas fases mais complicadas. São cerca de 50 fases desafiadoras e o game ainda possui integração com o Facebook, de modo que pode-se desafiar os amigos em competições rankeadas.

Candy World Quest está disponível gratuitamente para iOS, Android e Web. O jogo é indicado para fãs de jogos casuais e que gostam de games bastante coloridos e desafiadores. A trilha sonora é alegre e até um pouco infantil. Há suporte para os idiomas Inglês, espanhol, português, italiano, francês e alemão.

Trailer do game Candy World Quest:

Os 10 melhores jogos exclusivos do Xbox One para 2015

O ano de 2015 promete ser um dos melhores para os fãs de videogames, independente de que plataforma seja usuário. Pensando nisso, resolvemos eleger os dez melhores games exclusivos a ser lançados para cada plataforma. A primeira parte é para os usuários do Xbox One. Posteriormente vamos eleger os principais exclusivos do Playstation 4 e do Wii U.

Antes de iniciar a lista, primeiro vale destacar que são apenas jogos exclusivos, por isso alguns títulos muito esperados como The Witcher 3 e Batman Arkham Knight ficaram de fora.

Títulos exclusivos que mantém contrato de exclusividade temporária entraram na lista, pois ela compreende apenas o período de 2015. Confira também as ofertas para XBox One.

Dito isto, acompanhe os dez mais aguardados do Xbox One para 2015: 

10 – Crackdown – Cloudgine

Poucos detalhes foram anunciados de Crackdown, apenas um trailer que mostra que o estilo gráfico mantém a fórmula dos anteriores (com cell shading), muitas explosões e um ambiente urbano noturno com muito néon. Um detalhe interessante é que a Microsoft não chama o jogo de Crackdown 3, pelo simples motivo de o jogo não ser uma sequência do segundo capítulo da série, mas sim do primeiro game.

Outro detalhe é que o jogo deverá utilizar o poder de processamento em nuvem do Xbox One como nenhum outro título do sistema fez até então. Esse poder extra será utilizado para renderização mais complexos, como explosões em partidas multiplayer. Crackdown ainda não tem data de lançamento definida e há rumores de que ele nem chegue ao mercado em 2015. O jeito é esperar.

 9 – Phantom Dust – Microsoft Game Studios

Phantom Dust é um JRPG de ação bastante antigo: foi lançado em 2004 para o Xbox original. Não fez muito sucesso, mas teve notas boas nas críticas. Na história, os jogadores encontram-se em um planeta à beira da ruína, a missão principal é descobrir o que ocorre. O game tem foco no multiplayer online e incentiva as batalhas entre os players e a evolução de armas e habilidades. Infelizmente para a comunidade de fãs, os servidores do jogo foram desativados em julho de 2014 (estava disponível para Xbox 360).

Como Phantom Dust é um dos poucos títulos voltados aos jogadores nipônicos e a Microsoft tem intenção de impulsionar as vendas do One em todas as partes do mundo, a empresa anunciou um remake para sua nova plataforma. O lançamento está programado para 2015 e até então não se sabe se haverá (e quais são) as mudanças para a nova versão.

 8 – Screamride – Frontier Developments

Sucessor spiritual de RollerCoaster Tycoon, Screamride é o jogo do Xbox One voltado aos fãs de construções, mas a diferença é que o novo jogo não permite a construção e administração de parques completos, mas apenas de montanhas-russas, quanto mais perigosas, melhor.

São três modos de jogo, sendo o destaque para a destruição total. O lançamento é para 3 de março e a Microsoft lançará o título também para o Xbox 360. Há possibilidade de compartilhar as criações na Xbox Live e testar as engenhocas dos amigos. Seria bem legal se o Xbox tivesse um óculos de realidade virtual compatível com Screamride, mas isso vai ficar na nossa imaginação.

 7 – Fable Legends – Lionhead Studios

Fable Legends é a primeira entrada da série no Xbox One e apesar de carregar o nome do RPG exclusivo mais emblemático da Microsoft, o jogo se distancia bastante da fórmula de seus antecessores. Para começar, o jogo tem um enfoque mais voltado ao multiplayer do que o singleplayer: quatro amigos se unem para derrotar as mais variadas criaturas que aterrorizam Albion, e um quinto jogador pode assumir o papel de vilão, definindo quem deve ser atacado e que desafios os heróis enfrentarão.

Legends também joga para escanteio a companhia do cachorro, que dava um tom emocional nos últimos games da série. Ah, também esqueça as escolhas morais que afetavam a vida dos NPCs de Albion, as coisas agora são mais objetivas: escolha ser o herói ou o vilão, somente isso. Tais mudanças na série certamente têm a ver com a saída de Peter Molyneux da Lionhead Studios. O game perde muito de sua carga emocional e vira algo mais parecido com um MMO tradicional voltado aos combates.

Apesar de todas as críticas, a desenvolvedora promete que Fable Legends terá muita qualidade visual e técnica, de modo que poderá ser apreciado mesmo em modo singleplayer. Ah, de acordo com a Lionhead a inspiração para o game veio de dois jogos consagrados: Dark Souls e Journey.

6 – Scalebound – Platinum Games

Dragões, Hidras, ambiente gigantesco, batalhas épicas e caça a monstros. Tudo isso é o que espera os jogadores que comprarem Scalebound, o novo jogo da Platinum Games, os mesmos caras por trás do bem sucedido Bayonetta. Poucos foram os detalhes divulgados pelos produtores, apenas sabe-se que o jogador controla um jovem caçador de monstros que explora o mundo em missões que envolvem destruir as mais terríveis criaturas que existem.

Dragões são a peça chave do game, bem como as batalhas que devem lembrar algo de Shadow of the Colossus e Monster Hunter, além disso, há espadas, flechas e feitiços. Um dos rumores é que cada dragão no jogo é controlado por um jogador diferente, ou seja, há um elemento multiplayer massivo em que os jogadores se unem para destruir as maiores criaturas em um mundo vasto. Seja como for, a Platinum já anunciou que o game é diferente de tudo que eles já fizeram anteriormente.

 5 – Ori and the Blind Forest – Moon Studios

Uma das maiores surpresas do Xbox One é um game indie com progressão lateral produzido por um estúdio indie. Ori and the Blind Forest apresenta a história do guardião espiritual Ori que vive em uma bela floresta que começa a se decompor e atrair estranhas criaturas. O game é uma aventura metroidvania e possui elementos de RPG e ação semelhantes a jogos clássicos como Megaman.

O grande destaque do jogo são os belos gráficos desenhados à mão. Todo o visual e as paisagens são de tirar o fôlego e demonstram o cuidado que a Moon Studios teve com o título. De acordo com a desenvolvedora, o game rodará em 1080p e 60 fps. Quem esteve na Brasil Game Show 2014 pôde conferir o game indie mais esperado do Xbox e a impressão geral é de que vai valer mais a pena do que muitos games AAA.

 4 – Forza Motorsport 6 – Turn 10

Seguindo seu planejamento bianual, a Microsoft anunciou durante o North American International Auto Show, o lançamento de Forza 6, o respeitado simulador de corridas. Nenhum detalhe adicional foi revelado, apenas que há uma parceria inédita com a Ford, de modo que o Ford GT é a capa do jogo, além disso, outros bólidos estão confirmadíssimos como o Ford Mustang Shelby GT350 e o F-150 Raptor.

Não há data de lançamento definida, mas a previsão é de chegar ao mercado no final do ano. Foi prometido que o título já estará jogável durante a E3 2015. Como não pode deixar de ser, Forza 6 deverá ter gráficos de cair o queixo e físicas realistas.

 3 – Quantum Break – Remedy

Quantum Break chama atenção por diversos aspectos: trata-se de um jogo em terceira pessoa com bastante ação e um visual incrível. Está em produção pelo estúdio Remedy, os mesmos caras que lançaram o aclamado Alan Wake para Xbox 360. Mas o principal destaque é a possibilidade de controlar o tempo, inclusive viajar pelo tempo. Pelos vídeos gameplay divulgados até o momento dá para perceber que a Remedy não está poupando esforços para tornar Quantum Break seu game mais ambicioso já produzido.

O design de fases é ótimo e as cenas de ação são cinematográficas, unindo algo de Alan Wake e Max Payne. Em alguns trechos, o jogo lembra algo de Uncharted, porém mais caótico. As convulsões temporais, momentos em que o tempo enlouquece e o protagonista Jack deve controlá-lo, são nada menos que empolgantes. Quantum Break é um dos jogos mais criativos do ano e tem tudo para colecionar prêmios e ser ovacionado.

 2 – Raise of the Tomb Raider – Crystal Dynamics

O novo game da Crystal Dynamics dá continuidade ao badalado Tomb Raider de 2013. Para surpresa de muitos, a Microsoft confirmou a exclusividade do jogo para a marca Xbox, mas é dado como certo que o título chegue ao Playstation algum tempo depois. Pouco se sabe sobre o enredo, apenas que Lara descobrirá mais sobre seu próprio passado.

A jogabilidade deve manter o alto padrão mantido por seu antecessor, além disso, foi prometido que haverá mais tumbas e segredos a serem descobertos pelos jogadores. Para os fãs de Xbox, a exclusividade, ainda que temporária de Tomb Raider representa uma resposta à Uncharted 4 do Playstation 4.

1 – Halo 5: Guardians – 343 Industries

O primeiro Halo originalmente criado para a nova geração promete agitar o Xbox One quando for lançado e quebrar alguns paradigmas conhecidos da série. Esqueça um pouco (mas só um pouco) Master Chief, o novo jogo terá como personagem jogável o Spartan Locke que está em uma missão para desvendar o desaparecimento de Chief.

Na parte gráfica, pelo que conferimos no Beta, Guardians tem o visual digno de um jogo da nova geração e tem tudo para ficar melhor, pois o Beta rodava a 720p 60FPS, já a versão final estará a 90p por 60FPS. Outro aspecto que deve animar os jogadores é a jogabilidade: um pouco mais dinâmica e semelhante à Call of Duty e Destiny (tem até a mira automática para facilitar a vida dos novatos). O multiplayer também será mais dinâmico e corrido, ao contrário dos antecessores, que eram ótimos, diga-se de passagem. Por fim, os fãs de Halo podem ficar tranquilos, Halo 5 Guardians é Halo em sua essência e promete ser o maior e melhor exclusivo do Xbox na temporada.

Outros títulos

De acordo com a Microsoft, haverá muitas surpresas até o final do ano. Confirmados estão State of Decay: Year One Edition, Cuphead, Massive Chalice, Fortfied, Superhot, Inside, Below, Raiden V, entre outros. Há muita expectativa para projetos ainda não revelados, como os próximos projetos da Rare e da Lionhead Studios. O ano de 2015 promete ser bastante agitado para os possuidores do Xbox One.

Gameloft lança Dragon Mania, jogo de criação e treinamento de dragões

O mais novo game da Gameloft mistura as premissas de bichinho virtual e animais de batalha, como Pokémon. Dragon Mania: A Lenda coloca o jogador no reino de Dragolândia, um reino povoado por dragões selvagens, porém domesticáveis. O jogador recebe uma ilha e a tarefa é colecionar o maior número de dragões possível.

A tarefa é dificultada graças aos vikings que invadiram e tomaram as terras e colocaram o mundo em estado de caos. O jogador deve capturar as míticas criaturas e cuidar delas como se fossem pets. É possível alimentar e dar carinho aos bichos a fim de subir o nível e treiná-los para os combates.

Além disso, o jogador deve cuidar de sua ilha, criando novos habitats, fazendas e demais construções que agradem as diferentes espécies de dragões. Quando há pelo menos dois dragões, é possível colocá-los na toca da procriação para criar um terceiro com novas habilidades e novo visual. O game é como o famoso Dragon City da Dragon City Team. O visual do game, diga-se de passagem, lembra um pouco o concorrente, bem como a simplicidade em gerenciar os recursos para os bebês dragões. A diversão começa a valer quando as criaturas tornam-se grandes monstruosidades.

Dragon Mania: A Lenda está disponível para todas as plataformas digitais, ou seja, iOS, Android, Windows Phone e Windows 8. O download é gratuito.

Trailer de Dragon Mania: A Lenda

Global Game Jam ocorre entre 23 a 25 de janeiro na Unicamp

Quem esperava o evento Global Game Jam já pode ir se preparando: nos próximos dias 23 a 25 de janeiro a Unicamp será uma das sedes da maior game jam do planeta. Quem já participou e acompanha, sabe que o evento é uma mega maratona de desenvolvedores indie para a criação de jogos em pouco tempo. A organização internacional está por conta da Global Game Jam Inc, empresa sediada na Califórnia, EUA.

Confira a lista completa das sedes brasileiras da Global Game Jam.

Como de praxe, os desenvolvedores terão o prazo de 48 horas para desenvolver um game completo que siga o tema proposto pela organização. Toda a comissão de organização na Unicamp é formada por membros do Gamux – uma instituição estudantil organizada na forma de uma escola interna de desenvolvimento de jogos; que visa oferecer aos estudantes da Unicamp a oportunidade de participar do processo de produção dos mesmos.

De acordo com a organização o cronograma inicia com os estudantes se reunindo na sexta-feira à tarde para assistir um breve vídeo que contém dicas e conselhos para a maratona que vêm pela frente. Em seguida o tema é anunciado. A previsão é de reunir cerca de 100 estudantes, que poderão utilizar as salas de desenvolvimento e as salas de descanso preparadas para quem vêm de fora da cidade.

Para ter ideia da grandiosidade do evento, em 2012 cerca de 50 países participaram do evento com 242 sedes e no período do evento foram criados cerca de 2000 jogos (um recorde mundial). Muito além de criar jogos, o Global Game Jam acaba contribuindo para formar novos contatos profissionais, desafiar os desenvolvedores intelectualmente, explorar novas tecnologias. O espírito não é de competição, mas sim de colaboração.

O evento ocorre dentro da FEEC (Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação) dentro da Unicamp, nas salas FE11, FE12, FE21, FE22, FE23, tendo início às 16, com a liberação do tema pela organização internacional do evento às 17h. Para participar, basta fazer a inscrição no site da Gamux.

Confira a lista completa das sedes brasileiras da Global Game Jam.

Phoenix Force 2 terá crossover com personagens de games brasileiros

Crossovers é uma ideia bem utilizada em jogos estrangeiros, mas no Brasil isso ainda é uma coisa incomum, principalmente se forem personagens de jogos brasileiros. O time do estúdio Awoker Games juntou forças com a Splitplay (primeira loja de games indie brasileiros) para reunir diversos personagens de jogos nacionais para o Phoenix Force 2. Os personagens cedidos são Aritana por Duaik; Balloon por Odig Games; Mr.Bree por TawStudio; Porcunipine por Big Green Pillow; Odallus por Joymasher; Tormenta por Trio Tormenta; Gryphon Knight Epic por Cyber Rhino Games; Project Tilt por BitCake e Capitain Split por Splitplay.

A intenção é levantar a campanha que está rolando no Catarse para os levantamentos de fundos de Phoenix Force 2. A ideia surgiu após uma conversa entre Rodrigo Coelho, CEO da Splitplay e Sérgio Alonso, desenvolvedor da Awoker. Como a ideia foi abraçada pelos envolvidos no game e pelos outros estúdios, em breve teremos um game que conta com muitos dos ícones de jogos nacionais, algo inédito no Brasil.

“Fico muito orgulhoso do Splitplay participar dessa união fantástica de personagens brasileiros, acho isso um evento histórico que nunca foi feito antes nessa escala. São todos personagens de grandes jogos que merecem ser jogados, tenho certeza que essa junção vai ajudar a todos, isso que está acontecendo é simplesmente muito divertido!”, disse Rodrigo Coelho, CEO do Splitplay.

Para quem não conhece, Phoenix force é um shoot ´em up sobre um grupo de fênix que enfrentam grandes e poderosos seres mitológicos. Todos os níveis finalizam como os jogos de nave clássicos, ou seja, um embate com um chefão, criando batalhas desafiadoras e rápidas que precisam dos seus melhores reflexos e estratégia do jogador.

Gostou? Colabore com o Phoenix Force 2 no Catarse.

Phoenix Force 2

Games Independentes, Jogos Nacionais, Produção de Games e muito mais.